Editorial: Santana de Parnaíba

Indústria elabora pauta para reuniões com o ministro da Economia

Foto: Divulgação

Defesa do setor no contexto da reforma tributária, competitividade,
Refis e medidas necessárias à retomada do crescimento exige união dos
empresários e das suas entidades de classe.

  Rafael Cervone, vice-presidente da Federação e Centro das Indústrias
do Estado de São Paulo (FIESP/CIESP), anunciou hoje (1/07) um
cronograma de trabalho com o ministro Paulo Guedes, da Economia, e a
equipe da pasta, para equalizar a defasagem de competitividade da
indústria nacional. Ele deu a informação em reunião virtual com
industriais de Barueri, Carapicuíba, Jandira, Itapevi, Pirapora do Bom
Jesus, Osasco, Santana de Parnaíba, Araçariguama, Cotia, Embu, São
Roque, Taboão da Serra e Vargem Grande Paulista.

  Essa questão do Custo Brasil é prioritária, afirmou Cervone,
argumentando que “produzir e operar no País supera em R﹩ 1,5 trilhão
por ano, o equivalente a cerca de 22% do nosso PIB, a média das
nações da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento
Econômico)”. É o que demonstra estudo realizado pelo Boston Consulting
Group, do qual participaram diversas entidades de classe.

  Cervone, que é candidato à presidência do CIESP nas eleições da
próxima segunda-feira (5/07), também apresentou aos empresários a
plataforma de trabalho da Chapa 2, pela qual concorre, intitulada 5G:
Gente; Gestão; Governança com Responsabilidade Social e Ambiental
(ESG);Globalização; e Gosto intitulada de 5G, numa analogia com a nova
tecnologia que revolucionará o ambiente de negócios. Salientando que a
pandemia acelerou o processo de transformações da economia e do
surgimento de soluções disruptivas, acentuou que “nossa entidade tem a
missão de apoiar as empresas nesse processo, contribuindo para o
aumento da produtividade e competitividade do setor”.

  Defesa da indústria

  O empresário Fábio Starace Fonseca, de Osasco, comentando o
estabelecimento do cronograma de trabalho com o Ministério da Economia,
perguntou sobre as perspectivas de que a interação com o poder
público reverta-se, em termos práticos, no aumento da competitividade
da indústria. Cervone respondeu que já tem sido realizado trabalho
forte nesse sentido, que será ampliado e incansável. “Estamos
demonstrando às autoridades, com dados concretos, que nosso setor não
pode pagar um terço dos impostos no País, representando hoje apenas
10,8% do PIB”.

  Um dos estudos já entregues demonstra que só os países que elevaram
a participação da indústria no PIB acima de 20% conseguiram aumentar
o patamar de renda da população. “Precisamos e vamos fazer muita
pressão no Congresso Nacional para reverter o aumento do Imposto de
Renda recém-anunciado, bem como para evitar que a nova Contribuição
Social sobre Movimentação de Bens e Serviços (CBS) seja de 12%. Já
encaminhados aos presidentes da Câmara e do Senado, assim como ao
Ministério da Economia, um detalhado trabalho, mostrando que o ponto de
equilíbrio é de 8,3%”, disse Cervone. E destacou: “Também estamos
demonstrando a todos que cada 1% de carga tributária reduz em 0,5% a
produtividade industrial”.

  Cervone lembrou que um exemplo de resultados práticos da mobilização
das entidades de classe foi a vitória, que teve forte participação da
FIESP e do CIESP, na retirada do ICMS da base de cálculo do PIS/Cofins,
uma longa batalha. “Do mesmo modo, ficamos felizes ao receber a
informação do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), em live
que realizamos com ele na quarta-feira (30/06), de que o projeto do novo
Refiz, de autoria dele, abrange o período pré-pandêmico, no qual a
economia brasileira já enfrentava forte retração”.

  Quando presidiu o Sinditêxtil-SP (Sindicato das Indústrias de
Fiação e Tecelagem do Estado de São Paulo), relatou Cervone, o setor
conseguiu reduzir a alíquota do ICMS de 12% para 7%. “Com isso, a
receita total desse imposto no setor cresceu 8%. Mostramos isso ao
governo paulista à época, provando que carga tributária menor aumenta
a produção e a base arrecadatória, conforme estamos discutindo neste
exato momento com autoridades do Executivo e do Congresso Nacional”,
revelou, informando sobre outra frente atual de luta: “Apresentamos
denúncia na Receita Federal e no Ministério da Economia sobre a
sonegação que ocorre hoje com empresas informais utilizadoras de
maquininhas de cobrança, que não passam pelo sistema bancário.
Trata-se de uso da tecnologia a favor do crime”.

  Força e representatividade setorial

  O empresário Sérgio Marchesi, de Osasco, observou ser importante a
presença frequente do presidente do CIESP nas ações e eventos da
entidade em todo o Estado, para ampliar cada vez mais a força da
representatividade. Nesse sentido, Cervone lembrou ter sido conselheiro
e diretor da Regional de Santa Bárbara d´Oeste, sua cidade, sentindo
na prática essa necessidade. Por isso, frisou, “faremos reuniões
itinerantes sistemáticas. A entidade foi muito eficiente até aqui, mas
precisamos construir juntos um novo modelo adequado às transformações
do Brasil e do mundo, o que somente será possível com o fortalecimento
das regionais e participação de todos”.

  Cervone reiterou o significado da força institucional e de
representatividade da indústria, ao responder questão sobre logística
apontada pelo empresário Moacyr Felix, de Barueri, que fez referência
à anunciada expansão da Rodovia Castello Branco. “Isso será
importante para a indústria da região e do Estado, mas ainda
precisamos avançar bastante nos transportes e fretes, que têm peso
relevante nos nossos custos”, ponderou o dirigente, dando um exemplo do
setor têxtil e de confecção: “Hoje, é mais barato trazer para São
Paulo um fardo de algodão do Egito do que da Bahia”.

  Considerando todos os desafios a serem enfrentados pela indústria,
neste momento decisivo de reformas tributária e administrativa,
votação do Refis, redução do Custo Brasil e políticas eficientes
para a retomada econômica, Cervone enfatizou o significado da unidade
da indústria, fortalecendo sua representatividade e força de
negociação com o poder público.

  Tal sinergia está presente na composição feita, a pedido das bases
empresariais, para as eleições de segunda-feira (5/07): a Chapa 2 do
CIESP tem Rafael Cervone como presidente e Josué Gomes, primeiro-vice.
Na chapa única da FIESP, as posições invertem-se. Está garantida,
assim, a união e coesão das entidades na defesa do setor.

  Cervone ressaltou, também, que a Chapa 2 do CIESP tem
representatividade nos 42 departamentos regionais. Conta com número
expressivo de mulheres e jovens empreendedores e 52% dos seus membros
não têm qualquer participação na atual gestão, num processo
equilibrado de renovação. Dentre todos os integrantes, 78% são do
Interior. Há, ainda, a presença de empresários de todos os segmentos
e portes de indústrias.

Prefeitura de Santana de Parnaíba recebe 4 mil cestas básicas do Programa Alimento Solidário

As cestas serão destinadas as famílias em situação de vulnerabilidade

Para auxiliar as famílias parnaibanas neste momento de pandemia, na última semana o Fundo Social de Solidariedade de Santana de Parnaíba, recebeu a doação de aproximadamente 4 mil cestas básicas.

As cestas fazem parte da parceria entre a Prefeitura e Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado, por meio do Programa Alimento Solidário. Estes alimentos serão destinados às famílias que encontram-se em situação de vulnerabilidade social, cadastradas nas unidades assistenciais (CRAS e NAS) do município.

O morador que necessita de auxílio assistencial deve entrar em contato com a Secretaria de Assistência Social ou Fundo Social de Solidariedade, nos telefones: 4622-7050 ou 4154-6248.

Auxílio emergencial: nova parcela do benefício começa a ser paga nesta segunda-feira

Começa nesta segunda-feira (18) o pagamento da segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600 criado pelo governo devido à crise causada pela pandemia do coronavírus. Os primeiros a receber serão os beneficiários do Bolsa Família cujo Número de Identificação Social (NIS) é terminado em 1, conforme calendário divulgado na última sexta (15).

Na quarta (20), começa o pagamento para trabalhadores que estão no Cadastro Único e que não recebem o Bolsa Família, conforme o mês de nascimento (veja abaixo). O calendário divulgado é válido apenas para aqueles que receberam a primeira parcela até 30 de abril.

No primeiro momento, o dinheiro estará disponível apenas em poupança social digital da Caixa, para movimentações digitais: pagamento de contas, de boletos e para realização de compras por meio de cartão de débito virtual. Os saques em espécie para este público poderão ser feitos a partir de 30 de maio — também conforme o mês de nascimento.

Veja o calendário completo:
Beneficiários do Bolsa Família:

Dia 18 de maio – NIS terminado em 1
Dia 19 de maio – NIS terminado em 2
Dia 20 de maio – NIS terminado em 3
Dia 21 de maio – NIS terminado em 4
Dia 22 de maio – NIS terminado em 5
Dia 25 de maio – NIS terminado em 6
Dia 26 de maio – NIS terminado em 7
Dia 27 de maio – NIS terminado em 8
Dia 28 de maio – NIS terminado em 9
Dia 29 de maio – NIS terminado em 0
Depósito em poupança social digital da Caixa:

Dia 20 – nascidos em janeiro e fevereiro
Dia 21 – nascidos em março e abril
Dia 22 – nascidos em maio e junho
Dia 23 – nascidos em julho e agosto
Dia 25 – nascidos em setembro e outubro
Dia 26 – nascidos em novembro e dezembro
Saques e transferência da poupança social:

30 de maio – nascidos em janeiro
1º de junho – nascidos em fevereiro
2 de junho – nascidos em março
3 de junho – nascidos em abril
4 de junho – nascidos em maio
5 de junho – nascidos em junho
6 de junho – nascidos em julho
8 de junho – nascidos em agosto
9 de junho – nascidos em setembro
10 de junho – nascidos em outubro
12 de junho – nascidos em novembro
13 de junho – nascidos em dezembro
A primeira parcela
Na última sexta-feira, a Caixa Econômica Federal divulgou que mais 8,3 milhões de trabalhadores tiveram seu pedido ao auxílio emergencial aprovados pela Dataprev e devem receber a primeira parcela do benefício entre os dias 19 e 29 de maio. No total, serão disponibilizados mais R$ 5,3 bilhões nas contas indicadas no momento da inscrição.

De acordo com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, o pagamento será feito de acordo com o mês de nascimento e em dias diferentes dos depósitos da segunda parcela, para evitar filas nas agências.

Fonte: Gaucha ZH

Entrega de máscaras realizadas pela Prefeitura de Santana de Parnaíba beneficia mais de 80 mil pessoas

No último sábado(25) mais de 60 mil máscaras foram entregues em diversos bairros da cidade.

Com o objetivo de proteger a população contra o coronavirus, na última semana a Prefeitura de Santana de Parnaíba realizou duas ações de entrega de mascaras na cidade.

A primeira delas aconteceu na última quarta-feira (22) com a distribuição no terminal rodoviário central e em outros 9 pontos estratégicos em diversas regiões, com o intuito de imunizar os trabalhadores, usuários do transporte público e motoristas de ônibus.

Já no último sábado (25), uma mega operação consistiu na realização da entrega de 60 mil máscaras em diversos bairros, que contou com a participação de centenas de servidores que, realizaram a distribuição, de casa em casa aos moradores. Com isso, mais de 80 mil mascaras de proteção, que tem duração de 30 dias e garante em até 60% a proteção contra o coronavirus.

Nesta quarta-feira (29) entrou em vigor o Decreto nº 4368/2020 que obriga o morador o uso de mascaras, ao sair de casa em todo o território municipal.

O Prefeito Elvis Cezar acompanhou ambas as ações e comentou sobre as ações e iniciativas do poder público municipal: “Nosso objetivo é fazer com que a população se conscientize de como essa doença é letal e se proteja. Caso seja extremamente necessário sair de casa, todos os moradores da nossa cidade deverão usar máscara, mas o mais importante é que, quem puder, fique em casa, que em breve, tudo isso vai passar”, falou o prefeito.

Hospitais de Campanha

           A prefeitura está acertando os últimos detalhes para entregar o primeiro hospital de campanha, denominado de Centro de Combate ao Covid-19 que contará com 40 leitos de alta e média complexidade para atender os casos mais graves da doença. O município possui 143 casos confirmados e 5 óbitos por conta do coronavirus.

Prefeitura de Santana de Parnaíba refaz galeria de águas pluviais em Alphaville

Por intermédio da equipe de pequenas obras da Secretaria de Serviços Municipais (SSM), a Prefeitura de Barueri está refazendo uma galeria de águas pluviais por motivo de rompimento em trecho da Via Parque (avenida Dib Sauaia Neto), em Alphaville.

A obra da galeria é realizada com troca de manilhas de concreto, tubos com diâmetro maior em relação ao tamanho usado anteriormente.

Mesmo em obras por conta do rompimento da galeria de águas pluviais, a Via Parque continua aberta ao tráfego. O trecho em serviços está sinalizado pelo Demutran (Departamento Municipal de Trânsito).

O trabalho consiste em escavação, reaterro, assentamento e uso de material como cimento e pedras de forma mais reforçada para suportar o tráfego de veículos sobre a tubulação, bem como o volume de águas que passam pela galeria e desembocam no Rio Tietê.

Via Parque

Considerada como uma das maiores obras de mobilidade urbana da história de Alphaville e Tamboré, a Via Parque passou a operar de ponta a ponta em toda a sua extensão, em Barueri, no dia 28 de agosto de 2017.

Com o objetivo de oferecer mais opção ao motorista e reduzir o fluxo de veículos nos horários de pico, a Via Parque, em Barueri, soma mais de 2 quilômetros de comprimento, entre a estrada da Aldeinha (a partir da nova ponte Akira Hashimoto) até as imediações do Parque Ecológico Tietê, divisa com Santana de Parnaíba.

Fundo Social de Solidariedade de Santana de Parnaíba lança campanha “Parnaíba Solidária”

Para ajudar a levar comida para a mesa das famílias parnaibanas, o Fundo Social de Solidariedade lançou a Campanha “Parnaíba Solidária – Doar Faz Bem” que consiste na arrecadação de alimentos e produtos de higiene e limpeza, com o objetivo de montar cestas básicas, que serão entregues para as famílias em situação de vulnerabilidade social, que estejam necessitando de um auxílio nesse momento de isolamento social por conta do coronavírus. Esta ação é realizada por meio de doações, feitas nos postos de coleta, instalados em pontos estratégicos da cidade. Além dos alimentos e materiais de limpeza, os postos também estão recebendo doações de máscaras de proteção e álcool em gel que contribui na prevenção da infecção pelo Covid-19. Em Alphaville, os postos de arrecadações estão situados na universidade UNIP/Objetivo, na rua Yojiro Takaoka, no Centro Automotivo Rede Alpha, que fica na Av. Marcos Penteado de Ulhoa Rodrigues, 3212, Base da Guarda Municipal do 18 do Forte, na Av. Yojiro Takaoka, 2400 ou na APPET – Associação dos Proprietários do Polo Empresarial Tamboré na Al. America,01, além do Fundo Social de Solidariedade, que fica na rua Topázio 65, no Jardim Parnaíba. Informações: 4154-6248.

Disk Medicamentos atenderam centenas de idosos em Santana de Parnaíba

 Para garantir à segurança dos idosos, com 60 anos ou mais, contra o novo coronavírus, a prefeitura de Santana de Parnaíba implantou o Disque Medicamentos para levar os remédios nas residências dos idosos nesse período de pandemia, já que eles são os mais afetados do grupo de risco, evitando a locomoção

Mais de 1800 idosos já receberam seus medicamentos no conforto da sua casa, e a partir dessa semana, além dos medicamentos, os idosos receberão máscaras para contribuir na proteção e na saúde dos mesmos. Outra ferramenta importante que a prefeitura desenvolveu foi o sistema de informatização, para localizar os idosos que tem medicamentos com prazos a vencer nos próximos dias, fazendo com que, na última semana, mais de 200 idosos recebessem em sua residência, os remédios para utilização nos próximos 90 dias sem terem feito o pedido. A solicitação dos medicamentos é feita pelo telefone (11) 97513-9238 mediante cadastro, informando o nome completo, data de nascimento, telefone, CPF e o local de entrega.

Receba no seu WhatsApp gratuitamente!