Editorial: vendas

Grupo Carrefour Brasil registra aumento de 11,4% das vendas brutas no 4T19 e fecha mais um ano de crescimento rentável

No quarto trimestre de 2019, o Grupo Carrefour Brasil consolida sua posição de liderança no varejo alimentar brasileiro, com vendas brutas totalizando R﹩ 17,6 bilhões. No período, as vendas registraram forte avanço de 11,4% (ex-gasolina). Em 2019, as vendas brutas atingiram R﹩ 62,2 bilhões. O lucro líquido ajustado teve alta de 6,3%, alcançando R﹩ 695 milhões, pré-IFRS 16 no 4T. No consolidado do ano, o crescimento foi 5,1%, contabilizando R﹩ 1,98 bilhão.

As vendas em mesmas lojas (LfL) registraram alta de 7,6%, no trimestre. Esse aumento foi motivado em grande parte pelo sólido crescimento de 12,7% na divisão de varejo, o maior aumento trimestral dos últimos cinco anos. No Atacadão, as vendas brutas creseceram de 10,8% e o crescimento em mesmas lojas (LfL) atingiu 5,5%, refletindo a força do modelo de negócios, que se beneficia de uma tendência de inflação volátil em várias categorias, garantindo o melhor preço para os consumidores. A Black Friday impulsionou os bons resultados do período.

O Ebitda ajustado cresce 11%, atingindo R﹩ 1,4 bilhão, pré-IFRS 16 no 4T, e uma margem de 8,7%, praticamente estável em relação ao ano anterior, que demonstra a força do nosso modelo de negócios.

Segundo Noël Prioux, CEO do Grupo Carrefour Brasil, “com um crescimento de dois dígitos nas vendas e um robusto EBITDA Ajustado, o Grupo Carrefour Brasil novamente registrou outro ano de crescimento rentável em 2019, em particular no quarto trimestre, estimulado pelo sucesso da Black Friday, de nossas iniciativas comerciais e ganhos de eficiência. Todos os nossos formatos contribuíram para esse sólido desempenho: O Atacadão voltou a registrar um crescimento de dois dígitos no 4T e atingiu sua meta de abertura de 20 novas lojas no ano. O Carrefour Varejo registrou seu maior aumento trimestral em cinco anos no quarto trimestre, com um crescimento de dois dígitos nas vendas, ganhos de participação de mercado nos hipermercados e uma crescente contribuição do e-commerce. O faturamento do Banco Carrefour vem mantendo o seu sólido crescimento. A recém anunciada aquisição de 30 lojas do Makro fortalece ainda mais o ecossistema do Grupo Carrefour Brasil e nos posiciona para consolidar nossa posição de liderança no mercado de varejo brasileiro.”

Atacadão

De outubro a dezembro de 2019, o Atacadão registrou um crescimento total de 10,8%, totalizando uma receita bruta de R﹩ 11,9 bilhões. O desempenho reflete a estratégia de expansão da rede, que atingiu sua meta de abrir 20 lojas em 2019, com oito aberturas realizadas no 4T. Com isso, o Atacadão encerrou 2019 com 186 lojas no Brasil. O sucesso das vendas da Black Friday, que aumentaram 63,4% em relação ao ano anterior, também contribui para o resultado.

As vendas (LfL) do Atacadão tiveram um crescimento de 5,5% no 4T e 5,4% em 2019, em relação a igual período de 2018. Já a expansão da rede contribuiu com um crescimento adicional de 6% das vendas totais no trimestre.

No 4T19, o lucro bruto avançou 10% pré-IFRS 16, alcançando R﹩ 1,7 bilhão, e uma margem bruta de 15,5%, praticamente estável em relação ao ano anterior. No mesmo período, o Ebtida ajustado aumentou 12,6%, um dos maiores crescimentos trimestrais desse ano, atingindo R﹩ 825 milhões e a margem cresceu 0,12p.p., alcançando 7,6%, o que demonstra que as estratégias comerciais foram efetivas e conseguimos crescer com rentabilidade. No consolidado do ano, o Ebtida ajustado cresceu 5,3%, atingindo R﹩ 2,7 bilhões e com uma margem de 7,2%.

Carrefour Varejo

As vendas (LfL) da operação de varejo do Grupo Carrefour Brasil aumentaram 12,7% (ex-gasolina), ante 3,5% no mesmo período do ano anterior. Já as vendas totais cresceram 7,5%, atingindo R﹩ 20,2 bilhões, incluindo gasolina. O desempenho acima da média do segmento é reflexo das iniciativas adotadas em 2018, com foco em preço e sortimento, associadas com ações comerciais e voltadas a venda de produtos saudáveis. A estratégia resultou em uma melhor experiência do cliente, com o NPS atingindo uma alta histórica, e uma diminuição dos níveis de ruptura dos estoques.

O multiformato registrou o melhor nível de vendas (LfL) desde 2014 no período de outubro a dezembro, representando um crescimento de 9,6% com os volumes aumentando 5,4% e os tickets, 6,8%, alcançando transações adicionais superiores a 3 milhões. Na categoria não-alimentar, houve acréscimo de 16,4% (conferir esse numero) nas lojas físicas, assim como o melhor desempenho da categoria alimentar dos últimos cinco anos (aumento de 6,1% nas vendas e 4% nos volumes). Os formatos de conveniência, especialmente a bandeira Express, registraram 24,2% de incremento de vendas (LfL).

No período, os ganhos de participação de mercado dos hipermercados (+2,2 p.p de acordo com a Nielsen) e do varejo multiformato foram sustentados por: melhor execução logística; fortes vendas durante a Black Friday – com um crescimento anual de 40% das vendas e de 26% do faturamento do cartão Carrefour; e pela campanha Act for Food, com foco em alimentos saudáveis e frescos a preços justos.

A rede já realizou a implementação de corredores de saudáveis e orgânicos em 82 hipermercados, com mais de 3.100 SKUs (+22% na comparação anual), e mais de 2.600 SKUs itens de marca própria. Os produtos Carrefour registraram crescimento de 30%, no segmento de grande consumo e representaram 13% das vendas líquidas totais de alimentos no 4T, um aumento de 2,4 p.p. na comparação com o ano anterior.

Esse expressivo crescimento propiciou diluição de despesas fixas e aumento de 17% no ebitda do multivarejo, viabilizando importante investimentos no e-commerce alimentar

E-commerce

O e-commerce manteve crescimento, com o GMV total avançando 40,1%, representando 16,1% das vendas totais do varejo (ex-gasolina). O marketplace representou cerca de 19% do GMV total, com 3.756 sellers e 4 milhões de SKUs.

Na divisão de e-commerce alimentar, a empresa continua ganhando participação de mercado, com aumento de 405% no GMV. No 4T, as soluções de entrega Drive e Clique & Retire, presentes em 54 pontos de vendas, representaram 39% da entrega de alimentos. Além disso, fechamos 2019 com 12 side stores, que absorveram 25% das vendas totais no período, melhorando o tempo de entrega e atingindo um nível de 97% de pontualidade nas entregas.

No e-commerce não-alimentar, as vendas ultrapassaram R﹩ 700 milhões no 4T e R﹩2 bilhões em 2019. Esse resultado significativo já representa 34% das vendas totais do varejo não-alimentar e apenas três anos depois do seu lançamento para o mercado. Para atender esta operação, a empresa já conta com 110 pontos de Clique & Retire.

Banco Carrefour

No 4T, o Banco Carrefour manteve seu ritmo de desempenho, com crescimento de 28,9% no 4T19, em relação a 2018, atingindo um faturamento de R﹩ 9,7 bilhões. O Ebitda ajustado somou R﹩336 milhões, um aumento de 22,8% em relação ao 4T18 e o lucro líquido aumentou 74,1%, somando R﹩223 milhões no 4T e 55,5% em 2019, atingindo R﹩643 milhões.

O faturamento dos cartões de crédito apresentou um forte crescimento. O cartão Carrefour registrou aumento de 21,8%, atingindo R﹩ 6,9 bilhões (15,9% em comparação com o 3T). Já o cartão Atacadão teve um aumento de 51,2%, somando R﹩ 2,7 bilhões, e 15,9% na comparação trimestral. O faturamento bruto de Black Friday, dentro e fora de nossas lojas, somou R﹩ 380 milhões em um único dia, com aumento de 20% no número de transações e de 25% no ticket médio, em relação a 2018.

Sobre o Grupo Carrefour Brasil

Há 45 anos no país, o Grupo Carrefour Brasil é líder de mercado de distribuição de alimentos. A partir de uma plataforma omnicanal e multiformato, reúne operações de varejo e Cash & Carry, além do Banco Carrefour e de sua divisão imobiliária, o Carrefour Property. Atualmente, conta com os formatos Carrefour (hipermercado), Carrefour Bairro e Carrefour Market (supermercado), Carrefour Express (varejo de proximidade), Carrefour.com (e-commerce), Atacadão (atacado e atacado de autosserviço), além de postos de combustíveis e drogarias. Presente em todos os Estados e Distrito Federal, sua operação já abrange mais de 690 pontos de vendas. Com faturamento de R﹩ 62,2 bilhões em 2019 e mais de 87 mil colaboradores no Brasil, a empresa é a segunda maior operação dentre os países nos quais o Grupo Carrefour opera. A companhia se destaca ainda por ser uma das maiores empregadoras privadas do país e uma das 20 maiores empresas listadas na bolsa brasileira (B3). Além disso, tem focado em democratizar cada vez mais o acesso da população à alimentação saudável, promovendo o movimento Act For Food. No mundo, o Grupo Carrefour atua em mais de 30 países e, nos próximos anos, implementa estratégia prevista no plano Carrefour 2022, por meio da qual lidera intenso movimento de omnicanalidade, transformação digital e transição alimentar para que seus clientes consumam ainda melhor em qualquer lugar. Com mais de 360 mil colaboradores e 12 mil lojas espalhadas pela Europa, Ásia e América Latina, está presente na vida de mais de 105 milhões de clientes. Em 2019, a receita global da companhia totalizou € 80,6 bilhões.

Black Friday deve crescer 21% e movimentar mais de R$ 3,15 bilhões, segundo idealizador do evento

A data mais importante para o e-commerce brasileiro e mais aguardada para quem gosta de economizar, a Black Friday, neste ano acontece dia 29 de novembro. A previsão de crescimento é de 21%, ultrapassando a faixa dos R$ 3,15 bilhões, de acordo com o idealizador do evento: www.blackfriday.com.br.

A região que deve apresentar maior crescimento é a Nordeste, subindo de 12% para 14% sua participação sobre o total de vendas nacional. A líder em vendas continuará sendo a região Sudeste, com previsão de 61% do valor total do faturamento do evento; o que revela uma população mais amadurecida para compras online.

“Devemos continuar tendo um crescimento expressivo no volume de vendas este ano. Mesmo no ápice da crise econômica, o Black Friday continuou puxando a economia para cima. Por volta de 5 milhões de pessoas compram pela primeira vez na internet a cada ano e o Black Friday é uma grande porta de entrada para elas” destaca Ricardo Bove, criador do evento.

Dessa forma, é possível observar no gráfico abaixo que os momentos de crise no Brasil, incertezas políticas e baixo crescimento econômico não atrapalharam o aumento constante de compras no Black Friday:


Esse crescimento vem acontecendo não apenas no e-commerce. Em 2010, os grandes descontos aconteciam exclusivamente online — e esse meio continua liderando o crescimento. Segundo pesquisa do idealizador do evento: 58,4% dos consumidores compraram pela internet na edição anterior.

Porém, as lojas físicas estão começando a ganhar aderência à data: 26,5% dos consumidores utilizaram além da internet, também o varejo tradicional. E aqueles que preferiram fazer suas compras exclusivamente no ambiente físico representaram 15%.

Entre os produtos mais desejados estão aqueles mais caros, em que o desconto se torna mais significativo, e não são de necessidade imediata — o consumidor pode esperar o evento e se programar. Em 2019 o celular continua em primeiro lugar na intenção de compra: 37% das pessoas vão buscar um aparelho novo. Agora seguido de perto por Eletrodomésticos com 36% dos consumidores e TVs por 29,3%.

Isso está de acordo com o fato de que o ticket médio de compra durante o Black Friday seja de mais de R$600, enquanto o valor médio de compra pela internet do brasileiro em dias comuns é um pouco menor do que R$ 450.

Ainda de acordo com a pesquisa, a grande maioria (70,2%) pretende gastar este ano no evento mais de R$ 500, sendo que praticamente a metade de todos aqueles que irão comprar (46,4%) possui a intenção de desembolsar mais de R$ 1.000.

Sobre o LeadMedia BR
O LeadMedia BR é um grupo de origem Francesa, de investimento em tecnologia, que está presente também na Europa, Ásia, Austrália e Canadá. Foi fundado em 2008 e traz soluções e tecnologias inovadoras de marketing digital orientadas por dados, desenvolvimento de tecnologias e campanhas de marketing de BrandPerformance. No Brasil dentre outras atividades, foi fundador das chamadas Big Dates, como Black Friday, Cyber Monday, Boxing Day e Dia do Frete Grátis.

Vendas do comércio paulistano caem em agosto

 O frio tardio durante o mês acabou puxando a ligeira alta nas vendas do comércio paulistano em agosto. Apesar de enfraquecerem diante dos meses anteriores, o movimento registrou crescimento médio de 1%, ante igual período de 2018, segundo o Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). 

O indicador de vendas à vista subiu 1,4% na comparação anual, devido à procura por itens de vestuário, calçados e artigos de uso pessoal beneficiados pelo clima. Já nas compras parceladas ou a prazo a alta foi de apenas 0,6%.
“Isso mostra que o consumidor, inseguro no emprego, continua cauteloso em fazer compras parceladas – como as de móveis e eletrodomésticos, por exemplo”, afirma Emílio Alfieri, economista da ACSP.

Na comparação com julho, a alta média foi maior, de 1,3%, puxada pela venda à vista de itens em liquidação da coleção outono-inverno. Inclusive na compra de lembranças para o Dia dos Pais, que ajudou as vendas a crescerem 6,1%. Já no movimento a prazo, o resultado ficou negativo em 3,5%. 

“São resultados normais, que refletem a sazonalidade do mês e melhoram com a data comemorativa”, diz Alfieri. “Porém, mesmo com essa data na quinzena, o resultado das vendas parceladas é reflexo dessa cautela.”

No acumulado de janeiro a agosto de 2019, a alta média ficou em 1,8%, sendo que as vendas à vista cresceram 2,4% no período, e as a prazo, 1,2%. “Ao analisar o resultado do ano, embora tenham predominado grandes flutuações ao longo dos meses, o número ficou ligeiramente abaixo da projeção de alta de 2% nas vendas para o comércio paulistano no mês”, afirma. 

Mas há boas perspectivas para setembro, segundo o economista da ACSP: até então considerado um mês fraco para o comércio, as promoções e ofertas da recém-lançada Semana do Brasil, que será realizada entre os dias 6 e 15 de setembro, devem ajudar a melhorar os resultados das vendas no período. 

“Muitos varejistas estão se engajando em função dessa campanha para melhorar o movimento. Com a ajuda da liberação do FGTS e do PIS/PASEP, mais a antecipação do 13º dos aposentados e pensionistas do INSS, esse número pode surpreender”, finaliza. 

tabela_balanco_02.09_.jpeg