Editorial: Teatro

Sesc Vila Mariana apresenta infantil inspirado em Manoel de Barros com a Cia de Achadouros

O Auditório do Sesc Vila Mariana recebe a nova temporada do espetáculo infantil Os Lavadores de Histórias, da Cia. de Achadouros, em temporada que vai de 9 a 30 de junho, com sessões aos domingos, às 15 horas.

A montagem, dirigida por Tereza Gontijo, foi inspirada na poesia de Manoel de Barros. A dramaturgia de Silvia Camossa, foi concebida em processo colaborativo com o grupo, a partir das cenas improvisadas na sala de ensaio.

Os Lavadores de Histórias são três personagens – Urucum, Tom Tom e Jatobá -, interpretados pelos atores palhaços Emiliano FavachoMariá Guedes e Felipe Michelini, respectivamente. À noite, eles visitam quintais abandonados para lavar objetos esquecidos como brinquedos e roupas, e reviver momentos especiais da infância. Eles carregam consigo o “rio da memória”, no qual vão lavando as coisas que encontram e revelando histórias, fantasias, personagens e brincadeiras. Por meio de cenas cômicas, circenses, teatro de sombras e objetos, o espetáculo faz uma sensível reflexão sobre a relação da criança com o mundo real e da imaginação, e lança sobre a infância o olhar lúdico e poético.

Tendo como ponto de partida a potente e delicada poesia de Manoel de Barros, a concepção valoriza a intimidade com as pequenas coisas, a beleza contida em sutilezas, a graça da imaginação, as brincadeiras espontâneas e colaborativas e o contato com a natureza. A partir de uma imersão na obra do poeta, os atores foram para as ruas do bairro São Mateus em busca de histórias reais da memória afetiva de pessoas comuns (moradores antigos e crianças) que foram usadas em cenas da peça. “Um dos poemas de Manoel de Barros que mais nos inspirou foi Desobjeto, que fala sobre como a imaginação pode dar novos sentidos e funções a um objeto e transformá-lo em outras coisas na hora de brincar”, comenta Felipe Michelini. Os protagonistas contam que lembranças de suas próprias infâncias e de outras pessoas envolvidas na produção também estão no enredo.

A diretora Tereza Gontijo – mineira de Belo Horizonte, que também é palhaça, integrante dos Doutores da Alegria e da Cia. Vagalum Tum Tum – enfatiza que Os Lavadores de História foi concebido como um espetáculo para a família. “Enquanto a palhaçaria é diversão garantida para as crianças, o tom lírico e poético da peça toca os adultos ao acionar o dispositivo de suas lembranças da infância”. Ela ainda comenta que o processo junto à Cia. de Achadouros teve como estímulo o prazer do jogo de palhaços no trabalho de criar para o público infantil.

Urucum, Tom Tom e Jatobá sabem que nas coisas esquecidas nos quintas das casas estão guardadas muitas histórias de meninos e meninas que cresceram e já não se lembram de seus sonhos e brincadeiras. As histórias vão surgindo à medida que os objetos e brinquedos vão sendo lavados e revelados.

Entre as cenas está O menino que queria voar: um lençol manchado revela o garoto que queria viajar pelo mundo. Às vezes, fazia xixi enquanto dormia e depois se escondia embaixo da cama, sonhando em voar e unir os quatro continentes. Tem também A menina triste que descobre o que a faz feliz: um lenço colorido traz a história da menina que vivia triste até conhecer um menino mágico. Na história, inspirada nas conversas com a sambista Tia Cida, moradora da região de São Mateus, a menina conhece um amigo quando vai buscar lenha para o fogão e o acompanha até o acampamento cigano, descobrindo ali o seu amor pela música. Outro momento é O menino que vai para a lua com o amigo imaginário: um sapato velho se transforma em um interfone secreto para anunciar a missão da primeira criança a pisar na lua (história do ator Felipe). E ainda A menina que encantava os passarinhos: uma velha escova de cabelos faz as personagens reviverem a história de uma rádio de passarinhos (lembrança da atriz Mariá). Na programação desta rádio muitas aves participam: a andorinha dá receita de bolinho de chuva (chuva mesmo!); o tico-tico, que voa muito alto, faz a previsão do tempo; na transmissão do futebol, os jogadores são pássaros; e a radionovela dramatiza a história do menino que ficou chateado porque ia ganhar uma irmãzinha – não um “irmãozinho para brincar” -, mas ele descobre a alegria dessa nova relação (história do ator Emiliano).

Ficha técnica  Com Cia. de Achadouros. Dramaturgia: Silvia Camossa. Direção: Tereza Gontijo. Elenco: Emiliano B. Favacho (Urucum, Gururu e Cipriano), Felipe Michelini (Jatobá, Bugrinha e Menino Cigano) e Mariá Guedes (Tom Tom, Menina Triste e Meninassarinha). Cenografia: Alício Silva e Bira Nogueira. Figurino: Cleuber Gonçalves. Iluminação e fotografia: Giuliana Cerchiari. Adereços: Clau Carmo e Cia. de Achadouros. Pesquisa musical: Emiliano B Favacho e Tereza Gontijo. Músicas: Kevin Macleod. Preparação corporal: Ana Maíra Favacho, Erickson Almeida e Tereza Gontijo. Edição de som: Emiliano B. Favacho e Rodrigo Régis. Voz em off: Evandro Favacho. Grafite do painel: Celso Albino. Operação de som: Rebeka Teixeira e Thiago Mota. Operação de luz: Francisco Renner. Assessoria de imprensa: Verbena Comunicação. Idealização: Cia. de Achadouros. Realização: Sesc.

 Serviço

 Espetáculo: Os Lavadores de Histórias

Temporada: 9 a 30 de junho. Domingos, às 15h

Ingressos: R$ 17,00 (inteira), R$ 8,50 (meia) e R$ 5,00 (credencial plena do Sesc).

Grátis para crianças até 12 anos, com retirada de ingresso.

Duração: 60 min. Livre para todos os públicos (recomendação: a partir de 4 anos)

Sesc Vila Mariana

Rua Pelotas, 141, São Paulo – SP/SP.

Telefone: 5080-3000

Estacionamento: R$ 5,50 + R$ 2,00 a h adicional (credencial plena) e R$ 12,00 + R$ 3,00 a h adicional (outros).

sescsp.org.br/vilamariana

DUO BAIANO CAIM RETORNA AOS PALCOS COM NOVO SHOW “CONVERSAS SOBRE O FRIO E O TEMPO” NA SALA DO CORO DO TCA

No próximo dia 28 de maio, Marcos Marinho e Achiles Neto, vozes e mentes do CAIM apresentam ao público “Conversas sobre o Frio e o Tempo” na Sala do Coro do Teatro Castro Alves, com uma seleção de músicas inéditas da dupla, depois de um longo período sem dividir os palcos.

Fazendo uso do mesmo formato que deu origem ao projeto anos atrás, os artistas propõem uma experiência musical que reúne densidade emocional, diálogos harmônicos e melódicos e a imperatividade do tempo na costura das relações interpessoais.

Conversas sobre o Frio e o Tempo, interrompe o hiato de três anos do CAIM formado por canções inéditas e marca também a divulgação do novo EP de mesmo nome. As canções refletem o atual momento dos compositores, que saíram da universidade para o enfrentamento da vida adulta e intermediam a relação pessoal entre a existência e a música.

A Nova Sala do Coro do Teatro Castro Alves é nossa!

Este espetáculo é incentivado através de seleção na ‘Convocatória para Ocupação de Pauta da Sala do Coro do TCA – 1º Semestre de 2019’, promovida pelo Teatro Castro Alves, Fundação Cultural e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, uma ação do Governo da Bahia para democratizar o acesso às pautas e qualificar a programação deste espaço público.

Vinte projetos fazem mais de 70 apresentações entre março e junho. Para ver a programação completa, acesse: www.tca.ba.gov.br.

Serviço

Conversas sobre o Frio e o Tempo

28 de maio de 2019, 20h

Sala do Coro do TCA.

Ingressos: R$20 (inteira) / R$10 (meia)

Compre online pelo Ingresso Rápido:

https://www.ingressorapido.com.br/event/31142-1/d/60068/s/309271

Realização: Ninho Cultura e Afeto

CAIM

O duo CAIM é a síntese da parceria entre os artistas baianos Achiles Neto e Marcos Marinho. Achiles é natural de Maracás e Marcos de Itabuna. Os músicos se conheceram na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, em Vitória da Conquista, onde cursaram Direito, e, juntos, criaram o duo CAIM. No ano de 2014 lançaram o último disco, “Ciência, Arte, Ideologia e Música”.

Bem recebido pelo público, o disco foi eleito pelo site ‘Melhores Discos de Música Brasileira’ como o 26º melhor álbum de 2014, e a música ‘O Quartinho’ ficou na 9ª posição entre as melhores músicas do ano. Neste mesmo ano, a canção Disfarce foi indicada ao Prêmio Caymmi de Música na categoria Melhor Música e Achiles foi indicado na subcategoria de Melhor Intérprete vocal, pela mesma canção.

A musicalidade do CAIM expressa a diversidade de influências, identidades e propósitos dos artistas e representa a convergência das suas experiências individuais e comuns.

‘O Aprendiz de Feiticeiro’, sucesso no Brasil há 2 anos, chega a Alphaville em quatro únicas apresentações!

O Auditório Alphaville recebe nos dias 27 e 28 de abril e 05 de maio, a peça finalista do Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem (antigo Prêmio Coca-Cola), “O Aprendiz de Feiticeiro”. Protagonizada pelo ator Maurício Machado – que interpreta o Mestre Feiticeiro – e grande elenco, a dramaturgia conta a história do jovem Arthur – interpretado pelo ator Luis Galves – um excelente aluno e dono de grande imaginação que, por conta disso, sofre um constante bullying na escola. Jane, interpretada pela atriz Raissa Chaddad, é quem o ajuda nessa aventura. O espetáculo fica em cartaz nos dias 27 e 28 de abril às 16h e dupla sessão no dia 05 de maio às 11:30 e outra 16h.

Com roteiro de Antônio Calmon – responsável por vários títulos da teledramaturgia da TV Globo (entre elas a célebre ‘Vamp’) e que fez com este espetáculo sua estreia nacional com seu primeiro texto escrito para o teatro: “O Aprendiz de Feiticeiro” com elogiada direção de Eduardo Figueiredo. No elenco, o ator Maurício Machado (recentemente na novela “A Lei do Amor”, também atuou nas novelas: “Alma Gêmea”, “Cama de Gato”, “Cordel Encantado”, essas na Rede Globo, “Cidadão Brasileiro”, na Record e “Chiquititas”, no SBT), e nomes como: Raissa Chaddad (Bia, protagonista no sucesso infantil Chiquititas), Luis Galves (Gabriel de Malhação – Viva a Diferença), Júlio Oliveira (“Ti-Ti-Ti”, “Sangue Bom”, ambas na Rede Globo, e “Os Dez Mandamentos”, na Record). Completando o elenco Victor Garbossa, Thiago Franca, e Miguel Roque, apresentarão um espetáculo repleto de dragões, vampiros, bruxas, efeitos especiais, música, ao vivo e ilusionismo que promete prender a atenção do público com aventuras mágicas do início ao fim.

“O Aprendiz de Feiticeiro”, que foi sucesso de público e de crítica na temporada de estreia em São Paulo no CCBB (Centro Cultural do Banco do Brasil) em julho de 2016, permaneceu por cinco meses em cartaz, com sessões todas lotadas e filas de espera para assistir. Sucesso ainda nos 15 dias corridos de temporada no Centro Cultural Banco do Brasil de BH em janeiro de 2017. 3 meses em cartaz no Teatro J. Safra, em São Paulo, um final de semana de sucesso no Teatro Bradesco Rio, todo o circuito CEU pela Secretaria de Cultura e Educação nas periferias de SP, além de outras cidades apresentadas.

Com uma direção criativa, produção caprichada, belíssimos (e muitos) figurinos, efeitos especiais, ilusionismo, e bonecos gigantes (em técnica francesa de manipulação, e pouco conhecida no Brasil), a peça, que encanta o público de todas as idades e gerações, aborda questões éticas, tais como lealdade, amizade, compaixão, traição, valor humano e união, salientando elementos importantes sobre o posicionamento de cada indivíduo no mundo, reconhecimento de nosso lugar e ponto de vista.  Com muita aventura, humor e emoção, nessa trajetória e relação entre mestre e aprendiz.

O texto do espetáculo é inspirado na “Der Zauberlehrling”, poema escrito por Goethe, autor e estadista alemão, em 1797. Adaptações deste mesmo conto é que deram origem ao filme “Fantasia”, de Walt Disney, mais recentemente, a saga “Harry Potter”, de J.K. Rowling e “Senhor dos Anéis”.

Além de ter sido indicada para o Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem, nas categorias melhor produção, melhor ator, melhor ator coadjuvante e melhor iluminação, a peça foi eleita no prêmio melhores do ano pelo Guia da Folha de S. Paulo como melhor espetáculo infantil de 2016.

Ficha técnica:
Dramaturgia: Antônio Calmon, inspirado no poema de GoetheDireção: Eduardo Figueiredo

Elenco:
Maurício Machado
Raissa Chaddad
Luis Galves                                                       
Júlio Oliveira
Thiago França
Victor Garbossa
Miguel Roque

Direção Musical e Trilha Original: Guga Stroeter e Matias Capovilla
Preparador vocal: Roberto Anzai
Direção de arte, cenário e figurinos: Marcio Vinícius
Bonecos e efeitos de luz negra: Anie Welter
Assistente de direção: Marcelo Callegaro
Lightdesigner: Guilherme Bonfanti
Preparação de elenco: Dani Biancardi
Visagismo: Anderson Bueno
Fotografia: Gabriel Wickbold
Fotografia de cena: Jerônimo Gomes
Produção Executiva: Paulo Travassos
Assistente de Produção: Vinícius Marques

SERVIÇO

O Aprendiz de Feiticeiro

Sessões: Auditório Alphaville. 27 e 28 de abril e 05 de maio.

Horário: 27 e 28 de abril às 16h e 05 de maio em duas sessões às 11:30 e 16:00.

Duração: 75 minutos

Classificação: Livre (espetáculo para família)

Valores dos Ingressos

R$ 30,00 inteira e R$ 15,00 meia

Estão disponíveis 50 ingressos para entrada gratuita no site do programa “Eu Faço Cultura” para beneficiários de programas sociais do governo: www.eufacocultura.com.br

Ingressos: Eventim

O humorista Cleber Rosa fará Osasco rir

 No dia 22 de março, às 21h , o Teatro ASPRO receberá o humorista Cleber Rosa com seu espetáculo “Nói que é Pobre”. Usando textos simples e de fácil entendimento, o humorista leva para os palcos seus personagens que são sucesso na Internet. O personagem “Pobre” é conhecido por fazer reclamações bem-humoradas sobre situações cotidianas. Já o personagem “Chico da Tiana” é um matuto que faz comentários preciosos e únicos acerca das coisas do dia a dia.

O Canal de Cleber Rosa no YouTube ultrapassa 240 mil inscritos e seus vídeos no Facebook e YouTube  já alcançaram a marca de mais de 150 milhões de visualizações.  O trabalho do humorista chama atenção pelo fato não utilizar palavrões e nem piadas de duplo sentido conquistando as crianças, jovens, adultos e senhoras e senhores.

SERVIÇO

 “Nói que é Pobre”

Dia 22 de março às 21h

Local: Teatro ASPRO – Rua Joaquim Dias de Oliveira, 22 – Remédios, Osasco – SP

Ponto de venda: Teatro ASPRO

Venda on-line: sampaingressos.com.br , clubedoingresso.com.br , maisbilheteria.com.br

Ingresso: Meia: R$25,00   /  Inteira: R$50,00  /   Antecipado: 30,00

Classificação: LIVRE

Mais informações: (11) 99996-3356

Elas são queridas e estarão pela primeira vez em Osasco

 O espetáculo infantil “O Mundo Encantado de LOL” é um sucesso por onde passa. Agora chegou a vez de Osasco receber, pela primeira vez e para uma apresentação única, as bonecas mais queridas do momento. Destaque especial para a trilha sonora que traz canções conhecidas de todo o público.

O roteiro e direção são de Renato Santos “Criatura”, conhecido por criar bonecos para diversos programas da TV Cultura dentre eles o Cocoricó. Nesta aventura, as LOL Surprise Queen Bee, Diva e Luxe são as bonecas mais raras e procuradas por todas as crianças do mundo. Elas moram escondidas em uma floresta encantada onde vivem muitas aventuras envolvendo máquina de desejos, festa surpresa e muito mais. É diversão para toda a família!

SERVIÇO:

“O Mundo Encantado de LOL”

Dia 24 de março às 16h

Local: Teatro ASPRO – Rua Joaquim Dias de Oliveira, 22 – Remédios, Osasco – SP

Ponto de venda: Teatro ASPRO

Venda on-line: sampaingressos.com.br , clubedoingresso.com.br , maisbilheteria.com.br

Convite antecipado com preço promocional: R$35,00

Ingressos: R$ 70,00 inteira // R$ 35,00 meia

Informações 9 9996-3356

Realização: Charge Produções e Promoções Artísticas Ltda

O HOMEM QUE QUERIA SER LIVRO

O Homem que Queria Ser Livro é um título criado por Darson Ribeiro diante de um misto de história pessoal da infância e o seu atual momento, sempre tendo o teatro como meio de vida e expressão. Convidou Flavio de Souza para desenvolvê-lo, diante do que o próprio autor chama de “ótima embocadura para o ator”. Flávio é autor premiado com Fica Comigo Essa Noite e Castelo Ra Tim Bum. “Flavio consegue tratar de assuntos atuais e atemporais com dramaticidade e bom humor”, explica Darson.

Foi diante dessa contemporaneidade de pensamentos, mesclada a ensinamentos milenares e, ao mesmo tempo, extratemporais, que surgiu o convite para que Rubens Rusche assumisse a direção. “Rubens é um tipo de diretor que já quase não há. Ele pensa primeiro na lógica da escrita e vai, aos poucos, criando e demarcando laços de vogais a sentenças, dando volume, peso e dramaticidade ao que se lê, com o foco sempre no corpo do ator. O que se fala deve ser sentido primeiramente no corpo, só assim a voz se torna crível para contagiar as pessoas e, consequentemente, a emoção”, diz Darson. “E para fechar essa produção com chave de ouro, convidei Ney Matogrosso para gravar a canção ‘Coração de Luto’, do Teixeirinha, que abre a peça”, finaliza.

Espetáculo: O Homem que Queria Ser Livro

Idealização, título e interpretação: Darson Ribeiro

Texto: Flavio de Souza. Direção: Rubens Rusche. Participação especial: Ney Matogrosso.

Duração: 45 minutos. Gênero: Drama. Classificação: Livre

Programa: Biblioteca Viva

Temporada: de 7 a 31 de março/2019

Local: Bibliotecas Municipais da Secretaria Municipal de Cultura

Cronograma de apresentações:

7 de março (quinta, às 14h30) – Biblioteca Vinicius de Moraes 

Av. Jd Tamoio, 1119, Cj. José Bonifácio, Itaquera. Tel: (11) 2521-6914

9 de março (sábado, às 14h) – Biblioteca Rubens Borba

Rua Sampei Sato, 440, Ermelino Matarazzo. Tel: (11) 2943-5255

10 de março (domingo, às 11h) – Biblioteca Ricardo Ramos

Pça. Centenário de Vila Prudente, 25, Vila Prudente. Tel: (11) 2273-4860

16 de março (sábado, às 11h) – Biblioteca Narbal Fontes

Rua Cons. Moreira de Barros, 170, Santana. Tel: (11) 2973-4461

17 de março (domingo, às 11h) – Biblioteca Milton Santos

Av. Aricanduva, 5777, Jd. Aricanduva. Tel: (11) 2726-4882

20 de março (quarta, às 14h30) – Biblioteca Raimundo de Menezes

Av. Nordestina, 780, São Miguel Paulista. Tel: (11) 2297-4053

23 de março (sábado, às 14h) – Biblioteca Álvaro Guerra

Av. Pedroso de Moraes, 1919, Pinheiros. Tel: (11) 3031-7784

29 de março (sexta, às 14h) – Biblioteca Prof. Arnaldo Giácomo Magalhães

Rua Restinga, 136, Tatuapé. Tel: (11) 2295-0785

30 de março (sábado, às 14h) – Biblioteca Padre José de Anchieta

Rua Antonio Maia, 651, Perus. Tel: (11) 3917-0751

31 de março (domingo, às 11h) – Biblioteca Lenyra Fraccarolli

Pça. Haroldo Daltro, 451, Vila Nova Manchester, Carrão. Tel: (11) 2295-2295

Poesias e poemas musicados invadem Cotia nesta quinta (21/02)

Quem passar pelo Calçadão da Senador Feijó, no centro de Cotia, por volta das 14h de quinta-feira (21/02), se surpreenderá com a intervenção “Cataversos” que trará poesias, pequenas histórias e poemas musicados selecionados de obras de importantes poetas e escritores. Será uma breve pausa na rotina corrida que pode dar um novo sentido ao dia de quem se permitir a experiência.

A iniciativa faz parte do Projeto BiblioSesc [programação abaixo] que acontece em parceria com a Prefeitura de Cotia. Por meio de uma pequena brincadeira, cada pessoa que participa ganha um poema que pode ser recitado, cantado, apresentado como uma pequena encenação, ou através de um breve jogo.

Uma experiência leve e bem-humorada dada ao público de forma gratuita, delicada e singela que agrada a todos com a oportunidade de desfrutar de um breve instante de poesia em um local inusitado.

Serviço

Intervenção Cultural Cataversos

Dia: 21 de fevereiro

Horário: 14h

Praça da Matriz

Livre

Gratuito

BiblioSesc (biblioteca itinerante)

Dias: 21 de fevereiro / 7 e 21 de março / 4 e 18 de abril

Horário: das 10h às 15h

Praça da Matriz

Comédia faz reflexão sobre a mulher com inspiração no surrealismo

Com influência surrealista e reflexão sobre a condição feminina, Intensa Paisagem Vermelha Como Tomate estreia no dia 4 de agosto, às 19h, no Teatro Viradalata. A temporada acontece aos sábados, às 19h, até 24 de novembro. O texto é de Luciano Ferrari, que assina a direção e desenhou figurino e cenário. Responsável pela direção das peças Monólogo da Falsa Magra, Cavalo com H e Absurdos Sérios, o autor traz na montagem a história de Aldreda e Jocosa, duas camponesas envolvidas numa misteriosa intriga.

A trama fala da condição humana, precisamente da feminina, e os conflitos que as mulheres enfrentam na sua conquista por igualdade. Em cena, as nossas heroínas encontram vários personagens masculinos que na peça representam símbolos de opressão contra as mulheres. De forma divertida, mas contundente, as dificuldades enfrentadas pela mulher na sociedade são inseridas como elementos de reflexão.

A encenação foi construída seguindo a dialética da comédia Dell’arte mesclada a uma linguagem mais contemporânea com toques surrealistas. A montagem traz momentos de dança, e canto para remeter o espectador ao clima de fantasia, emoção e mistério.

Ficha Técnica:

Texto e Direção: Luciano Ferrari. Elenco: Alex Slama (Dr. Lobo Raposão, Emissário e Carrasco); Celso Melez (Mamado, Emissário, Juiz); Isabela Prado (Jocosa). eNatália Albuk (Aldreda).Locuções: Eucir de Souza. Cenografia: Luciano Ferrari. Projeto Cenográfico: Marina Zamith/Estúdio Klee. Figurinos: Luciano Ferrari. Design de Luz: Celso Melez. Coreografia: Lord Lu e elenco. Visagismo: Natália Albuk. Preparação Vocal: Gabriela Rossi. Trilha Sonora (seleção): Luciano Ferrari. Trilha Sonora (mixagem): Yuri Fidalgo. Cenotécnico: Tom Silva. Adereços e Objetos de Cena: Tetê Ribeiro e Silas Caria (Maracujá Laboratórios de Arte). Operação de Luz: João Delle Piagge. Operação de Som: Marcelino Ziggy; Design Gráfico: Rafael Castilho e Cláudia Mendes. Montagem do painel cenográfico: Guilherme Sousa (a partir de “Pormenor de um Prado Silvestre, 1503. Aquarela de Abrecht Dürer). Costura: Maria de Lourdes Cotrim; Janete Viana; Camila Sanches; Josy Barbosa; Teresa Souza Alves; Cecília de Campos. Alfaiataria: Betto Rigor. Assessoria de Imprensa: Oribá Soluções Criativas. Fotografias de Estúdio, de Cena e Registros de estreia: Rafael Castilho. Fotografias de Cena (temporada): Evandro Moraes. Making Off e Still Fotográfico: Celso Melez. Gravação de Locuções: Rogério de Lima (Fora do Eixo Produções). Direção de Produção: Elen Zamith. Realização: Lord Lu Entretenimento.

Serviço:

Teatro Viradalata | Rua Apinajés, 1387
Temporada: Sábados, às 19h, 04 de agosto à 24 de novembro. Preço: R$ 50,00 (inteira)

 






Eric Lenate dirige Funâmbul@s, novo texto de Priscila Gontijo que estreia dia 2 de fevereiro no CCSP

Fotos de Leekyung Kim

As irmãs Ana, Clara e Júlia têm vidas bem diferentes. Ana é dramaturga e dá aulas de teatro na periferia; Clara, a mais velha, tem um casamento turbulento; e a caçula Júlia é artista, mas precisa trabalhar como garçonete para pagar as contas. Elas se reúnem para cuidar de seu velho pai Augusto, que foi escritor e professor universitário e hoje sofre de uma doença que provoca confusão mental.

Funâmbul@s se passa em três realidades distintas, que se sobrepõem: a vida propriamente dita, o sonho e uma peça de teatro sobre as irmãs que está sendo escrita por Ana. Texto de Priscila Gontijo tem direção de Eric Lenate e os atores Michelle Boesche, Rafaela Cassol, Vanise Carneiro Luiz Serrano elenco.

FICHA TÉCNICA

Texto: Priscila Gontijo

Elenco: Michelle Boesche, Rafaela Cassol, Vanise Carneiro e Luiz Serra

Direção: Eric Lenate

Assistente de Direção: Steffi Braucks

Iluminação: Aline Santini

Figurinos e Adereços: Rosângela Ribeiro

Trilha sonora, Sonoplastia e Engenharia de Som: L. P. Daniel

Arquitetura Cenográfica e Adereços: Eric Lenate

Direção Audiovisual: Laerte Késsimos

Fotos de Cena e Registro Audiovisual: Leekyung Kim

Projeto Gráfico: Laerte Késsimos

Professor de Técnica de “Arame”: Don Luiz Muñoz (Escola Arena Circus)

Assessoria Técnica – Aparelho “Arame”: Alfredo Muñoz (Escola Arena Circus)

Assistência de Iluminação e Operação Técnica: Nicolas Manfredini

Assistente de Figurinos e Adereços: Aline Olegário

Costureira: Noeme Azevedo

Assistência de Sonoplastia e Operação Técnica: Rodrigo Florentino

Assessoria de Imprensa: Pombo Correio

Direção de Produção: Núcleo Corpo Rastreado e VUELA Produção e Criação

Realização: Priscila Gontijo, Vanise Carneiro, Rafaela Cassol e Sociedade Líquida

 

SERVIÇO

Funâmbul@s, de Priscila Gontijo

Centro Cultural São Paulo – Rua Vergueiro, 100 – Paraíso – Sala Jardel Filho

Temporada: 2 de fevereiro a 11 de março de 2018

Sextas e sábados, às 21h, e domingos, às 20h

Ingressos: R$ 20

Duração: 90 minutos

Classificação: 14 anos

Lotação: 321 lugares






Em cartaz há 3 anos, premiada Fortes Batidas retorna em janeiro de 2018 ao porão do Centro Cultural São Paulo, onde tudo começou

Com direção de Pedro Granato, experiência de teatro imersivo convida o público para dançar e acompanhar a noite de 15 jovens em uma festa. A trilha tem canções de Karol Conka, Beyoncé, Pablo Vittar e outros artistas que agitam as pistas da cidade

Foto de José de Holanda

Criada em 2015 em uma oficina aberta com nove meses de duração no Centro Cultural São Paulo (CCSP), Fortes Batidas conquistou os prêmios APCA (Melhor Espetáculo em Espaço Não Convencional) e São Paulo (Prêmio Especial pela Experimentação Cênica). Nesse longo processo criativo, o diretor Pedro Granato e um robusto time de atores pesquisaram como criar uma experiência imersiva de teatro. Depois de três anos de sucesso, o espetáculo retorna ao porão desse espaço para mais uma temporada entre os dias 23 de janeiro a 7 de fevereiro de 2018.

A montagem, que tem sua trilha sonora reformulada de tempos em tempos, já foi encenada em festivais, como o MIX Brasil de Diversidade Sexual e FIT São José do Rio Preto, e em vários equipamentos culturais, como unidades do Sesc (Pompeia, Sorocaba, Santo Amaro e Belenzinho), CEUs (Pera Marmelo, Três Lagos, Inácio Monteiro, Vila Atlântica, Perus, São Mateus), no Teatro Pequeno Ato, entre outros.

A peça acompanha a noite vivida por 15 jovens, cruzando desejos e entrando em conflitos embalados pelas “fortes batidas” das canções de Karol Conka, Beyoncé, Pablo Vittar e de outros artistas que costumam agitar as pistas da cidade. Amigos que apostam quem consegue ficar com mais meninas, um casal testando o relacionamento aberto e a dificuldade de um rapaz tímido ficar com alguém do mesmo sexo pela primeira vez. A explosiva mistura dos desejos de personagens em busca de sua identidade constrói uma rede de conflitos que envolve a plateia.

O público vive uma experiência que desenha um retrato pulsante dessa geração e coloca no foco questões importantes para toda a sociedade. A homofobia, machismo e intolerância sexual estão no centro do alvo dessas “Fortes Batidas”.

Os ambientes da balada são divididos em variados níveis de plataformas que possibilitam a visibili­dade para a plateia. Mas isso não impede que atores dancem ao lado público e se relacionem com ele criando uma experiência ativa, em que o espectador não “assiste” o espetáculo, está imerso nele.

Em 2017, o texto de “Fortes Batidas” foi lançado em livro pela editora Giostri. A nova temporada da peça é possível graças aos incentivos da 5ª edição do Prêmio Zé Renato de Incentivo ao Teatro.

Sobre o Teatro Imersivo

A experiência de teatro imersivo tem se espalhado pelo mundo todo com grandes êxitos como “Sleep no More” e “Fuerza Bruta” e aqui no Brasil a experiência do Teatro da Vertigem. Granato pesquisou essa vertente no Lincoln Center em Nova Iorque em 2014 com diretores do mundo todo, dentro do Directors LAB e construiu um espetáculo que aproxima a nova geração do teatro.

PEDRO GRANATO

O diretor, dramaturgo e professor de teatro Pedro Granato é formado pela Escola de Comunicação e Artes da USP (ECA-USP). Ele dirigiu o grupo IVO 60, contemplado cinco vezes pelo Programa Municipal de Fomento ao Teatro, e foi um dos diretores selecionados para o internacional Directors LAB, que ocorreu no Lincoln Center, em Nova Iorque, nos Estados Unidos, em 2014. Atualmente, dirige e administra o teatro Pequeno Ato e é presidente do MOTIN – Movimento dos Teatros Independentes de São Paulo.

Outras peças dirigidas por Granato são “11 Selvagem”, de sua autoria; “Até que deus é um ventilador de teto”, de Hugo Possolo; “Você não está Aqui”, escrita com Ricardo Malerbi; “As Lágrimas Quentes de Amor que Só Meu Secador Sabe Enxugar”, escrita com Paula Cohen; “Quanto Custa?”, de Bertolt Brecht (eleita como “melhor trabalho em espaço convencional de 2013” no Prêmio da Cooperativa Paulista de Teatro); “Submarino”, de Leo Moreira;  “IL Viaggio”, de Marcelo Rubens Paiva; “Navalha na Carne”, de Plínio Marcos; “Criminal”, de Javier Daulte; “Sonho de Uma Noite de Verão”, de William Shakespeare; e “O Grande Mágico Mistério”, de sua autoria.

SINOPSE

Em uma festa para a qual o público também é convidado, quinze jovens tentam driblar a solidão com música alta e bebida. No meio da pista, amigos apostam quem consegue ficar com mais meninas, um casal testa seu relacionamento aberto e um rapaz tímido tenta ficar com alguém do mesmo sexo pela primeira vez. Estas são algumas das histórias que revelam um retrato pulsante da nova geração e colocam em pauta temas importantes para toda a sociedade, como homofobia e a intolerância sexual. A trilha sonora reúne canções de Pablo Vittar, Karol Conka, Beyoncé e outros artistas que costumam agitar as baladas da cidade.

FICHA TÉCNICA

Direção e dramaturgia: Pedro Granato

Cenário: Diego Dac

Assistente de direção e Iluminação: Gabriel Tavares

DJ: Pedro Augusto Monteiro

Coreógrafa e Stand-in: Inês Bushatsky

Assistentes de dramaturgia: Manuela Pereira e Natália Xavier

Produção: Contorno Produções e Pequeno Ato

Direção de Produção e Produção Executiva: Jessica Rodrigues e Victória Martinez

Atores: Ariel Rodrigues, Beatriz Silvei­ra, Bianca Lopresti, Bruno Lourenço, Felipe Aidar, Fernando Vilela, Gabriela Andrade, Ga­briela Gama, Gal Goldwaser, Inês Bushatsky, Ingrid Man­tovan, Laura Vicente, Lia Maria, Mateus Menoni, Mau Ma­chado e Vitor DiCastro.

Assessoria de imprensa: Pombo Correio

SERVIÇO

Fortes Batidas, de Pedro Granato

Centro Cultural São Paulo – Rua Vergueiro, 100 – Paraíso

Temporada: 23 de janeiro a 7 de fevereiro de 2018

Terças e quartas-feiras, às 20h

Ingressos: grátis, com distribuição de ingressos uma hora antes de cada apresentação.

Duração: 70 minutos

Classificação: 16 anos

Lotação: 150 lugares