Editorial: setembro amarelo

Prefeitura de Santana de Parnaíba realiza caminhada e encerra atividades do Setembro Amarelo

Durante o mês foram realizadas atividades como: caminhadas, passeio ciclístico,
transmissões ao vivo e palestras de conscientização contra o suicídio

No último sábado de setembro, aconteceu a caminhada de encerramento da
Campanha Setembro Amarelo em Santana de Parnaiba, com o tema “Movimento Pela Vida”, que tem como objetivo a conscientização sobre a prevenção contra o suicídio.

No evento ainda foram realizados sorteios de brindes e prêmios, além de atividades com as professoras da Smafel. Durante todo o mês, foi realizada uma programação com lives, aulão de ritmos no Parque do Parque Santana e passeio ciclístico no Parque Tibiriçá, no bairro Cento e Vinte.

Quem também esteve engajado na causa foi o Fundo Social de Solidariedade, que além de participar dos eventos desenvolvidos pela Secretaria de Saúde, realizou uma palestra sobre o tema na Arena de Eventos. As centenas de pessoas que estiveram presentes ainda participaram de uma dinâmica e concorreram a prêmios.

Barueri encerra programação do Setembro Amarelo com roda de conversa

Roda de Conversa tratou de assuntos sobre a qualidade de vida

A programação do Setembro Amarelo (campanha de prevenção ao suicídio) em Barueri se encerrou nesta quinta-feira, dia 30/09, com a Roda de Conversa promovida pelo Centro de Atenção Psicossocial Adulto (Caps II – Estação). Dois grupos de pacientes (um pela manhã e outro à tarde) junto com psicólogos, enfermeiro e assistentes sociais se reuniram ao ar livre na Praça dos Estudantes, no Centro, para refletirem sobre a importância da valorização da vida, autocuidado e cuidado com o outro.

À tarde, o secretário de Saúde de Barueri, Dionisio Alvarez Mateos Filho, participou da atividade e elogiou a organização da programação do mês e as ações realizadas. “Acho que aqui, nesta roda de conversa, é importante que os participantes se sintam livres para falarem o que sentem, respeitando a vontade deles”, disse.

No mês de setembro, a Prefeitura programou uma série de ações que envolve informação e escuta especializada para ajudar quem precisa a fazer parte da rede de apoio psicológico, sobretudo no que se refere às questões envolvendo o suicídio.

No caso da Roda de Conversa, a diretora de Saúde Mental, Rita de Cássia Bittencourt Stella, explica que a ideia é “focar na qualidade de vida, nos projetos que a pessoa tem para realizar”. Na atividade, além da conversa, os pacientes foram convidados a desenhar e a caminhar pelo entorno da praça.

O paciente A., de 26 anos, disse que o que mais gosta de fazer é desenhar. Ele afirmou ainda que se sentiu muito sozinho na pandemia e a falta que fizeram os atendimentos presenciais no Caps, por conta da quarentena.

Maior conscientização sobre o tema

O secretário Dionisio lembra que quando iniciou na medicina (ele é cardiologista) há algumas décadas era muito comum os médicos não darem a importância devida aos pacientes com queixas emocionais ou que já haviam tentado o suicídio. “Na época, vi muitos médicos ironizando os próprios pacientes que tentavam se suicidar. Isso mudou muito depois das sucessivas campanhas sobre o assunto. Mas ainda hoje têm médicos que não dão a atenção necessária ao tema”, lamentou o secretário.

O Caps II Adulto retomou o atendimento presencial dos pacientes, ainda de maneira moderada. Antes os atendimentos em grupos reuniam cerca de 30 pessoas, hoje, são por volta de cinco. No prontuário do Centro existem cerca de 10 mil inscritos com psicopatologias variadas, como esquizofrenia, psicose, transtorno de personalidade, entre outras.

 

Saúde de Jandira realiza evento de fechamento da Campanha Setembro Amarelo

O Evento marcou o fechamento da Campanha Setembro Amarelo, tendo sido realizado apresentações das atividades que foram realizadas na campanha, momentos de roda de conversa, palestra e homenagens.

A Prefeitura de Jandira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, realizou hoje, dia 30, o fechamento da Campanha Setembro Amarelo, por meio de um evento que contou com a participação dos profissionais de saúde que atuaram direta ou indiretamente na campanha.

O evento foi realizado no Espaço Cultural Biguá, e marcou o balanço das ações realizadas nesta campanha que tem o intuito de sensibilizar e conscientizar na prevenção ao suicídio.

No espaço do evento, foram colocados os trabalhos confeccionados durante a campanha, além de um café da manhã para recepção dos profissionais de saúde que atuaram ativamente neste mês de campanha, levando aos quatro cantos da cidade uma mensagem de valorização e amor à vida.

A primeira a fazer uso da palavra foi a Coordenadora do departamento de Saúde Mental, Psicóloga Maria Alice, que iniciou sua fala agradecendo o empenho de todos os profissionais que atuaram durante a campanha, e continuou detalhando as ações que foram realizadas, com destaque para: realização nas UBSs da dinâmica árvore da vida (onde os participantes colocam as razões que o fazem viver), realização no dia 10 da caminhada pela vida, diversas rodas de conversa nas Unidades Básicas de Saúde, oficina ‘eu gosto’, palestras em Escolas públicas do município, roda de conversa em algumas igrejas da cidade, participação de pacientes do CAPs Jandira (Centros de Atenção Psicossocial) no evento CAP’s Adulto Alvorecer, entre outras atividades de orientação e atendimento individual ou grupal, realizados por psicólogos e profissionais da saúde da cidade.

Logo após a fala da Coordenadora, o Diretor técnico da Saúde Davi Rodrigues, parabenizou o trabalho realizado pela equipe de saúde mental da cidade, e fez questão de destacar o desafio que os psicólogos e profissionais da saúde mental, passarão com o pós pandemia do Covid-19: “A pandemia está passando, mas, os impactos dela na saúde mental, tudo indica que se apresentará por tempos”.

O próximo momento do evento, foi marcado por uma Palestra, ministrada pelo Psicólogo Washington, que teve como título: Sofrimento e Suicídio: Falar é a solução. Durante a palestra, foi realizado debate sobre as diferenças entre tristeza e depressão; também foi tratado o tema sofrimento, com questões sobre de onde ele vêm e o papel das redes sociais na ampliação do sofrimento das pessoas.

Logo após a palestra, foi realizada uma homenagem aos pacientes do Caps que representaram Jandira no evento CAP’s Adulto Alvorecer, realizado em Santana do Parnaíba entre os dias 4 e 26 de Setembro.

Ao final foi realizada uma análise da música: É Preciso Saber Viver, de autoria de Roberto e Erasmo Carlo. O sentimento ao final do evento foi de que todos os presentes tiveram suas energias renovadas para continuarem na missão de mostrar a todos o quanto vale a pena viver.

“Setembro Amarelo”: propositura institui campanha de prevenção ao suicídio em Jandira

Matéria foi colocada pelo vereador Fábio Betera e segue agora para sanção ou veto do Poder Executivo

O Projeto de Lei nº 78/21 foi aprovado por unanimidade na 28ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Jandira, realizada no dia 28 de setembro de 2021. Redigido pelo vereador Fábio Camilo dos Santos (PT), o “Fábio Betera”, o referido projeto institui a Campanha “Setembro Amarelo”, dedicada à valorização da vida e à prevenção de suicídios no município.

O texto estabelece que a campanha, que passa a integrar o calendário oficial de eventos, será realizada anualmente durante o mês de setembro e terá como símbolo um laço de fita na cor amarela. “O prefeito é médico e sabe da importância desse projeto. Há um psiquiatra para [atender] os 127 mil habitantes da nossa cidade. Isso é vergonhoso! Precisamos fazer um contrato emergencial. […] No ano passado, tivemos cinco suicídios em Jandira – três na região do Jardim Gabriela. E sabe por quê? Os moradores vão até o posto de saúde procurar um psiquiatra, que a rede não tem, então só trocam a receita”, protestou Betera durante a sessão.

Ainda segundo o autor, o principal objetivo da matéria é integrar o poder público e segmentos da sociedade civil, promovendo reflexões sobre o tema e contribuindo para a redução do número de casos ou tentativas de suicídio na cidade.

Mais informações

O suicídio é um fenômeno intrincado, comumente associado a transtornos como a depressão ou até mesmo desencadeado por estresse, problemas financeiros, bullying, questões familiares, etc. Pesquisas recentes revelam, inclusive, que indivíduos que sofrem discriminações se tornam ainda mais vulneráveis a tais reações e pensamentos extremos.

Pessoas nessa situação não podem sofrer em silêncio; pelo contrário, precisam compartilhar a questão com familiares e/ou amigos e buscar ajuda especializada. Caso esteja passando por algo parecido ou conheça alguém que se enquadre na descrição acima, entre em contato com o canal de atendimento do CVV (Centro de Valorização da Vida), por intermédio do telefone 188.

Prefeitura de Carapicuíba realiza exposição em prol do Setembro Amarelo

Trabalhos foram realizados por pacientes do Caps e Casa do Adolescente

Nesta quinta-feira (30) a Prefeitura de Carapicuíba realiza no Plaza Shopping Carapicuíba uma exposição em prol do Setembro Amarelo com o tema “O que faz você feliz?”. A ação acontece das 10 às 13 horas.

A exposição conta com trabalhos e apresentações organizadas pelos pacientes e funcionários do Caps Infantil, Caps III e Casa do Adolescente. Ela contará com teatro, coral, apresentação de capoeira, práticas de respiração e relaxamento, poema e apresentação de flauta. 

Bruno Tolain trabalha tema Setembro Amarelo desde o início da alfabetização

As crianças aprenderam sobre empatia e sentimentos
 

Ao longo de todo o mês, os professores da Emef Bruno Tolaine estão empenhados em abordar, por intermédio de diversas atividades, a conscientização sobre o Setembro Amarelo: mês de prevenção ao suicídio.

As crianças participam de vivências que tratam de assuntos importantes como empatia, diversidade e sentimentos.

De acordo com a diretora Ana Paula Camolezzi, o principal objetivo é auxiliar o reconhecimento da empatia como atitude benéfica e importante para ações éticas, cooperativas e de respeito, além de trabalhar estratégias para combater atos discriminatórios.

Foram várias experiências executadas durante o mês e a participação das crianças está sendo um sucesso.

Setembro Amarelo: profissionais da saúde mental são o foco da vez

Palestra no Setembro Amarelo orientou profissionais de saúde metal

 

Como parte da programação da Prefeitura de Barueri para o Setembro Amarelo, campanha de prevenção ao suicídio, o CAPS AD (Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas) foi palco, na terça-feira (dia 21), de uma atividade voltada especialmente aos profissionais de saúde mental – justamente aqueles da linha de frente no atendimento aos pacientes com algum tipo de sofrimento psíquico.

O psiquiatra Ronaldo Kobaiashy ministrou palestra para um grupo formado por terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, psicólogos, farmacêuticos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e cuidadores sociais que trabalham em três serviços da Prefeitura: o do próprio CAPS AD, a Unidade de Acolhimento e o Consultório de Rua.

“Precisamos cuidar para procurar prevenir o suicídio, como todo mundo já sabe, mas também temos de cuidar da ‘pósvenção’, isto é, o atendimento aos familiares impactados pelo suicídio de um parente e também o atendimento dos profissionais que atenderam o suicida”, destacou Kobaiashy.

O médico ressaltou ainda a importância do atendimento em equipe, sobretudo para os casos de pacientes com histórico de querer pôr fim à própria vida. “Muitas vezes o profissional se sente onipotente e acha que pode curar sozinho, mas é fundamental ter o auxílio da equipe, é um trabalho em conjunto”, recomendou.

Kobaiashy chama a atenção para a grande dimensão do problema do suicídio nos dias atuais. Segundo ele, dados divulgados em 2012 indicavam que, de uma maneira geral, a incidência de todas as doenças do mundo diminuiu nos últimos anos, menos a do suicídio.

Pacientes com quadros de depressão, dependência de substâncias químicas, transtornos de personalidade e bipolares são os com as maiores queixas em relação ao suicídio. O psiquiatra lembra também que existem altos índices de suicídios em idosos, geralmente com doenças muito graves, como câncer, por exemplo.

Aprendendo com a experiência

A coordenadora técnica do CAPS AD, Kathya Bertolini, disse que o convite ao psiquiatra Ronaldo Kobaiashy para a palestra se deu para que os profissionais aproveitem sua rica experiência clínica de mais de 20 anos à frente do serviço de atendimento de pessoas envolvidas com alcoolismo e drogas.

Para a terapeuta ocupacional Rosangela Lodi Queiroz, a capacidade clínica de Ronaldo Kobaiashy é “espetacular”. Ela disse que aproveitou muito da palestra do médico.

“Ele traz um conhecimento muito importante, que é o olhar humano e o acolhimento ao paciente. Mas precisamos nós, profissionais, olhar para nós primeiro e depois proporcionar o atendimento ao outro”, resumiu Rosangela.

HMB realiza atividades para celebrar o Setembro Amarelo

Ação foi voltada a profissionais de saúde do município

Ainda no cenário de pandemia, a programação do mês de Prevenção ao Suicídio foi voltada para os profissionais de saúde

Como parte do cronograma do município, na quinta e na sexta-feira (dias 16 e 17), o Hospital Municipal de Barueri Dr. Francisco Moran (HMB) ofereceu uma programação especial para funcionários e profissionais de saúde da cidade sobre prevenção ao suicídio, tema celebrado na campanha Setembro Amarelo.

Na quinta-feira, os setores de Enfermagem, Educação Continuada e Psicologia promoveram rodas de conversa e dinâmicas com sinais de alerta, dicas e sugestões de como lidar com situações emocionais que podem visualizar o suicídio como uma alternativa.

“No nosso ambiente de trabalho, precisamos apresentar algumas formas de cuidados com nossos colegas, como ter um olhar atento e oferecer ajuda quando perceber que a pessoa está triste, porque essa disponibilidade ajuda a estabelecer uma confiança”, explica Jéssica Monteiro, psicóloga do setor de Psiquiatria. Essas atividades foram realizadas em três períodos com objetivo de atender todos os colaboradores, que receberam lembrancinhas e escreveram bilhetes com mensagens de coragem.

Já na sexta-feira, o presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria, Antônio Geraldo, realizou uma palestra acerca de saúde mental em tempos de pandemia. Após breve histórico sobre a campanha do Setembro Amarelo, Geraldo também enfatizou a importância de entender o suicídio como uma emergência médica.

“No caso de um suicida em potencial, são apenas alguns segundos para salvar essa vida. Aliás, existem duas situações determinantes para internação: quando há risco de vida para a própria pessoa ou para outras pessoas. Então, por que não enquadrar a doença mental nessas condições? Doença mental é doença, não é frescura! Quando menosprezamos essas situações é como se tirássemos os óculos de um míope e simplesmente mandássemos ele enxergar”, esclarece o psiquiatra. O evento contou com a participação de autoridades municipais, como o secretário municipal de saúde, Dionísio Alvarez MateosFilho.

O objetivo da programação voltada para profissionais de saúde vai de encontro a alguns estudos recentes que comprovam que uma das melhores formas de prevenção ao suicídio é por meio da educação de médicos generalistas, visto que de modo geral, os atendimentos emergenciais não são realizados por psiquiatras. “Diferente de situações com câncer ou infarto, todo mundo quer falar sobre temas psicológicos ou psiquiátricos, mesmo sem entendimento. É preciso ajudar o paciente, mas é necessário saber como fazer isso”, comentou Antônio Geraldo, que aproveitou para explicar que esses encontros são essenciais para combater o suicídio no mundo, que é a segunda maior causa de morte entre pessoas com 15 e 34 anos, pois gera conhecimento e possibilita um acolhimento mais assertivo.

Em mais uma ação do Setembro amarelo, Saúde de Jandira realiza palestras em escolas

As palestras orientam os pais e funcionários das escolas, de que é necessário perceber as mudanças de comportamento dos filhos, os sinais que crianças e adolescentes emitem quando estão passando por algum problema, além de mostrar que existe uma equipe no município que está a disposição da população para atender casos que necessitam de cuidados com a saúde mental.

Após a realização de atividades como a caminhada pela cidade no dia Mundial da Prevenção ao Suicídio. O departamento de saúde mental da Secretaria Municipal de Saúde de Jandira está realizando um ciclo de palestras para os pais dos alunos da rede pública de ensino, funcionários e alguns alunos das escolas de Jandira, com a temática da campanha do Setembro Amarelo.

As palestras estão sendo ministradas por psicólogos distintos, de forma online, utilizando de apresentação expositiva e também roda de conversa. Elas estão ocorrendo conforme o cronograma abaixo:

Elas estão ocorrendo conforme o cronograma abaixo:

  • Escola Wilmar Soares da Silva, palestras ministradas pela Psicóloga Elizângela (às 9:30 e às 14:30h) dias: 21 e 23/09.

  • Escola EMEB Moisés Cândido Vieira, palestras ministradas pela Psicóloga Caroline (às 8 e às 10h) dia 24/09.

  • Escolas Desembargador Manoel Augusto Vieira Neto e Padre Giuseppe Angelo Bertolli, palestras ministradas pela Psicóloga Adriana (às 10 e às 16h) dias 23 e 24/09.

  • Escola Antônio de Oliveira, palestra ministrada pela Psicóloga Gabrielle às 19 horas dia 23/09.

  • Escola Sátiro, Psicólogo Washington as 10h40 dia 27/09.

Na apresentação realizada pela Psicóloga Caroline Jacomini, há está presente o  contexto histórico sobre o Setembro amarelo, destacando que “A campanha é em Setembro, mas falar sobre prevenção ao suicídio em todos os meses do ano é fundamental!”.

A Psicóloga em questão, destacou em sua apresentação, que hoje suicídio é uma questão de saúde pública, e que é essencial falarmos sobre este assunto.

Para os pais e funcionários das escolas, houve a orientação de que é necessário perceber as mudanças de comportamento dos filhos, os sinais que crianças e adolescentes emitem quando estão passando por algum problema. Alguns destes comportamentos são isolamento, impulsividade, tristeza constante, distorção de imagem corporal, dificuldade de relacionamento com pessoas da mesma idade, insegurança, queda no desempenho escolar, crises de raiva, baixa autoestima, atração por comportamentos de risco, dentre outros.

Diante de um cenário em que a criança, adolescente ou adulto, apresenta algum dos sinais expostos, foi realizada a orientação para que os participantes procurassem as Unidades Básicas de Saúde, pois em Jandira, há uma equipe na secretaria e nas unidades de saúde, com profissionais capacitados para o cuidado com a saúde mental, portanto, as portas das Unidades de Saúde do município estão abertas para receber todos aqueles que estão com sinais de uma saúde mental que necessita de cuidados.

Setembro Amarelo é lembrado com atividades artísticas

Foto: Fernanda Cazarini 

Em alusão ao Setembro Amarelo, que desde 2003 definiu 10/9 como o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, o Centro de Atenção Psicossocial (Adulto, Álcool e Drogas e Infanto-Juvenil), da Secretaria de Saúde da Prefeitura de Osasco, realizou na sexta-feira, 10/9, um evento para lembrar a data e alertar para essa triste realidade, que atinge milhares de pessoas no mundo. No evento foram feitas apresentações artísticas e um sarau. 

Usuários e funcionários do CAPS fizeram uma caminhada, que partiu do Km 18, com cartazes confeccionados por eles e panfletos alertando sobre os sintomas que levam ao suicídio e onde procurar ajuda. O material foi distribuído para a população até o local onde ocorreriam as atividades, na Praça 8 de maio. As apresentações envolveram a comunidade e moradores que participaram também de atividades físicas. 

Por meio de esquete teatral, o CAPS (Álcool e Drogas) falou um pouco sobre o vício e como trabalhar as emoções e dar volta por cima. Já o CAPS adulto apresentou seu famoso coral, formado pelos usuários, o psicólogo João Roberto, que também é o maestro, e Carolina Lemos, terapeuta ocupacional e tecladista.  

João Roberto explica que dá total autonomia para seus usuários. “Eu ajudo eles a cantarem, mas o repertório fica por conta deles, para ajudá-los a ter motivação. Pelo jeito está dando certo, pois o coral já faz 10 anos”.  

Para Silene Pinho, coordenadora do CAPS Adulto, o evento serviu para mostrar que as pessoas têm a opção de buscar ajuda. “Resolvemos nos juntar para realizar esse evento para fazer um alerta sobre o mês. O importante foi mostrar onde encontrar ajuda”, explicou.  

C.P., usuário do CAPS Adulto, disse que o coral foi um resgate em sua vida e o fez descobrir o talento para o RAP, com letras próprias falando sobre injustiça contra as periferias e as mulheres.  

T.S.L., também usuário do CAPS Adulto, cantava em Igreja e em determinado momento entrou em depressão profunda. Ele conta que o coral o fez mudar suas ideias e dar um novo sentido à vida. Ele compôs a música “Qual o sentido da sua vida”, que fala sobre as adversidades, mas que é preciso saber viver e lutar.  

Onde procurar ajuda 

CAPS Adulto 

Atendimento a pessoas com mais de 18 anos em sofrimento psíquico intenso.
Horário: das 7h às 19h, de segunda a sexta-feira 

Endereço: Sport Club Corinthians Paulista, 191 – Km 18 

Contatos: 3682-7274/3681-9254 

E-mail: capsfeliciogaspar.ss@osasco.sp.gov.br 

CAPs Álcool e Drogas
Atendimento a pessoas com mais de 18 anos em sofrimento psíquico intenso em decorrência do uso abusivo de álcool e outras drogas
Horário: 7h às 19h, de segunda a sexta-feira
Endereço: Rua Anhanguera, 348 – Jardim Piratininga
Contatos: 3687-8549
E-mail: capsad3.ss@osasco.sp.gov.br 

CAPs Infantojuvenil
Atendimento a crianças e adolescentes até 18 anos incompletos em sofrimento psíquico intenso e ou em uso atual e abusivo de álcool e outras drogas
Horário: 7h às 19h, de segunda a sexta-feira
Endereço: Avenida João Batista, 1071 – Centro
Contatos: 3591-9939
E-mail: capsinfantil.ss@osasco.sp.gov.br.