Editorial: Saúde

Campanha de vacinação contra sarampo encerra-se nesta sexta-feira

A campanha de vacinação contra o sarampo encerra-se na sexta-feira (dia 16) em todo o Brasil. Depois do encerramento, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) não irão mais vacinar indiscriminadamente, como estão fazendo até o momento, portanto, quem ainda não se vacinou, criança ou adulto, é importante imunizar-se. Uma pessoa contaminada com sarampo pode contagiar até outras 18, conforme informam os órgãos oficiais de saúde.  

 Nesta campanha o Ministério da Saúde preconiza a vacinação de pessoas de 15 a 29 anos, no entanto, pessoas de outras faixas etárias que não estejam com a caderneta de vacina em dia também podem procurar a UBS. Com o fim da campanha, as Unidades Básicas de Saúde vacinarão apenas o que é determinado pelo Calendário Nacional de Vacinação: crianças de 6 a 12 meses com um reforço aos 15 meses; menores de 30 anos sem a comprovação das duas doses mínimas da tríplice viral; e maiores de 30 anos que não comprovem ao menos uma dose do imunobiológico. 

 É considerado vacinado o indivíduo que comprovar o recebimento de duas doses de vacina com o componente sarampo. Quem puder comprovar as doses conforme o preconizado para sua faixa etária não precisa mais receber o imunobiológico. A vacina não é recomendada a gestantes e a imunodeprimidos: pacientes oncológicos ou em tratamento contra a leucemia. 

 Luta contra a doença 

Barueri tem empreendido uma verdadeira ofensiva contra a doença, vacinando em locais públicos, indo a escolas e realizando bloqueios e varreduras em todos os lugares onde há suspeitas e casos confirmados. O poder público tem feito sua parte, mas é muito importante que o cidadão busque proteger-se. Algumas das UBSs ficam abertas até as 21h e há a UBS do Jardim Paulista, que passou a funcionar 24 horas por dia.  

 Até o momento a cidade já vacinou 33.731 pessoas só este ano, sendo 23.219 na faixa etária dos 15 aos 29 anos, 9.147 em pessoas com mais de 30 anos e 1.365 na faixa de 1 a 14 anos. O município registrou 26 casos confirmados da doença até agora e há 103 em investigação. 

Cotia realiza simulação de acidente que envolverá 150 profissionais de sete municípios no atendimento a 35 vítimas

Está marcado para o dia 13 de agosto, a partir das 10h, uma simulação de Incidente com Múltiplas Vítimas (IMV) de uma explosão de um caminhão tanque na empresa Coremal. A simulação será realizada pelo SAMU Regional Oeste Itapevi e Cotia e tem o objetivo de unir forças e preparar ainda mais os órgãos envolvidos e estudantes na atuação de emergência de grandes proporções.

As vítimas na simulação serão estudantes de enfermagem das escolas Vital Brasil e Faculdades Mario Schenberg. “É uma rica oportunidade para os estudantes, pois eles serão, durante todo o tempo de ação dos socorristas, orientados sobre os procedimentos e condutas corretas para cada caso”, disse Renata dos Santos, coordenadora do SAMU de Cotia.

Ela explicou que o acidente resultará em vítimas em quatro classificações, desde óbito no local, passando por graves ferimentos e fraturas, até escoriações e queimaduras leves. As vítimas serão atendidas pelo SAMU e pelo Corpo de Bombeiros.

A simulação contará com ambulâncias do SAMU Itapevi, Cotia, Carapicuíba, Pirapora do Bom Jesus, Vargem Grande Paulista, Jandira e Santana de Parnaíba, além do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Demutran e Guarda Civil Municipal de Cotia. A Brigada de Incêndio da empresa Coremal será a primeira a atuar na ocorrência evacuando o local e solicitando apoio dos demais órgãos.

De acordo com o Secretário de Saúde de Cotia, Magno Sauter, este tipo de treinamento é fundamental para desenvolvimento de habilidades, gerenciamento das ações e para corrigir possíveis falhas. “Quando a ocorrência é real, não há espaço para falhas. São as simulações que permitem avaliarmos os resultados e melhorarmos ainda mais as ações e as condutas no dia a dia”, disse.

As vítimas serão encaminhadas para o Hospital Regional de Cotia, UPA Atalaia e PA São George onde acontecerão simulações internas com a participação dos profissionais destes locais.

Barueri terá dia D de vacinação contra o sarampo neste sábado, dia 20

As 18 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Barueri irão abrir suas portas no próximo sábado (dia 20) para o dia D de vacinação contra o sarampo. A Secretaria de Saúde do município prevê ainda dois postos volantes nos bairros de Alphaville e Aldeia da Serra. 

 As UBSs irão funcionar das 8 às 16h e estarão oferecendo a vacina para as pessoas de 15 a 29 anos de idade. O posto volante de Alphaville será no Alpha Shopping e o da Aldeia da Serra, no Condomínio Morada dos Pássaros. Ambos atenderão das 9 às 16h. É necessário levar a caderneta de vacinação.  

 O imunobiológico aplicado é a tríplice viral, que também previne contra a caxumba e a rubéola. A cidade almeja vacinar 68.297 pessoas do público prioritário. As demais faixas etárias serão avaliadas mediante a apresentação da caderneta para a necessidade ou não da vacinação. 

 Não deixe de vacinar 

A vacina é extremamente importante para prevenir o sarampo, que é altamente contagioso. Até a última segunda-feira (dia 15), o estado de São Paulo confirmou 384 casos, sendo 272 (70%) provenientes da capital paulista.  

 A Secretaria de Estado da Saúde está fazendo campanhas de vacinação até o dia 16 de agosto em cidades como São Paulo, Guarulhos, Osasco, São Bernardo do Campo, Santo André e São Caetano do Sul. As pessoas de 15 a 29 anos estão sendo priorizadas por serem consideradas as mais vulneráveis devido sua baixa procura pelo imunobiológico. A faixa etária corresponde à metade dos casos da doença registrados no Estado.  

 Sobre a vacina 

A tríplice viral faz parte do Calendário Nacional de Vacinação brasileiro e está na rotina dos postos de saúde para crianças, que devem tomar uma dose aos 12 meses de vida e um reforço aos 15 meses com a tetraviral (que além das três doenças citadas também previne varicela). 

 tetraviral pode ser aplicada em crianças até quatro anos, 11 meses e 29 dias que não tenham sido vacinadas aos 15 meses. Pessoas de cinco a 29 anos nunca vacinadas ou com o esquema vacinal incompleto devem tomar a tríplice viral conforme a situação. Pessoas de 30 a 49 anos não vacinadas devem tomar uma dose da tríplice 

 É considerado vacinado o indivíduo que comprovar o recebimento de duas doses de vacina com o componente sarampo. Quem puder comprovar as doses conforme o preconizado para sua faixa etária não precisa mais receber o imunobiológico.  

 Contraindicação 

A vacina não é recomendada a gestante e a imunodeprimidos: pacientes oncológicos ou em tratamento contra a leucemia.  

HMB tem posto especializado de coleta de radiografias

Foto: Janaína Barbedo

A radiografia é realizada com processamento de filmes radiográficos e utilização de químicos, sendo que o plástico é a base do exame. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, esse tipo de material demora mais de 400 anos para se decompor. 

 “Além do plástico, as chapas de raio-x (películas) também possuem metais pesados, principalmente a prata. Se forem descartadas no lixo domiciliar, podem ser prejudiciais para o meio ambiente em função do risco de contaminação da água e do solo”, explica Pedro Limongi, técnico ambiental do Hospital, que destaca a importância do serviço de recolhimento desses exames também pelo risco de exposição ao ser humano. 

 A iniciativa, viabilizada com o auxílio de uma empresa especializada, reduz o impacto não só para a unidade, mas para toda a cidade, já que o container, disponível na recepção do Serviço de Apoio Diagnóstico Terapêutico (SADT), pode ser utilizado por toda população. Independentemente do local de realização do exame, qualquer paciente pode fazer o descarte na unidade. Além de efetuar o tratamento adequado para os metais pesados com intenção de evitar o despejo irregular nas redes fluviais, a empresa realiza a reciclagem do plástico para confeccionar artesanatos como caixas de boneca, capas de caderno e vasos de plantas. 

 A radiografia é muito utilizada para identificar lesões e fraturas em inúmeros casos, tanto que só o HMB realiza, em média, 3.000 exames por mês. “O raio-x é utilizado para auxiliar o diagnóstico e, por isso, pode ser solicitado em diversas situações. Por exemplo, quando o paciente passar com o anestesista, será necessário fazer o exame para avaliação clínica, ou se tiver uma suspeita de fratura, o ortopedista vai solicitar o raio-x para fazer a análise da estrutura óssea”, comenta Saner Souza, supervisor técnico de radiologia do hospital. 

 Vale ressaltar que as radiografias só podem ser descartadas após o término do tratamento. “É importante que o paciente traga as imagens para que o médico consiga avaliá-las no retorno. Por exemplo, uma pessoa que fez um raio-x de tórax para iniciar o tratamento para pneumonia precisará voltar com os exames em mão a fim de comprovar se o tratamento está surtindo efeito”, destaca Souza, que orienta os pacientes sobre a possibilidade de dar a destinação correta para o exame após o período estipulado pelo médico. 

Tratamento da hemodiálise um passo à frente

A equipe do Departamento de Hemodiálise do Hospital São Francisco acaba de receber treinamento sobre o novo equipamento Prismaflex, voltado para tratamento de reposição renal contínua. A tecnologia é voltada ao cuidado crítico de pacientes internados. A partir de agora o sistema está também no Hospital São Francisco, o primeiro de Cotia e região a abranger o tratamento com tal inovação, presente somente nos maiores complexos hospitalares do País.

Estima-se que a reserva ovariana esteja entre 1 e 2 milhões de óvulos

A reserva ovariana é, como o próprio nome já adianta: a reserva de óvulos da mulher. 
Quando as meninas nascem, elas já possuem em sua reserva ovariana todos os óvulos que irão liberar ao longo da vida. 

Ao nascer, estima-se que a reserva ovariana esteja entre 1 e 2 milhões de óvulos. Quando passa pela primeira menstruação, a menina já possui entre 400 e 500 mil.

E com o passar dos anos, o número vai caindo cada vez mais! Isso acontece porque, a cada menstruação, o organismo da mulher disponibiliza cerca de mil óvulos, mas apenas um chega a ovular. Todo o resto é descartado!

Esse é um processo natural e que não pode ser impedido. É por este motivo, entre outros, que com o passar dos anos se torna gradualmente mais difícil para a mulher engravidar. No momento em que ela atinge os 40 anos, seu estoque está praticamente vazio. 

O avanço da medicina proporcionou uma oportunidade de sabermos como está a situação da reserva ovariana. Com o mundo moderno e as mulheres cada vez mais empoderadas, muitas vezes dando prioridade à vida profissional e colocando a gravidez como um projeto futuro, é importante ficar a par das condições dessa reserva para que se programem!

Se no auge dos seus 35 anos a sua reserva já estiver muito comprometida e a mulher não tiver uma perspectiva de gravidez, existe a possibilidade de congelamento de óvulos. 

Os exames que conseguem medir a reserva ovariana da mulher são o FSH (exame sanguíneo que mede o nível do hormônio folículo-estimulante), a ultrassonografia transvaginal e o exame do hormônio anti-mulleriano. 

A ginecologista e obstetra  Dra. Erica Mantelli, está apto a falar de forma clara e esclarecedora sobre o tema,  como também,  saúde da mulher, câncer de mama, parto humanizado, acompanhamento de pré-natal, diástase, gestação, candidíase, corrimento, libido, processos emocionais entre a mãe e o feto, cirurgias ginecológicas, prevenção e tratamento de doenças, entre outros assuntos. 

Dra. Erica Mantelli, ginecologista, obstetra e especialista em saúde sexual – Graduada pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro, com Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia. Pós-graduada em disciplinas como Medicina Legal e Perícias Médicas pela Universidade de São Paulo (USP), e Sexologia/Sexualidade Humana. É formada também em Programação Neolinguística, por Mateusz Grzesiak (Elsever Institute). Site:http://ericamantelli.com.br

Osasco realiza parceria com CPTM para a Campanha do Sarampo

Considerando a situação epidemiológica do Sarampo, a Prefeitura de Osasco, por meio da Secretaria de Saúde, firmou parceria com a CPTM para a realização de vacinação em algumas das estações de trem de Osasco, a partir do dia 15/7 até 2/8, das 16h às 20h.

O sarampo é uma doença viral aguda, altamente contagiosa, os principais sintomas são febre, tosse, coriza, conjuntivite e manchas avermelhadas na pele (exantema maculopapular). O óbito pode ocorrer em decorrência das complicações.

A transmissão é direta de pessoa a pessoa, por meio das secreções expelidas pelo doente ao tossir, respirar, falar ou espirrar e que permanecem dispersas no ar, principalmente em ambientes fechados como, por exemplo: escolas, creches, clínicas e meios de transporte.

 

Vacinar ainda é o melhor remédio, alerta Saúde de Barueri

A Secretaria de Saúde de Barueri alerta sobre a importância de manter em dia a caderneta de vacinação, uma vez que uma pessoa desprotegida coloca em risco não apenas sua saúde, mas a de todos que convivem com ela, já que a maioria das doenças passíveis de prevenção por meio da imunização são transmitidas por contato físico ou em objetos contaminados, espirros, tosse e fala.  

 As Unidades Básicas de Saúde do município dispõem de todas as vacinas previstas no Calendário Nacional – algumas o ano todo e outras nos períodos específicos de campanhas.  

 Em Barueri, a Coordenadoria de Vigilância em Saúde tem trabalhado duro para garantir a vacinação de todos os públicos prioritários nas diferentes campanhas preconizadas pelo Ministério da Saúde e, principalmente, recuperar a confiança das pessoas nos imunobiológicos disponibilizados pelo governo. É importante destacar que o programa de vacinação brasileiro é considerado modelo perante o mundo.  

 Recentemente o município fez bonito na vacinação contra a febre amarela, chegando a cobrir 99,4% do público-alvo. Muitas cidades brasileiras ficaram abaixo da média, ainda sofrendo com o reflexo da desconfiança popular.  A colaboração do cidadão é primordial, destacam os especialistas.  

 As vacinas ofertadas no país são totalmente confiáveis. Antes de chegarem às unidades de saúde passam por diversas fases de avaliação, além de rígida regulação de institutos como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Procure a UBS mais próxima de sua casa para obter mais informações sobre as vacinas disponíveis e atualizar sua caderneta de vacinação.  

 

Pediatra alerta sobre os perigos do sarampo e a importância da vacinação

Pediatra alerta sobre os perigos do sarampo e a importância da vacinação

“O sarampo é uma doença de alta transmissibilidade, grave e pode deixar sequelas e a única forma de preveni-la e combatê-la é com a vacinação”, afirma, categórico, o médico pediatra Rodrigo Ottoni de Carvalho, que atua no Hospital São Francisco (HSF), em Cotia.

O alerta vem agora que o País corre o risco de perder o certificado de eliminação da circulação do vírus do sarampo, concedido em 2016 pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). De 2018 para cá já foram registrados mais de 10 mil casos da doença.

De acordo com o especialista, embora possa contaminar pessoas de todas as idades, o sarampo é ainda mais perigoso para as crianças. “O vírus do sarampo tem a capacidade de ‘minar’ o sistema imunológico, que nas crianças ainda está se aprimorando. Ele vai diminuindo as defesas do organismo e favorecendo infecções secundárias como otite média aguda, pneumonia e até meningoencefalites”, ressalta o pediatra.

O médico explica que a doença “compromete a resistência imunológica do paciente, facilitando a ocorrência de uma super infecção na qual 30% dos casos podem cursar com uma ou mais complicações,  principalmente em crianças menores de cinco anos”.

Carvalho lembra que o sarampo foi responsável por altas taxas de mortalidade em crianças até o advento da imunização e que as sequelas podem ser graves, variando de acordo com o órgão comprometido: “as neurológicas merecem destaque, além de algumas como surdez, cegueira, diminuição da capacidade mental etc.”, enumera. Com a vacinação, diz o médico, o paciente fica menos suscetível às formas graves da doença e suas complicações.

Importância da imunização

De acordo com o pediatra Rodrigo, o País teve grandes conquistas com relação ao sarampo ao longo dos anos. “O Brasil, em pouco mais de 30 anos, conseguiu um grande avanço contra o sarampo. Em 1986 foram notificados quase 130.000 casos da doença e em 2016 a OMS [Organização Mundial da Saúde] considerou a doença erradicada no país, mas esse quadro mudou em apenas dois anos. Em 2018 foram confirmados um pouco mais de 10.000 casos”, frisa.

O controle do sarampo no Brasil havia atingido uma estabilidade graças as estratégias de imunização e o fortalecimento da vigilância epidemiológica, mas o quadro mudou de 2018 para cá. Não por acaso, nessa mesma época, boa parte dos brasileiros foram atingidos por um tipo de onda ideológica via mídias sociais que espalhou a desconfiança com relação a eficácia das vacinas. Isso levou muitos pais a deixarem de vacinar seus filhos e até de vacinarem-se a si próprios, o que fez ressurgirem os surtos.

 “As causas são múltiplas,  mas o que chamou atenção foi uma certa ‘negligência’ por parte da população , que levou quase metade dos municípios a não atingirem a meta de vacinar 95% das crianças entre 1 e 5 anos de idade. Com isso o vírus continua em  circulação no país. É essencial que os pais vacinem seus filhos e a si próprios, caso não tenham sido vacinados, e na dúvida devem procurar o posto de saúde ou locais certificados  com seu cartão de vacinação”, recomenda o especialista.

Sobre a vacina

A eficácia da vacina contra o sarampo é alta, pode chegar a 95%. São dois os tipos utilizados: a tríplice viral – que combate sarampo, caxumba e rubéola -, e a tetra viral, que acrescenta à tríplice o fator Varicela. Ambas podem ser encontradas no HSF.

O esquema vacinal preconiza a tríplice viral aos 12 meses de vida e a tetra viral aos 15 meses. Os não-vacinados até os 4 anos de idade seguem o mesmo esquema, mas com intervalo mínimo de 30 dias para a segunda dose. De 5 a 29 anos são aplicadas duas doses da tríplice; enquanto que de 30 a 49 anos e dose é única.

O Hospital São Francisco dispõe de ambas as vacinas, além de outras.  A preocupação do Hospital com a qualidade dos imunológicos é tão grande que foi estabelecida uma parceria do HSF com a Vacinville – melhor clínica de vacinas da região. Para a direção do Hospital, manter a vacinação em dia e com imunológicos confiáveis é fundamental para a saúde de todos.

Sintomas

Como na grande maioria das viroses, os sintomas no início são inespecíficos, destaca o médico.

Febre, tosse persistente, coriza, conjuntivite, febre alta por mais de três dias , mudança na característica da tosse e o exantema (manchas vermelhas no corpo) são, os sinais de alerta mais comuns para o sarampo.

O período de incubação, no geral, costuma ser de 10 dias, mas pode variar de 7 a 18 dias. “O mais importante é o período de contágio, quando ocorre a transmissão da doença, que ocorre quatro dias antes do exantema e dura até quatro dias depois”, orienta Carvalho.

Centenas de pacientes já se beneficiam do Novo Centro de Hemodiálise de Barueri

Não é nada fácil ter de se submeter a um tratamento de hemodiálise. Três vezes por semana, durante quatro longas horas, os pacientes renais ficam ligados a máquinas que fazem o papel que o rim doente já não consegue fazer. Não há escolha, é uma questão de sobrevivência, no entanto, alguns fatores podem contribuir bastante para que a qualidade de vida dessas pessoas melhore, como poder fazer o tratamento mais perto de casa.

Foi para atender a esta demanda que a Prefeitura de Barueri investiu fortemente no seu novo Centro de Hemodiálise Dra. Sandra Vicenza Sarno, localizado em um anexo do Hospital Municipal de Barueri (HMB). As atividades do equipamento foram retomadas no dia 15 de maio e, de lá pra cá, a capacidade de atendimento triplicou. Antes, o local conseguia atender 100 pessoas no máximo, hoje, havendo necessidade, pode atender até 300 pacientes.

Maria do Rosário de Jesus sentiu na pele o impacto desse investimento. “É uma nova vida, porque sem isso eu nem conseguia cuidar das minhas filhas. Tenho duas crianças pequenas e não conseguia cuidar delas porque a gente incha muito, fica muito mal e fraca e quando o tratamento começa a gente já vê o resultado. É uma nova chance de sobreviver”, celebra a munícipe.

 Zerando a fila da cidade

No momento, o Centro está atendendo 140 pessoas, mas a partir de 1º de julho mais 35 munícipes que aguardavam na fila começarão seus tratamentos localmente. Com isso, a Secretaria de Saúde conseguirá zerar a fila de moradores de Barueri que precisavam sair do município para fazer o tratamento.

 Além do esperado

Investir em tecnologia de última geração também foi uma preocupação da Prefeitura, que buscou por estações de diálise das mais avançadas disponíveis no mercado, conforme explica o médico nefrologista Agostinho Filgueira, coordenador da nefrologia do HMB. “Essas que a gente recebeu agora são máquinas mais modernas, tem alguns recursos a mais, máquinas que, em termos de tecnologia pra esse tipo de tratamento, são das melhores que existem”, garante o especialista.

Em Barueri, o Centro de Hemodiálise funciona de segunda a sábado e o atendimento é destinado exclusivamente a adultos. Antes da ampliação o serviço contava com 20 estações, hoje elas são 70 ao todo.