Editorial: São Paulo

Enel distribuição São Paulo destina R$ 2,87 milhões em ações sociais e de eficiência energética em Perus e Pirituba

Foto: Divulgação
  • Iniciativas fazem parte das ações do projeto-piloto Smart Meter, que irá instalar 300 mil medidores inteligentes nos dois bairros da capital paulista;
  • Concessionária doou 1,5 toneladas de alimentos e realizou a troca de mais de 44 mil lâmpadas e 1,3 mil geladeiras nas duas localidades

São Paulo, 31 de agosto de 2021 – A Enel Distribuição São Paulo, concessionária de energia elétrica que atua em 24 municípios da Grande São Paulo, destinou R$ 2,87 milhões em projetos sociais e iniciativas de eficiência energética nos bairros de Pirituba e Perus no primeiro semestre de 2021, como parte das ações socioeducativas do projeto Smart Meter. Os moradores dos bairros da Zona Oeste da Capital Paulista foram beneficiados com a troca de equipamentos e atividades de consumo consciente.

No período, a concessionária realizou 14,6 mil diagnósticos energéticos nas residências dos moradores de Perus e Pirituba, que fazem parte do projeto-piloto que irá instalar 300 mil medidores inteligentes nas duas regiões. Essa iniciativa permitiu identificar os clientes que possuíam geladeiras e lâmpadas ineficientes no consumo de energia, além de levar informações sobre como usar a energia de forma mais eficiente.

Ao todo, a Enel Distribuição São Paulo promoveu a troca de 44,5 mil lâmpadas antigas por modelo LED, que são 80% mais econômicas e possuem uma vida útil de 25 mil horas. Além disso, a concessionária também promoveu a troca de 1.283 geladeiras por modelos novos e mais eficientes do ponto de vista energético.

A estimativa da companhia é de que as novas geladeiras tenham um consumo de energia 20% menor do que as antigas. A desmontagem das geladeiras antigas e o tratamento de gases retirados é realizado pela concessionária sem acarretar nenhum custo às famílias e são descartadas corretamente por parceiro do projeto, respeitando a legislação ambiental.

As trocas de lâmpadas e geladeiras por modelos mais eficientes visam a melhoria da qualidade de vida de famílias de baixo poder aquisitivo, buscando a redução do consumo de energia e conscientização ambiental. Além disso, essa ação está alinhada aos compromissos assumidos pela companhia com a Agenda 2030 das Nações Unidas e com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), especialmente com o ODS 7 – Energia Limpa e Acessível.

Ações sociais

Além das trocas de equipamentos, a área de sustentabilidade da Enel Distribuição São Paulo promoveu uma série de ações sociais voltadas ao consumo consciente e à segurança da população. Foram realizadas oficinas de consumo consciente e palestras sobre segurança e convívio adequado com a rede elétrica. Em média, cada oficina contou com a participação de 180 pessoas da região.

“Também realizamos ações com líderes comunitários dos bairros atendidos, nas quais explicamos os benefícios da tecnologia dos medidores inteligentes para a população”, afirma a gerente de Sustentabilidade da concessionária, Solange Mello. A Enel Distribuição São Paulo, além disso, promoveu a doação de 1,6 toneladas de alimentos não perecíveis às regiões de ação dos líderes comunitários.

Projeto Smart Meter

Os medidores inteligentes integram uma solução digital, desenvolvida com tecnologia Enel, que permitirá aos consumidores monitorar e otimizar seu consumo de energia de forma fácil e transparente, além de permitir à distribuidora executar algumas atividades remotamente, com o objetivo constante de aprimorar a qualidade do serviço.

A concessionária já instalou 89 mil medidores inteligentes nos bairros de Perus e Pirituba. A previsão é que até março do próximo ano sejam instalados 150 mil medidores inteligentes na região de um total de 300 mil dispositivos do projeto.

A substituição do medidor não implica na cobrança de uma taxa extra e está sendo apoiada por uma ampla campanha de informações junto aos clientes beneficiados. Os novos medidores contam com tecnologia de comunicação embutida, permitindo a leitura remota do consumo de energia, o que também irá viabilizar, no futuro próximo, que os consumidores acompanhem diariamente o seu consumo no celular e computador.

A iniciativa está sendo realizada no âmbito do Programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Todos os medidores estão sendo produzidos no Estado de São Paulo, em unidades fabris nos municípios de Sorocaba e em Vargem Grande Paulista, promovendo a geração de emprego na indústria 4.0 e acelerando a economia de diferentes setores.

Esta é a primeira fabricação de medidores inteligentes da Enel na América Latina. O modelo produzido no Brasil e instalado em São Paulo possui tecnologia desenvolvida pela Enel, que há 20 anos atua no mercado de medição inteligente em todo o mundo. Globalmente, a Enel já instalou mais de 45 milhões de medidores inteligentes em países como Argentina, Chile, Colômbia, Itália, Peru, Romênia e Espanha.

Sobre a Enel Distribuição São Paulo

A Enel Distribuição São Paulo é uma empresa da multinacional de energia Enel. A companhia é a segunda maior distribuidora do país, respondendo por 10,3% de toda energia distribuída no Brasil e atendendo 7,4 milhões de unidades consumidoras em 24 municípios da região metropolitana de São Paulo, incluindo a capital paulista, principal centro econômico-financeiro do Brasil. A estratégia de atuação da Enel é baseada no seu Plano de Sustentabilidade e nos compromissos assumidos com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU.

Enel distribuição São Paulo amplia em 5% as inspeções de fraudes e furtos de energia no primeiro semestre de 2021

Foto: Divulgação
  • Ao todo, foram realizadas mais de 120 mil inspeções na rede elétrica dos 24 municípios atendidos pela concessionária;
  • Ações contribuíram para a recuperação de 52,9 GWh de energia retroativa de consumo não registrado

São Paulo, 25 de agosto de 2021 – A Enel Distribuição São Paulo, concessionária de energia elétrica que atua em 24 municípios da Grande São Paulo, intensificou as ações de combate às fraudes e furtos de energia no primeiro semestre deste ano. A distribuidora realizou 120,1 mil inspeções em sua área de concessão, crescimento de 5% na comparação com as 114,1 mil inspeções realizadas em igual período de 2020.

Levantamento interno da companhia aponta que com as ações desenvolvidas foi possível identificar 38,936 mil irregularidades no primeiro semestre de 2021, um aumento de 26% em relação às 30,997 mil fraudes encontradas no mesmo período do ano passado. Com isso, a Enel Distribuição São Paulo conseguiu recuperar 52,9 GWh de energia, o que representa um crescimento de 87% frente aos 28,3 GWh de volume de energia recuperado no primeiro semestre de 2020.

O volume de energia recuperado pela distribuidora no primeiro semestre de 2021 seria suficiente para abastecer cerca de 29 mil residências por um ano com consumo médio mensal de 150/kWh. Entre os principais fatores que explicam o aumento do número de fraudes identificadas estão mudanças em procedimentos operacionais internos, a ampliação das inspeções e a piora na condição socioeconômica, agravada pelos impactos negativos da pandemia do novo corona vírus.

Maior município da área de concessão da concessionária, São Paulo lidera o ranking de inspeções realizadas no primeiro semestre de 2021, totalizando 88,4 mil, com 28,6 mil irregularidades encontradas. A capital é seguida pelas cidades de Santo André (4,3 mil inspeções e 1,2 mil irregularidades), São Bernardo do Campo (4,1 mil inspeções e 1,3 mil irregularidades), Barueri (2,72 mil inspeções e 1,7 mil irregularidades) e Diadema (2,69 mil inspeções e 0,6 mil irregularidades).

“A Enel Distribuição São Paulo vem investindo em novas tecnologias para coibir fraudes e furtos. A concessionária conta com software com inteligência artificial capaz de identificar de forma preventiva possíveis manipulações na rede elétrica e nos medidores. Ao combater o furto de energia, a empresa contribui para a melhoria da qualidade dos serviços oferecidos para a população”, afirma o responsável pela área de Operações Comerciais da companhia, Ricardo Martins. Além disso, a companhia investe na blindagem dos medidores para evitar alterações no funcionamento dos equipamentos.

Furto de energia é crime

A distribuidora também realiza constantemente ações de combate ao furto de energia de clientes das classes comerciais, residenciais e industriais em parceria com a Polícia Civil. No primeiro semestre deste ano, a empresa realizou 102 operações que resultaram em 55 pessoas detidas em flagrante, aumento de 113% e 67%, respectivamente, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Esse forte crescimento em ambos os indicadores reflete a retomada gradual das operações, bem como o número de denúncias recebidas via Polícia Civil. Nos primeiros seis meses de 2021, das 102 operações realizadas, 69% estão relacionadas a clientes comerciais, 30% residências e 1% industriais. Do número total, 35% foram na regional Sul da área de concessão da companhia, 24% na Oeste, 24% na Leste e 17% na Norte.

A concessionária alerta que fraudes e furtos são crimes previstos no Código Penal, e a pena pode variar de um a oito anos de detenção. Além disso, a distribuidora também cobra os valores retroativos referentes ao período em que ocorreu a irregularidade, acrescida de multa, dos fraudadores. Cometem crime tanto as pessoas que executam fisicamente a fraude nas instalações quanto os titulares das contas de energia.

Além de crime, as fraudes e furtos contribuem para tornar a conta de luz mais cara para todos os consumidores. Isso ocorre porque a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) reconhece nas tarifas uma parte das chamadas “perdas comerciais”, como são denominados tecnicamente os furtos e as fraudes no jargão do setor elétrico. Esse reconhecimento tem por objetivo compensar parte do prejuízo da distribuidora com o valor da energia furtada e cobrir os custos para identificar e combater as irregularidades.

Outra consequência negativa é a piora na qualidade do serviço prestado, prejudicando todos os consumidores da concessionária. As ligações clandestinas sobrecarregam as redes elétricas, deixando o sistema de distribuição mais suscetível às interrupções no fornecimento de energia. A regularização dos clientes traz cidadania para essa parcela da população e beneficia todos os consumidores com um serviço de melhor qualidade.

Consumidores que adotam esta prática, popularmente conhecida como “gato”, também estão colocando em risco as suas vidas e da população. Pessoas não habilitadas que tentam manipular o medidor de energia ou realizar ligação direta na rede elétrica correm o risco de choque e acidentes graves, que podem ser fatais.

Combate ao furto de energia

Os consumidores podem ajudar a Enel Distribuição São Paulo no combate às fraudes e furtos pelos canais de atendimento da distribuidora. As denúncias podem ser feitas pelo site https://portalhome.eneldistribuicaosp.com.br/#/area-aberta/dinamico/denuncia-fraude ;  pelo aplicativo Enel SP, que pode ser baixado gratuitamente pelo iOS (https://apple.co/2VpYh8q)  ou Android (http://bit.ly/2VmOsIj), ou pelo 0800 72 72 196. A denúncia pode ser anônima, sem a necessidade de identificação do consumidor.

Sobre a Enel Distribuição São Paulo

A Enel Distribuição São Paulo é uma empresa da multinacional de energia Enel. A companhia é a segunda maior distribuidora do país, respondendo por 10,3% de toda  energia distribuída  no Brasil e atendendo 7,7 milhões de unidades consumidoras em 24 municípios da região metropolitana de São Paulo, incluindo a capital paulista, principal centro econômico-financeiro do Brasil. A estratégia de atuação da Enel é baseada no seu Plano de Sustentabilidade e nos compromissos assumidos com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU.

Instituto Grupo BIG inicia seleção de jovens para a Escola Social do Varejo no Estado de São Paulo

São oferecidas 100 vagas para a formação gratuita e online; inscrições acontecem até 10 de agosto; Pela primeira vez, além de moradores da região metropolitana de São Paulo, jovens de Limeira e Ribeirão Preto podem participar da seleção;
Curso apoia a inserção no mercado de trabalho.

São Paulo, 30 de julho de 2021. Estão abertas as inscrições para as turmas do segundo semestre da Escola Social do Varejo (ESV), programa do Instituto Grupo BIG desenvolvido em parceria com o Instituto Aliança que prepara jovens para o mundo do trabalho, com foco no segmento varejista. O curso, integralmente gratuito, é uma porta de entrada para os jovens que buscam o primeiro emprego formal.

São oferecidas 100 vagas para o estado de São Paulo. Além de jovens da região metropolitana da capital, pela primeira vez podem participar da seleção moradores de Limeira a Ribeirão Preto, no interior do estado. As inscrições vão até 10 de agosto, às 23h59, ou até atingir mil candidatos. Para se inscrever, é necessário ter de 18 a 24 anos, ter concluído o Ensino Médio na rede pública e possuir renda familiar de até três salários mínimos.

O curso será totalmente online e os selecionados receberão um tablet com acesso à internet para utilizar durante o período de formação. A ESV tem duração de aproximadamente cinco meses, com aulas online ao vivo duas vezes por semana, de duas horas cada, além de outras atividades a serem desenvolvidas na plataforma de Educação a Distância (EAD).

Os jovens que participam da ESV recebem apoio e orientação para a busca de oportunidades de emprego. Um dos maiores atrativos é o alto índice de inserção no mercado de trabalho, que alcança 80%, a maioria em empresas de médio e grande porte. O certificado é emitido pela Universidade Estadual do Ceará como curso de extensão.

Inscrições e processo seletivo

 

Para participar da seleção, os candidatos devem preencher o formulário de inscrição online, disponível no seguinte link: https://bit.ly/inscricao-esv-sp-2021-2.

O processo seletivo da passou por mudanças em função da pandemia com o objetivo de reduzir o número de fases e torná-lo mais ágil. A primeira etapa envolve o preenchimento da ficha de inscrição, já selecionando o período – manhã ou tarde – em que o candidato poderá participar das aulas virtuais, caso seja aprovado. Nesta fase, também é apresentado um vídeo explicativo sobre a ESV.

 

Ao final, é necessário selecionar um horário para participar da etapa seguinte. Os jovens que estiverem dentro dos critérios para admissão no programa recebem links para participar de grupos de WhatsApp e receber informações sobre os próximos passos. Na segunda etapa, os inscritos participam de uma dinâmica de grupo online e respondem a uma sondagem para avaliação de conhecimentos gerais com a equipe de educadores e coordenadores da ESV.  Com este novo modelo de seleção, será possível iniciar as dinâmicas mesmo com as inscrições ainda em curso. 

 

As informações sobre o processo estarão disponíveis no site do Instituto Grupo BIG e nas redes da ESV no Facebook e Instagram. As listas de aprovados serão divulgadas no dia 12 de agosto, após as 17h. O início das aulas está previsto para 17 de agosto.

 

Para realizar a matrícula, os candidatos aprovados precisam providenciar os seguintes documentos: RG, CPF, comprovante de residência, declaração de conclusão do Ensino Médio ou a Ficha 19, título de eleitor, foto 3×4, carteira de trabalho e, para os do sexo masculino, certificado de reservista do Exército Brasileiro ou CDI – Certificado de Dispensa de Incorporação.

Sobre a ESV

A Escola Social do Varejo existe desde 2010 e nesse período mais de 10 mil jovens já passaram pela formação. A metodologia da ESV contribui para o desenvolvimento de competências socioemocionais, fundamentais para o êxito do profissional do século 21, além de ajudar os jovens a pensar em seu projeto de vida. A formação, de 330 horas, também se dedica a aproximá-los do dia a dia das empresas.

Sobre o Instituto Grupo BIG

Com mais de 15 anos de atuação, o Instituto Grupo BIG (IGB) é responsável pela estratégia e gestão do investimento social do Grupo BIG. Realiza programas e ações voltados para a capacitação e inserção de jovens no mercado de trabalho e para o desenvolvimento das comunidades onde o grupo está presente. Além disso, para reforçar o compromisso da empresa com a comunidade, promove ações de voluntariado corporativo.

Sobre o Grupo BIG

O Grupo Big, ex-Walmart Brasil, opera hoje com 391 unidades e mais de 40 mil funcionários em 18 estados brasileiros, além do Distrito Federal. São 7 bandeiras entre hipermercados (BIG e BIG Bompreço), supermercados (Super Bompreço e Nacional), atacado (Maxxi Atacado), clube de compras (Sam’s Club) e lojas de vizinhança (TodoDia), além de postos de combustíveis.

Enel distribuição São Paulo investe r$ 10,6 milhões na ampliação da subestação Sumaré

Foto: Divulgação
  • Concessionária irá realizar a substituição dos transformadores e digitalização dos painéis de controle da subestação;
  • Obra beneficiará cerca de 24 mil clientes em seis bairros da zona Oeste da Capital paulista

São Paulo, 26 de julho de 2021 – A Enel Distribuição São Paulo, concessionária de energia elétrica que atua em 24 municípios da Grande São Paulo, deu início às obras de ampliação da capacidade de fornecimento de energia da subestação Sumaré, localizada na zona Oeste de São Paulo. O projeto receberá investimento de R$ 10,6 milhões e beneficiará cerca de 24 mil clientes dos bairros Cerqueira César, Jardim América, Jardim das Bandeiras, Pacaembu e Pinheiros, na capital paulista.

A obra ampliará a capacidade de fornecimento da subestação em 20 Megavolt Ampere (MVA). O projeto consiste na substituição de três transformadores de 15/20 MVA por dois novos transformadores com 32/40 MVA. Além disso, a Enel Distribuição São Paulo irá instalar um sistema de proteção e controle digitais de última geração, possibilitando a operação remota da subestação pelo Centro de Operação da Distribuição da concessionária, em Barueri (SP). A previsão de conclusão das obras é março de 2022.

“O projeto de ampliação e implementação de modernas tecnologias  da subestação Sumaré contribuirão  para a elevação  da confiabilidade do sistema elétrico, além de acompanhar o crescimento do mercado consumidor na região, e está em linha com o processo de digitalização da rede elétrica da Enel Distribuição São Paulo, cujo objetivo é melhorar os indicadores de qualidade do fornecimento de energia”, afirma o responsável pela área de Infraestrutura & Redes da concessionária, Vincenzo Ruotolo.

Além disso, o projeto permitirá que a rede elétrica na região acompanhe o crescimento do mercado consumidor, fomentando o desenvolvimento socioeconômico na capital paulista. Com maior capacidade de distribuição de energia, os bairros estão aptos a receber novos prédios residenciais e estabelecimentos comerciais. O projeto também contempla a reconstrução de três quilômetros da rede de distribuição.

Redes do Futuro

As obras de ampliação da subestação Sumaré dão continuidade aos investimentos para reforçar a capacidade de distribuição de energia no sistema elétrico, por meio de obras de construção, ampliação e modernização de subestações e linhas de transmissão nos 24 municípios da sua área de concessão. Em maio deste ano, a empresa deu início à ampliação da subestação Itapevi, um investimento de R$ 10,5 milhões que irá beneficiar 40 mil clientes dos municípios de Itapevi, Cotia e Santana de Parnaíba.

Em abril, a companhia concluiu as obras de ampliação e modernização da subestação Franca, no bairro Jardim Paulista, zona oeste da capital. O projeto recebeu investimento de R$ 3,4 milhões e beneficia em torno de 18 mil clientes dos bairros Jardim Europa, Jardim América, Cerqueira César, Bela Vista e região da Consolação e Bexiga.

Em 2020, a companhia destinou R$ 93,5 milhões em 29 obras em subestações e linhas de alta tensão. Entre os projetos realizados no ano passado estão as ampliações das subestações Anhembi e Cambuci, que receberam R$ 10,9 milhões e R$ 5,5 milhões em investimentos, respectivamente. Ao todo, as obras realizadas em 2020 ampliaram a capacidade de distribuição de energia em 53 MVA, beneficiando 1,2 milhão de clientes.

As obras em subestações e linhas de transmissão fazem parte dos investimentos para expansão, modernização e digitalização da rede elétrica, que visa proporcionar um serviço de melhor qualidade aos 7,4 milhões de clientes da companhia. Em 2020, Enel Distribuição São Paulo investiu quase R$ 1 bilhão na sua área de concessão.

Sobre a Enel Distribuição São Paulo

A Enel Distribuição São Paulo é uma empresa da multinacional de energia Enel. A companhia é a segunda maior distribuidora do país, respondendo por 10,3% de toda energia distribuída no Brasil, atendendo a 7,4 milhões de unidades consumidoras em 24 municípios da região metropolitana de São Paulo, incluindo a capital paulista, principal centro econômico-financeiro do Brasil. A estratégia de atuação da Enel é baseada no seu Plano de Sustentabilidade e nos compromissos assumidos com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU.

 

25 de julho – Políticas públicas sólidas pela equidade

A busca pela igualdade de direitos e oportunidades deve ir além de datas comemorativas pontuais, com a construção de políticas públicas sólidas voltadas àqueles que mais precisam, principalmente quando o assunto é inclusão social. Ainda assim, essas datas precisam ser relembradas e celebradas por serem marcos e símbolos históricos de cada conquista de direitos.

O Dia Internacional da Mulher Negra, Latina e Caribenha, celebrado em 25 de julho, foi instituído em 1992, na República Dominicana, como forma de garantir a visibilidade das mulheres negras contra a opressão de gênero, a exploração e o racismo. No Brasil, a data homenageia, ainda, a líder quilombola Tereza de Benguela que, no século XVIII, ajudou comunidades negras e indígenas no combate à escravidão.

O primeiro passo para se avançar na consolidação da equidade nas políticas públicas é a eliminação de qualquer tipo de desigualdade, como determina, desde o início de sua gestão, o governador João Doria, baseando seu governo no desenvolvimento social e humano.

Mais da metade da população brasileira é negra, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em que pese o fato dessa população, em especial as mulheres negras, protagonizarem os piores indicadores sociais.

A vulnerabilidade social é paradoxalmente maior entre a população negra. Segundo dados do Cadastro Único, 49% declararam-se pretos ou pardos. Destes, 58% são mulheres.

Diante disso, os esforços da Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo para que as proteções sociais atendessem às múltiplas vulnerabilidades sociais não cessaram. Pelo contrário, ações intersetoriais e programas foram reforçados e ampliados, assim como novos projetos, ainda mais inovadores, ganharam forma, com o objetivo de atender esta população fortemente acometida pela pandemia da Covid-19 que paralisou o mundo.

Em março de 2021, o Governo do Estado lançou o Prospera Família, destinado à mobilidade social, com inclusão produtiva e geração de renda para famílias monoparentais, majoritariamente femininas, em situação de vulnerabilidade, no qual 62% do público elegível declara-se negro.

Há, ainda, grande quantidade de beneficiárias negras nos programas Prospera Jovem, SP Amigo do Idoso e Impulsiona SP.

O desenvolvimento social e humano, justo e igualitário, é o melhor caminho para diminuirmos o abismo social que ainda existe em nossa sociedade. Este é o compromisso da atual gestão estadual: construir novos caminhos e que favoreçam, em primeiro lugar, aqueles que mais necessitam das políticas públicas.

Ao trabalharmos em sinergia, gestão pública, empresariado e toda a sociedade, alavancamos a capacidade de transformar ideias em ações práticas, consolidando a possibilidade de vivermos em uma sociedade melhor e mais justa.

Célia Parnes
Secretária de Desenvolvimento Social do Estado de SP

Governo de SP amplia em 45% os recursos do programa #JuntosPelaCultura, com R$ 10,6 milhões em 2021

Nesta terça-feira (13) foram anunciados 853 projetos selecionados e 9,6 mil artistas beneficiados. Seis cidades da região de Ribeirão Preto estão entre as escolhidas

O Governador João Doria anunciou nesta terça-feira (13) a ampliação do Programa #JuntosPelaCultura, uma parceria das Secretarias de Cultura e Economia Criativa e de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo. O Estado vai destinar R$ 10,6 milhões – valor 45% maior que os R$ 7,3 milhões de 2020.

“Quem respeita a cultura respeita seu povo, sua origem, sua brasilidade”, disse Doria.

O #JuntosPela Cultura une poder público e segmentos artísticos com o objetivo de fomentar e difundir a cultura. Em 2021, as chamadas públicas passaram de oito para 12, sendo sete para municípios, quatro para artistas e uma para organizações.

“Nós trabalhamos duro para elevar o grau de acesso da população à cultura, porque sabemos que isso traz muitos benefícios para os indivíduos e para a sociedade”, diz o secretário de Cultura e Economia Criativa Sérgio Sá Leitão. “Trabalhamos também para elevar a geração de renda e emprego no setor cultural. Mais cultura significa mais educação, mais saúde e mais turismo.”

De um total de 853 projetos selecionados, 524 foram apresentados por 161 Prefeituras, enquanto que outros 329 são de produtores culturais. Ao todo, o programa vai beneficiar 9,6 mil artistas neste ano. Na região de Ribeirão Preto, as cidades selecionadas são: Jaboticabal, Pradópolis, Ribeirão Preto, Santa Rosa de Viterbo, Serrana e Sertãozinho.  

Para celebrar o sucesso da iniciativa, o Governo do Estado premiou 20 cidades com títulos de capitais culturais de São Paulo pela excelência na cena artística e importância dada ao setor pelas gestões municipais.

As cidades homenageadas são Bertioga, Botucatu, Franco da Rocha, Ilha Solteira, Itanhaém, Itapevi, Itapira, Mairiporã, Mirante do Paranapanema, Mogi das Cruzes, Piracicaba, Ribeirão Preto, Santa Fé do Sul, São Bento do Sapucaí, São João da Boa Vista, São José dos Campos, São Luís do Paraitinga, Serrana, Sete Barras e Ubatuba.

“O programa inovador #JuntosPelaCultura foi lançado em 2019 pelo Governador João Doria. Ele une o Governo do Estado de São Paulo às prefeituras pelo desenvolvimento da cultura em todas as regiões do estado com uma visão municipalista”, afirmou Sérgio Sá Leitão, Secretário da Cultura e Economia Criativa.

Todas as ações realizadas pelos municípios podem ser acessadas gratuitamente na plataforma de vídeo por demanda e de streaming #CulturaEmCasa e também no perfil @culturaemcasasp nas redes sociais.

O balanço das propostas recebidas em 2021 registrou 1.573 inscrições de prefeituras; 961 de artistas e 78 de organizações — estas em seu ano de estreia. Em 2020, foram 478 propostas de prefeituras e 687 de artistas.

Confira a lista de cidades com projetos beneficiados pelo #JuntosPelaCultura:

Américo Brasiliense, Apiaí, Araçatuba, Areias, Atibaia, Bariri, Barra do Chapéu, Barretos, Batatais, Bauru, Bernardino de Campos, Bertioga, Birigui, Biritiba-Mirim, Boituva, Bom Jesus dos Perdões, Bom Sucesso de Itararé, Botucatu, Bragança Paulista, Cabreúva, Caçapava, Caconde, Caieiras, Cajamar, Campinas, Campos do Jordão, Cananéia, Canitar, Capão Bonito, Caraguatatuba, Castilho, Catanduva, Cesário Lange, Colina, Cruzeiro, Cubatão, Elias Fausto, Embu, Franca, Francisco Morato, Franco da Rocha, Garça, Getulina, Guaíra, Guapiaçu, Guararapes, Guaratinguetá, Guarujá, Guarulhos, Hortolândia, Iguape, Ilha Comprida, Ilha Solteira, Indaiatuba, Iporanga, Ipuã, Irapuru, Itanhaém, Itaóca, Itapetininga, Itapeva, Itapevi, Itapira, Itaquaquecetuba, Itu, Jaboticabal, Jacareí, Jarinu, Joanópolis, Jundiaí, Lagoinha, Lençóis Paulista, Limeira, Lins, Lorena, Louveira, Lucélia, Mairiporã, Marília, Mauá, Miracatu, Mirante do Paranapanema, Mococa, Mogi Guaçu, Moji das Cruzes, Mongaguá, Monteiro Lobato, Nazaré Paulista, Novo Horizonte, Olímpia, Osasco, Ourinhos, Palestina, Palmital, Paraibuna, Parapuã, Parisi, Pedra Bela, Pedro de Toledo, Peruíbe, Pindamonhangaba, Piquete, Piracaia, Piracicaba, Piraju, Pirapora do Bom Jesus, Pirassununga, Porto Feliz, Potim, Pradópolis, Praia Grande Presidente Alves, Presidente Prudente, Promissão, Redenção da Serra, Reginópolis, Registro, Ribeirão Branco, Ribeirão Grande, Ribeirão Preto, Rio Claro, Salesópolis, Salto de Pirapora, Santa Bárbara d’Oeste, Santa Cruz das Palmeiras, Santa Fé do Sul, Santa Gertrudes, Santa Isabel, Santa Rita do Passa Quatro, Santa Rosa de Viterbo, Santana de Parnaíba, Santo André, Santos, São Bento do Sapucaí, São Bernardo do Campo, São Carlos, São João da Boa Vista, São José do Rio Pardo, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Luís do Paraitinga, São Miguel Arcanjo, São Pedro, São Roque, São Sebastião, São Vicente, Serrana, Sertãozinho, Sete Barras, Silveiras, Suzano, Taguaí, Taquaritinga, Tatuí, Taubaté, Ubarana, Ubatuba, Várzea Paulista, Vinhedo, Votorantim e Votuporanga.

Terminais metropolitanos da EMTU terão ações de saúde sobre Infecções Sexualmente Transmissíveis e testes para hepatite

Foto: Divulgação
Passageiros também receberão dicas de prevenção e tratamento contra hipertensão e diabetes

A partir de sábado (10) e até 21/07, passageiros de sete terminais intermunicipais gerenciados pela EMTU poderão se informar a respeito de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) e, em dois deles, terão oportunidade de realizar autoteste de HIV e testes de Hepatites B e C. Julho é o mês de prevenção das hepatites, doenças sexualmente transmissíveis.

Essas ações de saúde, em parceria com a ESSA – Escola Técnica de Enfermagem, incluem aferição de pressão arterial, glicemia capilar para pacientes do grupo de risco para diabetes, cálculo de Índice de Massa Corporal – IMC, orientações e informações sobre hipertensão e diabetes, além de dicas para uma alimentação saudável.

A programação começa no Terminal Metropolitano Jabaquara, seguindo depois para Piraporinha, São Bernardo, Carapicuíba, Diadema, São Mateus e Santo André Leste. Os testes para hepatite B e C serão realizados no terminal Carapicuíba, em 16/07, e o autoteste de HIV será disponibilizado no Terminal São Bernardo, no dia 14/07.

Além da distribuição de folhetos e orientação individual, haverá também distribuição de preservativos masculinos e femininos.

ESSA – Escola de Enfermagem – Criada em 2007, a escola atua na preparação dos alunos ao mercado de trabalho para transformá-los em agentes de saúde.

Serviço

Data: 10/07

Horário: 10h às 14h

Local: Terminal Jabaquara

Endereço: Av. Eng. ° Armando de Arruda Pereira – Jabaquara – São Paulo – SP



Data: 12/07

Horário: 10h às 14h

Local: Terminal Piraporinha

Endereço: Av. Piraporinha, altura do n. ° 1.956 – Piraporinha – Diadema – SP



Data: 14/07

Horário: 10h às 14h

Local: Terminal Metropolitano São Bernardo

Endereço: Rua Domingo Ballotin, s/n° – Centro – São Bernardo do Campo – SP



Data: 16/07

Horário: 10h às 14h

Local: Terminal Metropolitano Carapicuíba

Endereço: Rua Diógenes Ribeiro de Lima, 10

Data: 17/07

Horário: 10h às 14h

Local: Terminal Metropolitano Diadema

Endereço: Av. Conceição, s/n – Parque Mamede – Diadema – SP

Data: 19/07

Horário: 10h às 14h

Local: Terminal Metropolitano São Mateus

Endereço: Av. Adélia Chohfi, 100 – Jardim Vera Cruz- São Paulo – SP

Data: 21/07

Horário: 10h às 14h

Local: Terminal Metropolitano Santo André Leste

Endereço: Rua Visconde de Taunay, s/n° – Centro – Santo André – SP

Governo de SP anuncia vacinação para adolescentes de 12 a 17 anos em todo estado

Foto: Divulgação

Imunizante da Pfizer será utilizado; primeira fase será para integrantes do grupo de comorbidades, com deficiências e gestantes e puérperas 

O Governador de São Paulo, João Doria, anunciou neste domingo (11) o cronograma para vacinação de adolescentes do estado entre 12 e 17 anos. O imunizante utilizado será o do laboratório Pfizer, uma vez que a Anvisa autorizou seu uso dentro desta faixa etária. 

“Para que se tenha uma ideia da importância e significado disso, é um público de 3,2 milhões de adolescentes em São Paulo”, disse João Doria. 

A primeira fase da vacinação, que acontece a partir de 23 de agosto, é destinada a integrantes do grupo com comorbidades, deficiências ou gestante e puérpera. A partir de 6 de setembro a imunização será aberta para o grupo geral, iniciando com as idades de 15 a 17 anos. Já no dia 20 do mesmo mês, serão vacinados o grupo de 12 a 14 anos. 

Assim como a vacinação prioritária para profissionais da Educação Básica, a imunização de adolescentes também foi defendida pelo Secretário Estadual da Educação, Rossieli Soares, junto ao Governo de SP. 

“Esse tema tem sido tratado pelo Governo do Estado há muito tempo. Fomos os primeiros a falar sobre isso inclusive com as empresas que fabricam as vacinas. Então isso está no nosso radar há muito tempo”, explicou Rossieli Soares. 

A imunização destes jovens e crianças tem também como objetivo dar maior segurança às famílias para o retorno às aulas presenciais. A volta às aulas, porém, não está condicionada à vacinação. 

Segundo estudos, as crianças e jovens com deficiência e comorbidades, além de estarem sob maior risco de contrair a doença, seja pela necessidade de contato muito próximo ou por terem alguma condição de saúde, respectivamente, são dependentes da rotina e os estímulos desenvolvidos na escola que são fundamentais para o seu desenvolvimento. 

“Eu sou pai de uma filha de três anos e meio com deficiência, tem paralisia cerebral, e eu luto por essas crianças há muito tempo e vejo este movimento de uma forma muito significativa porque a gente já está voltando às aulas com as crianças que não têm comorbidades, com os professores vacinados, e este grupo de crianças com deficiência e comorbidades seria o único grupo que ficaria de fora deste direito que é aprender. São crianças que necessitam não só da escola como atividade de ensino, mas também de convivência social e estimulação”, declarou Wanderson Oliveira, coordenador da Comissão Médica da Educação.  

Passageiros de quatro terminais da EMTU recebem ações de combate à dengue de segunda-feira (28) até 5/07

Foto: Divulgação
Na primeira semana, 515 passageiros foram impactados com a campanha que alertou sobre cuidados preventivos com o mosquito que também transmite zika e chikungunya

Quatro terminais intermunicipais gerenciados pela EMTU receberão, a partir da próxima segunda-feira (28), ações que procuram conscientizar, alertar e instruir os passageiros sobre os cuidados no combate ao Aedes aegypt, mosquito da dengue, transmissor também de duas outras doenças, a zika e a chikungunya. A programação vai até 5 de julho e é fruto de uma parceria com a ESSA – Escola Técnica de Enfermagem. Desde o dia 21 de junho, as atividades já atenderam a 515 pessoas nos terminais Jabaquara, Diadema e Piraporinha.

Estudantes e um professor da ESSA disponibilizam folhetos informativos, orientando sobre como evitar a multiplicação do mosquito e informando os sintomas e tratamentos adequados. O objetivo é conscientizar a população para não deixar caixas d’água destampadas, água limpa parada em pneus, garrafas, latas, pratos de plantas ou em qualquer outro local que favoreça a proliferação do Aedes Aegypti, mosquito que transmite a doença.

Outra atividade é a aferição de pressão arterial para identificar e orientar os passageiros sobre cuidados com hipertensão e diabetes, capazes de agravar casos de COVID-19.

De acordo com o Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde, divulgado em outubro de 2020, foram notificados 931.903 casos de dengue no país. A taxa de incidência é de 443,5 casos por 100 mil habitantes.

ESSA – Escola de Enfermagem – Criada em 2007, a escola atua na preparação dos alunos ao mercado de trabalho para transformá-los em agentes de saúde.

Para fotos das ações, acesse:

Serviço

Data: 28/06

Horário: 10h às 14h

Local: Terminal São Bernardo

Endereço: Rua Domingo Ballotin, s/nº – centro- São Bernardo/SP

Data: 30/06

Horário: 10h às 14h

Local: Terminal Metropolitano Santo André Leste

Endereço: Rua Visconde de Taunay, s/n – Centro – Santo André

Data: 02/07

Horário: 10h às 14h

Local: Terminal Metropolitano São Mateus

Endereço: Av. Adélia Chohfi, 100 – Jardim Vera Cruz – São Paulo/SP

Data: 05/07

Horário: 10h às 14h

Local: Terminal Metropolitano Carapicuíba

Endereço: Rua Diógenes Ribeiro de Lima, 10

Recode Pro 2021 disponibiliza 180 vagas gratuitas para a formação de programadores em São Paulo

Foto: Divulgação

A Recode está com inscrições abertas para o Recode Pro 2021, um projeto que tem como objetivo qualificar pessoas em situação de vulnerabilidade social como programadores. Ao todo, estão sendo oferecidas 180 vagas totalmente gratuitas para moradores da região metropolitana de São Paulo. Em função da pandemia, todo o curso acontecerá de maneira remota, com as aulas e dinâmicas acontecendo via internet.

“A programação é uma das áreas mais promissoras da atualidade e tem sido muito demandada pelas empresas. O Recode Pro vem contribuindo significativamente para a prática de contratações com valor social e com as políticas de diversidade e inclusão, sem que, para isso, as contratantes precisem abrir mão de profissionais de qualidade”, ressalta a gerente de Programas da Recode, Anna Paula Colacino.

Ao longo dos últimos dois anos, o projeto transformou a vida de muitas pessoas. Com o auxílio de uma feira de talentos promovida pela Recode, os formandos são encaminhados ao mercado de trabalho. Na edição de 2019, em nove meses, 92% dos alunos formados já estavam trabalhando no setor, recebendo um salário médio de R$4.985. Mesmo diante de uma pandemia, o sucesso também ocorreu na turma de 2020 e, desde o evento de recrutamento, realizado em 6 de abril, 39% já conseguiram uma colocação, com os demais ainda participando de processos seletivos.

Além do conteúdo técnico sobre programação, o Recode Pro desenvolve capacidades essenciais para o mercado de trabalho, como comunicação, criatividade, atuação profissional e resolução de problemas. Não é necessário ter conhecimento técnico prévio em tecnologia para participar da formação.

Inscrições gratuitas

Para participar, é necessário ter entre 18 e 39 anos, renda per capita de até um salário mínimo, ensino médio completo e residir na região metropolitana de São Paulo. Também é possível participar nas regiões metropolitanas de outras sete cidades, como Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Salvador, Curitiba, Florianópolis ou Porto Alegre. Ao todo, serão 360 vagas para as cidades contempladas no Brasil. Basta acessar o site www.recodepro.org.br, ler o regulamento e efetuar a inscrição até o dia 28 de junho. Em seguida, os participantes deverão realizar duas formações on-line: “Gestão de Projetos e Aplicativos de Impacto” e “ProgramAção”. Um grupo será escolhido para participar de um Hackathon, seguido por uma entrevista final individual. Além do desempenho final, a diversidade será levada em consideração no momento da seleção.

A previsão é que as aulas aconteçam entre agosto deste ano e fevereiro de 2022.