Editorial: São Paulo

Região Oeste terá Fórum em defesa dos direitos da mulher

Representantes de municípios da Região Oeste de São Paulo estão se unindo para construir um fórum de discussão de políticas públicas em defesa dos direitos da mulher. O foco estará nas ações de conscientização e prevenção à violência e ao feminicídio.

O primeiro passo para a criação do fórum foi dado na Câmara Municipal de Osasco, manhã desta terça-feira (5), quando as vereadoras Lúcia da Saúde (DC) e Dra. Régia (PDT) receberam representantes das câmaras municipais de Embu das Artes e Carapicuíba, da Prefeitura do Município de Osasco e da Ordem dos Advogados do Brasil – 56ª Subsecção de Osasco, para debater o tema.

A idealizadora do encontro, Vereadora Lúcia da Saúde, pretende iniciar o trabalho a partir do mês de março, que é dedicado à mulher, com uma grande caminhada de conscientização. A expectativa dela é que o fórum aconteça no mês de maio.

“Queremos promover tudo que venha ao encontro da mulher no sentido da conscientização, porque a mulher não está na vida de um homem para apanhar ou ser morta, mas para ser valorizada”, diz.

A Vereadora Dra. Régia, que é autora de um projeto de lei que envolve essa temática, acredita que essa primeira reunião é importante para Osasco e região, porque viabiliza o debate de assuntos que favoreçam a discussão de políticas públicas para as mulheres.

“Tenho aqui na casa um projeto que é uma Semana de Conscientização e Combate à Violência e Feminicídio e a gente espera que conseguir fazer essa conscientização de muitas mulheres, através dos órgãos, de entidades e de igrejas, para que esses fatos possam ser minimizados”, salienta. 

A Vereadora Rosângela Santos (PT), de Embu das Artes, ressalta que o encontro na Câmara de Osasco é o início de um projeto que permitirá cuidar das mulheres da região, por meio de políticas públicas “para defender os direitos das mulheres contra o feminicídio, a favor das creches e da melhoria na saúde”.

Já a Vereadora Cida Carlos (PT), de Carapicuíba, reforça que o tema do fórum é bastante atual, porque há um grande número de mulheres que estão se empoderando para tentar se libertar da violência que sofrem.

Dentre os assuntos em pauta, uma das principais reivindicações é que as delegacias de defesa da mulher funcionem 24 horas por dia e também nos finais de semana. Segundo as vereadoras, a medida deve auxiliar no registro de ocorrências de violência contra a mulher, em conjunto com outras ações, como a implantação de centros de atendimento específico às vítimas de violência.

Com Márcio França, hospitais filantrópicos terão financiamento subsidiado pelo governo do estado

A construção do Hospital Auxiliar de Suzano está em fase final, mas ainda não tem data para entrega do prédio. A informação é de que deve ser concluído até o final do 1° semestre deste ano. As obras, que estão atrasadas há mais de dois anos, tem valor orçado em R$ 34,2 milhões. Essas informações foram divulgadas na manhã de ontem, pela administradora do prédio, o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).
Junto à entrega desse novo anexo, o valor vai contar com a construção de um centro de diagnóstico e a reforma do antigo do Hospital Auxiliar de Suzano. Quando for entregue, o novo estabelecimento terá 120 leitos, sendo 12 destinados ao setor ambulatorial, denominado Hospital Dia. Além disso, haverá dez leitos semi-intensivos e três leitos pós-cirúrgicos.
Até o momento, se sabe que o serviço de apoio Diagnóstico e Terapêutico será equipado com ressonância nuclear, magnética, tomografia, mamografia, raio-x, ecocardiograma, entre outros equipamentos para diagnósticos.
Em uma das últimas reuniões com os prefeitos do Alto Tietê, em outubro de 2017, o presidente do Consórcio de Desenvolvimento de Municípios do Alto Tietê (Condemat) e prefeito de Suzano Rodrigo Ashiuchi (PR), informou que o hospital não teria um pronto-socorro para o público geral da cidade e da região, e que os exames laboratoriais já estariam sendo feitos pelo hospital até o final de março deste ano.
O jornal Dat questionou o HC sobre quem será os beneficiados pelo novo hospital em Suzano, mas eles ainda não têm um público-alvo destinado. “Essas informações nós ainda não temos, mas nos próximos dias iremos nos pronunciar”, explicou. E sobre se os exames já estavam sendo feitos na unidade, eles não souberam responder.
Lembrando que em 2013, o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) veio até Suzano e afirmou que a construção e reforma teriam prazo de 15 meses, mas por diversos problemas técnicos e climáticos, o hospital não foi entregue à população até o momento.






Sesc Consolação recebe espetáculo “Casa de Bonecas – Parte 2”

Publicado em 1879, o clássico “Casa de Bonecas”, do dramaturgo norueguês Henrik Ibsen (1828-1906) causou polêmica ao questionar as convenções sociais e o casamento como uma instituição. A peça até hoje é considerada feminista.

O texto ganha uma continuação na comédia dramática “Casa de Bonecas – Parte 2”, com dramaturgia do jovem autor norte-americano Lucas Hnath e direção de Regina Galdino, com tradução de Marcos Daud e com os atores Marília Gabriela, Luciano Chirolli, Eliana Guttman e Clarissa Kiste.

Estreia no dia 11 de agosto no Sesc Consolação, no Teatro Anchieta, onde ficará em cartaz até 9 de setembro.

Na “Casa de Bonecas”, de Ibsen, Nora Helmerfalsifica uma assinatura do pai e faz, em segredo, um empréstimo para salvar Torvald, seu marido, mas quando ele descobre a fraude, por causa da chantagem de um agiota, repudia a esposa, humilhando-a e negando que ela continue educando os filhos. O agiota devolve a promissória, salvando os Helmer, mas Nora, desiludida com a covardia e hipocrisia de Torvald, ao ver a posição inferior da mulher na sociedade, revolta-se e abandona o marido e três filhos pequenos.

No texto de Lucas Hnath a emblemática personagem Nora, agora uma escritora de sucesso, retorna 15 anos depois ao lar porque precisa oficializar o divórcio com Torvald. Popular por defender causas feministas, ela está sendo chantageada para negar suas ideias, pois uma mulher casada não poderia ter uma vida independente.

De volta ao núcleo familiar, Nora enfrentará a recriminação da criada, da filha mais nova e do marido por tê-los abandonado e por ter tido a ousadia de escolher o que fazer de sua vida. Diante da cobrança sobre suas responsabilidades de esposa, ela argumenta que o casamento funciona como uma prisão para as mulheres e que o amor deveria ser livre. Mais uma vez ela terá que decidir entre ficar à mercê de mentiras, regras sociais equivocadas e da visão retrógada de seus entes queridos ou assumir sua identidade e lutar por um mundo diferente.

A diretora Regina Galdino diz que o espetáculo chama a atenção pela qualidade dos diálogos. “O jovem autor, Lucas Hnath, desenha os diálogos como se fossem poemas modernos, gráficos, indicando ritmos, sonoridades, pausas, repetições e intenções que dispensam as tradicionais rubricas. O texto ganha uma musicalidade muito particular, e, num misto de comédia e drama, as relações das personagens surgem límpidas e cortantes, sem maniqueísmos. Futuro e passado, utopia e tradição, luminosidade e trevas, opção e necessidade, maturidade e juventude, coragem e medo, casamento e amor livre, são algumas das contradições que o público irá acompanhar nessa trajetória da personagem Nora em busca de sua identidade, negando a sociedade forjada em mentiras”, diz.

“Seguimos a pista do autor, que propõe uma sala vazia como ambiente único, e radicalizamos com um cenário não realista, símbolo do que se tornou a vida de Torvald depois que Nora o abandonou, deixando-o com três crianças para criar, em pleno século XIX. A encenação, simples, aposta na força do texto. Esperamos que os espectadores vejam a transformação das personagens acontecer diante de seus olhos, sem truques, em um teatro essencial alicerçado na interpretação dos atores”, finaliza Regina Galdino.

 SERVIÇO

CASA DE BONECAS – PARTE 2

De 11/8 a 9/9

Horários:  de quinta a sábado, às 21h; domingos e feriado (7/9), às 18h. Sessões extras dias 24 e 31 de agosto, às 15h.

Local: Sesc Consolação – Teatro Anchieta (280 lugares)

Ingressos: R$ 40,00 (inteira); R$ 20,00 (meia: estudante, servidor de escola pública, + 60 anos, aposentados e pessoas com deficiência); R$ 12,00 (credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes).

Duração: 100 minutos.

Classificação etária: 14 anos

SESC CONSOLAÇÃO

Rua Dr. Vila Nova, 245, Vila Buarque, São Paulo

Fone: (11) 3234-3000

Transporte Público: Estação Mackenzie do Metrô – Linha 4 – Amarela

 

 






Comédia faz reflexão sobre a mulher com inspiração no surrealismo

Com influência surrealista e reflexão sobre a condição feminina, Intensa Paisagem Vermelha Como Tomate estreia no dia 4 de agosto, às 19h, no Teatro Viradalata. A temporada acontece aos sábados, às 19h, até 24 de novembro. O texto é de Luciano Ferrari, que assina a direção e desenhou figurino e cenário. Responsável pela direção das peças Monólogo da Falsa Magra, Cavalo com H e Absurdos Sérios, o autor traz na montagem a história de Aldreda e Jocosa, duas camponesas envolvidas numa misteriosa intriga.

A trama fala da condição humana, precisamente da feminina, e os conflitos que as mulheres enfrentam na sua conquista por igualdade. Em cena, as nossas heroínas encontram vários personagens masculinos que na peça representam símbolos de opressão contra as mulheres. De forma divertida, mas contundente, as dificuldades enfrentadas pela mulher na sociedade são inseridas como elementos de reflexão.

A encenação foi construída seguindo a dialética da comédia Dell’arte mesclada a uma linguagem mais contemporânea com toques surrealistas. A montagem traz momentos de dança, e canto para remeter o espectador ao clima de fantasia, emoção e mistério.

Ficha Técnica:

Texto e Direção: Luciano Ferrari. Elenco: Alex Slama (Dr. Lobo Raposão, Emissário e Carrasco); Celso Melez (Mamado, Emissário, Juiz); Isabela Prado (Jocosa). eNatália Albuk (Aldreda).Locuções: Eucir de Souza. Cenografia: Luciano Ferrari. Projeto Cenográfico: Marina Zamith/Estúdio Klee. Figurinos: Luciano Ferrari. Design de Luz: Celso Melez. Coreografia: Lord Lu e elenco. Visagismo: Natália Albuk. Preparação Vocal: Gabriela Rossi. Trilha Sonora (seleção): Luciano Ferrari. Trilha Sonora (mixagem): Yuri Fidalgo. Cenotécnico: Tom Silva. Adereços e Objetos de Cena: Tetê Ribeiro e Silas Caria (Maracujá Laboratórios de Arte). Operação de Luz: João Delle Piagge. Operação de Som: Marcelino Ziggy; Design Gráfico: Rafael Castilho e Cláudia Mendes. Montagem do painel cenográfico: Guilherme Sousa (a partir de “Pormenor de um Prado Silvestre, 1503. Aquarela de Abrecht Dürer). Costura: Maria de Lourdes Cotrim; Janete Viana; Camila Sanches; Josy Barbosa; Teresa Souza Alves; Cecília de Campos. Alfaiataria: Betto Rigor. Assessoria de Imprensa: Oribá Soluções Criativas. Fotografias de Estúdio, de Cena e Registros de estreia: Rafael Castilho. Fotografias de Cena (temporada): Evandro Moraes. Making Off e Still Fotográfico: Celso Melez. Gravação de Locuções: Rogério de Lima (Fora do Eixo Produções). Direção de Produção: Elen Zamith. Realização: Lord Lu Entretenimento.

Serviço:

Teatro Viradalata | Rua Apinajés, 1387
Temporada: Sábados, às 19h, 04 de agosto à 24 de novembro. Preço: R$ 50,00 (inteira)

 






Espaço Cultural Circo do Asfalto anuncia extensa programação para o mês de Agosto

Em agosto, a Circo do Asfalto promete agitar o Jardim Bom Pastor com uma grande programação que inclui um cortejo pela comunidade, apresentações de palhaçaria, teatro de bonecos, oficinas e muito mais!

 

Circo do Asfalto divulga agenda de agosto com cortejos, apresentações e oficinas no Jardim Bom Pastor

No mês de Agosto, o Espaço Cultural Circo do Asfalto promove uma extensa programação no Jardim Bom Pastor, em Santo André, para todos os tipos de público, com artistas de diferentes lugares. Serão cortejos pela comunidade, apresentações e oficinas com importantes nomes do circo e da cultura popular.

A programação começa no dia 01 de agosto, às 19h30 com apresentação da Poin – Pequena Orquestra Interativa, que realizará um cortejo com brincadeiras musicais na comunidade no entorno do Espaço Cultural Circo do Asfalto. A POIN é um septeto formado por músicos que tocam violão, acordeon, flauta, violino, sousafone e percussão e que tem como principal característica a interatividade com o público. Com ritmo contagiante, o som da POIN é uma mistura de musica dos balcãs, klesmer, valsas malucas e musica cigana. Com o regente da orquestra demonstrando ao público o que ele deve fazer, as ações exploram ritmo, afinação, coordenação motora e memória. A cada número, uma nova surpresa para a plateia.

No dia 07 de agosto, às 20h00, é a vez do grupo Mamulengo Fuzuê apresentar um espetáculo de Teatro Popular de Bonecos chamado Benedito, Abençoado e Bendizido. Mamulengo Fuzuê é brincadeira aprendida com as tradições, é palhaço na rua, é boneco na tolda, é poesia e teatro popular que celebra a arte para despertar a transformação. O grupo tem 10 anos  de história e já recebeu importantes prêmios como o de Melhor Espetáculo de Rua, no Festival de Cultura Popular de Ilhéus.

No dia 08 de agosto, às 20h00, quem se apresenta é o grupo de artistas populares de rua Rosa dos Ventos, de Presidente Prudente. Seus integrantes são pesquisadores da história da cultura popular, da comicidade e da diversidade cultural brasileira. O grupo busca a fusão do teatro, da música, das técnicas circenses, do palhaço, dos tipos cômicos em uma arte popular vibrante, subversiva, questionadora e ousada.

No dias 15 e 16 de agosto, de 14 às 17h, o diretor e ator natural da Espanha Pepe Nunez realiza Oficina de Iniciação a Arte do Palhaço, já com vagas esgotadas. Reconhecido internacionalmente, Pepe Nuñez já dirigiu vários espetáculos de sucesso de grupos como Companhia Pé de Vento Teatro, de Florianópolis, (onde mora desde 2000) e Teatro do Anônimo (RJ). Em 1998, montou o seu próprio espetáculo “Bom Apetite”, que ele apresenta no Espaço Cultural Circo do Asfalto no dia 17 de agosto, às 20h00.

Às terças e quintas-feiras, das 16h às 19h, o grupo The Pambazos Bros ministrará uma Oficina de Montagem de Número, com vagas esgotadas. A oficina e baseada na experiência de 16 anos de trajetória artística deste grupo de artes cênicas que utiliza as linguagens de teatro, circo e música. Formado pelos uruguaios Diego Martínez e Jorge Zagarzazú o grupo já se apresentou em mais de 20 países, criando espetáculos e números na busca de uma metodologia e linguagem própria.

A programação do mês de agosto termina com uma Oficina de Fotografia, no dia 20 de agosto, que será ministrada por Ricardo Avellar, fotógrafo oficial da Cia Circo do Asfalto. O artista circense e fotógrafo já expos trabalhos na UFLA – Lavras-MG, Teatro Cacilda Becker (São Bernardo do Campo), Festival Paulista de Circo em Piracicaba, Casa da de Cultura de São Bernardo do Campo, entre outros.

Com seu novo projeto “Juntos Somos Mais Fortes” contemplado pelo edital PROAC – Territórios das Artes (Espaços Independentes) da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, a Circo do Asfalto abre as portas de sua sede para abraçar e ser abraçada pela comunidade.

O Espaço Cultural Circo do Asfalto foi criado em 2015, pela companhia Circo do Asfalto que é formada por Ricardo Avellar, e o casal Fran e Douglas Marinho. Desde então tem aberto suas portas para receber fazedores das artes dos mais diferentes lugares do mundo.

Programação Espaço Cultural Circo do Asfalto – AGOSTO/2018

Dia 01 de agosto – POIN – Pequena Orquestra Interativa – Horário: 19h30 – Duração: 60 minutos

Cortejo pela comunidade no entorno do Espaço Cultural Circo do Asfalto

Poin: Renata Mattar – sanfona e voz, Gustavo Finkler – violão e voz, Micaela Nassif – violino, Mateus Mapa – flauta e flautim, Renato Farias – sousafone, Nina Blauth– percussão, Gustavo Souza – percussão

Concepção direção musical, composições e arranjos – Gustavo Finkler | Figurinos: Renata Mattar

Classificação Livre – Grátis

Dia 07 de agosto – Mamulengo Fuzuê – Horário: 20h00 – Duração 40 a 60 minutos

Espetáculo Benedito, Abençoado e Bendizido

Elenco Thiago Francisco (Bonequeiro/Brincante) e Trio de Músicos Brincantes

Enfrentando os desmandos do Capitão João Redondo, que tudo quer comprar e dominar com seu dinheiro e poder, Rosinha, Benedito e o Boizinho Fuzarca lançam mão de muita esperteza para fugir de perigos representados pela fantástica Cobra Anaconda. Os personagens dessa brincadeira convidam o público a um singelo e alegre passeio pelo imaginário popular brasileiro, guiados por canções populares executadas por músicos brincantes ou bonecos tocadores.

Classificação Livre – Grátis

Às terças e quintas-feiras, das 16h às 19h, o grupo The Pambazos Bros ministrará uma Oficina de Montagem de Número, que já se encontra com vagas esgotadas.

Dia 08 de agosto – Rosa dos Ventos – Horário: 20h00 – Duração: 50 minutos

Espetáculo Super Tosco

A trama do espetáculo é super tosca, porque é real, feita por palhaços que com suas histórias e números de divertimento não vão achar outra forma de heroísmo que não a tosca… A grandiosidade do Super aparece em espantosas acrobacias habilidades, número de equilíbrio, músicas cantadas e tocadas ao vivo com naipe de sopros e uma banda completa de um homem só, o Maestro Nicochina. Uma farra circense para rir, e muito!

Elenco: Luís Valente, Fernando Ávila, Tiago Munhoz e Robson Toma | Adaptação, criação, direção, figurinos e cenografia: Rosa dos Ventos | Trilha e Música original: Robson Toma

Classificação Livre – Grátis

Dias 15 e 16 de agosto – Horário: 14h às 17h – Oficina de Palhaçaria com Pepe Nuñez  – Vagas Esgotadas

Dias 17 de agosto – Pepe Nuñes – Horário: 20h00 – Duração: 60 minutos

Espetáculo Bom Apetite

Bom Apetite é um espaço de brincadeira, um espetáculo aberto, para todas as idades, jogos e cumplicidade marcam o compasso na orquestra que formam público e palhaço, e rindo de si mesmos, trazem a tona o que todos nós temos de mais irreverente, descontraído e ingênuo.

No “cardápio” da peça, tem música, mágica, malabarismo, jogos coletivos e naturalmente, muito humor.

Classificação Livre – Grátis

Dia 20 de Agosto – Oficina Fotografia com Ricardo Avellar – informações: www.facebook.com/circodoasfalto

 






Trupe DuNavô faz última apresentação da temporada no Festival Risadaria

No  próximo sábado, dia 04 de agosto, às 10h30, a Trupe DuNavô realiza a última apresentação de sua temporada no Festival Risadaria – o maior festival de humor do mundo. Grupo apresenta um espetáculo de improviso chamado O Livro do Mundo Inteiro com entrada gratuita, para adultos e crianças! 

 

Trupe DuNavô apresenta O Livro do Mundo Inteiro no Supermercados Mambo da Vila Madalena

Pelo terceiro ano consecutivo, a Trupe DuNavô participa do maior festival de humor do mundo: o Festival Risadaria. Na edição de 2018 do Festival, o grupo convida adultos e crianças para participar de apresentações divertidíssimas durante o período das férias escolares.

Neste sábado, dia 04 de agosto, às 10h30, o grupo se apresenta no Palco Risadaria que estará localizado dentro do Supermercados Mambo da Vila Madalena. Com entrada gratuita, adultos e crianças serão convidados a um encontro com a linguagem do palhaço regado a muitas gargalhadas.

O espetáculo O Livro do Mundo Inteiro traz a divertida história um grupo de palhaços, que chega para se apresentar e descobrem que estão no lugar errado. Os palhaços passam a vasculhar esse cenário desconhecido e a “improvisar” cenas com os diferentes objetos encontrados, para entreter o público ansioso pelo espetáculo. Passeando por ilusionismo, mágica, dança e outras técnicas circenses, eles se revezam apresentando cenas clássicas e autorais, arrancando boas gargalhadas. O público é convidado para um resgate da memória do circo, valorizando a cultura e proporcionando uma vivência circense, que não deve ser esquecida. 

Formada por Renato Ribeiro, Gis Pereira, Vinicius Ramos e Gabi Zanola, a Trupe DuNavô é um dos importantes grupos de teatro infantil de São Paulo, que vem sendo reconhecido por espetáculos de qualidade que agradam a família inteira.

Com seus diferentes projetos a trupe já passou por importantes palcos do teatro e do circo, entre eles: Espaço dos Parlapatões, Festival Nacional de Teatro de Jales, XII Festival Nacional de Teatro de Limeira, Circuito SP de Cultura, Festival Risadaria, Festival em Janeiro Teatro para Criança é o Maior Barato, Circuito Cultural Paulista (APAA-Associação Paulista de Amigos da Arte), Festival Paulista de Circo, Viagem Teatral SESI 2017, Galpão do Folias, Virada Sustentável, além de circular por diversas unidades do SESC de São Paulo e Capital, Fábricas de Cultura e teatros distritais.

Entre os prêmios e reconhecimentos ao longo de sua trajetória, a Trupe DuNavô foi indicada ao Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem – um dos maiores prêmios de Teatro Infantil da América Latina – na categoria Melhor Atriz (Gabi Zanola) e foi vencedora do Prêmio Sustentabilidade com o espetáculoRefugo Urbano, criado em 2015. Em uma votação especial, organizada para escolher os melhores do ano, o espetáculo foi ainda eleito pelos leitores do Guia Folha como Melhor Espetáculo Infantil do Ano de 2015.

Durante o mês de férias, adultos e crianças terão oportunidade de conhecer o trabalho divertido e encantador desta trupe que pesquisa a linguagem do palhaço em suas diferentes vertentes. Após agradar o público do Risadaria na edição de 2016 e 2017, a trupe está de volta agora na edição de 2018 do Festival e promete bons momentos de encontro e muitas gargalhadas!

Se você ainda não conhece o trabalho deste grupo, não perca esta oportunidade! Para saber mais detalhes, acesse:  www.facebook.com/DuNavo ouwww.instagram.com/trupedunavo

 

Última apresentação da temporada Trupe DuNavô no Festival Risadaria

Dia 04 de agosto – 10h30 – Supermercados Mambo – Vila Madalena

Endereço: R. Dep. Lacerda Franco, 553 – Vila Madalena, São Paulo – SP, 05418-001

Todas as apresentações são gratuitas, não é necessário retirar ingresso e a classificação é livre.

 






Marcos Neves solicita interligação da estação e passarela da CPTM ao governador Geraldo Alckmin

Nesta quarta-feira (7), o governador Geraldo Alckmin inaugurou a ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto, que fica na divisa entre Carapicuíba e Barueri. Além disso, assinou o decreto de criação do 5º Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep), para melhorar a segurança das cidades da Região Oeste, inclusive Carapicuíba. Trata-se da tropa de elite da Polícia Militar.

“É a Rota fora de São Paulo. É o mesmo modelo de tropa de elite para a região. Teremos no batalhão 216 homens e duas mulheres, 47 viaturas grandes, fortemente armadas, para proteger a região”, ressalta o governador Geraldo Alckmin.

O prefeito Marcos Neves aproveitou a ocasião para solicitar a interligação da Estação do Centro da CPTM junto da implantação da passarela, para beneficiar a população de Carapicuíba, principalmente o acesso às faculdades: Estácio/FNC, Fatec/Etec e SESI.

“Quem acompanha nosso trabalho, sabe que essa é uma luta desde a época de deputado. Expliquei ao governador Geraldo Alckmin a necessidade dessa obra para facilitar a vida de milhares de carapicuibanos. Mostrei um vídeo e o projeto da obra para que ele visse a importância da passarela e fiquei esperançoso com o retorno do governador. Vou continuar batalhando, sem medir esforços para que nossa cidade seja beneficiada com a implantação da passarela da CPTM”, afirma o prefeito Marcos Neves.






Três finais de semana prolongados em abril e maio para viajar

Destinos Bourbon no Sudeste tem promoções especiais para os feriadões de Sexta-feira Santa/Páscoa, Tiradentes e Dia do Trabalhador

 

Para quem gosta de aproveitar os feriados para viajar, a Bourbon Hotéis & Resorts tem ótimos destinos no Sudeste do Brasil para curtir e descansar nos dias de folga. E, para a alegria dos viajantes, vêm aí três semanas seguidas com feriados, entre abril e maio: Sexta-feira Santa/Páscoa (14/04), Tiradentes (21/04) e Dia do Trabalhador (01/05). São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo são os estados que entram na lista com promoções especiais da Rede Bourbon. Na região dos hotéis, o melhor do turismo e da gastronomia está à disposição dos hóspedes.

 

Em São Paulo, os hóspedes podem conferir diversas atrações culinárias e conhecer locais famosos, como a Av. Paulista e o Parque do Ibirapuera. O Bourbon São Paulo tem tarifas a partir de R$ 171 para os feriados e o Bourbon Ibirapuera a partir de R$ 195. E para quem prefere uma região mais tranquila e no caminho para o interior de São Paulo, o Bourbon Alphaville tem tarifas a partir de R$ 198.

 

Para quem gosta de praias, as unidades do Rio de Janeiro e de Vitória, são as escolhas ideais. O Bourbon Barra tem tarifas a partir de R$ 259 e o Bourbon Vitória, mais nova unidade da Rede, tem diárias a partir de R$ 203.

 

Confira todas as opções de destinos e hotéis: http://www.bourbon.com.br/

 

Sobre a Rede Bourbon

Idealizada há mais de 50 anos pela família Vezozzo, a Bourbon Hotéis & Resorts consolida sua atuação no mercado da América Latina, como um grupo internacional e com opções para personalizar o atendimento aos hóspedes e clientes. Sob o comando de Alceu A. Vezozzo Filho, ela atende a todos os segmentos de hospedagem com um completo portfólio de categorias e marcas, classificadas de acordo com o perfil de cada empreendimento. Hoje, a Rede conta com uma unidade Be – Bourbon Exclusive (Buenos Aires – ARG), duas unidades na categoria Convention & Spa Resort (Atibaia – SP e Foz do Iguaçu – PR), três na Convention (Assunção – PY, Curitiba – PR e Ibirapuera – SP), quatro na categoria Business (Alphaville– SP, Joinville – SC, São José dos Pinhais e Londrina – PR), duas na categoria Residence (Rio de Janeiro – RJ e Vitória – ES), duas na Express (Cascavel – PR e São Paulo – SP)  e duas unidades de sua nova marca Rio Hotel by Bourbon (São José dos Pinhais e Curitiba/Batel – PR), totalizando 16 hotéis em operação. A Rede também expande seu trabalho de responsabilidade social e ambiental com o Instituto Bourbon, um programa de resgate social por meio da construção de moradias e escolas, em Cambará (PR). Mais informações sobre as marcas, categorias e ações da Rede no link www.bourbon.com.br/quem-somos/marcas.






GRUPO ESPARRAMA ESTREIA NOVA TEMPORADA DO TEATRO NA JANELA!

Foto: Sissy Eiko

Apesar da efervescência com as discussões sobre o fechamento do Minhocão (Elevado Presidente João Goulart) o Grupo Esparrama mantém suas atividades e estreia no dia 26 de março uma nova temporada de seu segundo espetáculo feito para o Teatro na Janela. Assim, o grupo joga luz sobre a questão da relação da população com a cidade e sobre a ocupação de espaços públicos através da arte.

 

MINHOCA NA CABEÇA PROPÕE REFLEXÃO SOBRE A NOSSA RELAÇÃO COM A CIDADE

No dia 26 de março, o Grupo Esparrama volta a apresentar o famoso teatro na janela com uma nova temporada de Minhoca na Cabeça, segunda obra feita especialmente para este local, que busca investigar a relação entre o público e o privado na construção de uma cidade mais justa. Neste espetáculo uma menina que acaba de chegar para morar na capital vive a contradição do medo e da vontade de sair para conhecer a rua. Ela faz novos amigos por aqui, mas precisa enfrentar os medos para desbravar a CIDADE.

O Grupo Esparrama formado por Kleber Brianez, Rani Guerra, Iarlei Rangel, Luciana Gandelini e Ligia Campos, desde novembro de 2013 promove importantes ações no Minhocão e seu entorno. É um dos principais agentes culturais da região e um dos grandes responsáveis pela “nova” ocupação deste espaço, atraindo famílias inteiras para assistir seus espetáculos e passar domingos diferentes. Com a intervenção cênica realizada na janela de um apartamento, o grupo convida o público passante para se aproximar e assistir a um inusitado espetáculo, a cerca de dez metros de distância, se acomodando nesse viaduto, que aos domingos é fechado para os carros e aberto para que a população ocupe de diversas formas.

Com o projeto NAVEGAR, contemplado na 29ª edição do Fomento ao Teatro, da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, edital atualmente ameaçado por conta do congelamento das verbas de cultura da cidade de São Paulo, o grupo vem promovendo oficinas, temporadas de apresentações e vem realizando expedições com crianças de diferentes “territórios”, para junto delas, pesquisar o imaginário infantil sobre a cidade. Essas crianças contribuirão para a criação de um novo espetáculo ao final do projeto.

Com o espetáculo Esparrama pela Janela, que estreou em 2013, o Grupo Esparrama atraiu os olhares da crítica especializada, da imprensa nacional, internacional e ganhou notoriedade. Com o projeto ainda sendo realizado de forma independente, foi contemplado com importantes prêmios do teatro: Prêmio FEMSA de Teatro Infantil e Jovem (Categoria Revelação – pela direção – e Prêmio Crystal Eco de Sustentabilidade) e o Prêmio da Cooperativa Paulista de Teatro, na categoria Melhor Ocupação de Espaço.

Em 2014 o grupo foi contemplado com o programa Rumos Itaú Cultural e em janeiro de 2015 deu início ao projeto Janelas do Minhocão, que contou com importantes ações de ocupação, como uma temporada com artistas convidados (Esparrama Amigos pela Janela), uma temporada do primeiro espetáculo (Esparrama pela Janela), ciclos de debates no Minhocão sobre arte e cidade e culminou com a criação de seu segundo espetáculo “Minhoca na Cabeça”. Para esse espetáculo o grupo contou com os atores convidados Gabi Zanola e Renato Ribeiro, integrantes da Trupe DuNavô, e Vinicius Ramos. Já em 2015, na segunda edição do Prêmio Zé Renato, o Grupo Esparrama foi contemplado e realizou temporadas de seus dois espetáculos feitos especialmente para o Minhocão: Esparrama pela Janela e Minhoca na Cabeça.

UMA JANELA COM VISTA PARA A CIDADE

Criada pelo diretor de arte e cenógrafo Jaime Pinheiro, a janela azul, virou uma das grandes marcas do teatro na janela. “A construção desta janela foi algo extremamente pensado. Ela possui ângulos na diagonal que atraem os olhares do público para o que está sendo apresentado. É através desta janela que se estabelece um universo fantástico, fazendo um contraponto com a janela ao lado, que no primeiro espetáculo apresentava a “realidade”. A cor e formato foram pensados para que dentre tantas janelas “comuns” que estão ao redor do Minhocão, esta em especial, significasse uma passagem para um outro universo. Um universo lúdico, cheio de imaginação e possibilidades. Por isso, ela tinha que se destacar”, comenta Jaime.

Segundo o diretor Iarlei Rangel, “Quisemos metaforicamente inverter a função da janela. Ao olhar para ela o público não está numa posição de voyer, espiando para o mundo privado de um apartamento. Pelo contrário pretendemos que ao olhar para ela, o público enxergue um recorte da Cidade.”

Por estar em um local privilegiado para poder ver diversos aspectos do crescimento desordenado e absurdo da cidade, a janela que fica em frente ao Elevado Presidente João Goulart, exatamente no centro da cidade, permitiu ao grupo criar uma fábula que faz uma reflexão divertida, mas bastante crítica, da relação que estabelecemos com uma cidade que nos assusta. A desumanização das relações, a violência, a identidade de gênero, a especulação imobiliária e a utopia são alguns dos assuntos tratados no espetáculo.

A discussão sobre o uso do Minhocão faz-se mais necessária neste momento em que a Prefeitura Regional da Sé, acaba de enviar uma proposta atendendo ao pedido do Ministério Público, restringindo o uso do Minhocão. O Grupo Esparrama prepara uma série de ações para convocar a população para o diálogo e participação nesta importante decisão.

Junto com o público, o Grupo Esparrama quer reafirmar a apropriação e utilização desse espaço como um local permanente de convívio com a arte, atuando também como forma de transformação social. “Pretendemos continuar transformando, trocando experiências e acima de tudo crescendo com essa troca! Ouvir, aprender e quem sabe multiplicar ações que modifiquem a vida dos moradores da região para melhor!”, diz Iarlei Rangel, diretor do Grupo Esparrama.

Mais informações e a programação completa, você encontra na página: facebook.com/esparrama

 

MINHOCA NA CABEÇA

Menina está de mudança! Ela saiu de uma cidade pequena, com muito espaço, e chegou numa cidade gigantesca, onde não cabe quase nada. Nos bairros não cabem praças, nas praças não cabem árvores, nas árvores não cabem crianças. O único lugar em que parece caber algo é em sua própria cabeça. Cabem suas brincadeiras, suas invenções, suas birras e seus sonhos. Tem até um espaço para o medo da cidade. E foi nesse espacinho que uma minhoca veio fazer morada. Não demorou e a minhoca folgada começou a ocupar muito espaço. Mas, para a sorte de Menina, seus atrapalhados amigos Haroldo e Heraldo aparecerão para ensinar novas formas fantásticas de ver essa cidade maluca e navegar por ela. Para acompanhá-los Menina terá de enfrentar seus medos e decidir o que fará com a minhoca na sua cabeça.

Temporada: de 26 de março a 23 de abril de 2017 – Horário: 16h00

Local: Minhocão (Elevado Presidente João Goulart) – altura do número 158 da Rua Amaral Gurgel – Acesso do público: Pelas alças de acesso do Minhocão no Metrô Santa Cecília ou da Rua da Consolação. Nestes pontos haverá sinalizações indicando o local da apresentação. No caso de chuva, o espetáculo não acontece.






Cia Ato Reverso transporta As Bruxas de Salém para os dias atuais com novo espetáculo

Foto: Guilherme Ruiz

Com uma trama que caminha pela obra As Bruxas de Salém, de Arthur Miller (1915–2005), e pela realidade incendiária diante da polarização política que divide o país, a Cia Ato Reverso estreia Abigail Williams, ou De onde surge o Ódio? no sábado, 25 de março às 20h no Tendal da Lapa. A direção é de Nathália Bonilha com dramaturgia de Vinicius Garcia Pires. A temporada vai até 16 de abril com sessões gratuitas sempre sábados, às 20h, e domingos, às 19h.

A peça, livremente inspirada na obra de Miller, conta a história de Abigail Williams, a adolescente que vive em um pequeno povoado protestante, onde as rígidas regras de convivência a impossibilitam de viver um amor e desenvolver-se plenamente como ser humano. A trama apresenta os caminhos contraditórios e complexos que levam Abigail ao poder. A jovem, oprimida por um fundamentalismo moral e religioso cego, consegue rachar o sistema e, amparada pelo fanatismo local, lidera um expurgo coletivo de caça às bruxas instaurada na cidade S-S, uma mistura de Salém e São Paulo.

O local transita entre a tradição e a modernidade, de tal modo que as vozes dos personagens de S-S partem das configurações rígidas da moral teocêntrica, como em Salém, mas se misturam às vozes ecoadas das mídias sociais e dos meios de comunicação de São Paulo, espaços em que nos últimos tempos observamos um aflorar de discursos de ódio.

“O espetáculo almeja questionar junto aos espectadores: De onde nasce o ódio? Como se propaga uma situação de ódio coletivizado? Quais são as bruxas que perseguimos hoje, com os discursos de ódio disseminados e pulverizados em nosso cotidiano? Como a sociedade em que vivemos permite e promove o extermínio de parte de nós mesmos? Por ser a principal líder das acusações, Abigail trilha um caminho de ascensão social. Ela poderia revolucionar a cidade, mas pelo contrário, Abigail adere à estrutura para fins pessoais, disparando uma série de acusações e condenações públicas. De figura excluída e estigmatizada, ela se torna a figura central das acusações, construindo uma voz que é praticamente inquestionável dentro da cidade, entendemos que problematizar essa reviravolta é da maior importância” fala a diretora e atriz Nathália Bonilha.

A encenação traz como elementos, a música ao vivo conduzida por cello, percussão e violão, o uso de projeções e um cenário que se transmuta em múltiplas configurações. As cenas acontecem em diversos ambientes, variando desde uma floresta até uma igreja evangélica, traçando um paralelo com o fundamentalismo do povoado protestante do século XVI. O processo da cia envolveu uma etapa de pesquisa com o antropólogo Ricardo Mariano, que investiga a expansão das igrejas evangélicas desde os anos 1980, em especial as neopentecostais, uma vez que o espetáculo intenciona problematizar a existência de discursos de ódio que se propagam atualmente por meio de discursos religiosos, políticos e virtuais.

“A montagem se faz como uma obra híbrida diante da transposição da peça As Bruxas de Salém, do Miller, para o presente e da consideração dos discursos de ódio proliferados nas mídias, especialmente redes sociais, atualmente. Toda a atmosfera de polarização instalada nos últimos tempos contribuiu para que se evidenciasse a identificação do que vem a ser a perseguição das bruxas em nosso tempo, e de como a prática do ódio continua operando na mesma lógica de eliminação do outro”, conta o ator Paulo Salvetti.

Tendo em vista o interesse pelo ponto de vista múltiplo, todas as atrizes interpretam a personagem Abigail, recurso que promove uma coralidade na composição variada da protagonista. Essa é uma característica da Cia Ato Reverso que já estava na montagem anterior Maria Inês ou o que você mata pra sobreviver?, que também permeava a questão da barbárie ao falar de violência doméstica e sobrevivência. Outro atributo levantado é o lugar do feminino, ao ser questionada a perspectiva da personagem Abigail Williams criada por Miller. Neste espetáculo, a trama é disparada pelas condições contraditórias da trajetória pessoal e social de Abigail Williams, mais do que pelo caso amoroso apresentado na obra de Miller – elemento responsável por boa parte do teor dramático da obra em questão. Elementos documentais também se somam à narrativa, numa intenção de friccionar os limites entre real e ficcional no espetáculo.

O texto A boçalidade do Mal, da jornalista Eliane Brum, foi um dos propulsores para a construção do clima que predomina em cena. “Os bárbaros não eram mais os outros, os de longe. Desta vez, eram os de perto, bem de perto, que queriam não apenas vencer, mas destruir o diferente ou o divergente, eu ou você. O bárbaro era um igual, o que torna tudo mais complicado. ” (Trecho do texto de Eliane Brum retirado do link https://goo.gl/63vsWb)

FICHA TÉCNICA:
Direção: Nathália Bonilha. Dramaturgia: Vinicius Garcia Pires. Elenco: Bárbara Lins, Daniel Aureliano, Luana Gregory, Lucas Oranmian, Nathália Bonilha e Paulo Salvetti. Direção musical: Isadora Titto. Músicos em cena: Eduardo Florence e Ana Clara Travassos. Orientação coreográfica: Rafael Sertori. Iluminação: Robson Lima. Cenário e Figurino: Clau Carmo. Cenotécnico: Alício Silva. Costureira: Iracema Belarmina. Alfaite: Di Raffaele. Ilustrador: Sérgio Segal. Designer gráfico: Alice Jardim. Criação de Vídeo: Igor Angelo. Produção: Ariane Cuminale e Paulo Salvetti.

SERVIÇO:
Centro Cultural Tendal da Lapa: Rua Constança, 72 – Água Branca – São Paulo. Telefone: 3862-1837. Temporada: De 25 de março a 16 de abril com sessões sempre sábados, às 20h, e domingos, às 19h. Classificação: 14. Capacidade: 75. Preço: gratuito