Editorial: música

Banda AL9 aposta na sonoridade rock anos 70 para versão ao vivo de ‘Ei, Susie’

O duo composto pelos irmãos Khouri lança nova interpretação da música nesta sexta-feira
(26), com direito a clipe no mesmo dia

Um gravador de rolo dos anos 1970 capta instrumentos de modelos clássicos, apreciados por
artistas como Jimmy Page, do Led Zeppelin, e Paul McCartney, dos Beatles. A sonoridade só
poderia resultar em rock. Os autores só poderiam ser AL9, duo composto pelos irmãos
Matheus e Thiago Khouri. Já a música, surpreendentemente, é a versão ao vivo de “Ei, Susie”,
último lançamento da dupla de jovens reconhecida Brasil afora. Seu novo lançamento nas
plataformas digitais será na sexta-feira (26), e o vídeo vai ao ar às 18h do mesmo dia, no
YouTube da banda.

Matheus, com uma Epiphone G-1275 Double Neck, a famosa “guitarra de dois braços” que
Page usava, e Thiago, com um Hofner 5000/1, mesma marca de baixo que o ex-Beatle usa até
hoje, transformam o country pop já conhecido de “Ei, Susie”, em uma versão rock’n’roll digna
de suas referências musicais. A sala da casa deles, sem móveis, com baixa iluminação e
algumas velas que dão o tom intimista, foi o cenário perfeito para a gravação.

“Nosso público gosta muito de nos ver apresentando ao vivo e essa é uma música que vem
chamando atenção, já que ultrapassou as 70 mil visualizações no Youtube em dois meses”,
relata Matheus. “As pessoas estão se identificando muito com esse single. Ele tem uma
mensagem que muitos precisam ouvir, principalmente nesse momento em que estamos
vivendo”, complementa Thiago.

Com uma mensagem positiva de incentivo à autoconfiança, a canção em sua nova roupagem
contou com a participação do baterista Caio Pimentel. O vídeo ficou por conta de Sérgio
Massa, que captou a energia e sensações da banda tocando organicamente, sem cortes. O duo
de cantores, que já tocou em rádios no México, Brasil, Chile, Argentina, Colômbia, El Salvador,
Costa Rica, Guatemala e Espanha, está pronto para apresentar mais uma interpretação
autoral, que só mostra como a AL9 está pronta para voltar aos palcos.

VEM ÁLBUM

Depois do EP “Isso É AL9”, lançado em 2019, e do álbum “Ao Vivo Em Estúdio”, liberado em
2020, a banda AL9 promete entregar um novo álbum em 2022 com 9 faixas escritas por eles
mesmos. A expectativa é de gravar alguns clipes e a promessa é de vários shows.

SERVIÇO

A versão ao vivo de “Ei, Susie” será lançada na sexta-feira (26), em todos os aplicativos de
música. O clipe vai ao ar no mesmo dia, às 18h, no canal do YouTube da banda.

+SOBRE AL9

A Banda AL9 é formada pelos irmãos Matheus Khouri, 23 anos, no vocal e na guitarra, e Thiago
Khouri, 21 anos, no vocal e no baixo. Os três primeiros singles, lançados em 2018, foram elogiados por Geoff Emerick, engenheiro de som dos Beatles na época. Os meninos já foram elogiados também pelo Silvio Brito, cantor Gilliard, pelo pessoal da banda Renato e Seus Blue Caps.

Em 2019, a banda lançou um EP com sete faixas autorais, chamado “Isso É AL9”, que foi
gravado no estúdio particular da banda, o AL9 Records.

O álbum atingiu mais de 220 mil streams no Spotify e toca em várias rádios do mundo, em
países como México, Brasil, Chile, Argentina, Colômbia, El Salvador, Costa Rica, Guatemala,
Espanha e outras.No mesmo ano, eles fizeram cinco shows no festival Abbey Road On The
River, no estado de Indiana, nos Estados Unidos. Um festival que junta as melhores bandas do
mundo e onde já se apresentou a lendária banda The Beach Boys. Os meninos também
participaram, no mesmo ano, do Santa Bárbara Rock Fest, em Santa Bárbara d´Oeste, SP, um
dos maiores festivais de Rock do Brasil. Além da Banda AL9, Plebe Rude, Camisa de Vênus,
Frejat e muitos outros tocaram.

No final de 2019, a banda lançou o clipe da primeira faixa do EP “Isso É AL9”, “Ela Me Ligou”,
que é um grande sucesso, viralizando em várias redes sociais. No facebook, o vídeo atingiu
mais de 1,9 milhões de visualizações, além de mais de 260 mil visualizações no YouTube. Já a
música ultrapassa os 100 mil streams no Spotify. Em 2020, os irmãos Khouri lançaram o álbum
“Ao Vivo Em Estúdio”, uma sessão ao vivo da banda em estúdio com alguns fãs que foram
sorteados para acompanhar. A gravação contou com as sete faixas autorais da banda e mais
duas versões de músicas que os inspiram e está disponível em todas as plataformas digitais. A
música “Ela Me Ligou (Ao vivo em estúdio)” entrou na Playlist “Pátria Rock Brasil” do Spotify, a
maior playlist de rock nacional oficial do Spotify.

No começo de 2021, lançaram o single “Keep Your Hands Off My Baby”, composição de Carole
King e Gerry Goffin, que entrou como faixa bônus do álbum “Ao Vivo Em Estúdio”. Além disso,
a banda criou recentemente um perfil no TikTok e já vem fazendo sucesso. A #BandaAL9 já
passou mais de 7 milhões de visualizações. Já em março, AL9 tocou no festival online Pedrada
At Home, dentre várias bandas de Rock no Brasil, os irmãos foram a grande revelação do
festival. Recentemente, lançaram o clipe da música “Eu Quero Navegar” e, no TikTok, a
#EuQueroNavegar já passou de 1 milhão de visualizações. AL9 também participou da Live do
Pedro Caxa, criador do jogo Camp Wars, uma das maiores do Brasil no TikTok. Recentemente,
Matheus e Thiago lançaram o single “Ei, Susie”, que já ultrapassa 70 mil visualizações no
YouTube em dois meses.

Apoio Pedagógico implementa formação de música para os professores de Arte

 Os professores de artes estão recebendo ampla formação sobre música

Todos os professores de artes da rede de ensino de Barueri estão passando por uma formação sobre música.

A organização do curso é do Departamento de Apoio Pedagógico, da Secretaria de Educação, e o objetivo é oferecer, nos meses de setembro e outubro, aos docentes que lecionam Arte, uma formação com a intencão de ampliar os conhecimentos, garantindo a oferta de uma educação de qualidade aos alunos da rede de Barueri.

Atendendo as propostas da BNCC (Base Nacional Comum Curricular), a música é considerada uma habilidade importante.

A formação é ministrada pela professora de música Debora Balmant e está sendo feita em pequenos grupos, por conta dos protocolos sanitários de prevenção à Covid-19.

As aulas são dinâmicas, com vídeos de apresentações instrumentais, atividades práticas e muita troca de experiências.

De acordo com a diretora do Departamento de Apoio Pedagógico, Tatiana Dias, “os professores que participam da formação estão demonstrando muito interesse”, avaliou.

Sol, música, caminhada, máscaras e álcool em gel marcaram a inauguração do Parque Linear

 População recebeu com alegria novo trecho do Parque Linear 

Muito sol, lazer, esportes, música, dança, máscaras e álcool em gel, tudo ao ar livre. A inauguração da primeira etapa do Parque Linear no último sábado, dia 21, pela manhã, veio coroar mais uma realização da Prefeitura de Barueri à população. 

 O secretário de Obras, Beto Piteri, disse que essa inauguração é a concretização do desejo não apenas dos dirigentes da Administração, mas da população. “E a gente vê hoje aqui, pelo movimento, pela aprovação das pessoas presentes, o quanto nós acertamos com mais essa obra”. 

Autoridades locais, como o prefeito Rubens Furlan, a deputada federal Bruna Furlan, vereadores e secretários, como o de Recursos Naturais e Meio Ambiente, Marco Antônio de Oliveira – o Bidu -, de Assistência e Desenvolvimento Social, Adriana Bueno Molina, de Segurança e Mobilidade Urbana, Regina Mesquita, de Educação, Celso Furlan, de Comunicação, Thazio Gomiero, de Cultura e Turismo, Jean Gaspar, e de Relações Institucionais, Mário Trimboli Junior marcaram presença no evento.

 A etapa do Parque Linear entregue no sábado fica em frente à nova praça da Vila Porto. É um trecho dos quatro quilômetros de extensão total do parque, que vai ampliar as opções para a prática de esportes, atividades de lazer ao ar livre e mais qualidade de vida para os moradores de Barueri. 

Para Beto Piteri, mais do que deixar a cidade bonita com áreas verdes e de lazer, essa inauguração “abre espaço para que a família barueriense possa utilizá-lo com mais qualidade de vida e saúde”. 

Um parque completo 

Além de pista de caminhada, o Parque é composto ainda de ciclovia, um grande playground, bicicletário e duas praças de ginástica. O local ainda é servido de estacionamento, bebedouros, lixeiras, mesas e bancos.  

Também está garantido o wi-fi gratuito Cidade Inteligente, câmeras de segurança para o constante monitoramento da Guarda Municipal, iluminação em led em todos os cantos para que o local possa ser usufruído também durante a noite com tranquilidade. 

O projeto do Parque Linear é assinado pelo renomado arquiteto e urbanista Benedito Abbud. Quando totalmente concluído, vai ocupar uma área total de 16.738,93 metros quadrados na margem esquerda do Rio Tietê.  Começa no Jardim dos Camargos, cruza a Vila Porto e o Jardim Tupanci, passa pelo Parque Dom José e termina no Parque da Juventude, no bairro Chácaras Marco, cujas obras também estão em ritmo acelerado. 

Aulas de música reforçam autoestima e aprendizagem de alunos em Barueri

Os estudantes da Emef Fioravante Barletta, do Jardim Silveira, estão radiantes ao frequentarem a escola, após o projeto de música e melodia ter sido colocado em prática. Tocar instrumentos, cantar e aprender mais sobre cânticos populares têm sido a rotina dos alunos (crianças e adolescentes) do professor de música e maestro Nei Silva.  

As aulas especiais, que incluem canto, tocar instrumentos e a prática de exercícios lúdicos e dinâmicos, estão colaborando muito na cooperação e proatividade entre os alunos. De acordo com os gestores e professores da unidade de ensino, a iniciativa também está reforçando o sentimento de grupo e uma maior interação, mesmo entre os mais tímidos. 

O projeto envolve os estudantes do primeiro ao nono ano e propõe repertório de música vocal e instrumental, com canções desde a Idade Média até os dias atuais. A proposta ainda resgata músicas de raízes, conta a história dos povos indígena e africano e estuda a sua influência no Brasil. 

De acordo com o professor Nei Silva, o projeto é realizado durante as aulas e também nos contraturnos. “É emocionante poder ver um resultado tão incrível e o envolvimento dos alunos com a música. O resultado tem nos deixado muito felizes”, contou. 

Para a diretora Tatiana Bisachi, a iniciativa apresenta uma cultura folclórica e ajuda os alunos tanto na disciplina como na organização. “Eles estão desenvolvendo aptidão musical antes não conhecida”, destacou.

Prefeitura realiza parceria para aulas de música e atividades complementares

A Prefeitura de Carapicuíba, em parceria com a Associação Foco Arte e Desenvolvimento, oferece 90 vagas para aulas de música (violão) e atividades complementares (jiu-jitsu e inglês) para meninos de 6 a 12 anos, matriculados na rede pública de ensino.

As inscrições começam na sexta-feira, dia 12, das 9h às 16h, na Secretaria de Cultura e Turismo (Av. Presidente Vargas, 280, Vila Caldas). É necessário levar original e copia dos documentos: RG e CPF do responsável, Certidão de Nascimento ou RG da criança, comprovante de endereço, três fotos 3×4 e declaração escolar.

Os alunos serão divididos em duas turmas, sendo 45 em cada uma delas. As aulas ocorrerão todas as segundas e quartas-feiras, nos períodos matutino e vespertino, na IBM Alphaville. Será disponibilizado transporte gratuito para os alunos até o local, com pontos de encontro no Teatro FUCA – Vila Cretti e no Ginásio Ayrton Senna – Cohab V.

As aulas começam no dia 29 de janeiro, contudo, será realizada uma aula inaugural no dia 27, que contará com a presença de um responsável por cada aluno. O transporte gratuito também será disponibilizado neste dia. Vale destacar ainda que durante o horário de aula, os alunos receberão um lanche.

Mais informações podem ser obtidas através do telefone 4164-5413.






Depois de anunciar patrocínio do Wacken Foundation, Uganga é confirmado como atração do Goiânia Noise Festival

Em mais de 20 anos de carreira, o Uganga lançou cinco álbuns – alguns licenciados no exterior –, fez duas turnês pela Europa, centenas de shows por quase todas as regiões do Brasil e mais recentemente lançou seu primeiro DVD. Boa parte dessas produções do Uganga, sejam projetos de gravação ou circulação, têm recebido incentivo através de políticas públicas de cultura, comprovando a relevância do trabalho da banda, seja em seu sentido artístico/subjetivo ou social.

 

Às vésperas de entrar em estúdio para dar início às gravações de seu próximo álbum, o grupo recebeu a notícia de que será mais uma vez patrocinado por um programa de apoio à cultura, dessa vez um internacional, o Wacken Foundation.

 

O Wacken Foundation é uma organização alemã sem fins lucrativos criada para apoiar projetos de hard rock e heavy metal de todas as partes do mundo. A organização foi idealizada em 2008 pelos produtores do Wacken Open Air (W:O:A), o maior festival de hard rock e heavy metal do planeta, e tem a missão de manter ativa a produção criativa nesse segmento e estimular novas bandas e projetos. Desde 2010 o Wacken Foundation passou a fazer contribuições em Euros para projetos de gravações de discos, turnês e até mesmo festivais. Os projetos podem ser enviados durante todo o ano e uma comissão de curadores avaliam os mais relevantes que virão a receber o apoio. A vocalista alemã Doro Pesch figura entre a equipe de curadores. Entre os doadores estão nomes como o de Alice Cooper que fez recentemente uma doação de US$ 10 mil à fundação.

 

Prevendo o início das gravações de seu novo disco de estúdio para o segundo semestre, o Uganga apresentou um projeto ao Wacken Foundation no começo desse ano e foi contemplado com uma soma em Euros que vai ajudar a financiar a produção. O grupo mineiro é a segunda banda brasileira a ser patrocinada pelo Wacken Foundation.

“A parceria com o Wacken Foundation foi mais uma vitória da banda e equipe à custa de muito suor, estrada, planejamento e amor à camisa” – declarou o vocalista Manu Joker.

 

Se a notícia do patrocínio do Wacken Foundation não bastasse para levar às alturas a adrenalina dos músicos antes de entrarem em estúdio, o Uganga também foi confirmado como uma das atrações do Goiânia Noise, um dos mais importantes festivais de música independente do Brasil e que esse ano chega a sua 23ª edição, sendo realizado de 18 a 20 de Agosto no Jaó Music Hall na capital do estado de Goiás. O Uganga toca na primeira noite, dia 18, e dividirão o palco com Camisa de Vênus, Project46, Canábicos, Mice Mob, Bob Malmstrom entre outros.

Além da apresentação no Goiânia Noise Festival, o Uganga também já está escalado para se apresentar em outros dois festivais esse ano, o Timbre Music em Uberlândia/MG e o Rural Fest Open Air em Lagamar/MG, ambos em Outubro.

 

Entre outras novidades, “Manifesto Cerrado”, o primeiro DVD do Uganga que celebra os 20 anos de carreira do grupo, já está disponível no Youtube. O projeto reúne um documentário de longa-metragem que conta a história da banda e um show inédito realizado na histórica estação ferroviária Stevenson em Araguari/MG.
Assista online o documentário: https://youtu.be/FLgcH9dN-OQ
Assista também o show na estação ferroviária Stevenson: https://youtu.be/vMtQBqmoNrM
“Manifesto Cerrado” foi financiado pelo Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PMIC) de Araguari. O Uganga decidiu disponibilizar o material online e gratuitamente como uma forma de ampliar e democratizar o acesso. A versão física do DVD com lançamento pela Sapólio Rádio estará disponível no mês de Agosto.

Mais Informações: 
www.uganga.com.br
www.facebook.com/ugangaband
www.youtube.com/ugangamg
www.twitter.com/uganga
www.wacken-foundation.com
www.sapolioradio.com.br






Renato Teixeira dá o tom do Sr. Brasil deste domingo (13/8)

O apresentador Rolando Boldrin também recebe o músico José Ricardo no programa que vai ao ar às 10h, na TV Cultura e no YouTube

 Para abrir a edição do Sr. Brasil deste domingo (13/8), Rolandro Boldrin foi buscar inspiração para seu causo no poeta Paulo Bonfim. São também destaques do programa os artistas Renato Teixeira e José Ricardo, que comentam suas trajetórias no ramo musical, além de apresentarem algumas de suas composições. A atração será exibida às 10h, na TV Cultura e no YouTube.

Considerado um dos ícones da música brasileira, Renato Teixeira é autor de conhecidas canções, como Romaria, grande sucesso na voz de Elis Regina; Tocando em Frente, em parceria com Almir Sater; e Amanheceu, Peguei a Viola. Nascido em Santos/SP e criado no interior paulista, Renato Teixeira está na estrada há mais de 45 anos e já gravou 22 álbuns, além de participações especiais e coletâneas. Ao lado de Rolando Boldrin, ele comenta sua trajetória.

Outro convidado da atração é o cantor paraibano José Ricardo. Ele apresenta as músicas Oração de São Francisco e Casa de Taipa, além de contar sua história.






Canábicos: banda será uma das atrações do Goiânia Noise Festival

O grupo mineiro se apresenta no dia 18/08 ao lado de Camisa de Vênus, Project 46 e Uganga

 

Entre as bandas do triângulo mineiro, os Canábicos, de Araguari, são certamente uma das mais produtivas e criativas. O grupo é liderado pelo guitarrista Murcego González (também integrante do Uganga) e pelo vocalista Clandestino – os dois já haviam tocado juntos na banda Anil.

Formada em 2013, os Canábicos, que ainda contam com Mestre Mustafá na bateria e o baixista MM, lançaram três discos em três anos: “La Bomba” (2013), “Reféns da Pátria” (2014) e “Alienígenas” (2015).

Seu novo disco, intitulado “Intenso”, foi gravado logo depois que os Canábicos venceram o Fun Music, maior festival universitário de música do Brasil! Recém-lançado pela Monstro Discos, “Intenso” também já soma elogios na imprensa especializada:

 

“(…) um dos melhores discos do ano” – Música e Cinema

 

“(…) deliciosamente provocante e envolvente… “Intenso” é um puta disco!” – Metal Samsara

 

“Com tantas qualidades, “Intenso” prova que é possível ser acessível sem ser comercial e coloca o Canábicos como um dos nomes interessantes do cenário nacional.” – Blog Na Mira

 

“Se ainda existe criatividade no rock nacional, o Canábicos está entre uma das melhores cabeças…” – Rumors Mag

 

“Temos enfurecidos riffs de guitarra, tocados de maneira tecnicamente admirável, acompanhados por uma cozinha sólida e um vocalista simplesmente demencial no seu carisma e poder de fogo.” – Mondo Pop

 

“(…) criatividade acima do comum. Todos os instrumentistas fizeram um trabalho impecável…” – With Every Tear A Dream

 

“(…) a banda é capaz de transformar suas influências em identidade própria, convergindo-as para um ponto conciso, imprevisível e envolvente.” – Gaveta de Bagunça

 

Os resultados também estão surgindo em termos de datas de shows. Os Canábicos iniciaram em Junho a turnê em divulgação a “Intenso” que já soma sete shows em três estados.

Entre as datas, destaque para a apresentação do grupo no Goiânia Noise, um dos mais importantes festivais de música independente do Brasil e que esse ano chega a sua 23ª edição, sendo realizado de 18 a 20 de Agosto no Jaó Music Hall na capital do estado de Goiás. Os Canábicos tocam na primeira noite, dia 18, e dividirão o palco com Camisa de Vênus, Project46, Uganga, Mice Mob, Bob Malmstrom entre outros.

Além da apresentação no Goiânia Noise Festival, os Canábicos também se apresentam no próximo dia 15/08 no Sarau Confraria das Artes (junto com Kiko Zambianchi) em Uberaba/MG e no dia 29/09 na Toca do Jack em Ribeirão Preto/SP.

“Intenso”, dos Canábicos, já está disponível em todas as principais plataformas digitais:

Spotify – http://spoti.fi/2qe8Tva

Deezer – http://bit.ly/2poZwFY

iTunes – http://apple.co/2oEtVTy

Amazon – http://amzn.to/2qmI849

Google Play – http://bit.ly/2ptumPL

Youtube – http://bit.ly/2oEFqdC

 

Um videoclipe da faixa “Planeta Estranho” também está disponível no canal oficial da Monstro Discos no Youtube:https://youtu.be/sC2BqtBY9g0

 

Mais Informações:

www.canabicos.com.br

www.facebook.com/oscanabicos

www.instagram.com/canabicos
www.twitter.com/canabicoss

www.monstrodiscos.com.br






PLURAL – FESTIVAL DA DIVERSIDADE ACONTECE EM ARAÇATUBA

Maior evento de promoção de manifestações artístico-culturais LGBT do interior do Estado de São Paulo apresenta um recorte de mapeamento da produção artística com a temática da diversidade sexual e de gênero no Brasil. Na programação, destaque para os shows de Karol Conka, As Bahias e a Cozinha Mineira e #NãoRecomendados, além da exposição Cotidiano Plural, criada especialmente para o evento pelo Museu da Diversidade Sexual de São Paulo e os espetáculos Dizer e Não Pedir Segredo, O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu e repertório da Selvática Ações Artísticas

 

 

Apresentar um panorama diversificado da produção artística LGBT com grandes nomes brasileiros da cena cultural contemporânea é a proposta do PLURAL – FESTIVAL DA DIVERSIDADE que é realizado, pela terceira vez, na cidade de Araçatuba, localizada no noroeste do Estado de São Paulo. O evento acontece de 15 a 20 de agosto, em 18 espaços diferentes, por meio de 48 ações, e será espaço de troca, compartilhamento de ideias, fortalecimento de movimentos, vozes, corpos e discursos.

 

Com idealização e curadoria de Fernando Fado, o PLURAL – FESTIVAL DA DIVERSIDADE foi contemplado pelo Concurso de Apoio a Projetos de Festivais de Artes II no estado de São Paulo, do ProAC – Programação de Ação Cultural, e é realizado pelo Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura e Prefeitura Municipal de Araçatuba, por meio das Secretarias Municipais de Cultura, Turismo e Participação Cidadã. O festival promove, durante seis dias, atividades de formação e difusão – sempre com ingressos gratuitos, com exceção da Festa Plural –, que centralizem a questão da diversidade sexual e discutam a identidade de gênero.

 

O evento tem início com o show da banda #NãoRecomendados (dia 15 de agosto, terça-feira, às 20h, no Teatro Municipal Castro Alves). Formado por três inquietos compositores-intérpretes – Caio Prado, Daniel Chaudon e Diego Moraes, o grupo questiona, provoca e transforma os padrões comportamentais e viciados da sociedade. Além do sucesso Não Recomendado, o show traz outras canções autorais e releituras de clássicos que vão de Caetano e Gil a Alexandre Pires e Cheiro de Amor.

 

Bienal e multilinguagem

Realizado em 2014 e 2016 com o nome de SIM – Semana da Diversidade Sexual de Araçatuba, o PLURAL – FESTIVAL DE CULTURA DA DIVERSIDADE passa a ser, a partir de 2017, bienal e de multilinguagem tendo como espinha dorsal a questão LGBT e suas intersecções com outras pautas e minorias.

 

Para Fernando Fado, com um novo e diferente formato, o festival traz em seu cerne a discussão da identidade de gênero e sexualidade, e passa a abranger mais linguagens artístico-culturais. “Após duas edições, o Plural demonstra que este é um modelo a ser multiplicado em outras cidades. Tivemos a experiência de como isso impacta uma sociedade e dá voz a uma população, refletindo em educação, saúde e trabalho. É exercício pleno de responsabilidade social, por meio da Cultura”, comemora o curador.

 

Igualdade

Araçatuba é a segunda maior cidade do Oeste Paulista. Com aproximadamente 200 mil habitantes, sua economia gira em torno da agropecuária e indústria. Na educação, possui dezenas de escolas públicas e particulares, quatro faculdades privadas e um campus da UNESP – Universidade Estadual Paulista, caracterizando-se também como polo universitário.

 

Segundo o curador, o novo formato do festival aprofunda a questão de gênero, tão pouco debatida nas cidades distantes dos grandes centros.“Antes de tudo, é preciso discorrer sobre os conceitos de masculino e feminino. É do sexismo que nasce o preconceito, presente, inclusive, na própria comunidade LGBT. Trabalhamos para que Araçatuba seja palco e sinônimo de igualdade. É dedicação na geografia local, de olho na reverberação global”, afirma Fernando Fado.

 

Os destaques da programação

Com 10 shows musicais, sete espetáculos de teatro, dois espetáculos de dança, exibição de filmes, performances, intervenções, exposição e ações formativas (mesas e debates), o PLURAL – FESTIVAL DA DIVERSIDADE leva para o noroeste paulista grandes nomes da cena cultural contemporânea.

 

Uma das apostas do evento é o show da cantora Karol Conka, que conquistou o Brasil, causando na sociedade com um hit após o outro, comoTombeiÉ o PoderBoa Noite e Lalá. A artista é a voz de uma geração livre, diversa e que é o que quiser ser.

 

Outro destaque da programação, o espetáculo O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu, da dramaturga britânica Jo Clifford, reconta, no contexto contemporâneo, histórias bíblicas conhecidas, em um monólogo que traz Jesus ao tempo presente, na pele de uma travesti. Já o grupo Salvática Ações Artísticas, de Curitiba (PR) apresenta cinco espetáculos diferentes do repertório.

 

O cinema também marca presença com a exibição de curtas-metragens de cinco festivais brasileiros –  Mix Brasil (São Paulo/SP), For Rainbow (Fortaleza/CE), SANSEX (Santos/SP), DIGO (Goiânia/GO) e MoDive-Se (Campinas/SP) – que possuem o cinema LGBT como espinha dorsal de suas programações.

 

SERVIÇO:

 

PLURAL – FESTIVAL DA DIVERSIDADE

De 15 a 20 de agosto em vários locais da cidade de Araçatuba.

 

Direção Geral e Artística e Coordenador de Produção – Fernando Fado. Produção Geral – Caíque Teruel e Giulia Sorpilli. Assistentes de Produção – Estéfani Abiáquila, Julio Benedito, Ludmila Lopes, Mariana Barbosa e Otávio Almeida. Coordenação Administrativo-Financeira – Alexandre Melinsky e Fernando Fado. Designer Gráfico – Betinho Neto. Site – Bruno Italo. Vídeo – Lalucci Filmes. Fotografia Ensaio Plural – João T.K. Fotografia Festival – João T. K. e Mariane Strabelli. Curadoria de Atividades Formativas – Magô Tonhon. Redes Sociais – Felipe Saab, Fernando Fado e Giulia Sorpilli. Voluntárixs – Daruana Alves, Denise Vaz, Erik Prodossimo, Fernanda De Grandi, Flávia Santiago, Gabriela Reis, Geovanna Leite, Gra David, Gustavo Sato de Paula, Helen Karina, Igor Palmieri, Janaina Gaiarin, Larissa Ruffato de Angeles, Lucas Puertas, Nayra Herrera, Paulo Vitor Miranda, Rafael Bertolucci, Rafaela Graton, Stephanie Cavalcante e Wendy Warhol. Realização – Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura, ProAC – Programa de Ação Cultural e Prefeitura Municipal de Araçatuba. Apoio – Sesc SP, APAA (Associação Paulista dos Amigos da Arte), Museu da Diversidade Sexual e Circuito Cultural Paulista.

 

Informações – (18) 99769-6852 e zonaplrl@gmail.com

Facebook e Instagram: @zonaplural

 

Atividades apresentadas ao ar livre poderão ser alteradas ou canceladas em caso de variações climáticas que prejudiquem sua execução.

 

Locais das apresentações:

 

MAAP – Museu Araçatubense de Artes Plásticas – Rua Duque de Caxias, 29 – Centro

 

Teatro Municipal Castro Alves – Rua Duque de Caxias, 29 – Centro – (18) 3607-6611

 

Teatro Municipal Paulo Alcides Jorge – Rua Armando Sales de Oliveira, s/nº – Bairro das Bandeiras – (18) 3620-6514

 

Museu do Ferroviário Moisés Joaquim Rodrigues – Rua Joaquim Nabuco, 125/135 – Centro

 

Oficina de Macacos Espaço Cultural –Rua Santos Dumont, 66 – Higienópolis

 

Centro Cultural Um e Outro – Rua Alexandre Fleming, 48 – Vila Nova

 

Espaço Cultural Fábrica da Arte – Rua Marco Manfrinatti, 2147 – Iporã (próximo a Nestlé)

 

Praça João Pessoa – Centro

 

Praça Alan Kardec – Jardim Planalto

 

Praça Da Paz – Bairro Sr. Antônio Villela Silva (em frente a Rua Francisco Jorge Guimarães)

 

Praça João Batista Botelho – Bairro Pinheiros (altura da rua Luiz Celone Ortiz, 32 e próximo a rua dos Fundadores)

 

Terminal Rodoviário Urbano – (próximo a rua Joaquim Nabuco, 210) – Centro

 

Calçadão – Altura da rua Marechal Deodoro, 64 – Centro

 

Rodoviária de Araçatuba – Avenida Brasília, s/nº – Vila São Paulo

 

Shopping Praça Nova – Rua Carlos Pereira da Silva, 6000 – Guanabara

 

Senac Araçatuba (Prédio do Colégio Extensão) – Rua Antônio Gomes do Amaral, 299 – Santana

PROGRAMAÇÃO

 

TEATRO

 

RÉQUIEM PARA UM RAPAZ TRISTE | Rodolfo Lima (São Paulo/SP)

 

Alice, inspirada nas personagens femininas do autor Caio Fernando Abreu, é uma quarentona solitária e dependente de cigarros. Em cena, divaga com o público sobre a vida e suas escolhas. Interpretação e Adaptação – Rodolfo LIma | Direção – Ivania Davi.

 

Dia 15, terça-feira, às 23 horas | Oficina de Macacos Espaço Cultural | Duração: 60 minutos | Classificação etária: 16 anos | Capacidade: 30 lugares | Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do local.

 

 

DIZER E NÃO PEDIR SEGREDO | Teatro Kunyn (São Paulo/SP)

 

Um mergulho no universo da homossexualidade masculina no Brasil, sob uma perspectiva histórico-social. Busca a construção de uma identidade gay em paralelo a uma identidade brasileira. O texto, criado de forma colaborativa pelo diretor Luiz Fernando Marques e os atores Luiz Gustavo Jahjah, Paulo Arcuri e Ronaldo Serruya, embaralha os tempos, vai e volta cronologicamente, e constrói, numa linha evolutiva, um olhar sobre o desejo. Criação, Pesquisa e Dramaturgia – Ivan Kraut, Luiz Gustavo Jahjah, Luiz Fernando Marques, Paulo Arcuri e Ronaldo Serruya | Direção – Luiz Fernando Marques | Elenco – Luiz Gustavo Jahjah, Paulo Arcuri e Ronaldo Serruya.

 

Dia 16, quarta-feira, às 22 horas | Oficina de Macacos Espaço Cultural | Duração: 110 minutos | Classificação etária: 16 anos | Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do local | Capacidade: 30 lugares.

 

 

O EVANGELHO SEGUNDO JESES, RAINHA DO CÉU | Renata Carvalho (São Paulo/SP)

 

O texto da britânica Jo Clifford, que ganhou tradução e direção de Natalia Mallo, reconta, no contexto contemporâneo, histórias bíblicas conhecidas, em um monólogo que traz Jesus ao tempo presente, na pele de uma travesti. Ao expor problemas sociais e tratar de amor, perdão e aceitação, o espetáculo reflete a opressão e a intolerância sofridas pela população trans e minorias em geral. Dramaturgia – Jo Clifford | Direção – Natalia Mallo | Interpretação – Renata Carvalho.

 

Dia 17, quinta-feira, às 20 horas | Teatro Municipal Paulo Alcides Jorge | Duração: 60 minutos | Classificação etária: 18 anos | Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do local | Capacidade: 200 lugares.

 

 

AS TETAS DE TIRÉSIAS – POR ONDE ANDARÁ NANI ASHLEY? | Selvática Ações Artísticas (Curitiba/PR)

 

Na solidão do deserto, revela-se um território que já foi um profundo oceano. Paisagem desprovida de tons verdes, vivos e férteis, onde duas vedetes sumidas, no auge de seus estrelatos, rememoram o cibercangaço de Maria Bonita e fazem o sertão virar mar. Entre as cenas, quase desistem, mas irão continuar beckettianamente com toda a morfina do mundo! Roteiro – Ricardo Nolasco (a partir da obra homônima de Guillaume Apollinaire) | Direção – Gabriel Machado e Ricardo Nolasco | Elenco – Leonarda Glück e Patricia Cipriano.

 

Dia 17, quinta-feira, às 22 horas | Teatro Municipal Castro Alves | Duração: 60 minutos | Classificação etária: 16 anos | Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do local | Capacidade: 40 lugares.

 

 

CERIMÔNIA DO ADEUS | Rodolfo Lima (São Paulo/SP)

 

A personagem Alice, do espetáculo Réquiem para um Rapaz Triste, volta para casa depois de uma noitada. Alguma coisa mudou em sua realidade? Interpretação, Dramaturgia e Direção – Rodolfo Lima.

 

Dia 17,quinta-feira, às 23h30 | Oficina de Macacos Espaço Cultural | Duração: 50 minutos | Classificação etária: 16 anos | Capacidade: 30 lugares | Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do local.

 

 

MOMO: PARA GILDA COM ARDOR | Selvática Ações Artísticas (Curitiba/PR)

 

Pés marcados no cimento quase duro de uma política de revitalização. No corpo do performer, entrelaçam-se mitologias, memórias, percursos, vidas e acontecimentos. É um recipiente alquímico – encruzilhada – lápide sacrificial. Carta-manifesto, psicomagia, rito jocoso carregados de sarcasmo e ironia. Um espetáculo bufo. Uma tragédia pós e pré-dramática. Uma opereta work in progress xamã. Gilda é puro jazz!

Concepção e Performance – Ricardo Nolasco | Criadores – Daniela Passarinho, Márcio Mattana, Luciano Faccini, Melina Mulazani, Marina Viana, Leonarda Glück, Thiago Bezerra Benites, Núcleo O Estábulo de Luxo e Coletivo Casa Selvática.

 

Dia 18, sexta-feira, às 20 horas | Teatro Municipal Castro Alves | Duração: 90 minutos | Classificação etária: 18 anos | Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do local | Capacidade: 40 lugares.

 

 

AMÉM | Cia Teatral Um e Outro (Araçatuba/SP)

 

Clara é uma pastora impostora, fundadora de uma nova igreja. Sua infância foi marcada por um padrasto fundamentalista que tatuou para sempre na pele da enteada a aversão pelas atrocidades que o ser humano é capaz de cometer em nome de Deus. Através de uma pregação fragmentada e pouco ortodoxa, traz à tona reflexões ácidas e irônicas sobre diversidade, hipocrisia e fé cega. Atuação – Cia Teatral Um e Outro | Direção – Alexandre Melinsky | Dramaturgia – Laerte Silva Junior.

 

Dias 18 e 19, sexta-feira e sábado, às 23h30 | Centro Cultural Um e Outro | Duração: 75 minutos | Classificação etária: 18 anos | Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do local | Capacidade: 90 lugares.

 

 

DANÇA

 

 

UM | Maurício Florez (Colômbia)

 

“UM” é uma criatura caótica e subversiva, com potência de metamorfose, que estuda a diversidade que existe na intimidade de cada singularidade. É corpo misterioso, indeterminado e caricato que se esconde para melhor ser visto e explicitar como, de perto, somos todos estranhos. Direção e Interpretação – Maurício Florez.

 

Dia 16, quarta-feira, às 20 horas | Teatro Municipal Castro Alves | Duração: 45 minutos | Classificação etária: 16 anos | Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do local | Capacidade: 100 lugares.

 

 

DA RAZÃO DO VERMELHO | Projeto Uma Vida Positiva (São Paulo/SP)

 

Aceitar seus limites, sua condição física, seu diagnóstico, suas escolhas na vida. Aceitar o outro com suas feridas. Aceitar as regras sociais impostas. Adaptar-se, se expor ou esconder? A busca pelo íntimo e o pessoal. Inversão de papéis, inquietações, medos e angústias sendo revisitadas e trabalhadas para a exposição árdua do dia a dia contemporâneo. Palavras, sons e silêncios caminham entre as cenas e movimentos. Coreografia – Edson Fernandes | Elenco – Rafael Bolacha, Gisele Silva e Gabriel Cardoso.

 

Dia 19, sábado, às 22h30 | Teatro Municipal Castro Alves | Duração: 40 minutos | Classificação etária: 16 anos | Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do local | Capacidade: 100 lugares.

 

 

PERFORMANCE

 

NO DOCUMENTO É HOMEM, MAS APARENTA SER MULHER | Selvática Ações Artísticas (Curitiba/PR)

 

Atenção: os documentos do PAX estão como homem, porém ele tem aparência de mulher. Favor, não causar constrangimento ao PAX. “Costumam chamar de Leo ou Leonarda”, foi o que leu, já sem conseguir respirar direito, a transex asmática e periférica da Fazendinha – a sua roça iluminada –, em sua conta de hotel em São Paulo, a locomotiva do país, onde o amor tem cara de fumaça tóxica. Talvez fosse feliz no mato ou no morro, pensou sorrindo, e acendeu um cigarro, como se fumando apagasse o PAX tão tortuoso em seu papel social. Criação e Performance – Leonarda Glück.

 

Dia 16, quarta-feira, às 23 horas | Teatro Municipal Paulo Alcides Jorge | Duração: 20 minutos | Classificação etária: 16 anos | Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do local | Capacidade: 100 lugares.

 

 

COÁGULO | Selvática Ações Artísticas (Curitiba/PR)

 

O primeiro espetáculo da pesquisa que o artista Gabriel Machado tem denominado “em busca de uma estética do exagero”​. ​A busca por um corpo em estado de transbordamento. Uma dança escracho, artifício extremado, dança viada, dança de gordinho andedan, superbicha. Criação e Performance – Gabriel Machado. Orientação – Juliana Adur. Interlocução – Tuca Pinheiro e Dudude Hermmann.

 

Dia 16, quarta-feira, às 23h30 | Teatro Municipal Paulo Alcides Jorge | Duração: 30 minutos | Classificação etária: Livre | Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do local | Capacidade: 100 lugares.

 

 

PUTO! | G.A.L. – Grupo de Apoio à Loucura (São José do Rio Preto/SP)

 

Um espetáculo performático-musical-poético que evoca o poder da homossexualidade em forma de manifesto e provocação. Como um “documentário cênico”, dramaturgia e encenação são criadas a partir de depoimentos reais.

 

Dia 20, domingo, às 16 horas | Teatro Municipal Castro Alves | Duração: 55 minutos | Classificação etária: 16 anos | Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do local | Capacidade: 100 lugares.

 

 

ARTES VISUAIS

 

EXPOSIÇÃO PLURAL

 

O Museu da Diversidade Sexual é o primeiro equipamento cultural da América Latina relacionado à temática, vinculado à Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. Nesta exposição, composta por obras de artistas de diferentes localidades e perspectivas, apresenta o cotidiano LGBT enquanto performatividade, seja por resistência, enfrentamento ou ressignificação de opressões diárias.

 

Dia 15, terça-feira, às 19 horas (abertura) | De 16 a 31, segunda a sexta-feira, das 9 às 17 horas (dias 16, 17 e 18, das 9 às 22 horas e nos dias 19 e 20, das 10 às 18 horas) | MAAP – Museu Araçatubense de Artes Plásticas | Classificação etária: Livre | Grátis.

INTERVENÇÕES

 

DESGUSTAÇÃO | Leonardo Vinicius Fabiano

 

Um vômito de pedido de socorro, de basta às verborragias virtuais inconsequentes e intolerantes. Traz para o corpo, para o material e para o tátil, a sensação de incapacidade e de insuficiência diante da violência sofrida pela população LGBT.

 

Dia 15, terça-feira, às 16 horas | Rodoviária de Araçatuba | Dia 15, terça-feira, às 19 horas | Entrada do Teatro Municipal Castro Alves | Dia 16, quarta-feira, às 7 horas | Terminal Rodoviário Urbano | Duração: 30 minutos | Classificação etária: Livre.

 

 

TEMPORADA DE CAÇA | Heitor Gomes

 

Quando a temporada de caça tem início, somente alguns animais e homens estão seguros, enquanto outros são perseguidos, agredidos, mutilados, assassinados. Um homem comum, assim como todo homem comum, espera que algo aconteça. Será amor ou morte?

 

Dia 17, quinta-feira, às 15 horas | Terminal Rodoviário Urbano | Dia 19, sábado, às 10 horas | Calcadão da Rua Marechal Deodoro | Duração: 240 minutos | Classificação etária: Livre.

 

 

VIA CRUCIS | Heitor Gomes e Rodrigo Santiago

 

Dois homens caminham de mãos dadas pelas vias da cidade. Enfrentam, juntos, possíveis demonstrações de repúdio ou apoio daqueles que os encontrarem durante o percurso.

 

Dia 18, sexta-feira, às 14 horas | Ponto de Partida: Rodoviária de Araçatuba | Duração: 120 minutos | Classificação etária: Livre.

 

 

TODA RAIZ TEM UM POUCO DE SENZALA | Companhia Viela de Danças Urbanas

 

A figura do opressor em um espaço de oprimidos: sequelas deixadas por um passado que assombra o dia a dia desses bailarinos-corpos em cena presentes. Feridas são expostas e a invisibilidade é o mote de gritos de liberdade.

 

Dia 19, sábado, às 14 horas | Shopping Praça Nova | Duração: 60 minutos | Classificação etária: Livre.

 

 

CINEMA

 

SESSÃO SANSEX | Mostra da Cultura da Diversidade Sexual (SP)

 

Realizado em Santos, idealizado e dirigido pelos produtores culturais Luiz Fernando Almeida e Ricardo Vasconcellos, o festival completou seis anos de atividades em 2017, trazendo na bagagem a difusão de 80 filmes, 20 peças de teatro, seis exposições, além de inúmeros debates, lançamentos de livros, festas e atividades paralelas.

 

 

Programa | Curadoria de Luiz Fernando Almeida

 

Quem tem medo de Cris Negão | São Paulo/SP | 2012 | 25′ | Documentário

Direção: René Guerra

 

Chapô |São Paulo/SP | 2013 | 23′ | Ficção

Direção: Eduardo Mattos

 

Desconhecido Íntimo | São Paulo/SP | 2011 | 20′ | Ficção

Direção: Alexandre Ingrevallo

 

Dama da Noite | Santos/SP | 2014 | 11’06” | Ficção

Direção: Dino Menezes

 

Leve-me para Sair | São Paulo/SP | 2012 | 20′ | Documentário

Direção: Zé Agripino

 

Dia 16, quarta-feira, às 21 horas | Museu do Ferroviário Moisés Joaquim Rodrigues | Duração: 100 minutos | Classificação etária: 16 anos | Capacidade: 20 lugares | Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do local.

 

 

SESSÃO FOR RAINBOW | Festival de Cinema e Cultura da Diversidade Sexual (CE)

 

O For Rainbow, realizado pela CENAPOP, busca fortalecer a cultura LGBT em Fortaleza e celebrar, com artistas e público, a liberdade e a diversidade que fazem do Ceará um lugar plural. Com dez edições já realizadas, o Festival, que mobiliza uma média de cinco mil pessoas por ano, apresenta ações e multilinguagem e mostras de filmes, com destaque para a Mostra Competitiva Internacional.

 

Programa | Curadoria de Verônica Guedes

 

Entre Lugares: A Invisibilidade do Homem Trans | Recife/PE | 2011 | 12’18” | Documentário

Direção: Luiz Carlos Nascimento

 

Receita para Trazer o seu Amor de Volta | Fortaleza/CE | 2009 | 4’38” | Ficção

Direção: Andrei Bessa

 

Chanson D’amour | Rio de Janeiro/RJ | 2014 | 12’ | Ficção

Direção: Renata Prado

 

O Melhor Amigo | Fortaleza/CE | 2013 | 17’ | Ficção

Direção: Alan Deberton

 

E tu tens medo de mim? | Fortaleza/CE | 2015 | 42’ | Documentário

Direção: Renata Monte

 

Dia 16, quarta-feira, às 23 horas | Museu do Ferroviário Moisés Joaquim Rodrigues | Duração: 90 minutos | Classificação etária: 16 anos | Capacidade: 20 lugares | Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do local.

 

 

SESSÃO MIX BRASIL | Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade (SP)

Criado em 1993, tornou-se referência política e cultural, nacional e internacionalmente, sendo o maior evento de artes dirigido ao público LGBT da América Latina, e ficando entre um dos maiores do mundo. Realizado pela Associação Cultural MixBrasil, o festival leva para a cidade de São Paulo as mais recentes produções em cinema com a temática da diversidade, além de música, teatro, atividades formativas e o lendário “Show do Gongo”, apresentado por Marisa Orth.

 

Programa | Curadoria de João Federici

 

Os cuidados que se tem com o cuidado que os outros devem ter consigo mesmos | São Paulo/SP | 2016 | 20′ | Ficção

Direção: Gustavo Vinagre

 

Roupa de Baixo | São Luiz do Paraitinga/SP | 2015 | 13′ | Documentário

Direção: Lara Dezan

 

O amor que não ousa dizer seu nome | São Carlos/SP | 2012 | 15’27” | Ficção

Direção: Barbara Roma

 

Filme para Poeta Cego | São Paulo/SP | 2012 | 25′ | Documentário

Direção: Gustavo Vinagre

 

A GIS | São Paulo/SP e Porto/Portugal | 2016 | 20′ | Documentário

Direção: Thiago Carvalhaes

 

Tant Pis – Capítulo I | Paris/França | 2015 | 25′ | Documentário

Direção: Bruna Rodrigues

 

Aceito | Rio de Janeiro/RJ | 2014 | 20′ | Ficção

Direção: Felipe Cabral

 

Dia 17, quinta-feira, às 21 horas | Museu do Ferroviário Moisés Joaquim Rodrigues | Duração: 120 minutos | Classificação etária: 16 anos | Capacidade: 20 lugares | Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do local.

 

 

SESSÃO MODIVE-SE | Mostra da Diversidade Sexual de Campinas (SP)

 

Dirigida por Beto Limberger, a mostra acontece desde 2014, tendo como prioridade a difusão de curtas-metragens com a temática LGBT. Ao longo das edições, incorporou sessões de longa-metragem, oficinas de vídeo e moda, apresentações teatrais e intervenções artísticas.

 

Programa | Curadoria de Beto Limberger

 

Calmaria | Curitiba/PR | 2015 | 10′ | Ficção

Direção: William de Oliveira

 

Vagabunda de Meia Tigela | Brasília/DF | 2015 | 24′ | Ficção

Direção: Otavio Chamorro

 

Fragrância | São Paulo/SP | 2013 | 9′ | Ficção

Direção: Clarissa Rebouças

 

Deuteronômio 22 | Caçapava/SP | 2016 | 5’23” | Ficção

Direção: Érico Luz

 

Baxploitation – A Rainha Negra | Goiânia/GO | 2014 | 21′ | Ficção

Direção: Edem Ortegal

 

Trincado | Salto/SP | 2016 | 16′ | Documentário

Direção: Rodrigo Lara

 

Embaraçadas | Vitória/ES | 2014 | 12′ | Ficção

Direção: Paulo Sena

 

Urano | Rio de Janeiro/RJ | 2014 | 7′ | Ficção

Direção: Daniel Nolasco

 

Dia 17, quinta-feira, às 23 horas | Museu do Ferroviário Moisés Joaquim Rodrigues | Duração: 105 minutos | Classificação etária: 16 anos | Capacidade: 20 lugares | Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do local.

 

 

SESSÃO DIGO | Festival Internacional de Cinema da Diversidade Goiás (GO)

 

Criado em 2016, DIGO é um festival que articula audiovisual, educação e tecnologias, pioneiro no centro-oeste brasileiro com a temática LGBT.  Aborda não só a sexualidade, mas incorpora o sentido da realidade do ser humano e suas nuances. Integrante da Rede Divercilac de festivais da América Latina e do Caribe, já teve seus filmes vencedores exibidos em festivais da Itália (Asolo Art Film Festival), Peru (OutfestPeru), Venzuela, entre outros.

 

Programa | Curadoria de Cristiano Sousa

 

Duas Vezes Senzala | Goiânia/GO | 2017 | 25′ | Documentário

Direção: Gustavo Pozzati

 

Tentação | Goiânia/GO | 2016 | 10′ | Ficção

Direção: Erico José

 

Obstar (ou o Garoto que Nada Viveu) | Goiânia/GO | 2017 | 8′ | Ficção

Direção: Felipe Freitas

 

Rosinha | Brasília/DF | 2016 | 15′ | Ficção

Direção: Gui Campos

 

Aspirina para Dor de Cabeça | Rio de Janeiro/RJ | 2016 | 18′ | Ficção

Direção: Philippe Bastos

 

Ruptures  | Paris/França e Brasil | 2017 | 18′ | Ficção

Direção: Francisco Bianchi

 

Diamante, o Bailarina  | São Paulo/SP | 2017 | 22′ | Ficção

Direção: Pedro Jorge

 

Lugar para Ninguém | São Paulo/SP | 2017 | 20′ | Ficção

Direção: Fabiana Carlucci

 

 

Dia 18, sexta-feira, às 21 horas | Museu do Ferroviário Moisés Joaquim Rodrigues | Duração: 135 minutos | Classificação etária: 16 anos | Capacidade: 20 lugares | Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do local.

 

 

MÚSICA

 

#NÃORECOMENDADOS

 

Uma banda, um movimento, um delírio, uma #hashtag: três inquietos compositores-intérpretes – Caio Prado, Daniel Chaudon e Diego Moraes – questionam, provocam e transformam os padrões comportamentais e viciados da sociedade. Além do sucesso Não Recomendado, o show traz outras canções autorais e releituras de clássicos que vão de Caetano e Gil a Alexandre Pires e Cheiro de Amor. Participação especial – Ekena.

 

Dia 15, terça-feira, às 20 horas | Teatro Municipal Castro Alves | Duração: 60 minutos | Classificação etária: 12 anos | Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do local.

 

 

UMA OPERETA EM 50ML – HORROROSAS DESPREZÍVEIS | Selvática Ações Artísticas (Curitiba/PR)

 

Com uma boa dose de ironia e humor, a opereta tem como mote a vida da mulher na contemporaneidade, estigmas sobre o corpo feminino e experiências pessoais das integrantes. A partir daqui, está absolutamente claro que as mulheres não estão condenadas à doçura. Horrorosas Desprezíveis é uma junção, um bando, trio ou matilha, formada pelas artistas Amira Massabki, Jo Mistinguett e Patricia Cipriano.

 

Dia 18, sexta-feira, às 22h30 | Oficina de Macacos Espaço Cultural | Duração: 30 minutos | Classificação etária: 18 anos | Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do local.

 

 

LUANA HANSEN

 

Luana Hansen revolucionou o rap nacional com letras que apontam as mazelas sofridas pelas mulheres negras, versando sobre temas como aborto, violência doméstica e discriminação. Numa circulação especial por três bairros de Araçatuba, a DJ e MC, criada na periferia de São Paulo (ZO), apresenta seu pocket show cheio de swing, beats e rimas, com canções poderosas como Flor de Mulher e Ventre Livre de FatoAbertura – DJ Chico Malo (das 19h às 20h30)

 

Dia 16, quarta-feira, às 20h30 | Praça João Batista Botelho (Bairro Pinheiros) | Dia 17, quinta-feira, às 20h30 | Praça da Paz (Bairro Sr. Antônio Villela Silva) | Dia 18, sexta-feira, às 20h30 | Praça Alan Kardec (Jardim Planalto) | Duração: 120 minutos | Classificação etária: Livre | Grátis.

 

 

JALOO

 

Pop, eletrônico, experimental, tecnobrega, funk, maracatu e o que mais tiver por perto. Na turnê de seu álbum #1, que já passou por palcos como Lollapalooza, o paraense Jaloo envolve, emociona e impressiona em um show performático que festeja a dança, o poder da boa música e a alegria de se embebedar de vida.

 

AS BAHIAS E A COZINHA MINEIRA

 

O show Etc. & Tal, indicado ao Prêmio Bravo! 2016 de Melhor Show, é pautado no disco de estreia do grupo, Mulher, lançado em 2015. A banda, indicada à categoria Revelação do Prêmio Multishow 2016, traz Assucena Assucena e Raquel Virgínia nos vocais, acompanhadas por Rafael Acerbi, na guitarra, Rob Ashtoffen, no baixo, Carlos Eduardo Samuel, no teclado, Vitor Coimbra, na bateria, e Danilo Moura, na percussão.

 

Abertura – DJ Leandro Pardí

 

Dia 19, sábado, das 18 às 22 horas | Praça João Pessoa | Duração: 240 minutos | Classificação etária: Livre | Grátis.

 

 

TÁSSIA REIS

 

Tássia Reis, intensa dentro de sua suavidade, solta os gritos presos na garganta, em um show tão feminista quanto libertário. Passeia pelo rap, jazz, reggae, soul e samba, com a potência de músicas como Ouça-meDa Lama/AfrontamentoSe Avexe Não e Rapjazz.

 

KAROL CONKA

 

Ela farofou e conquistou o Brasil, causando na sociedade com um hit após o outro, como TombeiÉ o PoderBoa Noite e Lalá. Karol Conka é a voz de uma geração livre, diversa e que é o que quiser ser.

 

Abertura – DJ Leandro Pardí

 

Dia 20, domingo, das 17 às 21 horas | Praça João Pessoa | Duração: 240 minutos | Classificação etária: Livre | Grátis.

 

 

AÇÕES FORMATIVAS

 

QUEM TEM MEDO DAS PALAVRAS GÊNERO E SEXUALIDADE? | Helena Vieira e Magô Tonhon

 

Diversidade de afetos, sexualidades, e as pluralidades no desejo e nas formas com que nos relacionamos com o outro e com o mundo. O universo LGBT é imenso, e essas questões atravessam toda a sociedade. Uma conversa sem tabus, construindo pontes.

 

Dia 16, quarta-feira, das 14 às 16 horas (turma 1) e das 20 às 22 horas (turma 2) | Senac Araçatuba (prédio do Colégio Extensão) | Capacidade: 20 vagas por turma | Classificação etária: 14 anos | Grátis  Inscrições até 14/8 pelo e-mail zonaplrl@gmail.com. O e-mail deverá conter nome social, RG, telefone, idade e o nome da atividade no título. A inscrição será efetivada somente após resposta com confirmação da produção.

 

 

VOCÊ É CIS(GÊNERO): PRIVILÉGIOS DE SER TRANS(GÊNERO) | Jaqueline Gomes de Jesus

 

Uma reflexão sobre a cisgeneridade enquanto termo proposto pelos movimentos sociais de pessoas transgêneras, estabelecendo paralelo com a branquitude/branquidade e a negritude.

 

Dia 19, sábado, das 10 às 12 horas | Teatro Municipal Paulo Alcides Jorge | Capacidade: 50 vagas | Classificação etária: 14 anos | Grátis  Inscrições até 17/8 pelo e-mail zonaplrl@gmail.com. O e-mail deverá conter nome social, RG, telefone, idade e o nome da atividade no título. A inscrição será efetivada somente após resposta com confirmação da produção.

 

 

GÊNERO E EDUCAÇÃO: A CONSTRUÇÃO DE UMA ESCOLA LIVRE DE VIOLÊNCIA DE GÊNERO | Helena Vieira e Magô Tonhon

 

É possível não incluir o debate de gênero e sexualidade na Educação? Como as pessoas educadoras podem contribuir para conscientizar o ambiente escolar a respeito das questões de gênero e suas implicações nas relações com as demais pessoas?

 

Dia 19, sábado, das 13 às 15 horas | Teatro Municipal Paulo Alcides Jorge | Capacidade: 50 vagas | Classificação etária: 14 anos | Grátis  Inscrições até 17/8 pelo e-mail zonaplrl@gmail.com. O e-mail deverá conter nome social, RG, telefone, idade e o nome da atividade no título. A inscrição será efetivada somente após resposta com confirmação da produção.

 

 

AFETOS E SEXUALIDADES: É PRECISO TRANSVER NOSSOS DESEJOS | Helena Vieira, Jaqueline Gomes de Jesus e Magô Tonhon

 

Corpos e identidades de gênero desobedientes da norma cisgênera e heterossexual, constroem seus afetos e desejos pautados na normatividade? É possível TRANSver a construção de nossas sexualidades, desejos e afetos?

 

Dia 19, sábado, das 15h30 às 18 horas | Teatro Municipal Paulo Alcides Jorge | Capacidade: 50 vagas | Classificação etária: 14 anos | Grátis  Inscrições até 17/8 pelo e-mail zonaplrl@gmail.com. O e-mail deverá conter nome social, RG, telefone, idade e o nome da atividade no título. A inscrição será efetivada somente após resposta com confirmação da produção.

 

 

JOGO DOS PRIVILÉGIOS: O QUE NOS DIFERENCIA E HIERARQUIZA PARA FORTALECER NOSSA UNIÃO EM NOME DA IGUALDADE | Helena Vieira e Magô Tonhon

 

É possível nos unirmos também pelas nossas diferenças? Uma reflexão acerca do que nos une e do que nos separa, mesmo quando se trata de pessoas supostamente iguais.

 

Dia 20, domingo, das 14 às 17 horas | Espaço Cultural Fábrica da Arte | Capacidade: 30 vagas | Classificação etária: 14 anos | Grátis  Inscrições até 17/8 pelo e-mail zonaplrl@gmail.com. O e-mail deverá conter nome social, RG, telefone, idade e o nome da atividade no título. A inscrição será efetivada somente após resposta com confirmação da produção.

 

 

FESTA

 

Com a programação intensa do Plural, precisamos de uma noite de celebração à altura. Por isso, convocamos um time de peso para comandar o ponto de encontro oficial do Festival:

 

LINN DA QUEBRADA

 

Bixa, trans, preta e periférica. Ela tomba, fecha, causa e é muita lacração, quebrando paradigmas sexuais, de gênero e corpo. Prestes a lançar seu primeiro álbum, Pajubá, Linn já coleciona hits como EnviadescerTalento e Bixa Preta. Na Festa, estará acompanhada pela cantora e persona Jup do Bairro, pelo percussionista Valentino Valentino e pelo DJ Pininga.

 

BATEKOO

DJs Mirands, Noztragamuz e Biscartie

 

Batekoo vem se estabelecendo no cenário nacional como movimento que dá voz a elementos da cultura negra e urbana, se expressando por meio de música, dança, empoderamento coletivo e representatividade. É funk carioca, R&B, rap, hip hop, Trap, Urban, kuduro, reggae e muito mais. Hoje, a festa acontece em Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro. Em São Paulo, participou da inauguração da Casa Air Max, da Nike, já esteve na Virada Cultural Paulista, SP na Rua, Milkshake Festival Brasil e levou uma multidão para o bloco Carnakoo, no carnaval de rua.

 

DJ LEANDRO PARDÍ

 

O criador da festa Pardieiro, que já recebeu atrações como Ney Matogrosso, Elza Soares e Johnny Hooker, é um dos principais e mais bem-sucedidos nomes da noite de São Paulo. Foi o DJ do Reveillon da Avenida Paulista 2017, e já tocou e lotou todas as principais casas noturnas da cidade, como Cine Joia e Lions Night Club.

 

Dia 19, sábado, às 23 horas | Lounge (Avenida Brasília, 963) | Classificação etária: 18 anos | Ingressos – Antecipado: R$ 45,00 – https://goo.gl/mjtQUg (até 15/8); Porta: R$ 60,00






Casa do Samba de Pirapora do Bom Jesus festeja 292 anos da cidade com homenagem a Maria Esther, música e feijoada

A Casa mantém viva parte da história da música de raiz no Brasil

 

A cidade de Pirapora do Bom Jesus completa 292 anos e, para comemorar a Casa do Samba montou uma programação especial entre os dias 5 e 27 de agosto. No local existe um rico acervo fotográfico sobre a bonita história de Pirapora e os piraporanos e romeiros poderão se divertir com as apresentações do grupo de Samba de Bumbo de Pirapora e grupos tradicionais de outras cidades, sempre a partir das 12 horas.

CASA DO SAMBA

A História registra: “O motivo que tornou Pirapora do Bom Jesus um ponto de encontro espontâneo e não oficial de batuqueiros de diversas regiões do Estado de São Paulo que vinham para as festividades do Senhor Bom Jesus de Pirapora, o santo milagroso, sempre trouxe grande numero de romeiros e demais visitantes ao Município. No começo, as famílias de fazendeiros deslocavam-se para o então vilarejo e levaram consigo seus escravos. Enquanto o Senhorio rezava ao santo, a escravaria fazia seus batuques á distância”.

“As formas de samba que praticavam em suas cidades, eles as faziam em Pirapora para festejar o Santo, eram os samba de Umbigada, Samba de Lenço. Jongo, o Tambu entre outros. A forte presença da zabumba (Bumbo) que fazia o compasso do ritmo da dança, aos poucos provocou a fusão da denominação dos Sambas que se praticavam nos barracões de Pirapora como Samba de Bumbo ou Samba de Pirapora que Mario de Andrade preferiu chamar de Samba Rural Paulista.”

Esta tradição musical do Samba de Bumbo é mantida até hoje em Pirapora do Bom Jesus na sua Casa do Samba, que fica instalada na rua José Bonifácio, 226, Centro. Informações na Secretaria de Cultura e Turismo, ou pelo telefone 4131-2339.

 

MARIA ESTHER

 

Maria Esther de Camargo Lara faleceu na noite da terça-feira, 16 de Maio, aos 93 anos. Considerada a Embaixatriz do Samba, muito contribuiu para a cultura da cidade de Pirapora do Bom Jesus, pois desde muito jovem fez do samba a sua arte e com isto levou o nome de Pirapora para outros lugares. Na década de 40 participou da criação do Grupo de Samba de Roda de Pirapora junto com Honorato Missé. Em São Paulo integrou as Escolas de Samba Unidos da Galvão Bueno, Lavapés – onde foi uma das fundadoras -, e da Vai Vai, que frequentou por mais de 30 anos. Foi em sua homenagem que o sambista Geraldo Filme fez uns versos de improviso que gerariam mais tarde a conhecida canção Samba de Pirapora. Foi casada com José Vaz de Almeida com quem teve três filhos. Uma de suas máximas era “idade não regula, o que importa é o rebolado”, e por isso mesmo falava que um pai de santo sentenciou que ela iria viver até os 100 anos. Quase chegou lá!