Editorial: IDEB

Ideb 2019: SP lidera nos anos finais do ensino fundamental e retoma crescimento nas outras etapas

Estado registrou a maior evolução da história no ensino médio 

Dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2019 divulgados nesta terça-feira (15) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão do Ministério da Educação, apontam que a rede estadual de São Paulo teve o melhor resultado do Brasil nos anos finais do ensino fundamental e voltou a crescer nas outras etapas do ensino.  

No ensino médio, a rede estadual de São Paulo registrou o maior crescimento de sua história. Nos anos iniciais do ensino fundamental, se for avaliada a rede pública conjuntamente entre escolas estaduais e municipais, São Paulo também apresenta o melhor resultado do país.  

Ensino médio 

O maior desempenho foi notado no ensino médio, que saltou de 3,8 no último Ideb, em 2017, para 4,3 em 2019, registrando o maior crescimento da história das escolas estaduais neste ciclo de ensino.  

Após retroceder em 2017, a rede estadual cresce 0,5 no ensino médio em 2019 e permanece em 5º lugar no ranking entre os estados.  

“Estou muito feliz com o crescimento do ensino médio do Brasil. Sonho com um país que continue avançando. O crescimento de São Paulo é muito importante, estamos nos movendo dentro da nossa própria comparação, ainda mais se levarmos em conta o tamanho da nossa rede”, afirmou o secretário Rossieli Soares.  

Ensino fundamental 

Nos anos finais do ensino fundamental, São Paulo recebeu pontuação de 5,2 – antes tinha 4,8. O desempenho foi o melhor da história de São Paulo e de todas as outras redes estaduais do Brasil.  

 O Ideb 2019 também apontou evolução nos anos iniciais do ensino fundamental que já era bem avaliado. Saltou de 6,5 para 6,6 pontos. Vale lembrar que nesta etapa do ensino, São Paulo possui 631 mil alunos e tem a maior rede estadual de anos iniciais do país.  

O desempenho nesta etapa faz com que a rede estadual de São Paulo ocupe o segundo lugar entre as demais redes estaduais, fica atrás apenas do Paraná que possui 0,5% dos alunos matriculados em São Paulo.   

Como é calculado 

O Ideb é o principal indicador da qualidade dos sistemas educacionais brasileiro. Ele é calculado com base nas médias da Prova Brasil e fluxos de aprovação, reprovação e abandono extraídos do Censo Escolar. 

Impacto da pandemia 

Rossieli Soares reforçou que a tendência de crescimento apresentada pelo Ideb 2019 pode não se manter nos próximos anos por conta da pandemia do coronavírus enfrentada atualmente.  

“Precisamos fazer essa reflexão enquanto sociedade sobre o que está acontecendo. A pandemia trouxe aumento do desemprego e há um consequente risco de evasão escolar. Temos muitos esforços para garantir a aprendizagem neste período, mas o desafio está posto e é fundamental que a gente reflita”, diz Soares.  

O secretário lembrou que São Paulo implementou estratégias para garantir o ensino mediado por tecnologia com o Centro de Mídias SP e aulas via aplicativos e canais de TV. O Estado ainda construiu e aprovou o currículo paulista em implantação em 628 municípios, criou 53 escolas de Programa de Ensino Integral (PEI), realizou programa de recuperação de aprendizagem e formação de professores. 

Educação de Osasco avança e atinge 6.3 no IDEB

Imagem: Divulgação

A educação na rede municipal de Osasco obteve nota 6,3 no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), divulgado na terça-feira, 15/9, pelo Ministério da Educação. Essa é a maior nota obtida pelo município e apresenta o avanço na educação municipal. Em 2013, o município registrou a nota 5,2. Em 2015, chegou a 5,9, em 2017 alcançou a nota 6,1 e, agora, atingiu 6,3, referente à avaliação dos primeiros anos do Ensino Fundamental.

O IDEB é um indicador de desempenho da educação brasileira divulgado a cada dois anos pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), autarquia do Ministério da Educação (MEC). O índice foi criado pelo governo federal para medir a qualidade do ensino nas escolas públicas.

A Educação é um dos pilares da administração pública. Em menos de quatro anos foram construídas e entregues 10 novas creches. Além disso, a Fito zona Sul passou por reformas e reestruturação para abrigar o “Mundo da Criança”. O mesmo acontecerá com a Fito zona Norte, onde as obras estão em fase final para acolher o “Mundo da Criança”.

O diferencial do Mundo da Criança na Fito zona Norte será sua capacidade para abrigar 1,3 mil alunos, transformando-se na maior creche do país. Os investimentos em Educação também envolvem a distribuição de uniformes de verão e de inverno, inclusive, para os alunos matriculados em creches; distribuição de kits de material escolar; disponibilização de transporte escolar para alunos com deficiência, e a valorização dos profissionais, por meio do Plano de Carreira do Magistério.

Mesmo com as aulas suspensas por conta da pandemia do coronavírus, a Prefeitura disponibilizou a plataforma “Estude em casa”, que oferece farto e variado material para os alunos continuarem a se atualizando. Para atender alunos com dificuldades de acesso à internet, a Prefeitura imprime e distribui o Caderno de Atividades.

A assistência aos alunos nesse período de pandemia ainda contou com distribuição de cestas básicas, considerando que a merenda é a principal refeição de muitos alunos. Posteriormente as cestas foram substituídas pelo Cartão “Merenda em Casa”, com crédito de R$ 70 mensais por aluno, para que as famílias adquiram os produtos que costumeiramente consomem.

Em Osasco, as aulas presenciais serão retomadas em 2021, atendendo aos anseios de pais e responsáveis, para evitar a exposição das crianças durante o período de pandemia. A medida também dá mais tranquilidade aos professores e demais funcionários das unidades de ensino.

Jandira supera meta do Índice de Educação Básica

Imagem: Arquivo / SME

Município superou a expectativa do IDEB, alcançando nota 6.2 na avaliação referente ao ano de 2019

O município de Jandira atingiu, pela segunda avaliação consecutiva, nota acima da meta no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). O resultado histórico divulgado nesta terça-feira (15) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), mostra que o município alcançou nota 6.2 referente ao ano de 2019, superior a meta projetada que era 6.1.

Esta é a segunda avaliação consecutiva que a Educação da cidade supera a expectativa, já que na avaliação referente ao ano de 2017 o resultado foi 6.0, acima do 5.8 projetado.

A avaliação é realizada por meio das médias de desempenho no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) aos alunos do 5º ano do ensino fundamental a cada dois anos, com questões de português e matemática.

Santana de Parnaíba é a única cidade da região a atingir todas as metas do IDEB de 2019

Imagem: Marcio Koch/Fabiano Martins

Município conseguiu pontuação de 6.4 no Ensino Fundamental 1, 5.5 no Ensino Fundamental II e 4.4 no Ensino Médio

 Mais uma vez Santana de Parnaíba é destaque na Educação. De acordo com o último resultado do IDEB – Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, órgão ligado ao governo estadual que mede a qualidade da educação na rede pública, exibiu nesta terça-feira (15) que a cidade foi a única da região oeste que alcançou(e superou em alguns níveis de ensino) as metas estipuladas pelo índice em 2019.

De acordo com o IDEB, no Ensino Fundamental I (4ª série/5º ano) a cidade subiu 0.2 pontos da meta, ficando com 6.4. Já no Ensino Fundamental II (8ª serie/ 9º ano) esse aumento foi de 0.1 ponto acima da meta (5.5). No Ensino Médio o município atingiu a meta estipulada pelo órgão regulador, que foi de 4.4 pontos.

Entre os colégios da rede pública, 11 ultrapassaram a meta estipulada pelo IDEB no Ensino Fundamental 1, com destaque para o Leda Caira e Abelardo Marques (Fazendinha), Ana Aparecida Santana (Cidade São Pedro) e Padre Anacleto(Colinas da Anhanguera), no Fundamental II foram 17 colégios com nota acima da estipulada, onde a escola Juscelino Kubitschek(Cidade São Pedro) teve a maior pontuação, com 6.4, seguido pelo Leda Caira, com 6.2. E no Ensino Médio foram 6 com destaque para o Colégio Manoel Jacob (Ingaí), com 5.4 e Aurélio Gianini (Cururuquara), com 5.3.

Esses resultados positivos são reflexos dos investimentos realizados pela prefeitura na educação, que em 7 anos inaugurou 17 colégios, ampliou 15 unidades educacionais, implantou cursos de robótica e 5 pólos da Escola de Línguas, Plataforma de Idiomas, com mais de 18 mil inscritos que aprendem pela internet um novo idioma, além dos cursos Conect e Mind Lab, além de promover a entrega de uniformes, materiais didáticos e escolares, mais de 64 mil refeições diárias aos mais de 32 mil alunos que fazem parte da rede municipal de ensino. A cidade também conta com 04 escolas de Ensino Superior (Fatec, Unip, Univesp e Fasp), além de 02 escolas Técnicas nos bairros Centro (Etec Ermelinda) e Fazendinha (Etec Bartolomeu), além de programas como “Meu Filho Vai Pra Faculdade”, ações que fazem com que Santana de Parnaíba seja referência em educação na região.