Editorial: escolas

Saúde vai às escolas vacinar estudantes da rede de Barueri

Com a autorização dos pais, estudantes adolescentes estão sendo imunizados na própria escola
 

Com o objetivo de ampliar o processo de vacinação dos adolescentes com idade entre 12 e 17 anos contra a Covid-19, começou nesta quarta-feira (dia 24) a imunização dos estudantes nas próprias unidades escolares da rede municipal de ensino.

O objetivo é acelerar a vacinação do público adolescente. Em Barueri, a ação começou pelas escolas da região do Belval. As escolas de ensino fundamental Aristides da Costa, Naly Benedicto e Ezio Berzaghi foram as primeiras a serem contempladas.

Para facilitar ainda mais o processo, as equipes da Secretaria da Saúde estão indo até as unidades de ensino. Os pais e responsáveis estão recebendo um documento autorizando a imunização. O propósito é vacinar o mais rápido possível o público elegível nesta fase da campanha, principalmente os faltosos para a segunda dose da vacina contra a Covid-19.

Em Barueri, segundo levantamento da Secretária de Saúde, cerca de 5 mil adolescentes ainda não tomaram a primeira ou a segunda dose.

A estratégia é realizar a vacinação nos dias definidos com a unidade escolar, para que os pais possam se organizar e enviar a autorização.

A estudante Maria Eduarda Magalhães, do 6º ano da Emef Naly Benedicto, estava ansiosa para tomar a vacina. “Acho importante tomar a vacina para nos livrarmos dessa doença de uma vez por todas e retomarmos a vida normal”, disse.

De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde, neste momento, o único imunobiológico destinado à vacinação deste público é a vacina contra a Covid-19 Pfizer, sendo necessária a administração das duas doses para ser considerado o esquema vacinal completo. 

Presidente da Câmara, vereador Guto José, quer que escolas abordem a prevenção à violência doméstica

Guto José é presidente da Câmara de Carapicuíba e autor de três indicações apresentadas essa semana

O objetivo é a discussão do tema e sua inserção como conteúdo pedagógico

Na indicação n° 1.632/2021, o presidente da Casa, vereador Guto José (PODE), está pedindo ao prefeito Marcos Neves (PSDB) a inclusão de temas ligados à violência doméstica, como conteúdo pedagógico. A propositura pede um programa educacional de prevenção e combate à violência doméstica incluindo no conteúdo educacional noções básicas da Lei 11.340/2006 (Lei Maria da Penha).  O objetivo é atenuar, em curto prazo, os crescentes casos identificados no município.

Mais duas solicitações foram feitas pelo vereador nesta terça-feira (28), recapeamento na Rua Leocácia Gonçalves Barreto, no Jardim Tucunduva, e a criação de Lei que dê incentivos fiscais às empresas locais a contratar número maior de deficientes, do que aqueles definidos pela Lei Federal 8.213/1991. Os pedidos seguem agora para apreciação do Poder Executivo.

Escolas de educação infantil criam mascote para atividades cotidianas

As mascotes ajudam no desenvolvimento das expressões

As escolas de educação infantil da rede de ensino de Barueri estão usando muita criatividade na adoção de mascotes que serão empregadas nas mais diversas atividades lúdicas e de aprendizagem.

Na Emei Rogelio Lopes Recarey, por exemplo, eles foram confeccionados pelas próprias crianças e estão sendo a grande sensação da escola.

Com o objetivo de trabalhar o tema afetividade, surgiu a proposta da confecção da “mascote dos sentimentos”, a qual as crianças pudessem dar opiniões sobre o que seria: ser humano, monstro, animal, brinquedo, fantoche etc.

Criado em material higienizável, seguindo os protocolos de saúde, a “mascote dos sentimentos” acompanhará toda a rotina na escola, fazendo parte da turma.

“Estará presente quando precisarem falar e ou expressar seus sentimentos, sejam quais forem. Favorecendo o fortalecimento de vínculos, segurança no ambiente escolar, cuidado mútuo, respeito aos pares e desenvolvendo o falar e escutar de experiências significativas”, explicou a diretora da escola, Mônica Bamant

Escolas da rede comemoram o Dia Nacional da Educação Infantil

As crianças da rede estão participando de atividades para celebrar o Dia Nacional da Educação Infantil 

Nesta quarta-feira, dia 25, é comemorado o Dia Nacional da Educação Infantil. Ao longo de toda a semana, as escolas maternais e as Emeis da rede municipal de ensino de Barueri realizaram variadas atividades para celebrar a data. 

Na escola maternal Joaquim Soares, no bairro da Aldeia, a gestão da unidade levou muita alegria e diversão para as crianças, com música e contações de histórias, tendo o destaque da mascote Nina, a simpática fantoche da escola. As unidades de ensino também aproveitaram para celebrar o Dia da Infância, comemorado em 24 de agosto. 

As Emeis (Escolas Municipais de Educação Infantil) também não deixaram a data passar em branco. Realizaram eventos de entretenimento e aprendizagem como apresentações de dança, pintura e até piqueniques ao ar livre. 

A Secretaria de Educação de Barueri vem investindo muito na educação das crianças. Desde os modernos prédios equipados, em conjunto com alimentação nutritiva, formação de profissionais altamente especializados, implantação do Centro de Referência pela Primeira Infância, recursos tecnológicos entre outros. 

Atualmente a rede conta com 35 maternais, 28 Emeis, atendendo cerca de 20 mil crianças.

 

De acordo com o secretário de Educação, Celso Furlan, “a Educação Infantil é uma das fases mais importantes da vida. Aqui em Barueri, muitos investimentos são implementados para o bem-estar das nossas crianças”, disse. 

Sobre a data  

O Dia Nacional da Educação foi escolhido em homenagem à data de nascimento de Zilda Arns (1934 – 2010), médica pediatra e sanitarista. Ela dedicou a vida ao trabalho assistencial às crianças. Fundou e coordenou a Pastoral da Criança, instituto que promove o desenvolvimento do público infantil. 

A educação infantil abrange crianças de 0 a 6 anos de idade. É o primeiro passo da educação básica e tem como objetivo o desenvolvimento pleno da criança como ser humano. O período da primeira infância é crucial para a evolução dos aspectos físicos, intelectuais, psicológicos e sociais. 

Vereador pede campanha nas escolas sobre violência contra a mulher

Eduardo Zezinho (Considerado) é autor de diversas indicações apresentadas essa semana

Indicações também solicitam o recapeamento de diversas vias do Ariston

Por meio da indicação n° 1.346/2021, apresentada nessa quinta-feira (19) na Câmara de Carapicuíba, o vereador Eduardo Zezinho (Considerado), do MDB, está solicitando a criação de uma campanha nas escolas alertando sobre o problema da violência contra a mulher. De acordo com o parlamentar, alguns dos objetivos da campanha seria repensar a cultura que inferioriza o feminino e fomentar o diálogo.

Considerado também assina outras sete indicações pedindo serviço de recapeamento para as ruas Flor do Ipê, Flor de Maio, Caminho de Itapevi, Flor de Lotus, Jaborandi, das Palmeiras, e viela Barra Funda, todas no Ariston.

Escolas da rede abrem as portas para dar início ao projeto inédito Sala Maker

Os estudantes voltaram para as aulas presenciais e foram surpreendidos com muita tecnologia e aprendizagem 

Gradativamente, os estudantes da rede de ensino de Barueri começam a voltar para as escolas. 

Adotando todos os protocolos sanitários de prevenção ao novo coronavirus, após intenso planejamento, montagem de arrojada infraestrutura e formação pedagógica, começaram nesta segunda-feira, dia 19, as atividades presenciais do projeto Sala Maker. 

Barueri mais uma vez sai à frente e se destaca como a primeira cidade a implementar em toda rede um projeto pedagógico voltado à prática “faça você mesmo”.  

Neste tipo de iniciativa, que visa a educação “mão na massa”, o aluno explora o que existe para além da sala de aula, realizando experiências práticas e desafiadoras.   

Neste primeiro momento serão atendidos 1.603 alunos, somando aproximadamente 120 turmas de estudantes que participarão das atividades em oito horários diferentes. 

Após a devida autorização dos pais, que foram informados sobre os detalhes do projeto pelos gestores das escolas de ensino fundamental da rede, as turmas foram formadas. Os estudantes que moram longe dos polos que abrigam o projeto contarão com transporte e todos terão direito a lanche. 

Pedro Henrique, que estuda no 6º B da Emef Raposo Tavares, estava animado com a novidade. “Estava com saudade de ver os amigos e esse projeto é muito legal. Mal vejo a hora de aprender a mexer nos drones”, disse. 

Nesta semana de abertura do projeto, as dinâmicas acontecerão nas Emefs Carlos Osmarinho, Eizaburo Nomura, Estevan Placêncio e Dorival Faria. Cada um desses núcleos também atenderão os estudantes das escolas localizadas nas proximidades. 

De acordo com o secretário de Educação de Barueri, Celso Furlan, este é um momento muito especial. “Rever nossos alunos retornando para as escolas é muito emocionante. Estamos adotando todos os protocolos de segurança para proteção de todos. Este projeto certamente fará com que nossas crianças e adolescentes matem a saudade da escola e se animem com esse moderno processo de aprendizagem”, disse. 

No retorno das aulas presencias, previsto para o início do mês de agosto, o projeto Sala Maker funcionará em 16 polos, beneficiando 10.800 alunos do 6º ao 9º ano de todas as escolas de Ensino Fundamental da rede. Barueri investe cada vez mais e conquista espaços rumo à Educação 5.0. 
 
A implementação do projeto foi realizada pelo Departamento Técnico de Tecnologia e Informação Educacional (DTTIE) em parceria com a empresa A5 Maker, que possui ampla experiência em Cultura Maker e é especialista em educação tecnológica.  

As escolas da rede que receberão as Salas Makers são: Emef Alexandrino da Silveira, Emef José Leandro Pimentel, Emef Suzete da Costa, Emeief Benedito Adherbal, Emef Ézio Berzaghi, Emef Nestor de Camargo, Emef Osvaldo Batista, Emef Armando Cavazza, Emef Elizabeth Parminondi, Emef Carlos Osmarinho, Emef Eizaburo Nomura, Emef Amador Aguiar, Emef Marlene Pereira, Emef Estevan Placêncio e Emef Dorival Faria.  
 
Ao participarem do projeto, os estudantes poderão ter contato com tudo o que há de mais avançado no universo maker: impressoras 3D, drones, automação, equipamentos de robótica, arduíno, além de um rico material pedagógico especialmente preparado por especialistas no assunto. 

Osasco contará com uso tecnológico de iPads nas escolas

Foto: Marcelo Deck

A pandemia evidenciou a necessidade de transformação digital e a adoção de novas práticas mediadas pela tecnologia no ambiente escolar. Ciente dessa nova realidade, por meio de parceria com a Planneta Educação a Secretaria Municipal de Educação de Osasco implementou o uso de iPads que serão utilizados nos programas “Informática na Escola” e “Mais tempo na Escola”.

Assim que as aulas presenciais retornarem, os alunos poderão dar asas à criatividade com o uso de dispositivos educacionais como Geogebra, Tinkers, CodeSpark, Swift e Lightbot.

Inicialmente são 73 escolas de educação infantil contempladas pelo projeto, além de 11 unidades do ensino fundamental e três escolas em tempo integral.
Cada unidade contará com 30 iPads da Apple, além de carrinhos carregadores especializados para que os dispositivos sejam utilizados individualmente, potencializando ainda mais a aprendizagem de cada estudante.

Nos equipamentos estarão disponíveis aplicativos educacionais para apoiar as atividades e projetos desenvolvidos com os alunos, pautados no processo de ensino e aprendizagem. Desse modo, os estudantes poderão explorar e ampliar sua criatividade e aprender de forma lúdica por meio da programação.

Além dos aplicativos, os equipamentos contam com o sistema operacional iPadOS, que apresenta diversos recursos de acessibilidade que auxiliarão na inclusão de todos os educandos.

O secretário de educação, José Toste Borges, explicou que na educação infantil a exploração dos aplicativos apoiará o trabalho de integração da tecnologia aos conteúdos “trabalhados pelos professores, por meio do contato com recursos de programação, arte e fotografia, promovendo um aprendizado ainda mais lúdico”.

Educação de Barueri recebe o selo de maior Rede de Referência Google For Education

Barueri conquista mais um importante título por seus investimentos em educação tecnológica 

Mesmo em tempos de pandemia, Barueri segue se destacando no ensino. A Secretaria de Educação está à frente quando o assunto diz respeito às aulas remotas e ao uso da tecnologia em prol da aprendizagem. 

Para elevar ainda mais o nível da educação tecnológica, Barueri acaba de conquistar o título de maior Rede de Referência Google For Education em todo o Brasil. A Secretaria de Educação, por intermédio do Departamento Técnico de Tecnologia e Informação Educacional (DTTIE), reúne o maior número de profissionais que conquistaram as certificações internacionais Google.  

De acordo com o secretário da pasta, Celso Furlan, trata-se de um momento muito importante para a Educação de Barueri, que mesmo sem as aulas presenciais vem oferecendo ensino de qualidade para todos os alunos. “Além das ferramentas tecnológicas, como as plataformas de ensino on-line, garantimos aos estudantes mais vulneráveis os Chromebooks, para que eles possam acompanhar as aulas de suas residências”, conta. 

A denominação Rede de Referência é um selo que as instituições de ensino recebem por incorporarem as ferramentas desenvolvidas pelo Google, empresa gigante da tecnologia, às suas propostas pedagógicas. 

De acordo com Ricardo Soares, diretor do Departamento Técnico de Tecnologia e Informação Educacional de Barueri, todos os profissionais, envolvendo equipe de gestão e corpo docente, estão de parabéns pela coragem e bravura com a qual se reinventaram e com muita resiliência estão levando a escola até a casa dos estudantes. “Ficamos felizes em ver o sonho de Barueri chegar à Educação 5.0 sendo concretizado”, disse. 
 
Após formação e rigoroso acompanhamento feito pela Colaborativa (empresa que gerencia as formações Google For Education no Brasil) e a gestão do Departamento de Tecnologia da Secretaria de Educação, 239 professores, representando sete escolas da rede, acabaram de concluir as certificações. 

Para a orientadora técnico-pedagógica do DTTIE, Nathalia Tiani, “a certificação internacional Google For Education é uma representação e valorização de todo esforço, estudos e dedicação que os professores vêm realizando na nova realidade do ensino, na qual a tecnologia tem um papel primordial”, avalia. 

Além das escolas que acabaram de se tornar Rede de Referência, todas as unidades de ensino municipal de Barueri continuam passando pelo processo de formações e certificações permanentes.  Desta forma, a frequência e os índices de aproveitamento estão comprovando que o uso das ferramentas Google For Education vêm sendo o grande diferencial para o bom rendimento do trabalho de gestores, professores e aprendizagem dos alunos da rede. 

O prefeito Rubens Furlan também demonstrou orgulho com a conquista do selo. “Estamos investindo em mais Chromebooks para beneficiar ainda mais alunos. Barueri hoje é uma referência. Por onde eu passo ouço comentários que nesses tempos de pandemia, mesmo com os estudantes longe das escolas, Barueri está fazendo chegar ensino de qualidade até a casa dos alunos”, comentou. 

A Premiação 

Para celebrar o importante marco, na manhã desta quarta-feira (dia 16) aconteceu no auditório do Centro de Aperfeiçoamento dos Professores (CAP) um evento em que a Colaborativa diplomou a Secretaria de Educação de Barueri por intermédio de representantes das escolas que conquistaram as certificações: Emef Estevan Placêncio, Emef Deiró Felício Andrade, Emef Yojiro Takaoka, Emeief Enéias Raimundo da Silva, Emef Alexandrino da Silveira, Emef Jorge Augusto e Emef Padre Elídio Mantovani. 

Beni Kuhn, fundador da Colaborativa, salientou ser motivo de muito orgulho esta conquista. “Desde 2018 observávamos o entusiasmo dos professores, e agora, após pouco tempo, estamos testemunhando uma conquista tão importante”, declarou. 

O orientador-técnico da DTTIE, Felipy Manso, também estava otimista com o evento. “Hoje vamos comemorar esse casamento de sucesso entre duas potências e constatar o quanto a educação de Barueri é levada a sério. Nossos professores já estão dando até aula para o Google, mostrando realmente a necessidade dos nossos alunos”, festejou. 

Reconhecimento Internacional 

É importante salientar que a certificação Google é de extrema relevância para os professores. Com este título, onde quer que forem, levarão consigo um reconhecimento internacional. 

Escolas estaduais de SP começam a retomar atividades presenciais opcionais a partir desta terça-feira

Imagem: Divulgação

Secretário Rossieli Soares esteve em escola estadual de Sorocaba, um dos 128 municípios paulistas que decidiram pela retomada; retorno deve ocorrer de maneira gradual e não é obrigatório 

A partir desta terça-feira (8), as escolas da rede estadual de São Paulo estão autorizadas pelo Governo a retomar as atividades presenciais para recuperação e acolhimento, de forma gradual, respeitando os protocolos de segurança. 

No total, 128 municípios decidiram pela retomada a partir desta terça. Entretanto, ela não é obrigatória e deve ocorrer mediante a escuta da comunidade. Os municípios também têm autonomia de interferir no calendário, embasados por dados epidemiológicos de suas regiões. 

Pela manhã, o secretário estadual da Educação Rossieli Soares acompanhou o retorno das atividades na Escola Estadual Professora Ana Cecília Martins, em Sorocaba, um dos munícipios que optaram pelo retorno. 

Neste primeiro dia, os alunos participaram de rodas de conversa, atividades esportivas e contribuíram com o planejamento das atividades de acolhimento que vão abranger os demais estudantes da unidade. 

“Nesta volta opcional, nosso foco e cuidado maior são com os alunos que mais precisam. Nosso olhar está muito voltado para o aspecto socioemocional. É absolutamente primordial cuidarmos também dos nossos servidores e professores. A rede deve estar voltada a cumprir todos os protocolos de saúde e de segurança. E isto é um dever de todos nós: equipes gestoras, escola e família. Desta forma, com serenidade, conseguiremos ter a segurança necessária para reabrirmos gradativamente as nossas escolas”, afirma o secretário Rossieli Soares. 

Regras para o retorno 

Para retomarem as atividades presenciais, as unidades escolares precisam estar localizadas em áreas classificadas por pelo menos 28 dias consecutivos na fase amarela do Plano São Paulo. 

As escolas estaduais que retornarem poderão receber, no máximo, 20% dos alunos por dia, independente da etapa do ensino. Já as redes municipais e privadas devem seguir o decreto do governo do estado que prevê o limite de 35% para educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental, e 20% para anos finais do ensino fundamental e ensino médio. 

A oferta de atividades deve ser planejada com a comunidade. Dentre as possibilidades estão: atividades de reforço e recuperação da aprendizagem; acolhimento emocional; orientação de estudos e tutoria pedagógica; plantão de dúvidas; avaliação diagnóstica e formativa; atividades esportivas e culturais. Prevê-se, ainda, a possibilidade da utilização da infraestrutura de tecnologia da informação da escola para estudo e acompanhamento das atividades escolares não presenciais para os alunos que não conseguem o fazer de suas casas. 

Os estudantes que compõem o grupo de riscos devem permanecer em casa fazendo as atividades remotas. Também é recomendável que os profissionais que estejam neste grupo não retornem ao trabalho presencialmente. 

Para garantir a segurança da comunidade escolar na rede estadual, a Seduc adquiriu uma série de insumos destinados tanto aos estudantes quanto aos servidores. São eles: 12 milhões de máscaras de tecido, 300 mil face shields (protetor facial de acrílico), 10.168 termômetros a laser, 10 mil totens de álcool em gel, 221 mil litros de sabonete líquido, 78 milhões de copos descartáveis, 112 mil litros de álcool em gel e 100 milhões de unidades de papel toalha. 

Volta às aulas: proteção e cuidados com a saúde dos pequeninos é essencial

Imagem: Freepik
O debate sobre a retomada das atividades escolares em São Paulo alerta para a importância da atualização das vacinações de rotina. Médica orienta conferir com cuidado a caderneta de vacinação infantil

Anunciada anteriormente pelo Governo de São Paulo para 08 de setembro, a retomada do calendário escolar no Estado foi adiada após uma análise das autoridades apontar novos casos de Coronavírus entre pessoas envolvidos neste processo.

A decisão é uma tentativa de impedir que se repita em São Paulo o mesmo episódio de Manaus, onde as escolas foram reabertas, mas precisaram fechar suas portas pouco mais de 20 dias depois, por causa da onda de novos casos da doença. Mas a polêmica sobre a reabertura das instituições vai muito além da pandemia. Dados recém divulgados pela FioCruz mostram que antes mesmo dos registros de Covid 19, a cobertura vacinal no Brasil já estava com índices abaixo do estimado.

O levantamento aponta que, entre os anos de 2017 e 2019, houve uma queda de 13,6% na cobertura vacinal em todo o país, queda que se intensificou por conta das medidas de isolamento. “As medidas de distanciamento social fizeram com que muitos pais e responsáveis, por medo da exposição ao novo coronavírus, adiassem cuidados de rotina de saúde da criança. É natural este processo, mas também é extremamente preocupante ver este cenário, porque muitas vezes esse adiamento pode trazer consequências a saúde das crianças, principalmente entre os menores”, alerta a médica pediatra do Grupo Sabin, Talita Cordeschi Correa.

Segundo a especialista, o processo de adaptação às novas rotinas dentro e fora de casa e nas escolas deve ser feito de forma gradativa, mas antes de tudo o primeiro passo é conferir como está a saúde da criança. “A atualização da caderneta de vacinas para crianças e adolescentes é uma decisão imprescindível nesta etapa de ressocialização”, afirma a especialista. A médica explica ainda que as vacinas são compostas por vírus ou bactérias, vivos atenuados, mortos ou partículas desses microorganismo que estimulam o corpo a produzir anticorpos capazes de proteger contra as doenças desencadeadas por esses patógenos. “É uma forma simples e segura de proteger os pequeninos contra diversas doenças por meio da imunização ativa. É um verdadeiro ato de amor”, destaca a médica.

Vacinação: sinônimo de proteção

Aliadas da saúde e prevenção contra inúmeras doenças, as vacinas são importantes aliadas da qualidade de vida das populações de todas as idades. “Estar vacinado é a melhor maneira de se prevenir contra diversas doenças causadas por vírus e bactérias e nesta etapa de tantos receios e incertezas, conferir a caderneta de vacinação e, mais do que nunca, mantê-la atualizada, é fundamental para proteger a saúde dos pequeninos e dessa maneira tranquilizar um pouco mais pais e responsáveis”, orienta Cordeschi.

Ao lado da médica, o gestor do Grupo Sabin, Jordânio Alves destaca ainda o sistema de imunizações e medicina diagnóstica do Grupo Sabin, que dispõe de um portfólio com mais de 3.500 serviços que ajudam a manter a saúde em dia. “O Sabin oferece mais de 20 tipos de vacinas que com o alto padrão de qualidade e que são administradas com atendimento diferenciado e personalizado que fazem do Sabin a referência em seu campo de atuação”, destaca.

Jordânio reitera também que as vacinas do Grupo passam por um monitoramento rigoroso de temperatura das geladeiras que comportam os imunobiológicos, a fim de garantir a sua qualidade. “Além disso, os equipamentos recebem manutenção preventiva e são monitoradas e administradas por profissionais atualizados e altamente capacitados”, complementa o gestor.

Para conhecer um pouco mais sobre os serviços de vacinação do Grupo Sabin, acesse: http://www.sabin.com.br/pt-br/exames-e-servicos/servicos/vacinacao.html