Editorial: caps

Ribamar pediu, e deputado Ataíde Teruel atendeu: R$200 mil para o CAPS de Osasco

O Presidente da Câmara Municipal de Osasco, vereador Ribamar Silva (PSD), encaminhou ao Deputado Ataide Teruel(PODEMOS) a solicitação de emenda parlamentar para a manutenção dos serviços oferecidos no CAPS- Centro de Atenção Psicossocial, de Osasco.
 
O Deputado indicou emenda no valor de R$ 200 mil para a instituição de serviço de saúde disponibilizado pelo SUS (Sistema Único de Saúde), em Osasco.
 
“Neste momento tão delicado que estamos enfrentando, este valor veio em boa hora. Será utilizado para manter a qualidade do trabalho maravilhoso oferecido aos pacientes”, conta Ribamar Silva.
 
Segundo Ataíde Teruel, “O CAPS trata exclusivamente pacientes que sofrem de transtornos mentais, psicoses, neuroses graves, dependentes químicos entre outras patologias psiquiátricas. Essa instituição do governo foi criada para combater os antigos manicômios, e oferecer um serviço de qualidade para esses pacientes, com profissionais capacitados para oferecer um tratamento mais humano e digno. O CAPS em Osasco também estimula a integração de seus pacientes com a família e a comunidade, através de ações de programas sociais e tratamento com um acompanhamento específico para cada tipo de paciente”, completa o Deputado Ataide Teruel.  
“Agradeço ao Deputado por olhar a nossa cidade com carinho e respeito”, comenta O Presidente da Câmara.

A emenda, com a finalidade de custeio, foi publicada no Diário Oficial do Estado e, na sequência, será encaminhada à Instituição.

Barueri inicia construção de três prédios para a atenção psicossocial

Crédito das imagens: Arte / Secretaria de Obras

O atendimento prestado na saúde vai beneficiar, ainda mais, os pacientes dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) de Barueri. E para isso, a Prefeitura começa a construir três prédios: um para o Caps AD III, um para o Caps Adulto e outro para o Caps Infantil e Jovem – todos na rua José Maria Balieiro, ao lado da Etec, no Centro Comercial Barueri. A ordem de início foi dada em dezembro e o término previsto é até final de 2018.

Estas unidades compõem a rede municipal de saúde e atendem, com equipes multiprofissionais, pessoas com transtornos emocionais graves ou severos e pessoas com problemas de abuso ou dependência de álcool ou de outras drogas.

O objetivo do governo de Barueri, além de aprimorar o atendimento, é centralizar os serviços disponibilizados pelos Caps para facilitar o acesso de seus frequentadores. Atualmente, os locais de funcionamento destes equipamentos estão na Vila Porto e na região do Centro.

As três obras terão ambientes para atender as mesmas necessidades dos pacientes: recepção-acolhimento, salas de atendimento, oficinas de artes, enfermarias, salas de observação, medicação, salões de convivência, cozinhas, refeitórios, setores de administração e áreas de convívio externas descobertas.

A exceção fica por conta do prédio do Caps AD III, que terá dois andares e, ainda, ambientes para oficina de culinária, sala para terapia ocupacional e sala multimídia.

O Caps AD III será erguido em terreno de 2.570 metros quadrados, e a área construída somará 1.346 metros quadrados. Já o Caps Adulto ocupará apenas um piso em terreno de 2.295 metros quadrados, sendo a área de construção no total de 678 metros quadrados – mesma área útil do Caps Infantil e Jovem. Esse prédio, no entanto, também terá construção de um pavimento em terreno de 2.309 metros quadrados.






Por reintegração, usuários de CAPS de Itapevi comercializam artesanato

Prefeitura estimula trabalho de pacientes do CAPS Adulto (Pedro Godoy/ Ex-Libris/ Secom PMI)

Iniciativa estimula trabalho, geração de renda e reabilitação psicossocial do público atendido

Pacientes do CAPS Adulto de Itapevi (Centro de Atenção Psicossocial) estão comercializando produtos de artesanato (peças de biscuit, patchwork embutido e caixas decoradas). A produção integra um projeto desenvolvido pelo Grupo Modelarte, composto por usuários do serviço de Saúde Mental do município. A iniciativa tem como objetivo estimular a geração de renda solidária, trabalho e reabilitação psicossocial.

Os produtos podem ser adquiridos na sede da Prefeitura (Avenida Presidente Vargas, 405 – Vila Nova) até quarta-feira (9). Já na quinta (10) e sexta (11), a feira será realizada na Secretaria de Saúde (Rua Dimarães Antônio Sandei,123 – Vila Nova Itapevi) – em todos os dias, o horário é das 8h às 17h.

A ação é promovida pela Prefeitura, por meio da coordenação de Saúde Mental ligada à Secretaria de Saúde e Bem-Estar de Itapevi. O Grupo Modelarte surgiu em 2009 na cidade e é composto por usuários e ex-usuários atendidos pelo CAPS II Espaço Conviver (Jardim Portela). Atualmente, são 10 pessoas beneficiadas pelo projeto.

O coordenador de Saúde Mental, Luiz Naporano, explica que os artesãos costumam participar com frequência de feiras de redes de saúde mental e de economia solidária como a Ecosol, um espaço de articulação de experiências de inserção no trabalho constituídos por trabalhadores que são usuários da Rede de Saúde Mental do Estado de São Paulo.

“O Modelarte surgiu como alternativa de trabalho e de inclusão social deste grupo de pessoas. Há o envolvimento de recursos financeiros, mas sempre seguindo e respeitando os pressupostos da economia solidária. Escolhemos, neste momento, a Prefeitura por ser um lugar de grande circulação de público e de boa aceitação popular”, disse Naporano.

Desde a sua implementação, a estimativa é de que cerca de 40 usuários do serviço de Saúde já tenham sido atendidos. As vendas são feitas em diversos pontos da cidade e fora dela com aviso prévio de parceiros.






Prefeitura e MP assinam acordo para reestruturar CAPS de Itapevi

Assinatura do TAC sobre reestruturação do CAPS Itapevi. (Pedro Godoy/ExLibris/Secom-PMI)

Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) irá melhorar atendimento nos Centros de Atenção Psicossocial da cidade

A Prefeitura de Itapevi e o Ministério Público assinaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para reorganizar o serviço dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) do município.

O documento foi firmado nesta segunda-feira (17) pelo prefeito Igor Soares e o promotor público Marcelo Silva Cassola no Paço Municipal, em evento com a presença de representantes do grupo Pais e Mães Azuis de Itapevi, que lutam por melhores condições de atendimento para crianças e adolescentes autistas.

Entre os compromissos assumidos, a Prefeitura irá criar e estruturar uma unidade do CAPS III (para cidades com mais de 200 mil habitantes) para atendimento 24 horas de crianças, adultos e adolescentes com transtornos mentais graves e persistentes, com necessidades de cuidados clínicos contínuos. Neste equipamento, o serviço oferecido deverá ter até doze leitos para observação e monitoramento de pacientes.

O TAC determina que os três CAPS que já existem na cidade (para atendimento adulto, infanto-juvenil e especializado em álcool e drogas) sejam mantidos em pleno funcionamento até a sua evolução para unidades de maior complexidade. Também está prevista a contratação de médicos, psicólogos, assistentes sociais e demais profissionais para atender a demanda, assim como o fornecimento de alimentação em todas as unidades.

O prazo para implantação destas ações é de seis meses a dois anos. “Vamos trabalhar para atender a todas essas demandas no menor tempo possível, especialmente as questões que se referem ao atendimento infantil”, disse o prefeito Igor Soares, que desde maio tem se dedicado junto às mães e pais das crianças autistas da cidade a encontrar soluções para melhorar o atendimento do CAPS Infantil.

“Durante anos, esperamos esta abertura e nunca tivemos. Agora, finalmente conseguimos”, disse Ana Maria Araújo, uma das representantes do Grupo Pais e Mães Azuis de Itapevi.

“Esse compromisso é resultado da nossa luta para dar aos nossos filhos autistas um atendimento digno e capaz de torna-los mais independentes. Estamos felizes por estarmos aqui hoje sendo recebidas pelo prefeito e, principalmente por estarmos sendo testemunhas da assinatura deste compromisso que é resultado da nossa luta”, afirmou Ana Maria.

“Os termos apresentados são muito coerentes e estão dentro do que o município pode fazer”, explicou Cassola. “Estamos satisfeitos com a prontidão com que o prefeito Igor Soares se dispôs a tratar desta questão tão delicada. Se o que estamos propondo aqui hoje se concretizar, Itapevi certamente vai se tornar referência em atendimento psicossocial na região”, completou o promotor.






CAPS AD faz ação pelo Dia de Combate às Drogas

O Dia Internacional de Combate às Drogas, lembrado nesta segunda-feira (26) não passou em branco em Cotia. Isso porque profissionais do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD) da Secretaria de Saúde de Cotia realizaram uma ação especial por meio do projeto Atravessando a Passarela com adolescentes da Escola Estadual Pedro Casemiro Leite, situada às margens da rodovia Raposo Tavares.

Embora a unidade escolar esteja em férias, um grupo de 15 alunos participou da programação que contou com roda de conversa, música, alongamento e dança. “Em 2016 tivemos conhecimento de alguns problemas relacionados às drogas nesta escola, através de um aluno daqui que atendemos no CAPS AD. Viemos com esta proposta de fazer uma ação que pudesse frear o problema e fortalecer os adolescentes”, disse Teresinha Cabral, terapeuta ocupacional do CAPS AD. “Apresentamos o projeto Atravessando a Passarela, já que o CAPS AD está a uma passarela da escola. A direção da unidade aprovou e começamos este trabalho”, acrescentou.

Para a coordenadora da escola, Nelma Albanez, as mudanças comportamentais já são visíveis. “O projeto está mudando o foco dos alunos. Alguns deles, que se demonstravam mais vulneráveis às ofertas ruins que rondam os muros da escola, já não demonstram mais aquele interesse”, disse.

Segundo ela, como o projeto trabalha aceitação das diferenças, bullying, conscientização, música e dança, no contraturno escolar, e os alunos que participam estão cuidando mais da escola. “Percebemos um maior sentimento de pertencimento e cuidado com a escola. Estão mais na sala de aula e melhorarão o desempenho”, completou.

Durante a roda de conversa, o psicólogo Josafá Rosendo de Lima conversou com os estudantes sobre a adolescência e as curiosidades e necessidades latentes nesta fase da vida.

Por meio da poesia, livros e canções, o psicólogo alertou sobre o risco do uso das drogas e sobre o prazer efêmero que ela traz, mas com efeitos devastadores e, na maioria dos casos, longos e irreversíveis. “A droga se apresenta como uma possibilidade na vida de vocês, ela causa sensação boa, tanto que quem usa chega a viciar, mas depois vem o desespero e não se consegue sair sozinho”, disse Josafá. “Não vale a pena estragar a vida com estas fantasias. Evitem contato com as drogas, busquem o barato no amor, na paixão, na cultura”, concluiu.

Para Maria Helena Silva, mãe de uma adolescente de 13 anos que participa do projeto, o CAPS AD está de parabéns pela iniciativa. “Fico mais tranquila de saber que minha filha está participando de um projeto assim do que nas ruas ou o dia todo no celular conversando não sei com quem”, disse. De acordo com ela, a filha está bastante entusiasmada com o projeto, participa das atividades e faz as pesquisas propostas. “Estamos adorando”, avaliou.

O projeto Atravessando a Passarela acontece duas vezes por semana, no período da manhã e da tarde, em encontros que duram duas horas. Para a programação desta segunda-feira, o CAPS AD também contou com a participação do professor de dança, Claudinei do Nascimento, do professor de música, Wilson Rocha e do educador físico, Bruno Rabechini.