“Respeito esse governo porque foi eleito pelo voto popular. A intenção da administração foi até bacana, porém se perdeu no caminho e hoje inaugura obras atrasadas.”

5.2__MG_0030Vanderlei Fernandes, é morador de Carapicuíba, casado e pai de um filho. Estudante de Direito. Filiado ao Partido Rede é pré-candidato a prefeito em Carapicuíba.

1 – Por que você é pré-candidato a prefeito?
R: Não sou eu que quero, são as pessoas que me querem representando uma nova ideia. Eu hoje sou o porta voz das pessoas que estão inconformadas com a situação política que existe hoje.

2 – Como você vê a situação política hoje?
R: Não é a questão como eu vejo, mas sim como a sociedade enxerga o político. Hoje político é associado a ladão. O objetivo do partido REDE é resgatar o verdadeiro papel da política, mas hoje alguns enxergam a política como oportunidade de negocio.

3 – Como estão construindo a plataforma de governo do seu partido?
R: Optamos por fazê-la de forma colaborativa, é uma plataforma onde buscamos a Carapicuíba que queremos, qualquer cidadão poderá debater o projeto e sendo realmente viável,  iremos chamar a população para discuti-lo. Queremos chamar a sociedade para construir um projeto.

4 – Como você chegou até o partido REDE?
R: Estou desde o inicio. Sou admirador da Marina. E devido uma tragédia particular eu fui obrigado a tomar uma atitude e comecei a militar nos movimentos sociais, e aderi ao projeto porque me identifiquei, depois de conhecer bem a cidade hoje eu vejo o REDE como alternativa para solucionar os problemas vividos por Carapicuíba.

5 – Na cidade estão formando blocos políticos e você pelo visto não compõe nenhum deles, você se considera a terceira via?
R:  Olha eu não me enxergo como terceira via, eu vejo o REDE como única via, poís é o único partido que dá voz a população. Agora cabe as pessoas entenderem esse processo. Já sobre o “blocão” eu não gostaria de falar, pois respeito a história política deles. Eu não fui convidado para participar e mesmo assim não participaria pois queremos apresentar uma nova forma de fazer política.

6 – Como você avalia a atual gestão da cidade de Carapicuíba?
R: Respeito esse governo porque foi eleito pelo voto popular. A intensão da administração foi até bacana, porém se perdeu no caminho. O discurso era bonito e pregavam melhorar a cidade, porém hoje se promovem em cima de algumas obras atrasadas.

7 – Você nunca teve cargo publico, você não acha que isso pode ser considerado como falta de experiência para governar uma cidade?
R: Jamais, isso me dá orgulho, porque nunca recebi um centavo do dinheiro publico. Porque se cargo fosse sinônimo de competência a gestão da cidade era para ser eficiente. Eu me sinto competente, tenho visão moderna, estudei a cidade, sei das carências.

8 – Como andam os diálogos para a escolha do seu vice? O partido tem conversado com outras legendas?
R:   A rede defende sempre o dialogo. Não queremos ser os donos da verdade, queremos compartilhar nossa plataforma com outros partidos. Todos os partidos tem boas ideologias no papel. Porém não estamos dispostos a caminhar com algum partido a qualquer preço.

9 – Vocês tentaram sentar com alguns partidos para dialogar? como foi essa experiência?
R: Estamos montando uma proposta para a cidade e não para o Vanderlei ou para o REDE, porém quando fomos discutir as propostas vimos que a linguagem era outra, eram propostas pessoais e não para a cidade. Respeito o caminho que cada um segue, mas não encontrei uma proposta para a cidade.

10 – No quesito vereadores, como está o partido? como está a sigla para lançar a chapa?
R: Temos a chapa completa, formada por cidadãos de diversos setores sociais, estamos bem mesclado. São pré-candidatos que de fato tem trabalhado. Alguns vereadores procuraram a sigla para se filiar, porém percebemos que não podiamos aceitar porque iriamos ferir os princípios da ficha limpa. Nosso objetivo era dar oportunidade para gente nova.

11 – Qual a proposta do partido para a Educação da cidade, caso vocês sejam eleitos?
R: A educação em tempo integral é o que defendemos, mas temos que trabalhar, não devemos prometer. Se você promete depois você não cumpre e não tem que prometer, tem que trabalhar. Porém não temos que prometer, o que adianta prometermos algo se a sociedade está cheia de promessa, temos é que fazer funcionar o que tem o que já existe.

12 – Como resolver os problema de Carapicuíba?
R: Temos que gerar renda para a cidade incentivando o empreendedor, eliminar a corrupção e fazer funcionar o que já existe. Nossa cidade tem potencial e o que está precisando é de alguém com capacidade de ouvir a população para poder governa-la.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.