Palestra para gestantes marca o Mês da Amamentação em Cotia

Futuras mamães puderam esclarecer dúvidas e saber um pouco mais sobre a forma correta de amamentar para evitar dor ou fissuras na mama

 

Um grupo de gestantes que faz acompanhamento pré-natal na Clínica da Mulher de Cotia participou de uma palestra sobre cuidados durante a gravidez, alimentação, cuidados com a saúde da mãe e do bebê, sinais de parto, banho e, como não poderia deixar de ser, sobre amamentação, já que agosto é o Mês da Amamentação e o Dia Mundial da Amamentação foi lembrado no dia 1º.

As gestantes, e alguns maridos que as acompanharam, puderam esclarecer dúvidas e saber um pouco mais sobre a forma correta de amamentar para evitar dor, fissuras na mama, mastite, entre outras intercorrências que podem desestimular a amamentação. “A posição correta da pega da mama é muito importante. O momento da amamentação tem que ser de relaxamento para a mãe e para o bebê”, disse a enfermeira Eneida Moretti Fré, que ministrou a palestra. “A mãe precisa estar em posição confortável, se tiver dor, precisa acertar a pega. É preciso insistir, o benefício para ambos é maior do que qualquer desconforto”, completou.

A futura mamãe Natália de Oliveira dos Santos, de 20 anos, grávida de sete meses da pequena Luna Vitória, acompanhou atentamente a palestra e achou muito positiva. “Embora eu nunca tenha amamentado, não tenho medo de sentir dor. E com as orientações que a enfermeira deu, acredito que vai ser bem tranquilo, gostei muito das dicas sobre como dar banho, limpar o umbigo, muito bom”, disse Natália, que mora no Parque São George.

Durante a palestra, a enfermeira aproveitou para falar sobre o Banco de Leite do Hospital Regional de Cotia. “Uma das situações que algumas mamães enfrentam é o excesso de leite que pode empedrar e causar dor. Se este for o caso de vocês, procure o Banco de Leite do hospital que eles retiram o leite na casa de vocês”, disse Eneida buscando sensibilizar as gestantes a doarem leite materno, caso produzam mais do que seus bebês possam consumir. “Muitos motivos levam uma mãe a não poder amamentar e temos muitos casos de bebês prematuros que precisam da solidariedade de vocês”, completou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.