Oficina de horta e jardim promove bem-estar às pessoas com deficiência

Oficina de horta estimula os sentidos e melhora o convívio social  

Estimular os sentidos e incentivar o cuidado com a natureza são alguns dos benefícios promovidos pela Oficina de Horta e Jardim da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SDPD). Esta oficina integra as atividades oferecidas pelo Programa Centro-Dia, voltado à pessoa com deficiência adulta. 

De acordo com o psicopedagogo Silvio Marques, a horta tem como principal objetivo promover a interação social dos usuários por meio de atividades coletivas. 

“O foco é a socialização, é o momento de estarem juntos e terem essa troca”, explica Silvio, que também é idealizador do projeto e ressalta a importância desse convívio para as pessoas com deficiência.  

A aposentada Marleide Maria da Silva, mãe de Geisa Lima dos Santos, que tem síndrome de Down e participa do programa Centro-Dia na SDPD, conta sobre a evolução da sua filha, conquistada graças às atividades. 

“O contato com a horta tem sido maravilhoso pra minha filha. Eu tenho plantas em casa e ela, junto comigo, tem interesse em cuidar e mexer com a terra. Isso é muito gratificante, porque além de ela ter contato com a natureza, também se aproximou mais das pessoas, melhorou o convívio social”, disse.  

Consciência ecológica  

O reaproveitamento também é ensinado aos usuários, já que os produtos orgânicos que seriam descartados são utilizados na produção de adubo natural. Materiais recicláveis são empregados e garrafas pet são transformadas em mini composteiras.    

Saúde no prato 

Na horta tem hortelã, capim-santo, pimenta, beterraba, batata doce, maracujá, couve, cebolinha, hibisco, ora-pró-nóbis, abacaxi, entre outros. O contato com essa variedade de ervas, frutas e vegetais também desenvolve o papel de estimular os usuários e seus familiares a darem preferência por uma alimentação mais saudável, nutritiva e econômica. 

“A gente conversa muito com eles para levarem isso pra casa. Motivando a família a plantarem uma hortelã, por exemplo, e consumirem um chá da erva, sempre explicando os benefícios que são proporcionados à saúde”, explica a terapeuta Ocupacional Jacqueline Oliveira Couto.