Márcio França volta a São Vicente para agradecer os 64% de votos válidos

O candidato ao governo do estado pelo PSB, Márcio França, voltou nesta segunda-feira (8) a sua terra natal, São Vicente, para agradecer aos moradores do município pelos 64% de votos válidos obtidos na votação de 7 de outubro. “Essa é uma diferença muito grande entre as candidaturas. No lugar que me conhecem, eu fui super bem. Na cidade onde o Doria (João Doria, PSDB) foi prefeito, São Paulo, ele ficou com 26% e quase empatou comigo”, citou. O novo governador obteve 22% na capital paulista, cidade abandonada pelo tucano, então prefeito, no início deste ano.

França acrescenta que só não teve percentual ainda melhor no primeiro turno (21,53%) porque muitos ainda o desconhecem. “Fui a uma entrevista hoje em São Paulo e, andando nas ruas, tinha gente que perguntava quem eu era”, contou. “Esse foi sempre meu maior desafio: o de me apresentar à população. Conforme isso foi acontecendo durante a campanha, os votos vieram naturalmente”, analisou.

Depois de ter sido recebido com fogos de artifício em São Vicente, a todo momento, durante a entrevista à imprensa, ouviam-se gritos de apoio a França, adorado na Baixada Santista. Tanto que foi o primeiro colocado em todos os municípios da região.

Os dois principais institutos de pesquisa brasileiros, Ibope e Datafolha, davam apenas 4% das intenções de voto ao candidato do PSB nos últimos levantamentos de agosto. Assim que começaram as propagandas eleitorais, debates, agendas de campanha e os horários políticos de rádio e televisão, a partir de 31 daquele mês, as propostas de Márcio França começaram a ser divulgadas e ele iniciou a surpreendente arrancada rumo ao segundo turno, deixando para trás Paulo Skaf (MDB) na reta final da apuração.

“As pessoas não queriam mais o PSDB nem o MDB no governo estadual e deixaram isso claro. Eu represento uma alternativa. Sem contar esse detalhe, sempre fui mais verdadeiro, falava de igual para igual com o povo, ao contrário dos meus concorrentes”, disse França.

Para o novo governador, o seu jeito simples e sincero cativou os eleitores e o ajudou a avançar na votação. “O Doria fala tudo ensaiado, não tem como alguém acreditar. E daqui para frente essas características vão ficar ainda mais claras”, afirmou. “Como no segundo turno a eleição é mais de rejeição do que de escolha, ele vai se dar mal porque ninguém aguenta nada tão falso e mecânico.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*