Estreia da categoria Extra Máster teve muita garra e disposição

Houve muito fair play na abertura do tradicional Campeonato Amador de Futebol de Barueri, mas também muita exigência aos veteraníssimos jogadores, todos maiores de 60 anos. Os técnicos quase não se lembram que a velocidade deles não é a mesma de décadas atrás e gritam: “Corre, corre; cruza no segundo pau; chuta pro gol…”

A categoria Extra Máster foi criada da necessidade de contemplar os jogadores que envelhecem, mas não perdem a paixão pela arte da bola. Há 17 clubes na categoria. Nem todos os atletas são moradores de Barueri, mas muitos já garantiram o direito de continuar participando em razão de terem disputado cinco ou mais campeonatos.

O jogo entre Simões Neto e São Pedro marcado para as 7h45 do último sábado (dia 27) teve uma demonstração de fé. Os integrantes do time com nome de santo se abraçaram e oraram antes do apito inicial. As preces deram certo no primeiro tempo: terminou 1 a 0 para eles. Gol de Gimenes.

Na segunda etapa, Altivo cobrou uma falta fora do alcance do goleiro Antônio Carlos e empatou o jogo. Gilvon, poucos minutos depois, cabeceou e fechou o placar. O técnico Alexandre Rodrigues achou que os dois gols eram defensáveis, mas atribuiu a derrota a outro motivo.

“Estamos focados nas semifinais de Osasco. O campeonato aqui está no começo ainda”, declarou. Detalhe: os quatro semifinalistas daquele campeonato são daqui (São Pedro, Barueri, Esperança e C.A. Barueri). A fome de bola não tem fronteiras.

Vovôs cheios de disposição – Há vários jogadores que já passaram dos 70 anos e continuam demonstrando muita garra. Destaque para Antônio Benedito Zeferino, de 67, do São Pedro, que está os 60 minutos de jogo em todos os cantos do campo.

O mais veterano, entretanto, é Antônio Carlos Rodrigues Machado – o Aranha -, goleiro do São Pedro, que em 31 de julho completará 75 aninhos (nasceu em 1944). Ele defende o clube há dois anos.

Essa raposa do futebol, empreiteiro de obras aposentado, já jogou com Serginho Chulapa e Mauro (ex-Corinthians) no Vasquinho da Casa Verde e nem pensa em parar: “enquanto eu tiver saúde e me deixarem jogar, eu continuo”, afirmou antes de dar uma boa gargalhada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.