Como saber o valor do imóvel que posso comprar?

Adquirir um imóvel à vista é um luxo que poucos podem ter, por isso, a forma mais viável para aquisição da casa própria é o financiamento imobiliário, devidos às condições que facilitam o pagamento. 

Com o atual contexto de crise financeira e medidas de isolamento social, este sonho parece ainda mais distante, contudo os tempos de recessão trazem possibilidades de ótimos negócios, pois induzem os preços dos imóveis a caírem, gerando boas oportunidades de negócio.

E como saber o valor do imóvel que posso comprar?

Bom, o começo de tudo vale pesquisar o preço médio do bairro que você deseja morar e a renda mínima exigida pelas instituições financeiras para aprovar um financiamento.

A partir daí você pode começar a planejar a concretização deste sonho.

Para quem tem uma sólida educação financeira e segue a risca o planejamento, fazer uma reserva do salário desde já vai ajudar a ter um saldo bom para uma boa entrada na hora da negociação.

Porém sabemos que, por motivos diversos, nem todos conseguem fazer isso e o financiamento imobiliário é a única alternativa, caso não se torne herdeiro de uma fortuna.

Convém ainda dizer que é necessária uma quantia em dinheiro para dar de entrada ao financiar o imóvel, já que atualmente nenhum banco financia 100% do valor.

Como calcular o valor do imóvel que posso comprar?

As condições para fazer um financiamento variam de acordo com as regras de cada banco, das condições do comprador, bem como os juros queo incorporados ao pagamento das prestações.

As instituições bancárias levam em consideração o perfil de cada cliente, como: se já tem outro imóvel, a idade do comprador, em que tipo de atividade trabalha, o valor que dispõe para dar como entrada, além de outras informações.

A regra geral, que vale para todos os bancos, é que o valor máximo que o comprador poderá utilizar para financiar o imóvelo pode ser superior a 30% da renda familiar mensal.

Esta regra limita a faixa de preço de imóveis de acordo com a renda familiar do cliente, no entanto é uma maneira das instituições financeiras evitarem situações de inadimplência dos compradores

Por exemplo, se a sua renda familiar é de R$ 6.000, então o valor que poderá assumir em uma parcela será de até 30%, ou seja, o financiamento seria de aproximadamente R$175 mil.

Entenda que a renda avaliada para liberação do financiamento não se restringe apenas a sua, mas de todas as pessoas moradoras da casa.

Ter mais pessoas com renda pode ajudar na hora de financiar, já que implica no aumento do valor financiado, permitindo a compra de um imóvel melhor e maior.

Saldo da entrada

É de suma importância que você tenha uma quantia em dinheiro para oferecer de entrada ao negociar a compra de um imóvel. Além de ser uma exigência da instituição financeira, quanto menor for o financiamento, menor será a cobrança de juros.

É comum os bancos exigirem que você dê no mínimo 20% do valor do imóvel como entrada.

Saiba que o valor da entrada será um dos principais fatores que definirá valor e prazo das parcelas do seu imóvel

Isso significa que quanto maior a entrada, mais cedo o imóvel será desvinculado da instituição financeira que realizou o financiamento e você poderá chamá-lo de seu.

Você pode fazer simulações nos sites das instituições bancárias para se informar sobre o valor do imóvel que consegue financiar, o saldo necessário para a entrada e o tempo de duração do financiamento.

Pesquise em mais de um banco, pois as taxas de juros variam conforme a instituição. Escolha aquele que possui melhores condições com menores taxas e um período de contrato adequado à sua realidade.

Nem sempre o banco onde você possui conta corrente é o mais apropriado, pois é preciso verificar se ele oferece o tipo de financiamento de que precisa.

Posso usar o FGTS para negociar?

A Caixa Econômica Federal informa que é sim possível usar o saldo da sua conta de FGTS para realizar a comprar do imóvel, amortizar o saldo devedor ou utilizar para pagamento de prestações.

Mas é válido lembrar que só é possível utilizar o saldo do FGTS o trabalhador que possua no mínimo três anos de trabalho de carteira assinada, ainda que em empresas e períodos diferentes.

Para saber mais sobre a documentação necessária e as condições de liberação acesse este link.

Fique atento!

É importante que o comprador tenha uma reserva financeira, ou seja, não gaste toda poupança. Em caso de situações imprevistas poderá se garantir, seja para situações de reforma ou mesmo de desemprego.

Planejamento financeiro é a palavra de ordem para quem deseja comprar um imóvel.

Leia também: Quando é possível pedir tutela antecipada na ação de imissão de posse?