Com boa vontade política é possível consertar e melhorar a qualidade de vida das pessoas

tom-moisesO nome dele é Antônio Eustáquio Moisés, conhecido popularmente por todos como Tom Moisés, natural de Belo Horizonte, Minas Gerais, onde nasceu no ano de 1971 e no ano de 2000 veio morar na cidade de Barueri, e aqui alcançou grandes sucessos em sua carreira.
Tom Moisés sempre foi um homem que gostou de estudar, é formado em Contabilidade, Administração de Empresas e Marketing; pós-graduado em Administração Pública e em Gestão de TI (Tecnologia da Informação), jornalista, escritor, autor, professor universitário e palestrante.
Como artista, Tom Moisés já representou a cidade em vários programas de TV como no Domingão do Faustão, Sílvio Santos e Show do Tom, apresentado por Tom Cavalcante. Como Secretário Municipal de Comunicação do então prefeito Rubens Furlan ampliou o relacionamento entre cidadão e poder público, promoveu diversas iniciativas para a economia do dinheiro público e fundou o Jornal Oficial do Município. Como jornalista, fundou o Jornal Popular de Barueri e seu estilo único fez deste, em pouco tempo, um dos mais lidos e apreciados na cidade.
No exercício de suas atividades como jornalista, Tom Moisés visitou muitas famílias para a realização das reportagens e descobriu realidades terríveis onde nos últimos anos em Barueri, o poder público desamparou muito as pessoas, principalmente as que têm algum tipo de deficiência e observou muita coisa errada que, com boa vontade política é possível consertar e melhorar a qualidade de vida das pessoas.  Tom Moisés pensa que não é necessário ser político para fazer o bem, cuidar e ajudar as pessoas, mas, os políticos podem fazer ainda mais.
Estando habituado a servir e a defender causas coletivas, segundo Tom Moisés, como vereador poderá servir ainda mais.
De seus projetos, Tom Moisés tem propostas para mudanças viáveis e possíveis em todas as áreas; mas, não faz promessas, mas irá  fazer e muito bem feito. “Fazer a obrigação não é favor e parece algo óbvio. Mas é que hoje, nem isso se faz em Barueri”, finalizou.

Um comentário

  1. Vivenciamos uma formatação social, onde somos acovardados a ficar imóveis por nossos direitos de cidadão, até entendo que muitos no âmago de sua Alma prefira esta postura, por uma complexidade de reflexões nas variáveis ações às quais somos submetidos no dia dia que nos obrigam a deliberar por nossas incertezas de escolhas que podem resultar na perda do controle que não temos, sendo assim, muitos se permitem ao conforto domesticado a sair e lutar na construção de suas realizações, uma tarefa árdua e sem garantias, porém é ainda a única ação dígna de responder ao que nos chamamos “seres humanos” e por esta verdade devemos honrar nossas gerações na ação de cidadania, saindo e defendendo ao projeto que acreditamos ser melhor para nossas futuras gerações, escolhendo com convicção e coragem a pessoa que melhor pode realizar e cuidar dos interesses coletivos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*