Cirurgia segura: muito além do que procedimentos padronizados

Enfermeira Elaine Regina da Silva, supervisora de Cirurgia do Hospital São Francisco.

Não há exagero quando se fala em garantir mais segurança ao paciente que será submetido a uma cirurgia. Sabendo da importância do tema, as equipes multiprofissionais do Hospital São Francisco seguem à risca o protocolo de cirurgia segura preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Medidas estas que reduzem os riscos de eventuais danos ao paciente.

Procedimentos errados como cirurgia errada, do lado errado e no paciente errado, entre outras falhas no cuidado poderiam ser evitados com medidas de prevenção apresentadas em protocolos de cirurgia segura como a Lista de Verificação (check-list).

Desde a identificação correta do cliente até o processo pós-cirúrgico, os profissionais da saúde envolvidos com esses processos cumprem o check-list que determina uma série de orientações e checagens em todos os setores hospitalares. 

“Ao dar entrada no hospital, a equipe garante que o paciente certo será operado no local certo. Os métodos utilizados têm embasamento científico a fim de prevenir complicações que podem acontecer antes, durante ou após a cirurgia. O resultado esperado é mais segurança ao paciente e menos chances de erros assistenciais”, explica Elaine R. da Silva, enfermeira supervisora do Centro Cirúrgico e CME do Hospital São Francisco.

Dupla checagem
No check-list são conferidas questões como o nome do paciente, data de nascimento e qual procedimento irá realizar antes de entrar na sala cirúrgica.

“Quando o paciente chega na porta do centro cirúrgico, algumas das confirmações é a checagem da pulseira de identificação e qual cirurgia ele fará. Não o induzimos a resposta e observamos o termo de consentimento da cirurgia”, explica a enfermeira.

Os materiais também passam por uma rigorosa checagem, pré operatória, confirmando a esterilização (incluindo os resultados dos indicadores).

Um novo check-list é feito antes da indução anestésica, antes do início da cirurgia e após a cirurgia.

Embora possa parecer repetitivo, esse passo é essencial para garantir que a equipe não opere o paciente errado, no local errado ou realize o procedimento errado.


O local e o lado que será operado também são demarcados pelo médico. Caso o paciente faça uma intervenção cirúrgica de hérnia, por exemplo, será identificada a região.

Demarcação de Lateralidade
A demarcação de lateralidade é identificação do local ou locais a serem operados. Esta demarcação é importante em casos de distinção entre direita e esquerda, estruturas múltiplas (dedos das mãos e dos pés, costelas) e níveis múltiplos da coluna vertebral.

A contagem dos instrumentos, compressas cirúrgicas gazes e agulhas, dentre outras é realizada sempre antes do término da cirurgia.

Métodos que reduzem as taxas de infecções em sítios cirúrgicos também são aplicados pela equipe médica. 

“O antibiótico profilático é administrado 60 minutos antes da operação, prevenindo o surgimento de infecções. O material também é checado e esterilizado. Um integrador químico, substância que certifica a eficiência da esterilização, é utilizado para garantir a qualidade dos instrumentos cirúrgicos”, garante Elaine.

Rastreabilidade
Outro processo que propicia mais segurança ao paciente é o sistema de rastreabilidade dos instrumentos. Trata-se do registro dos materiais utilizados, gerando informações precisas sobre a sua procedência. A tecnologia evita a reutilização de descartáveis, permite mais controle dos produtos de matéria esterilizável, facilita a identificação da sua origem e possibilita a investigação de casos, dentre outros benefícios. 

Metas internacionais de segurança
O Hospital São Francisco cumpre as metas internacionais de segurança da OMS, sendo elas a identificação correta do paciente, uma melhor comunicação entre os profissionais de saúde, a garantia total de segurança no manuseio de medicamentos de alta vigilância, a redução do risco de infecções e a prevenção de lesões no paciente decorrentes de quedas. O Hospital São Francisco possui uma equipe qualificada e toda a estrutura tecnológica para o seu tratamento. Agende uma consulta pelo telefone (11) 4615-6677. O São Francisco é acreditado pela ONA – Organização Nacional de Acreditação -, entidade que certifica os melhores hospitais do Brasil. A unidade fica na avenida Professor Manoel José Pedroso, 701 – Cotia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.