Barueri

Programa de Ações Preventivas da Guarda instrui jovens da rede de ensino de Barueri

O Programa de Ações Preventivas da Guarda Municipal de Barueri retomou os trabalhos deste ano nas escolas da rede de ensino da cidade. O trabalho é dirigido pelo departamento de Humanização da Secretaria de Segurança e Mobilidade Urbana e, agora, integra a ação “Escola Mais Segura” lançada no início do mês.

O Programa consiste em levar aos jovens e adolescentes informações sobre os riscos que o álcool e os entorpecentes podem causar, não só ao organismo, mas à sociedade. As palestras são realizadas para alunos dos 8º e 9º anos do Ensino Fundamental da rede municipal e para o Ensino Médio estadual, compreendendo a idade entre 13 e 17 anos. Os estudantes recebem orientações dos Guardas Municipais que são capacitados pela Rede Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública).

“Há uma contribuição significativa na formação dos nossos jovens quando abordados pelos guardas. Eles passam a perceber que existem prazeres saudáveis e Barueri oferece opções diferenciadas de cultura e esporte. De imediato, temos mudança de postura no ambiente escolar e mais respeito ao próximo. Já em longo prazo, uma geração mais consciente de suas ações, agindo a partir de reflexões e não de impulsos”, enfatiza Vânia Santos, supervisora de Ensino.

Em 2018 foram atendidos 3.944 alunos e desde o início de 2019, 623 estudantes já passaram pelas orientações dos agentes. A expectativa é que toda a rede de ensino municipal seja atendida até o final do ano.

Perigos comuns

Durante a palestra, os Guardas interagem com os alunos levantando assuntos relevantes e cotidianos, como o uso do narguilé, uma espécie de cachimbo à base de água muito utilizado no oriente médio. No Brasil, é usado principalmente para o tabaco, embora também possa ser acompanhado de outros tipos de ervas, como a maconha. O uso do cachimbo, seja tradicional ou eletrônico, virou febre entre os adolescentes e, permitido por muitos pais, por acharem erroneamente que o consumo não é prejudicial à saúde e não causa dependência.

Alunos da rede municipal têm ‘aula de cidadania’ no Parlamento 26 de Março

Alunos do 3º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental João de Almeida, do Engenho Novo, tiveram uma aula bem diferente na tarde de quarta-feira, 24. Eles estiveram no Parlamento 26 de Março e, num passeio histórico e cultural pelos corredores da Câmara Municipal de Barueri, tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a cidade em que vivem.
Os 45 estudantes, com idades entre 7 e 9 anos, visitaram todos os departamentos e entenderam, bem de perto, como é o funcionamento da Casa. As crianças aprenderam um pouco do processo que envolve a elaboração das leis, a história do Parlamento e do município.
A professora Carolina Santos Rodrigues foi quem planejou a visita. A ação faz parte de um projeto do prêmio Professor Giz de Ouro, criado pelo Executivo. “Os alunos estão aprendendo sobre história. Já visitamos a Capela, o Museu e agora viemos à Câmara, onde os direitos são consolidados. É importante formarmos os alunos com base na democracia, para que conheçam e se insiram nas questões políticas do município”, explicou. 
Após conhecerem o prédio da Câmara, os alunos foram recebidos pelo vereador Sílvio Macedo (DC) no plenário. O parlamentar explicou seu dia a dia na atividade e destacou a importância dos cidadãos no papel de fiscalização do trabalho dos políticos e da forma que a instituição vem trabalhando para aumentar sua transparência. “O cidadão deve fiscalizar quem elege, pois nós, políticos representamos o povo. Os estudantes ainda são muito novos para compreender tudo isso, mas tenho certeza que a semente da cidadania está sendo bem plantada”, afirmou.
E o vereador tem razão. Em um bate-papo com os alunos, não faltaram futuros candidatos ao Parlamento. “Eu quero ser vereadora para conversar com o presidente e fazer muitas coisas para ajudar as pessoas”, sonha a pequena Laila Oliveira, de 8 anos.

MPD Engenharia entrega novo Fórum de Barueri

Com uma estrutura moderna construída em mais de 16 mil m², o novo Fórum de Barueri foi entregue ao Poder Judiciário do Estado de São Paulo, nesta quinta-feira, dia 25 de abril. Realizado pela MPD Engenharia, uma das maiores construtoras e incorporadoras do país, o projeto foi idealizado para oferecer funcionalidade ao público da região.

As três pavimentações reúnem 12 salas para os juízes com espaço para as audiências, 12 para o Ministério Público, 10 para cartórios, sala para a Ordem dos Advogados do Brasil, plenário para o júri com dormitórios para jurados, hall de entrada e 243 vagas de estacionamento. A estrutura foi projetada para oferecer acessos separados e independentes, a fim de facilitar a logística e aumentar a segurança de quem utiliza o complexo.

O crescimento da cidade exigiu que a obra fosse realizada com agilidade e dentro do prazo, marca registrada da MPD. “Estamos orgulhosos em oferecer novas instalações para o Poder Judiciário e para o Ministério Público da região que sempre nos acolheu tão bem. O prédio é bem completo e recebeu investimentos que garantem sua longevidade e não vão exigir muita manutenção”, comenta Milton Meyer, vice-presidente da empresa.

A ideia é que o novo fórum se pareça muito com uma cidade judiciária, reunindo uma ampla variedade de serviços para facilitar a vida da população e dos profissionais.

Sobre a MPD

A MPD atua há 36 anos na construção de indústrias, hospitais, universidades, galpões de logísticas, shopping centers e na incorporação de apartamentos e escritórios de médio e alto padrão, prezando pela qualidade de acabamento, entrega 100% no prazo e pelo respeito aos seus clientes e colaboradores. Além disso, investe em desenvolvimento tecnológico e boas práticas construtivas, sem deixar de lado as responsabilidades social e ambiental. Para a MPD, seus colaboradores são seu principal pilar, sendo primordiais para que alcance seus objetivos de negócio. Pela constante valorização de sua equipe, a empresa já foi reconhecida duas vezes com o Prêmio Valor Carreira como uma das Melhores Empresas na Gestão de Pessoas, cinco vezes como uma das Melhores Empresas para Você Trabalhar da revista Você S.A e conquistou recentemente o 9º lugar do Ranking ITC, que elege anualmente as 100 Maiores Construtoras do Brasil.

Gol mais bonito do Paulistão 2019 é do Oeste Barueri

Em solenidade realizada na noite desta segunda-feira, dia 22, numa badalada casa noturna de São Paulo, a Federação Paulista de Futebol elegeu os melhores do Campeonato Paulista Série A1.

O gol mais bonito do Paulistão ficou para Bruno Lopes, do Oeste Barueri. No jogo contra o Santos, no Pacaembu, ele chutou de fora da área sem dar qualquer chance de defesa ao goleiro Vanderlei. Confira o golaço: https://www.youtube.com/watch?v=0uVVuGX6Jgw.

Na ocasião, um sábado chuvoso de carnaval, o Rubrão esteve duas vezes à frente no placar, mas foi castigado com um gol nos acréscimos da etapa final. Mesmo perdendo por 3 a 2, foi considerado o melhor jogo do time de Barueri no campeonato.

A seleção do campeonato foi dominada por quatro indicações do Corinthians e quatro do Santos. Coube a Martinelli, do Ituano, ser o único integrante de um clube do interior a figurar entre os escolhidos.

Lançado em Barueri o Apadrinhamento Afetivo

Você já pensou em apadrinhar uma criança ou adolescente de forma afetiva? Sabe o que é o Apadrinhamento Afetivo? Barueri, por meio da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (Sads) e Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) está lançando esse programa.

Basicamente, o Apadrinhamento consiste em proporcionar um padrinho ou madrinha a uma criança ou adolescente (10 a 17 anos) que está acolhida. Ele está previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), no Plano de Direito a Convivência Familiar e Comunitária e nas Orientações Técnicas dos Serviços de Acolhimento para Crianças e Adolescentes. 

Uma das características do Apadrinhamento Afetivo é que ele não tem caráter financeiro e sim emocional. A importância do vínculo (padrinho/madrinha) é fundamental, pois quando um adulto substituto da família se faz presente de modo estável, ele pode orientar, mostrar sua cultura e acompanhar essa criança/adolescente colaborando significativamente para o seu desenvolvimento. 

Como fazer? 

Para ser um padrinho afetivo é preciso ter inicialmente vontade de ser uma referência na vida de seu afilhado; ter disponibilidade de tempo; participar de um processo de qualificação/seleção; ter no mínimo 25 anos; não estar no cadastro de adoção; não ter antecedentes criminais; residir em Barueri, na zona oeste de São Paulo ou em Jandira, Itapevi, Santana de Parnaíba, Carapicuíba, e ter a anuência da família concordando com o apadrinhamento.  

Os primeiros encontros serão em maio e o candidato passará por uma seleção. 

Para saber mais sobre o Apadrinhamento Afetivo em Barueri basta entrar em contato: (11) 4199-2800, ramais 132 ou 114.  

Apoio / execução 

O programa é apoiado pelo Tribunal de Justiça e o Ministério Público. As etapas serão executadas com a assessoria do Instituto Fazendo História, que fará a seleção/qualificação dos padrinhos e das equipes técnicas. 

Curso de Danças Brasileiras tem inscrições abertas

O Brasil é um país que tem uma imensa riqueza de ritmos e de danças vindas de tradições indígenas, africanas e europeias. Danças populares como carimbó, batuque de umbigada, pau de fita, dança do bambu, entre outras, contêm criatividade e principalmente a diversão que contagia todas as idades.

É por isso que a Secretaria de Cultura e Turismo de Barueri oferece o curso de Danças Brasileiras para interessados em experimentar os variados ritmos, além de manter o corpo e a mente em equilíbrio. Os cursos são para crianças a partir dos 4 anos de idade até jovens de 15 anos, em algumas das bibliotecas municipais e no Centro Comunitário Jaraguá-Mirim. Seguem abaixo locais, dias e horários dos cursos.

Danças Brasileiras

Biblioteca Benedito Franco – Av. Itu, 300. Jd. Paulista. Tel.: 4194-6015

Segunda-feira

Das 8h30 às 9h30

4 a 6 anos

Das 9h30 às 11h

7 a 9 anos

Das 13h30 às 15h

10 a 12 anos

Das 15h às 16h30

13 a 15 anos

Biblioteca Salomão Cruz – Av. Cachoeira, 74. Vl.Pindorama. Tel.: 4161-6948.

Terça-feira

8h30 às 9h30

4 a 6 anos

Das 9h30 às 11h

7 a 9 anos

Biblioteca João Galdino – Av. Luiza Barbosa Silveira Bueno, 46. Jardim Silveira. Tel.: 4194-6018.

Das 8h30 às 9h30

4 a 6 anos

Das 9h30 às 11h

7 a 9 anos

Das 13h30 às 15h

10 a 12 anos

Das 15h às 16h30

13 a 15 anos

Centro Comunitário Jaraguá Mirim. R. Otacilio Alves Martins, 514 – Parque Imperial. Tel.: 4208-7907.

Das 8h30 às 10h

7 a 12 anos

Das 10h às 11h30

4 a 6 anos

Oeste Barueri estreia nesta sexta-feira no Campeonato Brasileiro Série B

O Campeonato Brasileiro de Futebol Série B começa nesta sexta-feira (dia 26). 20 clubes estão na disputa, seis dos quais do Estado de São Paulo (Oeste Barueri, Botafogo, Bragantino, Guarani, Ponte Preta e São Bento).

O Brasileirão Série B, assim como a divisão principal, é disputado por pontos corridos em 38 rodadas no turno e no returno e deverá terminar no dia 30 de novembro. Os quatro primeiros colocados se classificam para a Série A no próximo ano.

A estreia do Rubrão será na própria sexta-feira às 21h30 contra o Sport Recife, que acabou de conquistar o campeonato pernambucano contra o Náutico na disputa por pênaltis. O jogo será na Ilha do Retiro.

Espera-se da equipe de Barueri um desempenho igual ou melhor que o de 2017, quando esteve bem próximo de chegar à elite do futebol brasileiro, mas acabou ficando na sexta colocação.

CAMPEONATO BRASILEIRO SÉRIE B

SPORT RECIFE X OESTE BARUERI

DIA 26/04/2019 ÀS 21h30

LOCAL: ILHA DO RETIRO- RECIFE, PE

Inauguração do novo fórum de Barueri é uma vitória, mas ainda há um longo caminho pela frente

A Prefeitura de Barueri, juntamente com o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), entrega nesta quinta-feira, 25, o novo Fórum da Comarca de Barueri.

Construído com recursos municipais e equipado pelo TJ-SP, o novo complexo é cinco vezes maior que o atual, inaugurado em 1976. 

Moderno e espaçoso, reúne varas, cartórios, salas de juízes para audiências, salas de promotores, tribunal do júri, celas, dormitórios para jurados, amplo estacionamento, entre outros. Um verdadeiro colosso!

Juntamente com essa inauguração uma antiga discussão volta a ganhar espaço entre integrantes do judiciário paulista: a falta de autonomia financeira do TJ-SP e a dependência dos Executivos municipais e estadual.

Em muitas cidades do Estado os fóruns não possuem prédios próprios e funcionam em instalações alugadas pelas administrações municipais. Como a maioria das cidades não possui instalações suficientemente grandes, por vezes outros imóveis são locados para a instalação de Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejuscs) e Varas. Não raro o valor da locação desses imóveis torna-se – em pouco tempo –  custoso para as cidades.

Além disso, pesa a falta de autonomia da Corte para a construção de novas estruturas.

Em Barueri, por exemplo, o terreno foi doado pela prefeitura e a construção foi toda custeada pelo município. Foram 2 anos de obras que resultaram num belíssimo e moderno prédio. Mas Barueri é uma cidade que tem condições financeiras de lançar-se num desafio desse porte.

Em Osasco, outra cidade com recursos, o prédio do novo fórum começou a ser construído em 2015 em um terreno também doado pela prefeitura. O aporte financeiro foi dado pelo governo de São Paulo. Mas o dinheiro acabou e as obras foram paralisadas com 59% da construção.

Diante do impasse a expectativa natural era que o TJ-SP intervisse e finalizasse a obra, já que faltava menos da metade para sua conclusão. Mas não foi o que aconteceu. 

Sem enxergar solução aparente para o caso e para que a parte já construída da obra não fosse ainda mais prejudicada pelos intempéries a administração municipal de Osasco tomou a frente e no início do ano anunciou que irá vender terrenos públicos para finalizar a obra, que deve ser entregue em 2020.

Em Carapicuíba, outra cidade da Região Metropolitana Oeste da Grande São Paulo, as dificuldades se repetem.

Ali, não foram poucas as vezes em que a população assistiu o fórum da cidade se tornar destaque negativo na imprensa nacional devido as péssimas condições em que se encontra. Pior: já foi considerado um dos 5 piores do Estado porque o prédio onde funciona não possui condições físicas para atender os quase 400 mil habitantes que buscam por Justiça. 

Além do espaço reduzido, o imóvel é antigo e sem acessibilidade. Os banheiros são insuficientes e não há qualquer conforto para servidores e populares. Por conta da violência, há alguns anos o fórum quase foi transferido para Osasco.

Para colocar fim ao drama e mesmo sendo uma das cidades mais pobres do país, Carapicuíba chegou a doar um terreno para a construção do novo fórum. Mas, diferentemente das outras cidades, a prefeitura não tem condições de arcar com a obra mesmo que queira.

Diante desse cenário a pergunta que fica é: Carapicuíba terá um dia um fórum adequado às necessidades de sua população?

Caberia ao Tribunal de Justiça de São Paulo responder essa questão, assumir a responsabilidade e financiar a obra ou buscar parceiros.

Mas a história mostra que as chances disso acontecer são bem pequenas.

Apesar de ter sua receita aumentada nos últimos anos, provavelmente o TJ-SP não se lançará nesta empreitada, confirmando sua total dependência dos Executivos. 

Em meio a tudo isso juízes, promotores, advogados, oficiais, escreventes e tantos outros servidores da justiça carapicuibana terão que continuar se desdobrando para oferecer para a população o melhor atendimento dentro das condições que lhes são impostas.

A Apatej defende a urgência de cada município ter um fórum com prédio em boas condições estruturais e segurança, podendo receber a população com rapidez, conforto e proporcionando um atendimento digno. 

Cabe ao TJ-SP deixar a sombra dos Executivos municipais e estadual e lançar-se na busca por soluções. É uma questão de cidadania. É uma questão de Justiça.


Guarda Ambiental intensifica cuidados na preservação da fauna e flora de Barueri

A Guarda Ambiental vem trabalhando ativamente na prevenção e proteção da flora municipal, proibindo ações contrárias ao patrimônio ambiental da cidade. Diariamente os agentes de segurança fiscalizam e atendem ocorrências que vão desde desmatamentos até queimas de áreas preservadas. Atualmente Baruerimantém 535,51 hectares de Mata Atlântica, o que representa 8,78% do município.

Mas não é somente pela área verde que a Guarda trabalha. No início do mês de abril a Guarda Ambiental averiguou uma solicitação de poluição hídrica pelo rioBarueri Mirim. No local, os agentes constataram um odor químico proveniente do rio e realizaram uma inspeção em sua extensão até a avenida Professor João Vila Lobo Quero (Jardim Belval). Após análise de representantes da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) constatou-se que o forte odor químico era proveniente das águas do córrego que vinham do município de Jandira. Em parceria com a Defesa Civil e Secretaria de Recursos Naturais e Meio Ambiente de Barueri foram tomadas todas as medidas para que o impacto fosse o menor possível na cidade.

A Guarda Ambiental também atua contra os crimes de maus tratos a animais que, infelizmente, são corriqueiros. No início do ano, em ação conjunta com o Cepad (Centro de Proteção ao Animal Doméstico), a Guarda resgatou um cavalo vítima de maus tratos. O animal apresentava sinais de abandono e desnutrição. Cães, gatos e galos também são resgatados por agentes ambientais e direcionados ao Cepad para que recebam os devidos cuidados.

E não são apenas os animais domésticos que precisam de socorro e proteção.De janeiro de 2018 até a primeira quinzena de abril deste ano, a Guarda Ambiental realizou o resgate e a captura de quinhentos e dezanimais silvestres, entre eles capivaras, saguis, tucanos, araras, serpentes e veado catingueiro. No dia 10 de abril, a Guarda Ambiental resgatou e capturou uma iguana que foi conduzida ao CETAS (Centro de Triagem de Animais Silvestres), por se tratar de um animal que não pertence ao nosso bioma.

A Guarda Ambiental fica na sede da Secretaria de Segurança e Mobilidade Urbana. O telefone para denúncia de maus tratos animais ou ações contra o meio ambiente podem ser feitas por meio dos telefones: (11) 4199-1400 e 4198-0819.

Crianças e funcionários da maternal Leonardo Augusto aprendem Libras para acolhimento de aluno

A Língua Brasileira de Sinais (Libras) é de extrema relevância para a garantia dos direitos da criança surda. É imprescindível que a criança que não ouve, assim como a criança ouvinte, tenha estímulos linguísticos adequados.

Com o objetivo de garantir a inclusão para todos os estudantes da rede de ensino de Barueri, a Secretaria de Educação, por intermédio do Departamento de Educação Especializado, vem dando apoio às crianças surdas por intermédio de professores intérpretes, aulas de Libras, entre outras importantes iniciativas. O projeto atende crianças e adolescentes das Emeis, Emef´s e, desde o ano passado, também está atuando em todas as maternais.

Para a intérprete de Libras do Departamento de Educação Especializada, Cleusa Araújo, o projeto Conexão com a família tem o intuito de trabalhar com a aceitação dos pais, desde a maternal, e conscientizá-los a prender a língua dos sinais para se comunicar com o filho surdo e assim potencializá-lo para o pleno desenvolvimento cognitivo, social e, principalmente, afetivo.

Exercendo a cidadania

Na maternal Leonardo Augusto, no Jardim Paraíso, uma verdadeira corrente de união está mobilizando pais, professores, funcionários, crianças e familiares. Por conta da vinda do aluno Carlos Eduardo Bezerra, que está na 3ª fase, todos estão aprendendo a se comunicar em Libras, para acolher o garotinho que está adorando frequentar a escola.

A professora Kátia Petrônio está incentivando toda a sala a aprender a linguagem dos sinais. As atividades pedagógicas, músicas e brincadeiras são realizadas com a participação de todos. “Com relação às atividades na sala de aula regular, elaborei as atividades e jogos junto com a professora auxiliar, buscando imagens na internet para fazer a associação com a escrita, plastifiquei alfabetos manuais móveis e usei material de apoi, como os dicionários para planejar as aulas com eficiência”, diz.

De acordo com Mariana Lemes, mãe do garotinho Carlos, ele está adorando toda esta acolhida. “Ele se sente muito bem aceito pelas crianças e funcionários da escola. Não quer perder nem sequer um dia de aula”, conta.

A diretora Ana Cristina está feliz com os excelentes resultados. “Poder ver as crianças brincando, interagindo, vivenciando experiências e perceber que o processo de inclusão do Carlos está sendo extremamente prazeroso. O fato de termos a professora Janaína Soares, que é interprete de Libras aqui na escola, é enriquecedor. Esta vivência propicia que as crianças desenvolvam a percepção de respeito e valorização da diversidade humana, necessária para constituirmos uma sociedade inclusiva”, contou.

Sobre LIBRAS

Língua Brasileira de Sinais é usada por cerca de cinco milhões de pessoas no Brasil e é a principal forma de comunicação para a maioria das pessoas surdas no país. O Dia Nacional da Libras, comemorado em 24 de abril, foi instituído em 2002, quando a língua passou a ser reconhecida como meio legal de comunicação e expressão por meio da lei nº 10.436. A norma embasou políticas públicas que incluem determinações como o ensino da Libras na educação básica, entre outras.