Barueri

Febre amarela: população deve ficar alerta

Os macacos são os maiores aliados dos seres humanos quando o assunto é febre amarela – doença viral grave transmitida por algumas espécies de mosquitos, dentre eles o Aedes aegypti. Portanto, é crime qualquer forma de agressão contra esses animais, uma vez que eles são igualmente vítimas da doença.

Como os macacos são os primeiros a sofrerem com essa arbovirose, agem como verdadeiros protetores das pessoas. Ao ser identificado um macaco morto ou doente por febre amarela em uma região, abre-se um alerta quanto a uma maior necessidade de prevenção.

Em março deste ano foi encontrado dentro de um condomínio na região central de Barueri um macaco morto, conhecido popularmente como sagui, que testou positivo para febre amarela. Acionada, a Vigilância em Saúde tomou as devidas medidas junto à população para evitar a transmissão entre humanos, dentre elas a vacinação dos moradores do condomínio que ainda não haviam sido imunizados.

Felizmente Barueri não registrou nenhum caso de febre amarela entre humanos nos últimos anos, mas o cuidado deve ser constante.

Chame as autoridades competentes

Por isso é muito importante que a população comunique imediatamente o Departamento Técnico de Controle de Zoonoses do município caso encontre macacos mortos. Se esse for o caso, o telefone da Zoonoses de Barueri é (11) 4198-5679.

Caso sejam encontrados primatas feridos ou doentes, mesmo que sejam atropelados ou vítimas de choque elétrico, por exemplo, é importante acionar a Guarda Ambiental pelo número (11) 4199-1400, ou a Secretaria de Meio Ambiente, no número (11) 4199-1500.

Mas atenção! Não é recomendada a manipulação ou qualquer tipo de contato direto com esses animais, mesmo que para fins de resgate, devido ao risco de transmissão de raiva. Ligue para que as autoridades façam o recolhimento.

Vacina

A vacina é a forma mais segura e eficaz de prevenção contra a febre amarela. Só é preciso uma dose para que a pessoa esteja protegida pelo resto da vida. Apenas quem tomou a dose fracionada deverá tomar a vacina novamente dentro de oito anos. O imunológico faz parte do calendário vacinal brasileiro e é recomendado a pessoas de 9 meses a 59 anos de idade. Grávidas ou maiores de 60 anos devem procurar o serviço de saúde para obter orientações sobre a vacinação. As doses estão disponíveis nas salas de vacina do município o ano inteiro.

Barueri está com uma ótima cobertura vacinal de febre amarela, ultrapassando a marca de 99% em 2019. O município não registrou nenhum caso da doença em 2019 e nem este ano até o momento. Mas é preciso manter o alerta, já que, segundo o Ministério da Saúde, São Paulo está entre os seis Estados brasileiros onde há circulação do vírus (Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Pará são os outros cinco Estados da lista).

Elimine criadouros

Além de tomar a vacina é de extrema importância que a população mantenha constante vigília com relação a eliminação de criadouros do mosquito Aedes aegypti dentro de casa. O mosquito só precisa de um pouco de água limpa e parada para se reproduzir. Eliminar criadouros protege não apenas contra a febre amarela, mas também contra outras doenças de alta letalidade, como dengue, Zika e Chikungunya.

Por telefone, HMB promove acolhimento psicológico para familiares de internados por Covid-19

Com a alteração da rotina e a recomendação para evitar o contato social, muitas pessoas já estão emocionalmente abaladas, e o sofrimento pode ser ainda maior para aqueles que estão com parentes internados. Por isso, pensando na fragilidade emocional do momento, o Hospital Municipal de Barueri Dr. Francisco Moran (HMB) passou a oferecer suporte psicológico por telefone para os familiares dos pacientes internados com suspeita ou confirmação de Covid-19.  E em menos de 30 dias, desde o início das ligações, já foram feitos 155 atendimentos e 109 pessoas já receberam esse tipo de assistência.

Devido ao risco de contaminação, as visitas a esses pacientes estão suspensas, então, além de realizar ligações diárias para passar o boletim médico e disponibilizar um canal exclusivo de atendimento, o telefone (011) 2575-3314, para que os familiares tirem dúvidas sobre a assistência prestada aos pacientes, o HMB também encontrou no contato telefônico uma maneira de oferecer acolhimento às famílias por meio da equipe de psicologia.

“O papel da psicologia é oferecer disponibilidade para escuta ativa, promovendo espaço para reflexão de acordo com os limites de cada um, e aos poucos, possibilitar a construção de um pensamento frente à sua vivência. Em relação à Covid-19, a ideia é auxiliar o familiar na melhor compreensão do seu sofrimento e da forma que ele está lidando com todo o processo de adoecimento e internação do seu ente querido”, esclarece Bruna Vieira, psicóloga da unidade, que reconhece que o momento necessita de uma adaptação muito difícil, já que a doença exige um distanciamento físico.

Com base nas informações da planilha, preenchida pela equipe multidisciplinar, os psicólogos obtêm os contatos dos familiares e ligam primeiramente para os parentes dos pacientes mais críticos, para informar que o suporte da unidade está disponível e entender os recursos psicológicos da família. “Esses recursos são as formas que a pessoa encontra de lidar com alguma questão ou sofrimento. Por exemplo, se a pessoa lida com otimismo, controle pessoal e senso de significado, ela pode ter maiores condições de enfrentar situações críticas da vida. Em compensação, se o desespero é tanto que ela não consegue raciocinar e não consegue refletir, é necessário encontrar maneiras de lidar com esse sofrimento”, explica a psicóloga. Ela relata que a equipe mantém uma rotina de atendimento semanal mediante a necessidade e a aceitação de cada família.

É importante destacar que o telefone (011) 2575-3343 está disponível para aqueles familiares que quiserem contatar a equipe de psicologia para receber esse suporte.

Atendimento também para os colaboradores

Vale ressaltar que esse tipo de apoio tem sido oferecido, da mesma forma, para os funcionários do hospital. A equipe de Medicina do Trabalho tem divulgado aos colaboradores da unidade o serviço telefônico de atendimento psicológico. Até o momento, mais de 15 pessoas já buscaram acolhimento. O objetivo desse atendimento é oferecer escuta, espaço, tempo e apoio para os profissionais que se sentem fragilizados e encontram dificuldade em lidar com todas as mudanças geradas pela Covid-19.

UBS Benedicta Carlota recebe reforma emergencial de adaptação

Desde segunda-feira (dia 18), a Unidade Básica de Saúde (UBS) Benedicta Carlota, localizada no Jardim Silveira (no prédio da antiga Policlínica), está fechada para uma reforma emergencial de adaptação.

O prédio pode passar a ser exclusivo para atendimentos da Covid-19. A Secretaria de Saúde está se adiantando com relação às adaptações necessárias por segurança, caso haja aumento significativo no número de casos de coronavírus no município que exija ainda mais leitos do que os que já vêm sendo criados no Hospital Municipal de Barueri (HMB) e no Pronto-Atendimento Vanderson César de Almeida, do Jardim Paulista.

Os pacientes que têm a UBS Benedicta Carlota como referência para atendimento devem, nesse período, dirigir-se à UBS Vince Nemeth (rua Manoel Moreira, 165, Jardim Audir / Silveira) ou à UBS Edini Cavalcante Consoli (rua João Cabral de Melo Neto, Jardim Tupan).

Atendimentos nas UBSs

Nesse período de pandemia as UBSs do município estão atendendo pacientes com sintomas leves da Covid-19. Essa assistência está sendo realizada no piso térreo das unidades. Já as pessoas com sintomas mais graves devem procurar atendimento nos prontos-socorros.

As UBSs também continuam atendendo aos pacientes prioritários, como gestantes, recém-nascidos e doentes crônicos descompensados, no primeiro piso, com equipe e ambiente separados dos atendimentos para coronavírus.

A exceção é a UBS do Chácaras Marco, que possui apenas um piso e teve o atendimento prioritário e sua sala de vacina remanejados para a escola do bairro, a Emef Elizabeth Parminondi Romero, ficando o prédio da unidade dedicado apenas aos pacientes com sintomas leves da Covid-19.

Educação inicia programa sobre qualidade de vida e felicidade em tempos de pandemia

Lindas canções interpretadas pelo professor Marcus Vinicius, apresentação de vídeos, lugar de fala e escuta. Essas foram algumas das ações que marcaram o encontro virtual, que abriu um novo projeto da Secretaria da Educação, que visa intensificar os cuidados com os alunos da rede.

A manhã foi muito emocionante, pois foi o início do programa “Live Interdisciplinar”, que aconteceu nesta quinta-feira (dia 14).

A inciativa foi norteada a partir do projeto “Filosofia em Ação” e promove encontros virtuais entre gestores, professores de diversas matérias e os estudantes dos sextos aos nonos anos das escolas da rede de Barueri.

Para estrear o projeto, os estudantes da Emef Ézio Berzagh foram os convidados especiais da live, que teve mais de 100 alunos participantes.

De acordo com o professor de filosofia e doutor Ranis Fonseca Oliveira, “a situação de quarentena devido a pandemia do novo coronavírus nos insere em questões existenciais importantes, pois nos faz refletir sobre nossas vidas, no modo como nós a conduzíamos antes do isolamento social e como a conduziremos depois. Estamos passando por uma etapa de intensas transformações que envolve as estruturas das experiências humanas”, avaliou.

A Live Interdisciplinar sobre qualidade de vida e felicidade é uma oportunidade para reflexão de como enfrentar da melhor maneira o isolamento social, fazendo bom uso do tempo disponível.

Ao longo da transmissão, participaram docentes do projeto “Filosofia em Ação” e profissionais de outras áreas do conhecimento, dentre eles: professores de educação física e professores de música, para debaterem sobre questões específicas do tema ou para apresentar performances artísticas e culturais.

O objetivo da iniciativa é resgatar a vivência feliz, mesmo em momentos de crise, propiciando momentos de convivência e conhecimentos mútuos entre os participantes sobre a qualidade de vida e a felicidade.

Promover estratégias de enfrentamento de determinados fatores que podem ser provocados pelo isolamento social como a sensação de insegurança emocional, de desânimo, de abandono e ansiedade, além de motivar o cultivo de relações interfamiliar.

De acordo com a secretária de Educação, Flávia Moreno, a iniciativa é de extrema importância para os alunos. “A iniciativa conta com muito engajamento, amor, respeito, relevância social e aprendizagem. Fiquei muito orgulhosa da condução de nossos professores e participação dos nossos alunos”, disse.

A diretora da escola, Maria do Socorro, disse que estava morrendo de saudade de todos. “Mal posso esperar para que tudo volte ao normal. Sem vocês, alunos, a alegria e vida da escola não existem.”

A aluna Sofia Alves também estava muito feliz em participar. “Amei, não queria que esta live acabasse”, comentou.     

Pacientes em isolamento domiciliar recebem atendimento psicológico a distância em Barueri

Saber que está infectado com a Covid-19 ou que está sob suspeita não é nada fácil. O medo toma conta, principalmente quando se observa a evolução rápida da doença e suas possíveis complicações. Diante dessa situação, ainda há outro agravante: o isolamento domiciliar.

Uma pessoa infectada ou sob suspeita precisa tomar uma série de medidas de prevenção dentro de sua própria casa para não contaminar a família. O isolamento domiciliar é ainda mais dramático do que o social, já que durante 14 dias, pelo menos, exige-se que a pessoa permaneça em apenas um cômodo da casa, não compartilhe objetos, mantenha rígidos métodos de higiene do corpo e de tudo o que toca, não se aproxime dos demais, dentre várias outras medidas. O medo soma-se aos inevitáveis sentimentos de incerteza e solidão.

Ciente disso, os psicólogos que compõem a diretoria de Saúde Mental da Coordenadoria de Atenção Básica à Saúde (Cabs) de Barueri estão, desde abril, realizando atendimentos junto aos pacientes em isolamento doméstico. São ao menos três “encontros”, sejam por telefone ou por videochamada, como o paciente preferir, com duração de 30 a 45 minutos. O protocolo de atendimento estabelecido em conjunto entre os profissionais define que o contato inicial deve ocorrer entre o primeiro e o terceiro dia de isolamento.

“Nas Unidades Básicas de Saúde o monitoramento é realizado em parceria com a enfermagem, que também monitora a evolução clínica e os sintomas dos pacientes. Do ponto de vista da saúde mental, a ideia é propiciar uma escuta qualificada acerca dos sentimentos que emergem   nesse momento, além do acolhimento das demandas, reforçar e, principalmente, manter  o contato e a vinculação com a unidade de saúde, bem como reforçar a importância da manutenção do isolamento”, explica a diretora de Saúde Mental do município, Ana Paula Briguet.

Monitoramento constante

A equipe de enfermagem da Cabs já realiza um monitoramento junto a todos os pacientes confirmados ou com suspeita de Covid-19 por meio de ligações telefônicas a cada 48 horas. Os pacientes com maior demanda psicológica são indicados à Saúde Mental, que entra em cena. Atualmente, são cerca de 555 pacientes recebendo o atendimento psicológico. A abordagem tem respaldo do Conselho Federal de Psicologia, que tem realizado um cadastro prévio de quem pode realizar esse tipo de atendimento. O sigilo entre médico e paciente também continua garantido nesse modelo de consulta.

A psicóloga Dailza Pineda compõe a equipe que elaborou as novas estratégias e que têm feito esses atendimentos e menciona a urgência desse tipo de assistência em diversas frentes.

“Sabemos que as questões de cada um tendem a se acentuar, estamos todos emocionalmente abalados de alguma forma. Quem tem questões mais emergentes relativas à saúde mental pode estar piorando dentro de casa, isolado. Sabemos que as redes de apoio, como familiares, amigos, trabalho, muitas vezes são responsáveis por nos manter firmes e saudáveis. Por isso, neste momento onde isso tudo pode estar mais fragilizado, não podemos nos omitir. A gente precisou desenvolver alguma estratégia de suporte, ainda que a distância. Ou seja, uma oportunidade de manter a escuta e, com ela, trabalhar na (re)construção de saúde para cada uma das pessoas que atendemos e que nos trazem as mais diversas questões”, explica.

Dificuldades de adaptação à nova rotina, insegurança com a própria saúde e com a possibilidade de infectar outros, medo da perda, além de questões trabalhistas e de desemprego têm sido recorrentes durante as consultas nesse período. Mas Dailza ressalta que, muitas vezes, a pandemia serviu apenas como estopim de algo que já estava lá. “Ainda que as demandas estejam de alguma forma permeadas, acentuadas ou emergidas pela pandemia, normalmente tendem a ser questões que de alguma maneira já estavam lá e que dizem a forma como cada um lida com suas urgências, dores, medos, lutos, planos, ou seja, como conduzem suas vidas”, diz a psicóloga.

Mas ela complementa: “por outro lado, é claro que vivemos um momento de medo intensificado, sobretudo para as pessoas dos grupos de risco. A presença de uma ameaça invisível também mexe com a gente, a imposição do distanciamento social fragiliza nossas redes pessoais, as situações de violência dentro de casa também ficam mais escondidas, além das situações de luto, que hoje tomam uma extensão maior, tendo em vista o altíssimo número de mortes a cada dia e a impossibilidade da realização de rituais de despedida que, sabemos, são importantes balizas do nosso luto desde sempre”.

Suporte emocional a quem precisa

Pessoas em isolamento que sintam a necessidade de um acompanhamento psicológico podem solicitá-lo junto ao profissional da UBS que faz seu monitoramento.

Além das consultas psicológicas voltadas às pessoas em isolamento, a Saúde Mental também tem se dedicado ao atendimento de pacientes que já recebiam esse tipo de assistência nas UBSs, só que agora a distância, também por telefone, computador e vídeo. Há também um outro projeto em andamento, que oferece suporte psicológico aos profissionais da saúde. Neste caso, são direcionados a eles psicólogos que não atuem na mesma unidade e que não tenham vínculo direto, por questões éticas.

Coleta seletiva continua funcionando em Barueri

Serviços essenciais, como limpeza urbana e coleta de lixo, continuam sendo oferecidos pela Prefeitura de Barueri, por meio da Secretaria de Serviços Municipais, mesmo durante a quarentena. Entre estas atividades que não pararam está a coleta seletiva, que atende 100% da cidade e é muito importante para diminuir o acúmulo de resíduos e para poupar a extração de recursos naturais.

Todo o material coletado é destinado à Cooperyara, cooperativa que faz a triagem e vende a empresas que utilizam os recicláveis como matéria prima.

Com o isolamento social, muitas empreses suspenderam ou reduziram suas atividades diminuindo o volume de materiais a ser coletado. As empresas que compram da cooperativa também reduziram suas atividades e têm comprado menos, fazendo cair o valor de mercado do material reciclável.

Presidente da Cooperyara, Elizeu Félix, se mostra preocupado com a situação dos cooperados. “É muito importante que você não deixe de separar. São 60 famílias que sobrevivem desse material, que gera renda para eles. Eles não têm outro modo de ganhar dinheiro a não ser separando e vendendo esse material”, explica.

Colaborações

A Cooperyara coloca à disposição de empresários que queiram contribuir o telefone 4198-4053 e o e-mail cooperyarareciclagem@gmail.com. A cooperativa também organizou uma “vaquinha” virtual para tentar garantir renda aos cooperados nesse período de quarentena, o endereço é https://benfeitoria.com/cooperyara.

Pais de alunos da rede começam a receber segunda remessa dos itens da merenda em Barueri

Na quinta-feira (dia 14), começou a ser entregue a segunda etapa das cestas, contendo os itens da merenda, a todos alunos da rede de ensino de Barueri.

Assim como aconteceu no mês passado, os pais devem retirar o benefício de acordo com agendamento determinado por cada unidade escolar, para que o processo mantenha a organização para a segurança e garantia do isolamento social, necessário para a contenção da Covid-19.

As entregas começaram pelas escolas do Parque Imperial e estão sendo realizadas com muita tranquilidade e colaboração da população e dos gestores das escolas, responsáveis pela organização.

De acordo com o diretor Carlos Bordin, da Emef Julio Gomes Camisão, o processo de entrega está sendo muito tranquilo. A unidade aproveitou a presença dos pais para entregar um material muito interessante: uma cartilha de incentivo à leitura para toda a família.

Acompanhe a lista das entregas com as datas de cada escola da rede no portal da Prefeitura de Barueri.

Obra do Viário Central de Carapicuíba já tem novo acesso para Barueri

Apesar da pandemia, a Prefeitura de Carapicuíba segue com as obras de melhorias do trânsito da cidade e avança na construção do novo Sistema Viário Central. Na última semana, as equipes concluíram a pista que dá acesso para Barueri pela avenida Deputado Emílio Carlos.
A região central passará por reformulação completa da malha viária, que terá novo traçado, facilitando e agilizando o fluxo local e o acesso à Rodovia Castello Branco.
A Prefeitura orienta os motoristas a evitarem a região nesse período de obras. Não será realizada nenhuma interdição completa de via, somente algumas parciais conforme o andamento da obra.
Além da nova pista sentido Barueri, será realizada a ampliação da via, eliminação dos semáforos e novo acesso à avenida Celeste. Após a conclusão da obra, o trânsito na região passará a ser ágil e os motoristas terão mais conforto. Serão centenas de milhares de carapicuibanos beneficiados.
Vale ressaltar que desde 2017 a Prefeitura realiza a renovação na sinalização de trânsito nas ruas e avenidas, implantações e remodelações viárias, instalação de novos semáforos e ampliação ao atendimento à população.
O munícipe que tiver algum pedido de sinalização ou melhorias de trânsito pode entrar em contato com a Secretaria de Transporte e Trânsito pelo e-mail: smtt@carapicuiba.sp.gov.br e informar o RG, CPF, data de nascimento, endereço e nome da mãe.

Câmara de Barueri realiza a primeira sessão por videoconferência de sua história

Poder Legislativo promoveu encontro virtual dos vereadores usando software livre e sem gerar qualquer custo extra para os cofres públicos.

A Câmara de Barueri realizou nesta terça-feira, 5, uma sessão histórica para o Poder Legislativo Municipal. Pela primeira vez, os vereadores trocaram os microfones do plenário pela tela do computador, cada um de sua casa. Apenas quatro integrantes da Mesa Diretora estiveram no prédio para a realização do encontro semanal dos vereadores.

Em razão da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), os vereadores decidiram realizar a sessão ordinária por meio de videoconferência, utilizando software livre e a mão de obra dos próprios servidores da casa, ou seja, sem gerar qualquer custo extra para a Câmara.

A sessão durou cerca de 2 horas e 40 minutos, sem qualquer tipo de intercorrência que comprometesse o bom andamento dos trabalhos legislativos. A avaliação dos vereadores sobre a experiência foi positiva, e o modelo deve perdurar enquanto a pandemia permanecer na cidade.

“Na iniciativa privada, toda crise gera oportunidades de melhorias e modernização. No poder público não pode ser diferente. Acredito que fizemos um ótimo trabalho hoje, e vamos melhorar ainda mais a cada sessão realizada nesse formato”, avaliou o presidente da Câmara, vereador Fabião (PSDB).

HMB explica por que a higienização das mãos auxilia na prevenção da Covid-19 em Barueri

Na semana em que se comemora o Dia Mundial de Higienização das Mãos (5/5), o Hospital Municipal de Barueri Dr. Francisco Moran (HMB) reforça a importância da lavagem correta das mãos, principalmente diante da pandemia atual.

A Covid-19 é causada pelo vírus SARS-CoV-2 e algumas formas de transmissão estão justamente ligadas às mãos devido ao contato com pessoas ou superfícies contaminadas. Por isso, a lavagem correta das mãos ainda é a medida de proteção mais fácil e eficiente contra a doença. “A higiene com água e sabão é importante, pois as moléculas de sabão se ligam à membrana lipídica do vírus, provocam seu rompimento e fazem com que as proteínas e fragmentos virais sejam levados pela água. Já o álcool gel, na concentração 70%, é capaz de matar o vírus porque age em suas membranas e proteínas de forma rápida”, explica Priscila Dantas, infectologista do hospital.

As principais formas de prevenção recomendadas pelo Ministério da Saúde estão diretamente associadas às mãos, como evitar apertos de mãos e abraços, tocar olhos, nariz e boca e, sobretudo, lavá-las de forma frequente com água e sabão ou higienizar com álcool gel 70%. “A higienização das mãos é a medida mais antiga, eficaz e barata de prevenir a infecção relacionada à assistência à saúde. Essa prática reduz significativamente a transmissão de microrganismos”, esclarece Angélica Barbosa, infectologista da unidade.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a lavagem das mãos com água e sabão, com duração média de 50 segundos, deve ser feita quando houver sujidade visível; já a higienização com preparação alcoólica, em média 25 segundos, pode ser feita quando as mãos estiverem aparentemente limpas. É importante ressaltar que a higienização precisa ser realizada nas palmas e nos dorsos das mãos, nas partes internas, externas e nas pontas dos dedos e também nas unhas.

No HMB, o Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) disponibiliza nos principais pontos de higiene, como lavatórios e dispensers de álcool, materiais informativos sobre a lavagem correta das mãos para que os profissionais possam lembrar e seguir o passo-a-passo. O setor também promove atividades lúdicas periódicas para os colaboradores, em especial para os profissionais da assistência direta, sobre a importância de lavar as mãos principalmente em situações específicas.

“A adequada higienização das mãos deve ser realizada em cinco momentos: antes de tocar o paciente, antes da realização de procedimento limpo/asséptico, após o risco de exposição a fluídos corporais ou excreções, após tocar o paciente e após tocar superfícies próximas ao paciente”, ressalta Barbosa.

Vale destacar que a equipe de hotelaria tem reforçado o abastecimento de sabonete líquido e álcool em todos os andares do hospital e que, diante da pandemia, houve instalação de novos dispensers de álcool e disponibilização de frascos nos setores administrativos e nas recepções.