Educação

Apresentação da nova turma de flautas integrou o projeto Cultura em Movimento

Contando com a participação de todos os alunos da escola, o projeto “Cultura em Movimento” segue com muitas novidades para os estudantes da Emeif Professor João Tibúrcio, no bairro Chácaras Marco.

Em vigor desde o ano de 2017, o programa tem despertado ainda mais o interesse dos alunos pela escola. O objetivo é levar incentivo ao esporte, atividades com música, cidadania e conhecimento geral.

Nesta semana, mais uma atividade marcou o sucesso do projeto. Aconteceu a primeira apresentação da turma de flautas. O bonito show contou com canções do erudito ao popular.

Pais, alunos da escola e gestores foram convidados para participar da exibição do grupo de jovens músicos que demonstraram muito talento cantando e tocando clássicos nacionais e internacionais.

Um dos grandes incentivadores da iniciativa é o diretor Reinaldo Ribeiro, que é músico e apaixonado pela arte. “É gratificante ver o envolvimento dos alunos e principalmente a aprovação dos pais a mais este projeto”, diz.

Para o professor Fernando Amaro, a música humaniza e ensina muito. “Estamos todos muito orgulhosos em ver o grande interesse de todos nossos estudantes para com as atividades”, afirma.

O professor Marcos Eugenio, um dos idealizadores do projeto, reafirmou a importância em levar os estudantes além dos muros da escola. “Por intermédio de incentivo à música, ao esporte e a à cultura, nossos estudantes demonstram muito mais interesse pela escola e pelo aprendizado”, afirma.

Regiane Ferreira, mãe do aluno Jeffer Ferreira, estava cheia de orgulho. “Meu filho está animado em aprender música e participar desse projeto. Ele está gostando cada vez mais desta escola”.

A supervisora de ensino Andrea Calsonari também elogiou a iniciativa. “Sabemos da importância da música na vida dessas crianças. Ela desperta nossas emoções, a criatividade, ampliando conhecimento e novos saberes. Parabéns para todos envolvidos nesse excelente projeto”.

Biblioteca em geladeira incentiva a leitura em escola

Os estudantes da EMEF General Antônio de Sampaio, no Km 18, tem uma geladeira cheia de livros no pátio da unidade educacional. Com uma pintura colorida na parte externa, as prateleiras internas estão recheadas de contos, clássicos infantojuvenis, além de obras de autores como Machado de Assis, Carlos Drummond de Andrade, José de Alencar, Oswald de Andrade, Clarice Lispector, Cecília Meireles, Guimarães Rosa, Graciliano Ramos, entre tantos outros escritores da literatura brasileira, e gibis variados.

A iniciativa é dos alunos do Colégio Albert Sabin, que mergulharam nos 17 objetivos de ‘Desenvolvimento Sustentável da Agenda’ 2030 da ONU (Organização das Nações Unidas) e foram desafiados em criar um projeto relevante. “Criamos como projeto a biblioteca dentro da geladeira”, explicou o educando Bernardo Napolitano, 12 anos, que convenceu os amigos Leonardo Jun, Pedro Baccalá e Rafael Romano a ajuda-lo.

No final, os alunos ganharam um prêmio e a “Biblioteca Social Colaborativa”, instalada em uma das 10 geladeiras que iriam para o lixo e que eles ganharam de uma fábrica de sorvete, hoje funciona no pátio da EMEF General Antônio de Sampaio, que pertence à Prefeitura de Osasco, e na escola EMEF Conde Luiz Eduardo Matarazzo, da rede estadual de ensino.

“Resolvemos implantar esse projeto na escola pública, porque sabemos que a população em geral não tem acesso à leitura. Proporcionar essa ação no espaço escolar é sem dúvida colaborar para um mundo melhor, onde muitas crianças e adolescentes se tornarão cada vez mais apaixonados pela leitura. Aliás, serão mais participativos e contribuirão também para melhoria do nosso país”, explicou Bernardo.

Qualquer aluno ou funcionário da unidade educacional pode retirar um exemplar da geladeira, levar para casa e depois devolver. Caso tenha gostado muito da obra, poderá emprestar o livro e deixar outro no lugar.

Um ponto que preocupa os educandos é a manutenção do acervo. “Estamos exercitando a consciência de colaborar”, emenda Leonardo. Eles imaginam que até os 17 anos deem conta de completar as 10 bibliotecas, mas já sonham com um “projeto infinito”. “Já pensou, outros países?”, diz Rafael. “Mas como levaríamos a geladeira?”, questiona Pedro. “Ainda somos crianças e não temos muita experiência, mas quando formos adultos saberemos o que fazer”, conclui Rafael.

Outros estudantes têm se interessado na ampliação do projeto. “Quase todos os livros vêm de doações, por esse motivo nossos educandos e professores estão se mobilizando. Além disso, uma equipe do Observatório da Secretaria de Educação está elaborando um projeto, cujo objetivo será implementar as ações em outras escolas da Prefeitura de Osasco”, completou a diretora Sara Ianella.

Os alunos Bernardo, Pedro, Leonardo e Rafael conciliam os estudos com seu empreendimento social, que pretende garantir que pessoas que não podem comprar livros tenham acesso a eles, tendo em vista que o desejo de ambos é que a literatura circule por todo o mundo.

Após a instalação da “Biblioteca Social” nas escolas públicas teve início a campanha que visa arrecadar livros em bom estado de conservação. Seja um colaborador do projeto e doe um livro. Local de arrecadação: EMEF General Antônio de Sampaio (Avenida dos Autonomistas, 6565 – Km 18, Osasco).

Para saber como foi a visita dos estudantes na escola basta acessar o link abaixo, do Canal do Youtube da Prefeitura de Osasco:

Sads abre vagas para cursos na área de estética e gastronomia

Uma boa oportunidade para ganhar um dinheiro extra ou se aperfeiçoar na área de atuação. A secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (Sads) de Barueri oferecerá cursos rápidos e gratuitos em duas áreas: estética e gastronomia. 

São 30 vagas para o curso de Estética Corporal (15 para o período da manhã e 15 à tarde). As aulas começam no dia 23 de abril e serão ministradas no 1° andar do prédio sede da Sads. O curso tem duração total de 21 horas. 

Já o curso Forno e Fogão oferecerá 40 vagas, distribuídas entre 20 para o período da manhã e 20 à tarde com duração total de 72 horas. O aluno aprenderá o preparo de comidas salgadas e doces típicas de regiões diversas, com vistas à comercialização. 

As inscrições para ambos podem ser feitas a partir do dia 15 de abril na sede da Sads e as vagas são limitadas. É preciso ser maior de 18 anos, alfabetizado e apresentar RG, CPF, comprovante de residência em Barueri. 

SERVIÇO 

 A secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social fica na avenida 26 de Março, 1.159, Jardim São Pedro. Inscrições no 1°andar. Para mais informações, você pode ligar: 4199 – 2800, ramais 199 e 205. 

Programa Meu Futuro recebe 541 novos alunos em sua 6ª fase

A aula inaugural da 6ª fase do Programa Meu Futuro, criado pela Secretaria de Indústria, Comércio e Trabalho (SICT) de Barueri para ofertar qualificação profissional gratuitamente a maiores de 18 anos, aconteceu na tarde de quinta-feira (dia 4) no Centro de Eventos de Barueri.

O auditório ficou lotado. Na ocasião foram recepcionados os 541 novos alunos e entregues os certificados aos 461 concluintes da 5ª fase do Programa. Desde que o projeto teve início, em 2018, cerca de 2.500 pessoas já se qualificaram nos 22 cursos ofertados até o momento.

O evento contou com a presença do prefeito de Barueri, Rubens Furlan, vereadores e secretários municipais, dentre eles Joaldo Macedo Rodrigues – o Magoo –, responsável pela SICT, que mantém o projeto. “Nós vamos continuar trabalhando essa questão da empregabilidade, porque qualificação profissional é fundamental”, destacou Magoo.

Em sua fala, Furlan destacou a preocupação com a atual situação do Brasil. “O desemprego hoje é a coisa mais triste que se tem no país e a crise começa a deixar os trabalhadores pra trás. Quando começam a surgir novos postos de empregos nós não temos trabalhadores qualificados para assumir esses postos. Isso é muito triste”, desabafou.

O Prefeito agradeceu Magoo pelas ações desempenhadas e deu sinal verde para a ampliação do Programa Meu Futuro. “Você pode intensificar os cursos de preparação desses trabalhadores e tantos quantos cursos forem necessários para preparar o nosso povo. Pode contar que nós vamos fazer porque eu quero ver o povo de Barueri e da região mais preparado do que o restante do Brasil”, afirmou Furlan em meio a muitos aplausos.

Cursos mais do que aprovados

A empolgação dos alunos que frequentam os cursos do Programa Meu Futuro é grande, tanto que muitos deles acabam fazendo mais de um. É o caso de Luiz Gustavo das Neves, 40 anos, que acaba de concluir o curso de Gestão da Qualidade. Ele também já fez Elétrica, NR10 e Gestão de Segurança. “O projeto é excelente. Os professores são maravilhosos, eu recomento! Se eu realizei os cursos é porque os mesmos são bons, o que me preparou para o mercado de trabalho, no qual já estou participando de um processo seletivo”, comemora Luiz Gustavo.

De olho no mercado de trabalho também está Daiana Santos Gonçalves da Silva, 26 anos, que acaba de concluir Gestão de Qualidade e já emendou o curso de Assistente Administrativo nessa nova etapa. “Eu vejo o curso como aprimoramento para conseguir uma vaga no mercado de trabalho. O curso é muito bom, a professora explica muito bem e, além disso, ela nos conta as vivências do cotidiano, a aplicação da matéria e as situações da teoria na prática”, relata.

O jovem Marco Antonio dos Santos Oliveira, 19 anos, chegou ao Programa com poucas expectativas, mas se surpreendeu. “Minhas expectativas eram baixas, na primeira aula gostei muito dos professores, do ambiente, por que é um lugar muito saudável de se ficar e as aulas são muito boas, os professores esclarecem as suas dúvidas. É muito bom, eu recomendo para qualquer pessoa”, diz. Marco também não quer perder nenhuma oportunidade e já se matriculou no curso de Contabilidade, também ofertado nessa 6ª fase.

TEG Osasco reduz distância entre casa e escola

O prefeito de Osasco, Rogério Lins, alterou o Decreto Municipal de nº 9.270, de 13 de janeiro de 2004, artigo 7º, parágrafo 3º, para melhor atender aos alunos matriculados na rede municipal de ensino com o Transporte Escolar Gratuito (TEG). O decreto reduziu a distância entre a residência e a escola dos que serão beneficiados.

A distância mínima que antes era de um quilômetro, agora passa a ser igual ou superior a 750 metros, ou local de difícil acesso, desde que devidamente justificado. Trata-se de um avanço significativo para muitos pais e alunos que antes não atendiam a esse critério.

Outro ponto importante é que a Prefeitura disponibilizou 1.200 novas vagas no serviço de transporte escolar gratuito. Os pais que quiserem requisitar o benefício devem procurar a escola do filho pessoalmente, preencher um formulário, o qual será encaminhado para avaliação do Setor de Transporte Escolar Gratuito (TEG), da Secretaria de Educação.

Atualmente, o TEG transporta 3.300 alunos, já inclusos os cerca de cem estudantes que possuem algum tipo de deficiência, visto que os veículos são adaptados especialmente para a condução de PCDs.  

Além disso, todo o itinerário do transporte escolar gratuito conta com uma equipe de monitores que zela pela segurança dos educandos e segue um percurso estabelecido de acordo com as necessidades dos estudantes que aguardam a condução nos pontos de parada já existentes. Os alunos com deficiência partem de suas residências.

O programa tem aprovação dos pais, como relatou Vanusa Cosme da Silva, que acompanha de perto a condução de sua filha, Heloise T. da Silva, estudante da EMEF Manoel Barbosa de Souza: “A qualidade do serviço ofertado aos nossos filhos é de excelência, sendo um transporte seguro com profissionais muito bem preparados, exemplo é o motorista Fernando sempre gentil, atendendo muito bem nossas crianças. A prefeitura merece nota dez”, afirmou.

Melhorias na frota

Na terça-feira, 9/4, o prefeito esteve no pátio da Companhia Municipal de Transportes de Osasco/Secretaria de Transportes, na Vila Yara, vistoriando a manutenção dos veículos feita pela empresa JTP, responsável pela frota dos TEGs. Dentre as melhorias solicitadas pela prefeitura e realizadas pela empresa estão a instalação de novas calhas de iluminação dos ônibus, a manutenção dos bancos e a instalação de cinto de segurança individual (para cada aluno), que antes não tinha para todos, além da instalação de câmeras de ré e a renovação dos pneus. 

Guardiã Maria da Penha fala sobre violência doméstica em escolas municipais

Prestes a completar três anos de existência, o Guardiã Maria da Penha (programa da Guarda Municipal utilizado especificamente no atendimento a mulheres vítimas de violência doméstica), começou a expandir suas atividades com a intenção de diminuir o índice de casos de agressão contra a mulher em Barueri.

Com o novo projeto “Guardiã Maria da Penha na escola”, as agentes realizam palestras de orientação e prevenção aos alunos dos 6º e 9º anos das escolas municipais. “Nosso objetivo é trazer aos jovens o conhecimento da Lei Maria da Penha e de como evitar novos casos de violência contra a mulher”, explica a subinspetora Magali Figueiredo Vieira, coordenadora do programa.

Durante a palestra, os alunos assistem a um vídeo explicativo sobre a Lei 11.340, que previne e pune a violência e todas as demais formas de discriminação contra a mulher. Entre relatos reais, os estudantes podem dialogar com as guardas sobre suas experiências familiares.

De acordo com a subinspetora, a violência doméstica é um problema social que deve ser exposto e conversado em sala de aula. “Desde cedo precisamos descontruir essa versão de que a mulher é inferior ao homem. Os alunos precisam lidar com essa situação dentro e fora de casa”, conclui.

O projeto deu início às atividades na Emef Fioravante Barletta (Jardim Silveira), mas deve alcançar todas as escolas da rede municipal.

Parceria beneficia mais de uma centena de jovens

Parceria entre a Secretaria de Desenvolvimento, Trabalho e Inclusão de Osasco da Prefeitura de Osasco e o Instituto Criar de TV, Cinema e Novas Mídias, já capacitou, até o final do ano passado, quase 130 osasquenses nas áreas de finalização, fotografia, áudio, pós-produção, produção, direção de arte, além dos eixos flexíveis como direção, roteiro, estética, história do cinema, história da arte e participação social e mundo do trabalho.

Muitos desses jovens que passaram pela formação foram inseridos no mercado de trabalho audiovisual. Paulo Eduardo é um deles. Sobrevivente de um tiroteio, em 1999, sua história inspirou um dos personagens do longa “Na Quebrada”, de Fernando Grostein Andrade. “Encontrei um rumo para a minha vida graças ao cinema, participando da produção como codiretor do ‘Na Quebrada’. O Fernando conheceu minha história no Instituto Criar”, explicou Paulo Eduardo.

Para o programa, o processo seletivo acontece nos meses de maio e junho e é feito através de inscrição no site do próprio Instituto. O Programa de Formação tem início em agosto e término em junho do ano seguinte. Para participar, o jovem deve atender aos seguintes requisitos:

·         Ser indicado por uma Escola Pública (exceto Escolas Técnicas Estaduais – ETECs), ONG ou Coletivo que seja aliado social do Instituto Criar;

· Residir no município de Osasco há mais de dois anos – com comprovante de residência;

·         Ter entre 15 e 29 anos;

·         Pertencer a família com renda per capita comprovada igual ou menor a meio salário mínimo nacional vigente;

·         Não ter participado de outro projeto com bolsa trabalho por mais de 14 meses;

·         Não estar trabalhando nem recebendo seguro desemprego;

·         Ter concluído o Ensino Médio ou estar cursando o terceiro ano (comprovado por diploma ou declaração de matrícula);

·         Ter livre o período das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira, para a frequência das atividades obrigatórias, tendo em vista o cumprimento da carga horária para a obtenção do certificado de conclusão.

A formação acontece na sede do Instituto no bairro do Bom Retiro, em São Paulo, em período integral, com duração de até um ano. O aluno recebe da Prefeitura de Osasco, ao longo desse tempo, um auxílio pecuniário no valor de um salário mínimo, mais auxílio para deslocamento.

Após o período de formação, os jovens são encaminhados aos parceiros como Secretaria de Cultura, Secretaria de Comunicação, por exemplo, além do próprio Instituto Criar que também recebe jovens para Habilitação em Local de Trabalho. Eles realizam HLT pelo período de 6 a 12 meses onde vivenciam na prática o que aprenderam durante a formação.

A SDTI também atende o Núcleo de Artes Cênicas Sebastian, entidade sem fins lucrativos direcionada à inclusão de crianças e adolescentes dos setores mais socialmente vulneráveis através da dança.

O curso de formação acontece no Núcleo Sebastian, que funciona em espaço público municipal. Hoje, três jovens habilitadoras, formadas pelo Núcleo, são mantidas pela prefeitura e auxiliam outras crianças no Ballet. As “aulas” das habilitadoras acontecem nos CEUS Zilda Arns, José Saramago e Núcleo Sebastian.

Prefeitura de Cotia apoia OSC que atende menores em situação de risco social

Na última semana, crianças atendidas pela Organização da Sociedade Civil (OSC) ‘Obras Sociais do CE Wantuil de Freitas’, na Água Espraiada, fizeram uma apresentação circense. Na Wantuil, as crianças, com idade entre zero e 15 anos, participam de diversas atividades recreativas e culturais. Elas são oriundas de famílias atendidas pelos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS’s) Jardim Japão e Caucaia do Alto e o atendimento na OSC conta com o apoio da Prefeitura de Cotia, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social, que é uma das cofinanciadoras do espaço.

“Esse serviço só é possível pela parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social que encaminha as crianças e possibilita a realização das atividades com recursos financeiros”, disse Rosangela Dias, vice-presidente da OSC.

As crianças atendidas fazem parte do programa de serviço convivência e fortalecimento de vínculos e, na apresentação da última semana, contaram com uma plateia especial: crianças da unidade da OSC localizada no Tijuco Preto.

Na Wantuil de Freitas as crianças participam de aulas de violão, arte circense, taekwondo, jogos cooperativos e competitivos, ginástica, aulas de dança, recreação, literatura, entre outras, no contraturno escolar.

O pequeno Kauã Borges, de apenas 13 anos, participa das aulas circense e está animado. “Eu pretendo levar o aprendizado daqui para outras pessoas, para outros lugares, porque este aprendizado é essencial na minha vida”, disse o garoto.

A parceria com a Prefeitura existe desde 2018. “Firmamos esta parceria com a Wantuil e estamos muito felizes com o resultado na vida de nossas crianças. Este serviço de convivência e fortalecimento de vínculos é fundamental para um futuro melhor para cada uma delas”, disse Mara Franco, Secretária de Desenvolvimento Social.

Em Carapicuíba, encontro de gestores municipais fortalece programa ‘Meio Ambiente nas Escolas’

Na última semana, a Prefeitura de Carapicuíba, através da Secretaria de Educação em parceria com o Instituto socioambiental Auá, realizou no Centro de Formação de Professores, o encontro de gestores escolares da rede municipal de ensino para as orientações e fortalecimento do programa Meio Ambiente nas Escolas, seguindo o projeto “Lugar de óleo de cozinha usado é na escola”.
A reunião, conduzida pelos representantes ambientais, teve o objetivo de reforçar a importância do projeto no ambiente escolar, apresentando métodos que podem ser aplicados em sala de aula junto aos alunos para a conscientização ambiental dos pequenos, além de torna-los multiplicadores da informação.Em 2019, as 46 escolas municipais de Carapicuíba serão utilizadas como pontos de coleta para captação do óleo de cozinha usado. Só no último ano, o programa coletou mais de 5.400 litros de óleo, que receberam a destinação correta, evitando a contaminação de rios e lagos. Neste ano a iniciativa busca aumentar a quantidade do líquido com maior adesão da população. 

Entenda o projetoA ação visa mobilizar a população a não desperdiçar o óleo de cozinha após o uso, nem descartá-lo na pia. O recurso da venda do óleo entregue nas Emeis e Emefs passa a ser destinado para a Associação de Pais e Mestres de cada unidade, que decide em quais projetos de educação ambiental investir, assim como em novos produtos sustentáveis. 

Como separar seu óleo da maneira correta
Com a ajuda de um funil despeje o óleo usado e já frio em uma garrafa PET. Leve a garrafa PET para a escola mais próxima de sua casa e deposite nas bombonas do projeto. O óleo de cozinha usado receberá a destinação correta, podendo ser reciclado e transformado em produtos sustentáveis.

Alunos do Imperial e Mutinga integram projeto especial de natação

Cerca de 1.200 crianças e jovens, que estudam nas escolas municipais dos bairros Parque Imperial e Jardim Mutinga, estão participando de aulas de natação, na piscina da Emef Nestor de Camargo (Mutinga). 

O projeto está abrigando os alunos das Emefs Amador Aguiar, João Carvalho de Lima, José Domingos da Silveira, Júlio Gomes Camisão, Levy Gonçalves de Oliveira, Marlene Pereira Santiago, Nestor de Camargo, Rita de Cássia e Rita de Jesus. 

A Secretaria de Educação destacou professores de educação física especialmente capacitados para ministrarem as aulas de natação, bem como está coloca à disposição, ônibus escolares para transportar os estudantes envolvidos no projeto. 

De acordo com a supervisora do setor, Fátima Leite, o projeto tem o objetivo de legar às escolas da região oportunidades de desenvolvimento em áreas do esporte e da cultura, como ferramenta de aprendizagem e de melhoria da qualidade de vida de todos os envolvidos. “Com esse cenário, abre-se a possibilidade de melhorarmos os índices de desempenho, além de promovermos novas aprendizagens. Surge também uma importante ferramenta para reduzir os índices de evasão escolar”, explicou. 

A diretora da Emef Nestor de Camargo, Márcia Adriana, a iniciativa está sendo muito bem recebida pelas famílias dos alunos. “Os pais estão felizes, inclusive fazem questão de acompanharem as aulas. É só elogio”, disse.  

Para Cristina Silva, diretora da Emef Levy Gonçalves, o projeto tem sido a alegria dos alunos. “Estão bem participativos e muito mais interessados nas aulas”, observou. 

Além da aprovação dos estudantes, os pais e familiares também estão empolgados com as novas atividades. De acordo com Verônica da Silva, mãe de uma estudante da Emef Levi Gonçalves, a aula de natação é um projeto maravilhoso, pois “está auxiliando muito no aumento da sociabilidade e do interesse pelo esporte do seu filho”. 

Para Kelle Fernandes Vianna, sua filha está muito interessada na novidade. “Os professores são muito pacientes e atenciosos. Excelente projeto.”