Educação

Ideb 2019: SP lidera nos anos finais do ensino fundamental e retoma crescimento nas outras etapas

Estado registrou a maior evolução da história no ensino médio 

Dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2019 divulgados nesta terça-feira (15) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão do Ministério da Educação, apontam que a rede estadual de São Paulo teve o melhor resultado do Brasil nos anos finais do ensino fundamental e voltou a crescer nas outras etapas do ensino.  

No ensino médio, a rede estadual de São Paulo registrou o maior crescimento de sua história. Nos anos iniciais do ensino fundamental, se for avaliada a rede pública conjuntamente entre escolas estaduais e municipais, São Paulo também apresenta o melhor resultado do país.  

Ensino médio 

O maior desempenho foi notado no ensino médio, que saltou de 3,8 no último Ideb, em 2017, para 4,3 em 2019, registrando o maior crescimento da história das escolas estaduais neste ciclo de ensino.  

Após retroceder em 2017, a rede estadual cresce 0,5 no ensino médio em 2019 e permanece em 5º lugar no ranking entre os estados.  

“Estou muito feliz com o crescimento do ensino médio do Brasil. Sonho com um país que continue avançando. O crescimento de São Paulo é muito importante, estamos nos movendo dentro da nossa própria comparação, ainda mais se levarmos em conta o tamanho da nossa rede”, afirmou o secretário Rossieli Soares.  

Ensino fundamental 

Nos anos finais do ensino fundamental, São Paulo recebeu pontuação de 5,2 – antes tinha 4,8. O desempenho foi o melhor da história de São Paulo e de todas as outras redes estaduais do Brasil.  

 O Ideb 2019 também apontou evolução nos anos iniciais do ensino fundamental que já era bem avaliado. Saltou de 6,5 para 6,6 pontos. Vale lembrar que nesta etapa do ensino, São Paulo possui 631 mil alunos e tem a maior rede estadual de anos iniciais do país.  

O desempenho nesta etapa faz com que a rede estadual de São Paulo ocupe o segundo lugar entre as demais redes estaduais, fica atrás apenas do Paraná que possui 0,5% dos alunos matriculados em São Paulo.   

Como é calculado 

O Ideb é o principal indicador da qualidade dos sistemas educacionais brasileiro. Ele é calculado com base nas médias da Prova Brasil e fluxos de aprovação, reprovação e abandono extraídos do Censo Escolar. 

Impacto da pandemia 

Rossieli Soares reforçou que a tendência de crescimento apresentada pelo Ideb 2019 pode não se manter nos próximos anos por conta da pandemia do coronavírus enfrentada atualmente.  

“Precisamos fazer essa reflexão enquanto sociedade sobre o que está acontecendo. A pandemia trouxe aumento do desemprego e há um consequente risco de evasão escolar. Temos muitos esforços para garantir a aprendizagem neste período, mas o desafio está posto e é fundamental que a gente reflita”, diz Soares.  

O secretário lembrou que São Paulo implementou estratégias para garantir o ensino mediado por tecnologia com o Centro de Mídias SP e aulas via aplicativos e canais de TV. O Estado ainda construiu e aprovou o currículo paulista em implantação em 628 municípios, criou 53 escolas de Programa de Ensino Integral (PEI), realizou programa de recuperação de aprendizagem e formação de professores. 

Prefeito Elvis Cezar entrega certificados do curso de Idiomas para alunos da rede pública

Imagem: Dario Souza

Os alunos concluíram o aprendizado dos idiomas Espanhol, Inglês e Mandarim

Na última sexta-feira (11), o Prefeito de Santana de Parnaíba Elvis Cezar recebeu em seu gabinete quatro alunas da rede municipal que se destacaram nos cursos de Espanhol, Inglês e Mandarim do Centro de Línguas de Santana de Parnaíba e receberam os certificados de conclusão de mais um módulo das mãos do prefeito.

Acompanhadas dos pais e professores, as alunas tiveram um bate-papo com o prefeito, onde falaram sobre as suas expectativas para o futuro e comentaram sobre a importância deste curso para suas vidas: “O curso foi incrível, aprendi muita coisa, não só a língua, como também a cultura e é muito importante aprender um novo idioma já que o mundo está globalizado”, disse Ellen Domingas estudante do colégio Aldônio Teixeira.

O Centro de línguas é uma iniciativa da prefeitura que teve início em 2018 e, desde então, cerca de 1400 alunos já passaram pelos cursos, que são oferecidos para os alunos do 9º ano do ensino fundamental II que tiverem as melhores notas dos colégios. As aulas são ministradas no contraperíodo das aulas regulares e, durante a pandemia, as aulas estão sendo realizadas de forma on-line.

Educação de Osasco avança e atinge 6.3 no IDEB

Imagem: Divulgação

A educação na rede municipal de Osasco obteve nota 6,3 no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), divulgado na terça-feira, 15/9, pelo Ministério da Educação. Essa é a maior nota obtida pelo município e apresenta o avanço na educação municipal. Em 2013, o município registrou a nota 5,2. Em 2015, chegou a 5,9, em 2017 alcançou a nota 6,1 e, agora, atingiu 6,3, referente à avaliação dos primeiros anos do Ensino Fundamental.

O IDEB é um indicador de desempenho da educação brasileira divulgado a cada dois anos pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), autarquia do Ministério da Educação (MEC). O índice foi criado pelo governo federal para medir a qualidade do ensino nas escolas públicas.

A Educação é um dos pilares da administração pública. Em menos de quatro anos foram construídas e entregues 10 novas creches. Além disso, a Fito zona Sul passou por reformas e reestruturação para abrigar o “Mundo da Criança”. O mesmo acontecerá com a Fito zona Norte, onde as obras estão em fase final para acolher o “Mundo da Criança”.

O diferencial do Mundo da Criança na Fito zona Norte será sua capacidade para abrigar 1,3 mil alunos, transformando-se na maior creche do país. Os investimentos em Educação também envolvem a distribuição de uniformes de verão e de inverno, inclusive, para os alunos matriculados em creches; distribuição de kits de material escolar; disponibilização de transporte escolar para alunos com deficiência, e a valorização dos profissionais, por meio do Plano de Carreira do Magistério.

Mesmo com as aulas suspensas por conta da pandemia do coronavírus, a Prefeitura disponibilizou a plataforma “Estude em casa”, que oferece farto e variado material para os alunos continuarem a se atualizando. Para atender alunos com dificuldades de acesso à internet, a Prefeitura imprime e distribui o Caderno de Atividades.

A assistência aos alunos nesse período de pandemia ainda contou com distribuição de cestas básicas, considerando que a merenda é a principal refeição de muitos alunos. Posteriormente as cestas foram substituídas pelo Cartão “Merenda em Casa”, com crédito de R$ 70 mensais por aluno, para que as famílias adquiram os produtos que costumeiramente consomem.

Em Osasco, as aulas presenciais serão retomadas em 2021, atendendo aos anseios de pais e responsáveis, para evitar a exposição das crianças durante o período de pandemia. A medida também dá mais tranquilidade aos professores e demais funcionários das unidades de ensino.

Jandira supera meta do Índice de Educação Básica

Imagem: Arquivo / SME

Município superou a expectativa do IDEB, alcançando nota 6.2 na avaliação referente ao ano de 2019

O município de Jandira atingiu, pela segunda avaliação consecutiva, nota acima da meta no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). O resultado histórico divulgado nesta terça-feira (15) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), mostra que o município alcançou nota 6.2 referente ao ano de 2019, superior a meta projetada que era 6.1.

Esta é a segunda avaliação consecutiva que a Educação da cidade supera a expectativa, já que na avaliação referente ao ano de 2017 o resultado foi 6.0, acima do 5.8 projetado.

A avaliação é realizada por meio das médias de desempenho no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) aos alunos do 5º ano do ensino fundamental a cada dois anos, com questões de português e matemática.

Santana de Parnaíba é a única cidade da região a atingir todas as metas do IDEB de 2019

Imagem: Marcio Koch/Fabiano Martins

Município conseguiu pontuação de 6.4 no Ensino Fundamental 1, 5.5 no Ensino Fundamental II e 4.4 no Ensino Médio

 Mais uma vez Santana de Parnaíba é destaque na Educação. De acordo com o último resultado do IDEB – Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, órgão ligado ao governo estadual que mede a qualidade da educação na rede pública, exibiu nesta terça-feira (15) que a cidade foi a única da região oeste que alcançou(e superou em alguns níveis de ensino) as metas estipuladas pelo índice em 2019.

De acordo com o IDEB, no Ensino Fundamental I (4ª série/5º ano) a cidade subiu 0.2 pontos da meta, ficando com 6.4. Já no Ensino Fundamental II (8ª serie/ 9º ano) esse aumento foi de 0.1 ponto acima da meta (5.5). No Ensino Médio o município atingiu a meta estipulada pelo órgão regulador, que foi de 4.4 pontos.

Entre os colégios da rede pública, 11 ultrapassaram a meta estipulada pelo IDEB no Ensino Fundamental 1, com destaque para o Leda Caira e Abelardo Marques (Fazendinha), Ana Aparecida Santana (Cidade São Pedro) e Padre Anacleto(Colinas da Anhanguera), no Fundamental II foram 17 colégios com nota acima da estipulada, onde a escola Juscelino Kubitschek(Cidade São Pedro) teve a maior pontuação, com 6.4, seguido pelo Leda Caira, com 6.2. E no Ensino Médio foram 6 com destaque para o Colégio Manoel Jacob (Ingaí), com 5.4 e Aurélio Gianini (Cururuquara), com 5.3.

Esses resultados positivos são reflexos dos investimentos realizados pela prefeitura na educação, que em 7 anos inaugurou 17 colégios, ampliou 15 unidades educacionais, implantou cursos de robótica e 5 pólos da Escola de Línguas, Plataforma de Idiomas, com mais de 18 mil inscritos que aprendem pela internet um novo idioma, além dos cursos Conect e Mind Lab, além de promover a entrega de uniformes, materiais didáticos e escolares, mais de 64 mil refeições diárias aos mais de 32 mil alunos que fazem parte da rede municipal de ensino. A cidade também conta com 04 escolas de Ensino Superior (Fatec, Unip, Univesp e Fasp), além de 02 escolas Técnicas nos bairros Centro (Etec Ermelinda) e Fazendinha (Etec Bartolomeu), além de programas como “Meu Filho Vai Pra Faculdade”, ações que fazem com que Santana de Parnaíba seja referência em educação na região.

Volta às aulas: segurança e comunicação são fundamentais, orienta especialista

Imagem: Freepik
Alvo de polêmicas, a decisão de retomar o calendário escolar exige cautela, cuidados redobrados e investimento na saúde e segurança de estudantes e colaboradores, para garantir o sucesso do processo de ressocialização escolar

No mês em que o país supera a marca de quatro milhões de casos de Covid 19 confirmados, governos e autoridades de saúde tentam chegar a um acordo sobre o processo de retomada do calendário escolar em estados e municípios brasileiros. Em São Paulo, por exemplo, a previsão de retornar as atividades no dia 08 de setembro foi adiada depois de uma análise dos índices de Coronavírus entre alunos e professores. Decisão que se repetiu também nos estados da Bahia, Santa Catarina e Ceará.

A medida é uma forma de evitar que se repita no Brasil os mesmos resultados de países onde as instituições de ensino foram reabertas, mas precisaram fechar as portas por causa do registro de novos casos. Alguns chegaram a reabrir priorizando crianças menores pela baixa taxa de adoecimento. Outros investiram em mudança de rotina e adotaram medidas como distanciamento das cadeiras, divisão de turmas por dias e horários diferenciados, redobraram práticas de higiene – como lavar as mãos, pelo menos, cinco vezes, durante o período na escola – entre outras. “São medidas simples, mas que podem contribuir com o sucesso desta fase”, explica o médico do Grupo Sabin Medicina Diagnóstica, Bruno Ganem.

Seguindo a linha estratégica de outros países, o Brasil orienta autoridades da educação para a retomada das aulas, mas com medidas que garantam bons resultados e, principalmente, após a realização de testes de covid-19 em professores, colaboradores e estudantes, para auxiliar na tomada de decisão e avaliar se é viável reabrir as portas. Para o especialista, cada etapa deste processo deve ser feita de forma cautelosa e, principalmente, segura. “Uma das principais preocupações de pais, professores, estudantes e autoridades é uma nova onda de infecções dentro das instituições. Há ainda uma outra preocupação porque em muitos casos crianças e adolescentes são assintomáticos e há um risco muito grande de levarem o vírus para dentro de casa, onde pode haver pessoas mais suscetíveis ao vírus, como os idosos, por exemplo. Por isso, todas as medidas que podem ser colocadas em prática a favor da saúde neste momento são fundamentais”, enfatiza o médico.

A importância da testagem e medidas de prevenção

Um estudo recém publicado pela revista britânica ‘The Lancet’ sugere que só é possível assegurar um retorno às aulas com pouca possibilidade de um novo surto, após grande volume de testagem de pessoas sintomáticas (entre 59% e 87%), e destaca também o rastreamento de contatos de alunos que estiveram e isolamento.

O médico vai além e destaca ainda outras importantes iniciativas que são decisivas nesta fase. “Observamos mudanças de hábitos sociais e, mais do que nunca, é preciso investir agora em práticas que atendam às exigências deste ‘novo normal’. E quando falamos em instituições de ensino, onde há um público mais diverso, com necessidades tão distintas, o processo precisa ser gradativo e requer medidas importantes. Destaco como fundamental os protocolos sanitários, que auxilia as instituições nesta reestruturação de suas atividades, respondendo de forma eficaz à essa mudança organizacional”, afirma Ganem.

“A Covid 19 provocou impactos significativos em todas organizações e temos a certeza de que nada será como antes. É um cenário desafiador e também é o momento ímpar para que os gestores repensem seus modelos e invistam nos protocolos de saúde, para favorecer que seja uma fase amparada em segurança sanitária e confiança, dois pilares fundamentais nesta etapa”. O médico detalha que os protocolos sanitários dispõem de três ‘engrenagens’ que funcionam em total sintonia. “Primeiro, é preciso fazer triagem dos profissionais para entender quais são as populações das escolas e os riscos oferecidos. Esta é uma etapa de extrema relevância para criar a engrenagem seguinte, a do monitoramento, questionar o que será monitorado para dar mais segurança aos grupos selecionados na triagem. Por fim, os essenciais protocolos de testagem. Esses pilares funcionando darão a sustentação necessária à segurança sanitária”, enfatiza o médico.

De acordo com o especialista, a consultoria às instituições proporciona uma fusão da segurança com a comunicação mais fluida entre as equipes, que também é essencial para reestabelecer a confiança e promover um ambiente seguro, saudável e acolhedor. “Todas as etapas da consultoria são desenvolvidas para adequar os ambientes às novas realidades. O Grupo Sabin, em parceria com a In Press Oficina, por exemplo, dispõe do projeto Novos Costumes, é uma consultoria especializada para a Covid 19. Especialista vão às instituições, avaliam os espaços e rotinas, desenvolvem protocolos e monitoram os resultados. Todo o trabalho é personalizado, de acordo com cada segmento de atuação, perfil dos colaboradores e dos clientes ou usuários”, destaca o médico.

Para conhecer mais sobre o projeto, acesse: http://novoscostumes.com.br/

Pesquisa Educacional Impacto Covid na rede SENAI-SP mostra que 79% dos alunos estão satisfeitos com estratégias de ensino remoto

Imagem: Freepik
Responderam à pesquisa 6.279 estudantes, 560 docentes e 139 gestores de 91 escolas do estado de São Paulo
 
Pesquisa realizada pelo SENAI-SP revela que 79% dos alunos da rede se sentem totalmente atendidos e 19% parcialmente atendidos em atividades que envolvem comunicação, acompanhamento, resolução de atividades, respostas às dúvidas e suporte à utilização de ferramentas remotas adotadas pela instituição durante a pandemia. A Pesquisa Educacional Impacto Covid-19 foi aplicada em toda a rede de escolas do SENAI-SP, localizadas na região metropolitana do estado de São Paulo, interior e litoral, de 21 a 31 de julho.

Outro dado da pesquisa mostra que cerca de 90% dos alunos concordam – totalmente ou parcialmente – que as estratégias adotadas pelas escolas garantiram sua formação. Quanto ao desenvolvimento das capacidades técnicas, 58% se dizem totalmente atendidos com as devidas estratégias de mudanças para o ensino remoto e 33% parcialmente atendidos.

O levantamento também ouviu professores e gestores que no período da pandemia tiveram que se adaptar ao novo formato em dar aulas mantendo a qualidade do ensino sem interromper a boa capacitação de profissionais da indústria.

Segundo o levantamento, a grande maioria dos docentes, 90%, declarou que os cursos foram modificados para que fossem viabilizados de forma remota. Para que isso fosse possível, 24% dos gestores proporcionaram aos professores os ambientes e a estrutura da escola, e 19% disponibilizaram recursos para a preparação das aulas, como laboratórios, oficinas e equipamentos para gravação e transmissão. Cerca de 14% ainda ofereceram computadores e notebooks aos professores. Outra importante ferramenta de apoio foi a criação de grupos de estudos para que os professores compartilhassem suas experiências, estratégia citada por 34% dos gestores das escolas.

Quanto ao suporte tecnológico aos alunos, 27% dos gestores das escolas disponibilizaram computadores, notebooks e tablets. Houve ainda relatos sobre provimento de rede de internet e levantamento para liberação de modem. De acordo com a pesquisa, 72% dos estudantes acessam internet por banda larga (cabeada ou wifi), enquanto 24% pela banda larga e pacote de dados móveis e 4% só por meio de dados móveis. A maioria dos estudantes (68%) possui computador e celular, enquanto 26% declararam possuir só celular. Destes, 44% compartilham o dispositivo (celular ou computador) com outras pessoas na casa.

As estratégias educacionais à distância mais utilizadas foram: videoaula (98%), e-mail (94%), chat (93%) e WhatsApp (90%). Cerca de 76% utilizaram os ambientes remotos de ensino – como Teams, Moodle e Google Classroom – sem dificuldade, e somente 11% revelaram dificuldades em realizar as videoaulas síncronas.

Bem-estar
A pesquisa também analisou os impactos da pandemia na saúde física, emocional, familiar e financeira dos alunos e professores. Aproximadamente 35% declararam que enfrentaram sofrimento emocional com prejuízo nas suas atividades educacionais. Este sofrimento emocional foi verificado também em 22% dos familiares dos alunos e em 9% dos docentes. Já os impactos financeiros atingiram cerca de 20% dos estudantes que declararam ter perdido o emprego, enquanto 55% tiveram algum impacto financeiro pessoal ou familiar. Entre os docentes, 41% declararam ter sofrido impacto financeiro individual ou familiar. Esse e valor se manteve constante em todas as regiões do estado.

Para o apoio físico e emocional das pessoas, foram usadas as ferramentas como e-mail, WhatsApp e encontros remotos. Além de outras práticas, como distribuição de cestas básicas e práticas de acolhimento e motivação.

Outro ponto que chamou a atenção na pesquisa foi a atuação dos Analistas de Qualidade de Vida (AQV), que acompanham de perto os alunos e colaboradores em diversas questões pessoais e profissionais, humanizando cada vez mais, a relação da instituição com as pessoas. Este apoio foi referenciado espontaneamente por 8% dos entrevistados.

Satisfação e desenvolvimento técnico
O levantamento também quis saber se os alunos estavam totalmente satisfeitos com o curso oferecido no período da pandemia e 60% responderam que sim, 37% parcialmente satisfeitos e somente 3% declaram insatisfação.

Quanto ao desenvolvimento das capacidades técnicas, 58% foram totalmente atendidos, e 33% percebem que tal desenvolvimento aconteceu parcialmente. Esse resultado obtido na pesquisa pode ser indicativo da natureza do curso e da necessidade de realização das práticas em ambiente presencial. Este comportamento se repete quando perguntados sobre o sentimento de prejuízo ao desenvolvimento das competências profissionais do perfil: 28% sentem-se prejudicados em suas competências profissionais, 54% concordam parcialmente e 28 % discordam da existência de prejuízo em sua formação.

Sobre as estratégias remotas serem garantidoras da formação profissional, 37 % concordam totalmente, 53% parcialmente e 10% não concordam. Esta discordância pode estar relacionada desde as questões estruturais (acesso, ferramentas, ambiente remoto) até as questões pedagógicas e de natureza específica de cada curso. Além disso, aponta para a pertinência da adoção do ensino hibrido, modelo que mescla momentos em que o aluno estuda sozinho, de maneira virtual, com outros em que a aprendizagem ocorre de forma presencial, valorizando a interação entre pares e entre aluno.

Retorno Presencial
Questionados sobre o retorno às atividades presenciais, 50% dos estudantes já se sentem à vontade, 35% ainda condicionam o retorno às condições oferecidas pelas escolas e pelo próprio município e 15% não estão confortáveis com a volta. A pesquisa também perguntou sobre a continuidade das estratégias remotas adotadas durante a pandemia, e 54% concordam com sua manutenção – total ou parcial, enquanto 46% não concordam.

Grupo de risco
Entre os docentes, aproximadamente 20% informaram que pertencem ao grupo de risco para COVID-19 e estão localizados na Região Metropolitana de São Paulo. Entre os estudantes, este número foi de 12%, observando-se um percentual maior nas escolas do litoral paulista.

Perfil da pesquisa
A maioria dos estudantes é do gênero masculino (69%) e têm entre 14 a 25 anos (92% do total), com a maior média de idade observada na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP). 78% dos docentes têm entre 31 e 50 anos e 12% mais de 51 anos de idade. 81% são homens, 3% possuem características de deficiência e 60% moram em residências com até três pessoas, sendo que a proporção é maior na RMSP (66%) e no litoral (63%).

Governo de SP abre mais de 9 mil vagas para os cursos de qualificação profissional do Programa Novotec Expresso

Imagem: Divulgação

São 11 opções de cursos rápidos e gratuitos que oferecem novas oportunidades de profissionalização para os jovens do Ensino Médio Estadual 

O Governador João Doria anunciou nesta sexta-feira (11) a oferta de 9.060 vagas para 11 cursos rápidos e gratuitos de qualificação profissional do programa Novotec Expresso, com apoio das ETECs e FATECs do Centro Paula Souza. No total, 88 municípios das 16 Regiões Administrativas do Estado serão contemplados com a modalidade. 

 “Os candidatos podem se inscrever gratuitamente. As aulas semipresenciais começam no dia 5 de outubro e vão até 18 de dezembro, respeitando todos os protocolos de segurança e saúde”, informou Doria. 

O programa Novotec é voltado aos alunos do ensino médio da rede pública e oferece cursos desenvolvidos para alinhar as demandas atuais do mercado de trabalho com as necessidades dos jovens por profissionalização mais rápida. Neste ano, o Novotec Expresso está com duas novidades: carga horária total de 90 horas em três meses e formato semipresencial, com cursos nas áreas de Gestão e Negócios, Tecnologia da Informação e Produção Cultural e Design. 

A maior parte da carga horária será realizada online e ao vivo na plataforma Microsoft Teams, além de encontros presenciais organizados pelas unidades escolares, respeitando os protocolos de saúde e segurança dos estudantes, docentes e demais funcionários. Os encontros presenciais poderão ser aulas pontuais em laboratórios, visitas de campo, palestras e atividades de integração. 

“Estamos trabalhando para proteger vidas, mas a política mais importante de todas, que vai fazer com que a gente saia dessa crise melhor e com uma retomada econômica não somente sustentável, mas também inclusiva, é apoiar nossos jovens e nossos adultos em sua formação profissional para que tenham melhores oportunidades de emprego e renda” afirmou Patrícia Ellen, Secretária de Desenvolvimento Econômico. 

São 11 cursos desenvolvidos para atender as demandas atuais do mercado de trabalho e os interesses dos jovens: 

• Comunicação e Projeto de Vida para o mercado de trabalho (em parceria com o Instituto Proa) 

• Criação de Conteúdo para Redes Sociais 

• Excel Básico 

• Informática Básica 

• Introdução a programação de computadores 

• Noções de Cibersegurança 

• Operador Telemarketing 

• Princípios do Empreendedorismo 

• Produção Multimídia 

• Recepção e Atendimento ao cliente 

• Vendas em redes sociais 

As inscrições devem ser feitas até o dia 23 de setembro pelo site www.novotec.sp.gov.br. A quantidade de vagas por Região Administrativa e curso está disponível para consulta em: http://www.saopaulo.sp.gov.br/wp-content/uploads/2020/09/novotec-vagas-por-municipio.pdf 

Curso de inglês 

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, também firmou parceria com a EF Education First e está oferecendo 17 mil bolsas em curso online e gratuito de inglês por meio da plataforma EF – Education First aos estudantes do Ensino Médio da rede pública estadual, Educação de Jovens e Adultos (EJA) e concluintes do Ensino Médio de dezembro de 2018 e 2019. As inscrições também podem ser realizadas pelo site www.novotec.sp.gov.br

“Um jovem que aprende a falar inglês, ainda que um inglês básico, tem quatro vezes mais chances de ser empregado e duas vezes mais chances de ter um salário melhor do que aquele que não tem um segundo idioma”, destacou o governador. 

Ao realizar a inscrição, o estudante recebe em 48 horas um e-mail permitindo o acesso à plataforma da Education First para iniciar o curso. As aulas deverão ser concluídas em até três meses, podendo avançar nos níveis de inglês dentro desse período. 

Novotec 

O Novotec é um programa do Governo do Estado de São Paulo, coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico em parceria com a Secretaria de Educação, que oferece cursos de habilitação técnica e de qualificação profissional aos jovens estudantes de ensino médio da rede estadual, alinhado com as demandas do mercado de trabalho. 

O Centro Paula Souza é hoje a instituição que ministra os cursos e certifica os estudantes. O objetivo é expandir o acesso à Educação Profissional e Técnica (EPT) para os estudantes do Ensino Médio, com cursos gratuitos e com a integração da EPT com o Ensino Médio, possibilitando novas opções de futuro para os jovens e facilitando a inserção no mercado de trabalho e geração de renda. 

Já o Novotec Expresso é uma das modalidades de oferta do Novotec, que disponibiliza cursos de qualificação profissional de curta duração ofertados pelas ETECs e FATECs do Centro Paula Souza. 

Governo de SP realiza cursos gratuitos de ensino à distância sobre inclusão digital

Imagem: Divulgação
Iniciativa da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência, oferece cursos de alfabetização digital, digitação, redes sociais e tecnologia assistiva

Com o objetivo de desmistificar o sentimento de medo e insegurança em acessar os recursos tecnológicos, garantindo maior autonomia e a inclusão da pessoa com deficiência, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SEDPcD) está realizando cursos de ensino à distância (EaD) sobre inclusão.

“Os cursos de inclusão digital, como quer o Governador João Doria atendendo as pessoas com deficiência, tem como objetivo proporcionar maior inclusão e acessibilidade digital e tecnológica das pessoas com deficiência, principalmente neste período de pandemia”, ressaltou a Secretária Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Célia Leão.

As atividades são realizadas por assessores em inclusão do Centro de Tecnologia e Inovação e do Serviço de Reabilitação Lucy Montoro – Jardim Humaitá, equipamentos da SEDPcD. Para quaisquer dúvidas, o atendimento pode ser feito de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, pelo e-mail faleconosco@cti.org.br ou por meio do aplicativo WhatsApp (11) 99841-6685/99690-3359.

A aluna do curso ead de Tecnologia Assistiva Aparecida Alves Lima, 64, aprendeu dicas de como mexer em seu celular, além de ressaltar a importância de realizar uma atividade que acrescentou novos conhecimentos durante a pandemia. “Nessa pandemia, a gente fica muito em casa. Então, o curso foi muito bom para preencher o meu tempo com coisas boas. Adorei conhecer pessoas, o professor é ótimo, além de aprender mais sobre o uso do meu celular”, disse.

As pessoas com deficiência interessadas, poderão se matricular nos cursos de: Alfabetização Digital, Digitação, Redes Sociais e Tecnologia Assistiva. As inscrições podem ser realizadas pelo link http://bit.ly/2WwSWzd .

Prefeito Elvis Cezar entrega a 17ª unidade de ensino em Santana de Parnaíba dos últimos 7 anos

Imagem: Marcio Koch/Fabiano Martins

Prefeito Elvis Cezar observa os ambientes do Colégio Chácara das Garças

Com o Colégio Chácara das Garças, a prefeitura alcança a marca de quase 10 mil vagas geradas nos ensinos infantil, fundamental e médio

Na última quinta-feira (10), o Prefeito de Santana de Parnaíba Elvis Cezar realizou a entrega do Colégio Municipal Chácara das Garças, que é a 17º unidade escolar da cidade. A cerimônia contou com a presença de representantes do legislativo e executivo municipal.

O evento foi transmitido de forma online, na página oficial do prefeito, para evitar aglomeração no local. Quem esteve presente pôde conhecer as instalações do novo colégio, destinados a educação infantil e fundamental que funcionará em período integral e conta com um ginásio de esporte, berçários, 9 salas de ensino fundamental, um laboratório e uma biblioteca.

Os moradores presentes ficaram satisfeitos e agradecidos com a construção e a infraestrutura que foi entregue.

Visivelmente emocionada, Erika Oliveira elogiou a estrutura do colégio: “Ninguém dava nada por esse bairro e ver essa escola pronta, colégio de primeiro mundo. Estou muito orgulhosa em saber que meu bebê vai ter um berçário de primeiro mundo”, comentou a moradora do bairro.

 O prefeito Elvis Cezar ressaltou sobre a qualidade e as estruturas do novo Colégio e a importância de ter um ginásio dentro da escola para atender a população aos finais de semana.

“Estamos investindo muito nesse bairro, construímos uma UBS, esse colégio, colocamos iluminação de Led por todo o bairro para trazer mais segurança para os moradores, e nos próximos meses, vamos pavimentar todo o bairro”, ressaltou o prefeito.