CAPS AD faz ação pelo Dia de Combate às Drogas

O Dia Internacional de Combate às Drogas, lembrado nesta segunda-feira (26) não passou em branco em Cotia. Isso porque profissionais do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD) da Secretaria de Saúde de Cotia realizaram uma ação especial por meio do projeto Atravessando a Passarela com adolescentes da Escola Estadual Pedro Casemiro Leite, situada às margens da rodovia Raposo Tavares.

Embora a unidade escolar esteja em férias, um grupo de 15 alunos participou da programação que contou com roda de conversa, música, alongamento e dança. “Em 2016 tivemos conhecimento de alguns problemas relacionados às drogas nesta escola, através de um aluno daqui que atendemos no CAPS AD. Viemos com esta proposta de fazer uma ação que pudesse frear o problema e fortalecer os adolescentes”, disse Teresinha Cabral, terapeuta ocupacional do CAPS AD. “Apresentamos o projeto Atravessando a Passarela, já que o CAPS AD está a uma passarela da escola. A direção da unidade aprovou e começamos este trabalho”, acrescentou.

Para a coordenadora da escola, Nelma Albanez, as mudanças comportamentais já são visíveis. “O projeto está mudando o foco dos alunos. Alguns deles, que se demonstravam mais vulneráveis às ofertas ruins que rondam os muros da escola, já não demonstram mais aquele interesse”, disse.

Segundo ela, como o projeto trabalha aceitação das diferenças, bullying, conscientização, música e dança, no contraturno escolar, e os alunos que participam estão cuidando mais da escola. “Percebemos um maior sentimento de pertencimento e cuidado com a escola. Estão mais na sala de aula e melhorarão o desempenho”, completou.

Durante a roda de conversa, o psicólogo Josafá Rosendo de Lima conversou com os estudantes sobre a adolescência e as curiosidades e necessidades latentes nesta fase da vida.

Por meio da poesia, livros e canções, o psicólogo alertou sobre o risco do uso das drogas e sobre o prazer efêmero que ela traz, mas com efeitos devastadores e, na maioria dos casos, longos e irreversíveis. “A droga se apresenta como uma possibilidade na vida de vocês, ela causa sensação boa, tanto que quem usa chega a viciar, mas depois vem o desespero e não se consegue sair sozinho”, disse Josafá. “Não vale a pena estragar a vida com estas fantasias. Evitem contato com as drogas, busquem o barato no amor, na paixão, na cultura”, concluiu.

Para Maria Helena Silva, mãe de uma adolescente de 13 anos que participa do projeto, o CAPS AD está de parabéns pela iniciativa. “Fico mais tranquila de saber que minha filha está participando de um projeto assim do que nas ruas ou o dia todo no celular conversando não sei com quem”, disse. De acordo com ela, a filha está bastante entusiasmada com o projeto, participa das atividades e faz as pesquisas propostas. “Estamos adorando”, avaliou.

O projeto Atravessando a Passarela acontece duas vezes por semana, no período da manhã e da tarde, em encontros que duram duas horas. Para a programação desta segunda-feira, o CAPS AD também contou com a participação do professor de dança, Claudinei do Nascimento, do professor de música, Wilson Rocha e do educador físico, Bruno Rabechini.