Baque Ambulante leva Maracatu para comunidades de Jandira

Maracatu

Maracatu alegrou as comunidades de Jandira – Foto: Bruno Góis

Nos dias 6 e 7, a cidade de Jandira recebeu o coletivo cultural Cambada Boa, que realizou apresentações de Maracatu com o espetáculo cênico-musical  ‘Baque Ambulante’.

As batidas dos tambores contagiaram os moradores dos bairros Jardim Gabriela II, São Luiz, Analândia e Alvorada, que se surpreenderam com a música e o colorido das apresentações.  “É um lindo trabalho. A gente não consegue ficar sem se mexer”, disse a moradora Inês Rocha.

Já para o morador Erivaldo Leite, o fato de se investir em cultura na cidade motiva os jovens e crianças a ficarem longe das drogas e da violência. “Fiquei muito grato com o que vi hoje. Nunca aconteceu nada parecido nesta praça, e é o que precisamos; mais cultura! Assim os jovens escolhem a arte e não a marginalidade”, disse.

Ao final de cada espetáculo, o grupo convidava o público para cantar, dançar e conhecer mais sobre a história do Maracatu.

O projeto ‘Baque Ambulante’ foi selecionado pelo Edital do Fundo Municipal de Incentivo à Cultura de Jandira, idealizado pelo coletivo ‘Cambada Boa’, com a coordenação e produção de Laila Valois e direção musical do percussionista e arte-educador Rubens Rossin. Seu objetivo é valorizar a manifestação cultural do Maracatu de Baque Virado, reunindo pessoas com interesses artísticos afins, aprofundando o conhecimento e a prática do tema.

 

Sobre Maracatu Baque Virado

O Maracatu de baque Virado ou Maracatu Nação é uma manifestação da cultura popular brasileira afrodescendente. Surgiu durante o período escravocrata, provavelmente entre os séculos XVII e XVIII,  no estado de Pernambuco.

Teria surgido a partir das coroações e autos do Rei do Congo, prática implantada no Brasil supostamente pelos colonizadores portugueses e, por consequência, permitida pelos senhores de escravos.  O Maracatu é hoje reconhecido como patrimônio cultural imaterial do Brasil.